História Eu te amo em segredo (Yaoi) - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 115
Palavras 1.189
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Hehe Estou de volta! S2 S2 S2
Eu prometi a mim mesma que não ficaria mais de 7 dias sem postar, mas aconteceu!
Espero que gostem! S2
Depois do capítulo passado (e sofredor) resolvi colocar uma coisinha para recompensar!
S2 Kissus no kokoro! S2

Capítulo 25 - Número de celular


-Miguel-

 

-Ah, m-meu nome? – Questionei, me perguntando o porquê dela querer saber.

-Desculpe por ser indelicada – Ela respondeu, com quase nenhuma vergonha e se mostrando bastante curiosa.

-Bom, acho que fui desconfiado a toa, é sempre legal fazer novas amizades – Falei gesticulando como se esse ocorrido não importasse, sendo que eu estava tão curioso quanto ela... Sei que sou “irresistível”, mas será que ela está só me paquerando? – Meu nome é Miguel, prazer em conhece-la – Terminei de falar.

-Nossa, eu sabia que te conhecia de algum lugar! – Ela falou com um sorriso, apoiando suas mãos por debaixo do queixo, apertando seus seios... Sinceramente, o que é isso!?

Que raiva, eu não conseguia deixar de olhar... Não é que eu goste de mulheres, mas é impossível deixar de notar essa atitude!

Ela tem um jeito elegante de agir, uma coisa rara de eu admitir em alguém.

Talvez seja seu jeito misterioso de se comportar que me faz pensar dessa maneira, isso acaba atraindo tanto homens como mulheres a quererem conhece-la, fato que não estava sendo diferente comigo.

Minha conclusão é: Ela chama a atenção.

-Eu sei que isso é bem estranho, mas estou fazendo uma faculdade de jornalismo e eu queria muito te entrevistar. – Ela explicou ainda sorrindo e pedindo como um cachorrinho, com um conjunto de dentes perfeitos.

-Agora talvez eu que soe indelicado, mas de onde você me conhece. – Perguntei querendo simples explicações.

-Eu li seus livros, sou realmente uma fã! – Ela respondeu de forma simples, assim como o desejado, até porque eu não queria escutar um livro.

Que coisa... Isso é uma enrascada. Será que o Isumi ficaria bravo se me visse conversando com uma mulher? Ele não parece ser ciumento e não estou fazendo nada de errado, acho que não tem problema. Ela é apenas uma fã, meus sentimentos por ela, nunca vão chegar nem perto dos do que tenho pelo meu amor.

-Ah... Estou bem ocupado hoje, eu tenho que levar esses remédios pra alguém – Eu disse pensativo – Então você poderia passar seu número? Assim posso falar com você depois. – Conclui.

-Tenho que pedir desculpas por te atrasar. Muito obrigada mesmo e aqui está. – Ela me entregou um papel com algo escrito.

-Até mais. – Falei saindo da farmácia, acenando virado de costas.

-Até. – Ela disse acenando para mim.

Ao atravessar a porta, guardei o papel em meu bolso, fui ao meu carro e me sentei no banco para enfim sair dali.

Uau... Que coisa... Lá dentro eu estava morrendo de pressão psicológica, como quando eu era criança e aprontava sabendo que levaria uma bronca, mas dessa vez eu não fiz nada de errado... O pior é que estou me sentindo estranho com isso.

Acho que só estou louco.

Só pode ser isso.

Com isso dei partida e dirigi um tanto tenso e distraído para casa, sendo que durante todo o percurso, fiquei refletindo na minha vida ferrada, mas muito feliz.

Ao entrar em casa, corri para o quarto com os remédios, um copo d’água e uma vontade gigante de beijar meu Isumi.

Chegando lá, o vi deitado do lado direito da cama, aconchegado entre os lençóis e travesseiros.

-Meu anjo, voltei! – Eu disse feliz.

-Achei que você nunca mais fosse chegar. – Ele me respondeu sorrindo calmo, se sentando para olhar pra mim.

Ofereci os medicamentos a ele, no qual rapidamente os engoliu.

-Eu sempre volto pra você. – Falei beijando-o.

 

-Isumi-

 

-Você passou bem nesse meio tempo? – Miguel perguntou, se sentando ao lado, me fazendo me aconchegar em seu abraço.

-Sim, o banho me ajudou na dor de cabeça. – Respondi suspirando cansado.

-Você está realmente bem? Parece realmente doente. – Ele falou preocupado.

-Estou bem, não ligue pra isso, acho que estou até melhor que antes. – Eu disse sincero.

Por alguns instantes, nos olhamos apreciando o rosto um do outro e nos beijamos com desejo, novamente.

Eu nunca me senti dessa forma, eu só quero beija-lo...

Parece que quando estamos assim, podemos entender perfeitamente o que o outro pensa. Os medos, alegrias, desejos e raivas.

Miguel me deitou na cama, se colocando por cima de mim e por fim, pôs suas mãos por debaixo da camiseta larga que eu usava, a erguendo até a altura de meu peito, podendo assim, me observar melhor.

Ele baixou seu olhar, se focando no tronco de meu corpo, descendo aos meus mamilos com beijos.

Tudo aquilo me fazia pirar, eu me sentia fervendo e querendo mais... Eu realmente sou apaixonado por ele!

-Está gostando? – Miguel perguntou safado.

-Estou na dúvida. – Respondi, não dando a ele, o que ele queria ouvir.

-Bom, pelos seus gemidos, eu acho que sim. – Ele concluiu sorrindo largo.

-C-Como você é bobo! – Falei envergonhado.

-Seu bobo. – Ele retrucou, voltando a me beijar, sendo que com o susto, eu de fato gemi alto.

Após alguns quentes minutos, Miguel colocou sua mão por dentro da calça que eu usava, me fazendo arrepiar e curvar um pouco as costas, sendo que eu já estava um tanto excitado com suas atitudes anteriores.

Depois de brincar com as mãos por de cima do meu membro, ele finalmente abaixou minhas calças, não me deixando tão acanhado como da última vez, na qual eu quase havia morrido de vergonha.

-Nossa meu anjo, você já está tão bem assim? – Miguel perguntou risonho.

Com isso, não consegui pensar em nada pra responder, apenas segui o observando com os olhos arregalados, notando que ele se divertia com minhas reações.

-Você é muito fofo. – Ele concluiu sorrindo, retornando a fazer a atividade de antes.

Em diante, começou a beijar minha virilha de cima a baixo, posicionando sua mão em minha nádegas, me deixando em pleno choque, pelo contato de sua pele com a minha intimidade.

Ele está me fazendo pirar! Como pode ser tão bom fazer isso com alguém?

Agora, abaixando minha cueca, Miguel começou a lamber meus testículos, arrancando com mais frequência que antes, longos gemidos de prazer.

-M-Miguel... – Falei agarrando um travesseiro, colocando-o em meu rosto, para abafar o som de minha voz.

Enquanto eu dizia e fazia isso, sem que eu me desse conta, ele posicionou um de seus dedos em meu orifício, sendo que com o tempo, ele ia aumentando a quantidade, chegando a ter três dentro de mim.

-Agora eu vou entrar, ok? – Miguel perguntou, tendo como resposta um aceno meu, com a cabeça, porque eu sentia que podia falar de maneira constrangedora naquele momento.

Após a permissão, Miguel se colocou no meio de minhas pernas e lentamente posicionou seu membro em mim.

Aquilo estava exigindo muito controle de ambos, eu sentia que meu coração poderia explodir, ou que eu poderia pirar a qualquer instante.

Depois que me acostumei melhor com a situação, Miguel começou a se mover dentro de mim, no começo lentamente, até que as estocadas começaram a ser rápidas.

Tempos se passaram, gemidos foram ouvidos, e a necessidade e desejo foram cessados, até que gozamos.

Nos deitando um do lado do ouro, caindo no sono.

 


Notas Finais


é issooooo! S2
Espero que tenham gostado e se divertido!
Não se esqueçam de deixar nos comentários o que acharam! S2
S2 Kissus no kokoro! S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...