História Eu te amo Estrela. - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Lesbicas, Norminah, Romance
Exibições 584
Palavras 1.118
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Sei que devo desculpas, nunca passei tanto tempo sem posta um capítulo. Realmente não deu. Mas agora acabou vestibular e não tenho mais atividades na escola.
Rezem para eu não ficar de recuperação? (Prometo posta todos os dias... Kkkk)
VAMOS LÁ.

Capítulo 30 - Capítulo 29: Primeiras Vezes.


Troy Pov.

Ally é a garota mais especial que já passou por minha vida. Eu a amo com todas as minhas forças. Lembro daquele dia na loja, quando eu a vi pela primeira vez, meu mundo pareceu mais leve.

Essa noite nós iriamos dar um passo muito importante em nossas vidas. 

Eu olhei para Ally e ela estava de olhos fechados, bem fechados, Ally naquele momento era um turbilhão de sentimentos e eu gostava disso.

– Eu tenho que te falar algo. – Sussurrou Ally para mim.

Eu olhei para ela e ela abriu os olhos lentamente.

– Eu nunca fiz isso antes. – Falou corando.

Eu sorri e algo cresceu dentro de mim. Eu seria o primeiro, e esse pensamento de deixou nervoso e feliz. Eu seria o primeiro, tinha que ser especial. Muito especial.

– Eu vou fazer ser especial. – Sussurrei.

– Eu sei. – Falou sorrindo.

Beijei Ally e quando nos separamos vi que ela voltou a fechar os olhos.

Quando comecei a tirar o vestido de Ally percebi que sua respiração acelerou. Eu joguei o vestido em qualquer lugar e sorri ao ver minha bela garota, ela era tão linda. Uma das coisas que eu mais amo em Ally é sua pele, ela parece estar sempre bronzeada e é sempre sedosa.

– Você é tão linda. – Falei encantado.

Ally corou e virou o rosto para o lado.

Uma das coisas que eu não gostava em Ally, era o modo que ela se tratava. Ally era tão linda mais não acreditava nisso, ela sempre se rebaixava ao lado das amigas, para ela todas eram mais lindas, mas isso não é verdade. Ally é tão bela que parece um desenho que passou anos para ficar pronto. Por isso eu não canso de falar o quanto ela é linda.

Eu tirei minha camisa e colei meu corpo com o de Ally antes de beijá-la. Beijei seu rosto e desci para o pescoço dando vários beijos molhados. Ally apenas sentia, em nenhum momento abriu os olhos. Por isso eu queria ir com calma, eu queria surpreendê-la. Desci os beijos e cheguei próximo de seu sutiã, levei minha mão até o fecho e abri revelando os seios de Ally. Em vez de ir direto ao ponto eu voltei a unir nossos corpos e beijei Ally.

– Você não tem ideia de como é linda. – Falei em seu ouvido e senti ela se arrepiar.

Voltei a descer os beijos mas dessa vez fui até o ponto, beijei o seio direito de Ally e acariciei o outro lado, então ela gemeu meu nome e isso acordou algo em mim, algo que eu estava tentando controlar.

Ally Pov.

Eu queria retribuir a altura, mas eu só sabia sentir. Eu queria ter atitude mas Troy parecia disposta a fazer o trabalho todos. Então eu apenas sentia. Sentia meu corpo esquentar, soar, minhas pernas moles e aquelas sensações na minha intimidade que eu nunca havia sentido antes.

Troy baijava minha barriga e ia descendo, eu sabia que estava perto, eu sabia o que iria acontecer e isso aumentava ainda mais as sensações dentro de mim.

Gostava de quando Troy me dizia que eu era linda, que era o tempo todo. Isso me dava uma segurança, fazia eu me sentir linda de verdade.

Senti Troy ficar de joelhos na cama e abri os olhos para ver o que ele estava fazendo. Foi quando parei de respirar e corei. Troy estava completamente sem roupa e era ainda mais lindo. Eu estava com vergonha mais queria olhar, eu realmente queria olhar cada parte do corpo de Troy. Ele parecia uma pintura que passou anos para ficar pronta. Troy me pegou observando ele e eu corei, mas eu não queria parecer uma idiota, na verdade eu só queria Troy e nada mais. Fiz algo que me deixou surpresa, levantei e agarrei Troy, dei um beijo desesperado nele e passei minhas mãos por cada parte de seu corpo, sem medo. Troy era meu, meu namorado, meu amigo, meu amante, meu tudo, eu podia confiar nele.

Eu e Troy ainda estavamos de joelho na cama quando eu senti ele descer as mãos por minhas costas e chegar até minha bunda, ele apertou de leve e começou a abaixar minha calcinha. Ajudei ele a tirar e voltei a corar quando percebi que estavamos sem roupa nenhuma.

– Linda. – Falou Troy me beijando e me deitando devagar na cama.

Quando deitei por completo na cama senti Troy abrir minhas pernas e olhar fixamente para mim. Eu não fechei os olhos dessa vez. Eu via tanto amor nos olhos de Troy que quis ficar olhando para eles. 

No começo senti um dor chata e fechei os olhos. Troy entrou devagar em mim e ficou lá por um tempo, até eu me acostumar, então ele começou os movimentos e eu gemi, era dor e prazer ao mesmo tempo. Os movimentos começaram lentos mas Troy foi aumentando o ritmo aos poucos. Hora eu arranhava os lençóis, hora eu arranhava as costas de Troy. Então os movimentos chegaram ao limite e nós também. Tudo era novo para mim, então quando aquela sensação chegou me pegou de surpresa, eu achava que não podia sentir mais prazer, até alcançar meu primeiro orgasmo.

Camila Pov.

O dia seguinte chegou e eu fui a primeira da casa a acordar. Ally não havia dormido em casa, Lauren e Estrela dormiam como pedra.

Fiz o café e arrumei a mesa bem bonita, sentei e resolvi comer, aquelas duas iriam dormir por muito tempo.

Quando abri o jornal, sorri ao ver um artigo sobre mães de primeira viagem. Eram relatos engraçados e fofos. Então mais uma vez eu me peguei sonhando em engravidar. Eu podia sentir o bebê em meu ventre. Eu passei a mão em minha barriga e sorri. Como eu ficaria grávida? 

Achei uma foto de Lauren grávida, ela não sorria mas tinha as mãos na barriga, mesmo não querendo o filho ela já sentia a necessidade de proteger, era uma parte dela. 

Eu queria um filho, eu queria sentir um ser crescer dentro de mim.

– Bom dia. 

Me assustei quando Lauren entrou na cozinha, rapidamente tirei a mão de minha barriga e sorri para ela.

– Bom dia meu amor. – Falei sorrindo.

– Você está sempre tão linda. – Fqlou Lauren sorrindo.

Lauren sentou em meu colo e me deu um beijo.

– Parece que alguém acordou romântica hoje. – Falei sorrindo.

– Eu sempre sou. – Respondeu Lauren sorrindo.

Eu era amada, eu tinha Lauren e Estrela, eu tinha uma vida bela, eu tinha tudo. Mas algo ainda me faltava e eu sabia o que era. 

Eu não sei quando isso nasceu mas de um tempo pra cá eu queria ser mão. Digo, ter um bebê crescendo dentro de mim pela primeira vez. Eu sentia que faltava algo em minha vida e isso era egoísmo. Como eu disse, eu tinha tudo.

Mas tudo não estava sendo o suficiente para mim.



Notas Finais


Oi amores... Cá está mais um capítulo.
As férias estão chegando e vai ter mais capítulos e mais fic's.
Sei que esse capítulo foi pequeno mas prometo que a partir da semana que vem eu recompenso isso com vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...