História Eu sou um rabanete Ren !!!! - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Maldição do Tigre
Personagens Alagan Dhiren Rajaram (Tigre Branco "Ren"), Durga, Kelsey Hayes, Lokesh, Nilima, Sohan Kishan Rajaram (Tigre Negro), Sr. Kadam
Tags A Maldição Do Tigre, Comedia, Drama, Etc, Kelsey, Kibai (kishan, Rensey (ren, Romance, Universo Alternativo, Yesubai
Exibições 257
Palavras 3.719
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Hentai, Luta, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi meus amores como vão?
Nossa que emoção chegamos ao capitulo 50 da Fic que eu achei que não ia dar nada, estou emocionada com isso sério, quero agradecer a todos os 179 favoritos, cento e setenta e nove, CENTO E SETENTA E NOVE
PUTA MERDA ISSO É.... SEM PALAVRAS SERIO, AMO VCS

Mas agora prestem atenção aqui em mim, eu esqueci de algo muito importante o qual eu não devia ter feito isso
A quinze anos atraz nasceu uma pessoa, que eu alego ser um anjo, porque não tem como ela ser tão boa, gentil, amiga, confiavel, engraçada, atenciosa, carinhosa sem ser um anjo enviado dos céus e que eu tive a feliz sorte de ter entrado na minha via
Leeh mesmo eu não te conhecendo pessoalmente saiba que eu a considero minha amiga tão quanto as que eu conheço pessoalmente, você sempre em todas as vezes que nos flavamos me fazia rir, ver seu sorriso em fotos, ver seus videos de você dançando e fazendo algo que ama me, saber que está feliz me deixa feliz tambem.
Parabens pelos seus quinze anos, me desculpa não ter lembrado desse dia tão especial para uma menina. Como eu não estou ai pessoalmente para te presentear pessoalmente eu lhe darei esse caps de presente, mesmo ele não tendo ficado muito bom ( na minha opnião)
então...
ESSE CAPITULO É DEDICADO A LEEH, MINHA MARIDA LINDA, MINHA AMIGA VALIOSA QUE EU NÃO TROCARIA POR NADA, A MINHA SEMPAI ENFIM, A VOCÊ LEEH TE AMO

Capítulo 50 - Anamika e Damon


Fanfic / Fanfiction Eu sou um rabanete Ren !!!! - Capítulo 50 - Anamika e Damon


POV Anamika 
- Ai  você pisou no meu pé de novo - Diz meu acompanhante bufando, já era a terceira vez que eu pisava no pé dele. Não era minha culpa se eu era horrível na valsa, por isso aceitei ensaiar mas não esperava encontrar Kishan aqui, aquilo foi um choque, um abalo para mim, mas também foi um tipo de conforto e alivio, vê-lo feliz e bem me deixou muito feliz mas as lembranças do que eu fiz com ele me atormentavam toda hora, elas só me deixavam em paz quando eu estava com a cabeça ocupada, por isso me dedicava noventa por cento ao trabalho, e os outros dez ao meu irmão. 
- Me desculpe, eu não sou muito boa em valsa, e eu não estou muito focada - Digo tentando voltar a dançar de novo, mas mais uma vez eu piso no pé dele, ele grunhi e se afasta de mim 
- Olha aqui, eu desisto de você, tudo bem que você não sabe dançar mas se pelo menos prestasse atenção para não pisar no meu pé seria um grande passo, mas aposto que a princesinha filha de papai está com os pensamentos em qual sapato ficará melhor com o seu vestido no dia do casamento da cunhada - Diz o rapaz completamente grosso e estupido. Minha raiva subiu em segundos, tudo bem que eu não sou a pessoa mais gentil do mundo, mas não dei motivos algum para esse ser me tratar assim, não mesmo, de relance vejo alguém vindo na nossa direção mas não dou bola. Olho o homem a minha frente, ele tinha uns vinte anos, era alto e moreno, o olhei com raiva e cutuquei com força o peito dele, fazendo ele dar um passinho para traz 
- Olha aqui, quem você acha que é para me tratar assim, tudo bem que eu pisei no seu pé varias vezes mas isso não significa que pode me tratar do jeito que está fazendo. Princesinha mimada você disse. Tudo o que eu tenho foi recompensa do meu suor e trabalho duro, não me venha dizer que ganhei tudo de mão beijada sendo que você nem me conhece, não sou nenhuma princesa para ficar pensando em sapatos e vestidos, você quer saber no que eu estava pensando? Eu estava pensando em o quanto eu magoei uma pessoa especial pra mim e como eu poderia conseguir o perdão dela, estou pensando em como eu posso passar na prova de advocacia que terá esse final de semana, estou pensando em como eu farei para achar e prender um psicopata e assassino em serie, que sai por ai estuprando e matando mulheres e crianças, estou pensando em o que aconteceria se eu lhe desse uma descarga elétrica da teaser que eu tenho na bolsa - Digo com a raiva sendo palpável em cada palavra, ele estava estático na minha frente - A próxima vez, que para o seu bem espero que não aconteça, não me chame de princesa mimada - Escuto uma risada abafada atrás de mim e quando me viro dou de cara com um par de olhos castanhos brilhantes, ele para de rir assim que olha para traz de mim 
- O que você estava falando da minha irmã? - Escuto a voz de Sunil falar, olho para a frente e o encontro com a mão na gola do rapaz que estava me ensinando a dançar, o rapaz mesmo sendo mais alto que meu irmão pareceu estar desesperado - Eu sugiro que tenha mais respeito com ela, se não quiser fazer um circuncisão mesmo não sendo judeu - O rapaz engole em seco - Agora vai embora daqui, mesmo sendo amigo de Nilima eu não quero mais sua presença no meu casamento - Diz ele soltando a gola enquanto dava um leve empurrão no coitado que por estar com medo saiu tropeçando - Está tudo bem Ana? - Pergunta ele sorrindo pra mim - Oi Damon  
- Oi Sunil, brava a sua irmã não? - Pergunta o loiro mesclado, o olho pronta para dar uma resposta mas Sunil não deixa 
- Você não viu nada - Diz Sunil rindo, bufo irritada 
- Sim está tudo bem comigo Sunil, eu sei me cuidar, e se não se lembra sou eu a irmã mais velha 
- E dai, eu vim aqui procurar minha noiva e quando vejo minha irmã está sendo ofendida por um troglodita, eu não ia deixar, além do mais eu arranjei uma desculpa para não convida-lo, eu odeio aquele amigo da Nily  
- Ciúmes Sunil? - Escuto o tal de Damon falar, ele parecia mais próximo de mim , do que estava a minutos atrás 
- Claro, sempre se deve cuidar daquilo que você mais preza, pois se você se descuida por um minuto outro vai lá e lhe rouba seu bem mais preciso, e os dois bens que eu mais cuido é minha noiva e minha irmã - Diz ele me dando um beijo na testa - Bom, vou procurar aquela indiana mais conhecida como mulher da minha vida, sinto muito ter expulsado seu professor mas creio que não será problema achar outro, alias o Dê é muito bom em dança, você pode aprender com ele - Diz Sunil simplista e sai. 
 Olho para o homem atrás de mim, e me surpreendo com o tão próximo ele estava, eu podia contar cinco passos certinhos de distancia 
- Já disse que tem olhos lindos? - Ele diz galanteador, reviro os olhos e começo a me virar para ir embora, mas sinto uma mão suave no meu pulso - Eu estava brincando, não precisa ir embora - Escuto ele dizer e me viro de frente para ele, o mesmo me puxa para mais perto, três passo de distancia - Eu adoraria te ensinar a valsar, eu sou professor de dança, além de dançarino premiado. Dizem que e tenho a agilidade de um tigre - Reviro os meus olhos com seu comentário. Olho em volta, não havia ninguém sem par, suspiro e contrariada eu assinto 
- Tudo bem, mas se vir bancar o engraçadinho para cima de mim, eu juro que te dou um soco, o mesmo soco que aquele cara ia receber se não tivessem me impedido - Ele ergue as mãos no ar e sorri  
- Não prometo nada princesa - Diz ele puxando  minha mão para o meio do salão dos ensaios 
[...] 
 Odeio admitir mas Sunil tinha razão o primo de Nilima era um ótimo dançarino, ele me ensinava com maestria, o único problema eram suas investidas incessantes, em todas as vezes eu lhe dava uma resposta rápida, curta e grossa mas ele não se deixava abater. Pisei varias vezes sem querer no pé dele, mas ao contrario do outro ele não me xingou ou reclamou ele apenas sorria ou dizia que não tinha sido nada e continuava a dançar. Eu realmente pisei varias vezes no pé dele, até que não aguentei mais errar tanto e parei 
- Vamos você está melhorando princesa amazona, só pisou quatro vezes no meu pé, antes era seis ou mais - Diz ele sorrindo e estendendo a mão para mim, já que eu estava sentada no chão 
- Porque você é tão gentil comigo? Eu fui grossa com você o tempo todo, e só paro te machucando, porque continua insistindo. Eu desisto vou dar uma desculpa qualquer a Nilima e deu. - Ele se agacha na minha frente e levanta meu rosto com um dedo no meu queixo 
- Escuta princesa, você está aprendendo, é normal errar. Por acaso desistiu de fazer algo na sua vida por que só parava errando? 
- Não - Digo estranhando a sensação que o toque dele me passava 
- Então não é por algo tão simples como uma dança que a fara desistir, certo? - Pergunta ele sorrindo, suspirei, o olhei nos olhos, mesmo com uma cor tão banal como o castanho eles eram hipnotizantes, balanço minha cabeça para espantar aquelas sensações esquisitas 
- Ok eu irei continuar, mas não é por sua causa - Ele sorri e parece pensar, então olha para os meus pés 
- Olha realmente não me importo em ser pisado por seus lindo pés, mas ajudaria se tirasse essas botas e ficasse só de meia - Ele diz já de pé, olho para os meus pés, ok eu poderia ser um pouquinho gentil com ele, afinal ele não tinha desistido ainda, tiro minhas botas e depois aceito a mão de Damon e me levanto, ele olha as minhas meia que eram só de uma cor 
- Gosta de laranja?  
- É a minha cor favorita - Digo já com uma mão no ombro dele e a outra segurando a sua 
- Bom saber - Diz ele enigmático e logo sinto a mão dele na minha cintura - Vamos ao inicio então. 
Começamos a dançar. Comecei bem até pisar no pé dele ne novo, bufo irritada 
- Ana - Escuto ele pela primeira vez me chamar de algo, normal. O olho e ele estava como sempre, sorrindo, aquilo me deixou meio mole, porque ele sorria tanto? - Você tem que relaxar, a valsa é algo digamos machista, então a única coisa que a dama deve fazer é acompanhar o cavalheiro, deixe que eu a conduzo, relaxe e deixa ser levada por mim sim? 
 Por alguma razão minha pulsação acelerou quando ele me trouxe para mais próximo dele, engoli em seco e respirei fundo. Deixar ser conduzida e relaxar, deixar ser conduzida e relaxar. Respirei fundo e fechei os olhos, porque algo tão simples estava me deixando nervosa? Começamos de novo, e como foi pedido eu me deixei ser conduzida, e sorri abertamente quando depois de alguns minutos eu ainda não tinha pisado no pé dele 
- Você tem um lindo sorriso sabia, deveria fazer isso mais vezes, seus lindo olhos verdes brilham como se fosse o céu a noite. Claro um céu verde - Diz ele rindo, e por incrível que pareça eu o acompanho. Talvez, Damon seja uma pessoa mais complexa do que aparenta ser, e talvez seja por isso que ele o está me chamando a atenção, adoro coisas complexas e difíceis de se resolver. 
[...] 
 Dias se passaram, mais precisamente um mês e meio, e toda tarde livre nas primeiras semanas eu vinha a casa de campo do Sr Kadam para os ensaios, eu estava cada vez melhor, até que chegou o dia que eu finalmente aprendi. 
 Eu e Damon havíamos criado uma amizade, bom ele ainda continuava dando em cima de mim, mas era algo que me acostumei, e sinceramente, também comecei a gostar. 
 Principalmente depois de um certo dia, que teve um certo '' acidente'' 
- Vamos princesa, eu sei que você consegue aprender essa também - Diz ele entusiasmado, ele estava só de regata, o que deixava a mostra seus definidos bíceps que eram adornados pelas tribais, e uma calça de moletom, e seus pés tinham meias pretas 
- Eu nunca vou aprender tango, foi um sacrifício aprender valsa, eu sei dançar outros tipos de dança, alias muito bem, mas essas? Não, nem a pau. 
- Se eu conseguir te ensinar o básico, você aceita sair comigo - Diz ele sorrindo de lado, ele parecia pela primeira vez envergonhado 
- Mas nós já saímos juntos, se lembra ontem, fomos tomar sorvete enquanto eu tinha que encomendar os arranjos de flores e comprar algo para meu sobrinho ou sobrinha - Digo sorrindo enquanto tirava meus sapatos, e como ele ficava só de meia, calça moletom e um top preto com os cabelos amarrados em um rabo de cavalo 
- Não esse tipo de sair, eu digo sair comigo em um encontro - Diz ele me olhando com intensidade, fico paralisada, ele nunca tinha me olhado assim, ou tinha? Confesso que comecei a me afeiçoar a ele, mesmo ele sendo um idiota que só me dava cantadas. Eu não sabia se sentia alguma coisa a mais por ele que fosse no sentido de atração, paixão esses tipos de sentimento  
- Posso pensar? - Ele parece ficar triste pela minha resposta, mas logo algo se acende nos olhos dele e ele volta a sorrir 
- Pode, mas vai ter que dançar de qualquer jeito, vem - Diz ele botando o play e pegando na minha mão me puxando para muito próximo dele, próximo demais - Valsa é uma dança, digamos que um pouco intima, por isso dá aproximação, e como você vai aprender agora e precisa ter muita técnica com os pés, eu preciso que suba em cima dos meus  
- Como? - Pergunto meio atordoada, o perfume de Damon eram algo fascinante, era uma mistura de grama molhada, que passava um ar de calma e segurança, com um cheiro amadeirado, que passava um ar de êxtase e desejo. 
- Bote os seus lindos pés em cima dos meus - Diz ele mais uma vez me tirando dos meus devaneios, faço o que ele pediu, e então ele começa a dançar. Confesso que com essa aproximação intensa, algo no meu ser se reacendeu, uma chama a muito apagada, as borboletas que a muito eu não sentia, estavam voando feito loucas no meu estomago, a pulsação acelerada, o arrepio no local onde ele tocava tudo o que eu um dia senti com Kishan, voltou com tudo por causa de Damon e seu sorriso que me fazia sorrir junto. 
 Espera, eu.... Eu estava gostando de Damon, o cara mais irritante e insistente que eu já vi, o homem que sempre dá em cima de mim, o cara que nesses dias que passaram, que foi quase dois meses, me fez rir mais do que eu tinha rido em anos, o homem que se tornou aos pouquinhos, com seu jeito meigo e bobo de ser, algo essencial na minha vida  o cara ao qual acabou de me convidar para sair... 
 Sinto minhas pernas embolarem nas dele e logo a gravidade faz o seu papel, fecho os olhos esperando a queda, que não demorou a vir, mas não doeu tanto, pois cai em cima dele, olho pra ele e logo caímos na risada, logo as risadas foram se tornando mais baixas e então pararam. 
 Eu estava estática, hipnotizada, Damon me olhava no olhos, a intensidade desse olhar começou a me levar as alturas, senti as mãos dele segurarem minha cintura, o contato das mãos dele na minha pele exposta foi combustão espontânea, aquele local esquentou e formigou de uma maneira que nem mesmo com Kishan havia sido assim. Nenhum de nós dois arriscou qualquer palavra, apenas ficamos assim, no meio do salão vazio, um olhando nos olhos do outro, ele parecia estar esperando algo, percebi que era eu esse algo, ele estava esperando para ver se eu queria algo daquela situação, minha cabeça estava uma confusão para tomar qualquer decisão, mas parece que meu coração e meu ser estavam bem lúcidos quando eles decidiram que era para eu ir pra frente e quebrar o espaço mínimo que existia entre os meus lábios e os dele, e foi a melhor decisão que eles poderiam ter escolhido. 
 Os lábios de Damon eram macios, suaves e quentes, as mãos que seguravam minha cintura uma continuou ali mas a outra foi para a minha nuca e começou a fazer um carinho delicado ali, o beijo que trocávamos, era algo novo por isso era delicado e calmo, era como se estivéssemos testando a boca do outro, sabendo o que tinha o que não tinha, o que podia o que não podia, o ar começou a fazer falta, então calmamente fomos findando o beijo. 
 Depois de separados eu continuei com os olhos fechados, sentindo o que tinha sido a sensação do beijo, foi algo calmo e carinhoso, o que me fez perceber que ele realmente queria tentar algo, por isso não foi um beijo necessitado, ele queria mostrar o carinho que tinha por mim 
- Se eu te disser que eu queria fazer isso desde o dia em que você começou a sorrir para mim - Sorri e virei nossas posições no chão, fazendo com que ele ficasse em cima, abri os olhos e encontrei os dele com um brilho de supressa 
- Se queria a tanto tempo, então façamos isso direito - Digo o puxando pela nuca e trazendo os lábios dele ao meu, dessa vez o beijo foi mais rápido, intenso e quente. Ele se ajeitou no meio das minhas pernas, ficando com elas apoiadas no joelho, o beijo se tornara algo cheio de desejo, um desejo que eu não sabia nutrir por ele, senti uma das mãos dele segurar minha coxa enquanto a outra servia de apoio, ele pede passagem com a língua e eu concedo, o que eu achei a segunda melhor escolha que eu tinha feito, a língua dele era algo suave, ele fazia carinho na minha língua que até então não o havia conhecido, logo elas se tornaram tão amigas que começaram a batalhar. Eu suspirava e me arrepiava toda com esse beijo. De novo depois de uns minutos o ar começou a fazer falta, fomos fiando o beijo devagar e terminamos com selinhos. 
  Abri meus olhos e encontrei os lindos olhos castanhos dele, acompanhados de seu melhor sorriso, passo minha mão na bochecha dele , que antes estavam nos cabelos macios , em um carinho, que pelo visto ele gostou muito 
- Sim eu aceito sair em um encontro com você gatinho - Digo me referindo a uma tatuagem de um lindo tigre de bengala que ele tinha em volta da panturrilha direita, ele sorri e volta a me beijar e digamos que ficamos assim por um bom tempo. 
 Durga estava me dando a chance de tentar ser feliz novamente, eu não poderia deixa essa chance passar pelos meus dedos, não mesmo, não de outra vez. 
[...] 
  O dia do encontro foi marcado para uma quarta da semana seguinte ao nosso beijo, eu estava nervosa, além de Kishan eu não havia entrado em relacionamento nenhum, muito menos ido a um encontro. 
  Ele havia pedido para eu botar uma roupa normal, que eu usaria para sair no meu dia a dia, decidi por uma saia longa florida, e uma regata branca com alguns detalhes em renda, e pus uma rasteira, e um casaquinho preto por cima, meu cabelo deixei solto. Quando eu estava descendo as escadas ouço a campainha tocar, fico nervosa na hora, respiro fundo e vou atender, e quando eu abro meu queixo cai e meus olhos dobram de tamanho 
 Na minha frente Damon estava com um calça jeans azul, uma blusa social preta e um blazer azul escuro. Mas o que me fez sorri feito uma boba foi o cabelo dele. 
- Laranja - Digo animada e logo mexendo nos cabelos dele, passava os fios entre meus dedos, eram tão macios e .. laranjas, eu havia amado 
- Acho que você gostou né? - Pergunta ele sorrindo e abraçando minha cintura enquanto eu ainda estava maravilhada pela cor das madeixas dele, faço um sim com a cabeça - Ótimo , eu estava pensando em pinta-lo e quando eu lembrei que laranja é sua cor favorita, decidi que seria essa a cor que eu iria colori-lo - Ele diz e rouba um selinho - Vamos? 
 
 
 E foi assim que começou meu relacionamento com Damon, o primo da minha cunhada que só dava em cima de mim, o cara que me cantava a todo instante, o cara que começou a ser os motivos das minhas risadas, que se tornou parte da minha vida, o cara que aos poucos foi pegando um lugar no meu coração que a tempos ninguém entrava. 
 Kishan havia sido um namorado maravilhoso, mas creio que nossa separação era para ter acontecido, pois do contrario ele não teria conhecido Yesubai que é com toda a certeza a mulher certa para ele, e eu não teria conhecido meu lindo e convencido namorado, que com toda a certeza do meu coração é o homem da minha vida. 
  A quem diga que ele é o oposto de mim, tem a personalidade totalmente oposta a minha, que ele não serve, que por ser dançarino e coreografo ele não subirá na vida e me levara ao fundo do poço junto a ele. 
 Mas eu não ligo, concordo que ele é meu oposto, mas é isso que o faz ser meu e eu ser dele, ele me completa, assim como eu o completo. Eu me apaixonaria por ele mesmo se ele não fizesse nada. Pois como eu disse ele me completa, ele me faz bem, o que importa o que ele faz? Eu o vejo feliz dançando e ensinado as pessoas, e isso me deixa feliz também, ele faz algo que gosta e isso é importante. 
  Ele conseguiu aos poucos entrar na minha mente e coração. Eu agradeço as vezes por ter me separado de Kishan, poderia ter sido de um jeito menos doloroso? Podia, mas eu era imatura, e agi sem pensar. Mas hoje como eu disse eu vejo que era para ter acontecido isso, pois eu estou feliz ao lado de Damon e ele esta feliz ao lado de Yesubai. 
 Fazia meses que eu e Damon estávamos namorando, ele havia me dado ontem a aliança de namoro e para comemorar tivemos nossa primeira vez juntos, primeira vez que eu e ele fizemos amor, não que eu ou ele fossemos virgem, mas isso não vem ao caso e então não precisa ser contado. 
- Amor - Escuto uma voz rouca no meu ouvido, e sinto uma mão quente rodear minha cintura nua, assim como meu corpo, que estava coberto apenas pelos lençóis pretos da cama dele - Minha princesa amazona, acorda - Abro os olhos devagar e encontro a melhor visão que uma pessoa poderia querer, sinto os lábios dele pressionarem os meus em um beijo que ele sempre me dava ao acordarmos 
- Bom dia gatinho - Digo o puxando para me abraçar e assim ele o faz 
- Bom dia Ana. Olha um cara te ligou e disse que precisava que você fosse para a casa dele imediatamente - Arregalo os olhos e me separo minimamente do abraço para olha-lo nos olhos - Eu devia sentir ciúmes? - Reviro os olhos e nego com a cabeça 
- Como era o nome dele? 
- Um tal de Alagan Dhiren. 
 


Notas Finais


Então gostaram, viram que eu fiz os acontecimentos a partir do dia em que o Kishan a encontra no ensaio até ao dia em que o Ren chama ela para ajuda-lo a encontrar Lokesh e salvar a Kells e o Kishan?
Pois bem, eu ja tenho ideias para o proximo, que ficara muito maior tenho certeza.
espero que tenham gostado, deem um feliz niver atrasado ( 09/10) para a Leeh e um feliz aniversario adiantado para mim que irei fazer dezesseis nesse sabado dia 15/10 .
Beijos, tia shipper ama vocês
E MAIS UMA VEZ FELIZ NIVER LEEH EU AMO VC FLOR, ANJO, DEUSA, SEMPAI, CRUSHA SUPREMA, MARIDA, ENFIM TE AMO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...