História Eu, um Gamer e um Bebê - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Li, Nathaniel, Rosalya, Violette
Tags Ambre, Amizade, Amor Doce, Armin, Filho, Gravidez, Romance
Exibições 80
Palavras 5.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bem... Eis aqui, o novo capítulo!
Sei que demorei, e que provavelmente querem me bater... Mas eu compensei no número de palavras ;---;
Desculpa, época de provas e festas... Fiquei meio sem tempo...
Mas tentei caprichar!
Me desculpe se estiver ruim... E espero que gostem!

Obs: Lembrando que já estou começando a planejar outras fanfics AD, já que essa está em retas finais... E que qualquer dúvida, só perguntar!

Aproveitem! ^_^

Capítulo 13 - Momentos bons vão chegar


-E então... É só eu dar um nome pra ele agora?

-Sim! Daí você continua a história apertando os botões que te ensinei!

-Hum... Okay! -Sorri.

Eu e Armin tínhamos voltado para a casa de meu irmão, e agora estávamos sentados esperando o jantar (afinal, como chegamos tarde e ainda estavam todos lá, resolvemos fazer mais uma refeição entre amigos). Ele simplesmente me obrigou a deixar os presentes para depois e sentou no sofá comigo, começando a me ensinar a jogar no PSP que tinha comprado pra mim. E eu não tentei resistir, já que o estava devendo isso. Ele se aproximou me explicando a função de cada botão, e, em seguida, colocou um joguinho qualquer. E aqui estou agora, tentando jogar... Ou ao menos entender esse negócio.

-Eeeei, Ambre! Está me ouvindo?

-Hum? - Levantei a cabeça, desviando minha atenção.- Oi, Rosa.... Algum problema?

-Bem, se considerar eu estar a cinco minutos te chamando um problema... Sim!

-Não exagere, faz apenas um minuto e meio! - Alexy sorriu se aproximando.

-Xiu! deixa eu exagerar... Antes que ela fique igual seu irmão! Veja, ele nem pisca...

Olhei pro lado com uma "gota na cabeça", assim como Alexy.

-Isso seria preocupante...

-Mas bem... Por que esta me chamando?

-Por que você precisa vir comigo e com o Alexy!

-O que quer diz-

Antes de eu terminar de falar, fui puxada pelo pulso, segurando firme o aparelho com a outra mão, sendo obrigada a entrar no meu/quarto do meu irmão enquanto ambos fechavam  porta e me faziam sentar na cama.

-Muito bem... Agora nos conte como foi!

-Como foi?...

-Sim... Quer dizer, você e meu irmão pareciam um pouco... Contrariados um com o outro! Queremos saber se deu tudo certo.

-Em outras palavras... Nos conte tudo! -Ela sentou do meu lado.

-Isso!- Alexy riu fraco e sentou do meu outro lado.

-B-bom... Por onde começar... - Olhei levemente pra cima.- No começo, foi como aqui em casa! Um de nós, (no caso eu), ficou se divertindo enquanto o outro era obrigado a estar ali... Até que chegou uma hora que o Armin simplesmente desabafou, indo me esperar pra ir embora do lado de fora depois disso... E então, eu percebi que estávamos fazendo, realmente, tudo errado... E tive uma ideia! Fui conversar com ele e fizemos um trato de dar mais uma chance um ao outro;  e...

-E?...

Sorri pequeno.

-Eu o levei para fazer compras... Em uma loja de jogos e aparelhos eletrônicos! Eu finalmente encontrei uma coisa que nos agradávamos ao fazer juntos... Enquanto ele se divertia, aproveitei e comprei alguns presentes também. O que me lembra... ESQUECI DOS PRESENTES!

Me levantei rápido, mas logo fui puxada e obrigada a sentar de novo.

-Não levante tão rápido! Pode fazer mal pra você... E pro bebê!

-Isso! E esqueça os presentes, podemos esperar... Termine!

-Terminar? Mas eu já disse tudo...

-Tudo não!  E esse PSP na sua mão?...

-A-ahm? Isso? - Encarei o objeto, e sorri fraco corando.- Seu irmão comprou pra mim... Na verdade, não foi bem uma compra... Mas ele deu para mim!

-D-deu pra você? - Ele parecia surpreso.

-Por que essa reação, Alexy? - Rosalya sorria largamente.

-B-bom... O Armin costuma ser bem egoísta quando se trata de jogos e aparelhos assim... Nunca me passou pela cabeça que um dia ele faria algo do tipo...

-'Do tipo'?

-Sim, sabe... Como deixar de ter um novo PSP para dá-lo a alguém. Na verdade...

-...

Ele sorriu sem mostrar os dentes, de forma meiga.

-Acho que ele só faria isso para uma pessoa muito especial...

Senti meu rosto esquentar e desviei o olhar pro chão.

-Eu sabia! Eu sabia, sabia, sabia! Sabem o que isso significa?

-Será que talvez... - Ele abriu um sorriso grande.

-Parem com isso... - Suspirei.- Não criem expectativas... Com certeza ele está assim por causa do bebê... Sabe, ele parece estar apegado a essa ideia de pai, então talvez só esteja querendo agradar... Ou algo assim.

-Você é muito pessimista...

-Falando nisso, eu fiquei surpreso por ele levar isso tão a sério. Por ser o Armin, nunca achei que se adaptaria a algo assim... Mas felizmente ele aceitou fácil! Acho que está comparando a situação com a de algum jogo. - Riu constrangido.

-De toda forma, fico feliz que tenha sido assim! - Sorri, já completamente esquecida do assunto anterior.

Eles sorriram de volta. Acho que todos se sentiam confortáveis por estar tudo bem... Logo, ouvimos Nathaniel chamar para jantar e levantamos, saindo do quarto e indo a cozinha, onde nos reunimos todos novamente e a cena se repetiu. Conversas, risos, graças,  brincadeiras... Como eu amava aquele momento... Até me fazia me esquecer do meu... Do meu...

"Pai... Poda ter sido diferente..."

Suspirei um tanto triste.

Depois de comermos, fomos para sala onde colocamos um filme e ficamos conversando por um tempo, até nos darmos conta de como era tarde, e as 'visitas'' resolveram ir embora. Nps despedimos e esperamos eles irem, antes de voltarmos aos quartos começando a nos preparar para dormir. Meu irmão e Félix já tinham arrumado o sofá para ele, assim eu poderia dormi no quarto de hospedes e meu irmão no quarto dele, como o ex-mordomo planejará. Mas eu discordei de ambos, pois queria continuar a dormir com Nathaniel. Ele ficou meio confuso, e tentou me convencer o contrário por motivos da minha própria privacidade ou preferência, mas eu apenas negava. Depois de quase meia hora discutindo, finalmente eles cederam a minha decisão; e eu, então, pude sorrir. Os abracei agradecida e corri ao banheiro, onde me arrumei, escovei os dentes e sai em seguida, dando Boa Note a Félix e puxando Nathaniel comigo para o quarto,, onde deitei e o abracei forte.

-Viu? Isso é melhor do que eu dormir sozinha...

Sussurrei, e ele sorriu, começando a acariciar meu cabelo, me fazendo fechar os olhos até adormecer.

No dia seguinte, incrivelmente, fui a primeira a acordar! Aproveitei a oportunidade e sai de fininho do quarto, com cuidado para não acordar meu irmão. Fiz minha higiene matinal e corri pra cozinha, começando a fazer o café da manhã; eu tinha que aproveitar, já que quando eles acordassem, provavelmente, não deixariam eu fazer nada. Fiquei um tempo arrumando tudo, com carinho, até começar a me sentir incomodada com... Meus seios?! Arqueei a sobrancelha e cerrei os olhos, arfando fraco baixando a cabeça e os encarando.

-Estão doendo... Será que meu sutiã está muito apertado?

Tirei o avental e adentrei minha blusa com as mãos, desabotoando o feixe da peça, sentindo um pouco de alivio, mas ainda assim, dor. Corei de leve, com uma expressão incômoda, enquanto levava minhas mãos aos meus seios por cima da blusa, os apalpando de leve. Comecei a murmurar.

-Estão tão estranhos, e eu nem tinha reparado... Parecem maiores...Será inchaço? Se for... Isso é um problema... Doem..

-Hum, Ambre?

Parei subitamente, disfarçada, e me virei me deparando com Nathaniel na porta, com a sobrancelha arqueada e o cabelo bagunçado; acabando de acordar, provavelmente...

-S-sim?

-O que está fazendo?...

-O-o q-que eu... Er... E-está falando d-do c-café ou... Esquece! V-vou ao banheiro . Bom dia1

Faço um bico e apresso os passos para o cômodo, entrando e trancando, respirando fundo e deslizando de costas pela porta, envergonhada. Volto a encarar meus seios os analisando e respiro fundo, tendo por fim a solução de tomar um banho. E assim fiz.  Me despi devagar e entrei debaixo do chuveiro, ligando a água morna que começou a cair sobre meu corpo. Estava avoada com meus pensamentos, olhando as paredes, até lembrar dos meus peitos, nas qual não deixei de aproveitar de olhar. Com eles mais expostos, minha 'análise' era mais fácil;  fiquei os encarando e tocando até chegar na conclusão de que realmente estavam diferentes de antes.  Essas mudanças de grávida....

"Espera! Mudança de grávida?? Isso me lembra..."

Abaixei a cabeça, inclinando um pouco observando abaixo dos meus seios, paralisando. Senti meus olhos ficarem trêmulos na hora e fechei o olho, gritando alto. Logo, ouvi batidas desesperadas na porta e sai rápido me enrolando na toalha e abrindo a porta, fechando o olho e abraçando a primeira coisa que senti a minha frente, escondendo meu rosto na mesma.

-Ei, o que foi, por que gritou daquele jeito? - Ele perguntava me abraçando em um tom preocupado e assustado.

-N-nath... E-eu... - Dizia em voz de choro, apertando ele.

-Você o que, Ambre? Está com dor? Passando mal? Me diga!

Ele parecia aflito.

-E-eu...

- ...

-EU ESTOU FICANDO GORDA!

 Comecei a me derramar em lágrimas, chorando enquanto o apertava forte. Senti meu corpo ir junto quando ele caiu pra trás, mas não o soltei; continuei a chorar enquanto o apertava, já no chão. Ele encarava o teto, sem saber se ficava aliviado por não ser nada de mais ou constrangido pelo real motivo da situação; logo, desistiu de escolher uma das reações e riu fraco, sentando e me acariciando, erguendo meu rosto obrigando-me a encará-lo, enquanto sorria meigo. O olhei corada por conta do choro, enquanto segurava as lágrimas que queriam sair.

-Ei... Isso é normal... Você sabia que uma hora ou outra iria engordar... Afinal, creio que não de pra 'carregar' um bebê sem ganhar uns quilinhos a mais! - Riu sem jeito.

-M-mas...- Soluçava.- Eu não estava preparada pra isso e... E-e...

Fechei os olhos virando o rosto, e o abracei de novo voltando a chorar. Ele riu constrangido e voltou a me acariciar, enquanto eu continuava daquele estado.

-Por acaso você está sensível ou algo assim? Já é época? - Riu fraco.

Não respondi. Ficamos ali daquela forma, até eu ir me acalmando aos poucos ; me afastei dele, sentando enquanto terminava de enxugar meu rosto, e ele acariciava meus cabelos. Logo, ele levantou e me ajudou a levantar, ajeitando meu cabelo e pedindo pra mim vestir uma roupa para comer alguma coisa. Assenti, já calma, e entrei  no banheiro, fazendo assim o que ele pediu. Ao sair, me deparei com Félix, que sorriu e me cumprimentou, entrando no lugar de onde eu vinha.Fui para a cozinha, ainda com uma expressão um tanto fofa, o que fez meu irmão rir. Comecei a comer emburrada, já não me importando mais se eu ia parecer uma bola ou algo assim; o ex-mordomo teve sorte em sair um pouco mais rápido do banheiro, pois se demorasse mais, com certeza, não sobraria nada para ele. Em seguida, eu e meu irmão fomos nos arrumar enquanto combinávamos com Félix sobre esse período que ficaríamos na escola. Após tudo acertado, nos despedimos e seguimos nosso caminho.

Assim que chegamos na escola, fui ao encontro de Li e Charlotte, já que planejava ficar com elas hoje, e quem sabe até contar o que estava acontecendo... Não demorou muito e nos encontramos! Paramos para coversar e depois, seguimos nosso caminho andando pela escola.

Durante o período que passeávamos, eu via a cena se repetir a nossa volta: olhares intimidados, pessoas liberando o caminho, observando-nos com desprezo. Eu realmente estava desacostumada com isso... Mas eles não tinham culpa, afinal, ninguém sabia que eu tinha mudado um pouco. Tentei ignorar, e segui o trajeto. Sentamos na escada e voltamos a conversar, enquanto eu contava cada detalhe dos dias que não nos vimos. Quer dizer, quase todos os detalhes. Elas pareceram um tanto enciumadas, então,eu simplesmente sorri as abraçando; isso as fez ficarem surpresas. Eu nunca havia feito isso... Mas deu vontade tão de repente!

Elas arquearam a sobrancelha, confusas, mas não perguntaram nada, apenas sorriram fraco.  Então, ouvimos o primeiro sinal e nos dirigimos a sala de aula. Ao adentrar o lugar, vi alguns sorrisos virem em minha direção, e acenei para Rosa e Alexy,esperando ao menos um olhar de Armin também, mas o mesmo estava concentrado demais em seu aparelho portátil, como sempre. Aquilo me incomodou.

"Você não podia ao menos ter levantado a cabeça por um segundo?"

Graças a isso, passei o resto da aula emburrada, resmungando mentalmente. O por quê? Não sei... Só sentia aquilo me incomodar muito... As meninas pareceram preocupadas, e eu demorei para, mas assim que me dei conta, sorri as confortando. Ao bater do sinal, me despedi de Li e Charlotte enquanto prometia combinar de sair com elas qualquer dia; peguei minhas coisas e me dirigi ao fundo, onde meus outros amigos estavam. Sentei enquanto conversava animada com eles, e brevemente o sinal do pequeno intervalo tocou. A próxima aula seria educação física... Sinceramente, eu não estava nem um pouco disposta para correr por aí. Além de que isso podia ser perigoso para o bebê, né? Assim que levantamos, expliquei a eles que mataria aula, já que preferia ficar 'parada'; Alexy achou um pouco arriscado, mas eu consegui convencê-lo. Me despedi e segui em direção ao Clube de Jardinagem, afinal, era um lugar calmo e puro, perfeito para passar uma hora a toa!

Assim que cheguei, procurei me sentar no banco, e observar a paisagem. Eu nunca tinha percebido em como ali era bonito... Virei a cabeça lentamente, procurando admirar cada detalhe do ambiente, até me deparar com um objeto em cima da estufa.

-Ei, aquilo não é uma bola do Clube de Basquete? O que algo assim está fazendo aqui?...

Olhei para os lados, não vendo ninguém e levantei, andando até a estufa e a observando mais de perto.

-Como é grande... Não alcançarei isso nem pulando. Só me resta... - Olhei para o lado e sorri. - Pegar uma escada!

E fiz como disse. Puxei a escada até o local encostando na construção de vidro e me apoiei, começando a subir os diversos apoios até chegar na altura máxima, pegando a bola.

-Consegui!

Sorri vitoriosa mas logo senti a escada tremer, e segurei forte a mesma, fechando os olhos temendo o pior. Permaneci assim até me dar conta que o objeto em que eu estava tinha ficado firma; então abri os olhos lentamente, olhando pra baixo, avistando...

-L-Lysandre?

-Devia tomar mais cuidado ao fazer coisas assim... Ou pelo menos pedir ajuda de alguém...

-R-realmente... - Suspirei aliviada e comecei a descer devagar.

-Estou falando sério... Estando grávida, qualquer queda se torna um risco! Imagine cair dessa altura...

Assim que ele falou 'grávida', perdi o equilíbrio e senti meu corpo cair pra trás, sem conseguir me segurar.  Eu não sabia se ficava assustada pelo fato de estar prestes a encontrar o chão em alguns segundos, ou pelo conhecimento do garoto sobre a minha situação. Fechei os olhos. Senti o impacto do meu corpo ser impedido quando algo me segurou, e abri os olhos me vendo no 'estilo noiva' nos braços do garoto, que suspirava balançando a cabeça.

-E eu ainda avisei...

-E-eh? C-como v-você sabe que e-eu...

-Rosalya me contou... Disse que precisava de alguém pra ficar de olho em você quando ela não estivesse por perto, ou algo assim...

-H-hein? E-ela fez o que?

-Também não gostei muito dessa ideia... Dá a impressão que estou me intrometendo n sua vida... Mas como ela está contando comigo, lhe fiz esse favor. E veja: Teve sorte por eu estar aqui agora!

-... - O encarei e logo baixei a cabeça, suspirando sem fazer mais perguntas. - Sim... E esqueci de agradecer... Obrigada!

-Não era necessário... Mas foi algo vitoriano.- Ele sorriu em um provável tom divertido, e me colocou no chão.

Sorri.

- E então, o que estava fazendo em cima da estufa?

-Eu estava pegando essa bola...  Não acho que aqui seja o lugar dela.

-Concordo... Creio que a paisagem não fica mais bonita com a presença dela aqui. Por que não a levamos para o clube de basquete?

-B-bom, é que... Digamos que está tendo aula agora e é melhor eu não aparecer por lá... - Larguei a bola no chão.

-Está matando aula?...  -Ele me encarou sério.-  Isso me lembrou que preciso encontrar o Castiel no porão...

-O-o Castiel?... - Abaixei a cabeça, me lembrando do que acontecerá há poucos dias.

-Sim... Fica incomodada por falar nele?

-N-não é isso é que... - Suspirei.- Só me faz lembrar de coisas não lá muito boas...

-Entendo... O fato dele não te corresponder é uma dessas 'coisas'?

-Por que a pergunta?

-Apenas curiosidade... Mas não precisa responder se não quiser.

-Não... Não é uma dessas coisas... Na verdade, já faz um tempo que parei de me importar com isso!- Comecei logo após ele terminar a frase.

-Um tempo? - Começamos a andar.

-Sim... Não sei dizer ao certo. Só que... Parece que não tenho mais as sensações que tinha quando ouço o nome dele ou quando o vejo... Talvez por algo sério que ele fez ultimamente... - Murmurei a última parte.

-Não se sente mais como se sentia? Em outras palavras... Não gosta mais dele romanticamente, então?

-... -Olhei o chão, sem parar de caminhar.-  Eu realmente não parei pra pensar isso.

-Pelo menos é o que parece, pelo o que me disse. - Adentramos o corredor.

-Você acha mesmo que é isso?

-Provavelmente!

-... - O olhei e comecei a rir.

-Eu disse algo engraçado?

-Não, mas bem...  - Sorri.-  Só estou impressionada por estarmos conversando tão normalmente, julgando que seja uma das primeiras vezes que nos falamos.

-Talvez isso seja devido a fala de interesse de ambos,  já que nunca pensamos em ir falar um com o outro.

-Tem razão... Eu nunca me vi falando com você algum dia...

-Nem eu... Mas agora estamos conversando! Quem sabe isso aconteceria mais cedo se tivéssemos dado uma chance ao outro?...

-Sim! Acho que é sempre bom dar essa 'chance'. - Eu ria novamente.-  Sabe, não imaginei que falar com você me deixaria tão a vontade e tranquila... Acho que isso foi bom!

-Realmente... - Ele sorriu, e sorri de volta.

"E talvez, eu ter mudado ajudou muito também..."

-Mas voltando ao assunto... Será mesmo que eu... - Parei de andar.

-Que você?... - Ele parou junto.

-... Eu... - Meu tom de voz diminuía.

-Não gosta mais do Castiel como gostava antes?...

-Sim...

- ... - Ele me encarou e logo sorriu fraco.- Por que não tenta descobrir a resposta sozinha?

-Mas... Como eu faço isso?

-Vejamos... Pense um pouco nele, e veja o que sente. Compare seus sentimentos de agora com os do passado, e tire suas conclusões!

-Hum...

O encarei e logo olhei pra cima, fazendo o que ele disse. Comecei a pensar nas coisas que me faziam gostar do Castiel, e nele próprio, procurando sentir meu coração acelerar ou algo assim. Mas não senti nada disso; na verdade, apenas sorri fraco, um tanto agradecida por certas ações dele. Olhei Lysandre sorrindo.

- Encontrou sua resposta?

-Sim...

-E então...?

-Eu... não amo mais ele...

Ele sorriu e voltou a andar, e eu o segui.

-E agora que tem a resposta, parece bem...Se sente aliviada?

-Um pouco... Sabe, acho que eu deveria ter pensado nisso há um bom tempo...Digamos que me iludi por tempo demais! - Ri fraco.

- Entendo... - Ele sorriu fraco.- Mas sabe, não o leve a mal por isso, ele só-

-Ele é só uma pessoa complicada... Que assim como qualquer outra, também procura pela companheira certa! Mesmo que isso signifique quebrar alguns corações...

-Quase isso...

-Não se preocupe, tenho um jeito complexo de explicar minha forma de ver as coisas... Mas entendi! Só uma coisa me preocupa... Será que não gostar de mais ninguém como gostava dele vai mudar alguma coisa, sabe, no meu dia a dia?...

-Bom, provavelmente não... Mas será que já não está a gostar de outra pessoa?

-... O que quer dizer?

-Bom, deixar de gostar de alguém que ama não é fácil. Acredite, experiência própria... E  por toda essa conversa que tivemos agora, tudo tão repentino... Tudo me leva a crer que você  já está interessada em outra pessoa. Afinal, pareceu fácil para você admitir que não tinha mais interesse no Castiel...

-E-então está dizendo que eu...

-Que seu coração já pertence a outro? - riu fraco.- Sim...

O encarei surpresa.

"Como assim o meu coração já pertence a outro?"

-Se cuide...

Ele sorriu fraco e colocou a mão em meu ombro, tirando logo em seguida, enquanto adentrava o porão. Fiquei o encarando ir, até perdê-lo de vista por conta da porta, e olhei pra escada, pensando no que ele tinha falado.

-Meu coração... A out-

-SENHORITA AMBRE!

Dei um pulo assustada e me virei, dando de cara com a diretora. Gelei.

-S-sim?

-NÃO DEVERIA ESTAR NA QUADRA? ! ESTÁ MATANDO AULA?

-E-eu, b-bem, er... S-si, n-nã-

-QUER SABER? NÃO ME INTERESSA MAIS! VAI FICAR ORESTO DA TARDE AQUI NA ESCOLA COMO PUNIÇÃO!

-H-hein?! M-mas eu-

-SEM 'MAS'! E CASO NÃO FIQUE, VOU LIGAR PARA SEUS PAIS, ENTENDEU BEM?

"M-meus p-pais?... N-não..."

Fiquei quieta e assenti. Ela bufou com razão e logo virou, se retirando. Respirei fundo passando a mão pelos cabelos. Me fazer lembrar de coisas ruins e ainda me dar um castigo... Que lindo momento!

Não demorou muito e o sinal logo tocou. Permaneci quieta o restos das aulas, falando só para avisar meu irmão e os outros sobre minha punição. Eles se ofereceram para tentar ir conversar com a diretora, mas os impedi; eu não queria fazer nada que levasse ao risco de chamarem meu pai... Assim que o último sinal tocou, peguei minha bolsa e me preparei para ir a sala de castigo. Na porta, Rosalya me parou e entupiu minha bolsa de salgadinhos e alguns sucos, dizendo que era pra mim não passar fome, e Alexy me deu uma lista com os contatos de todos eles mais os de casa. Sorri constrangida e agradeci, acenando e saindo em direção ao local da punição. Eu estava cansada! E ainda por cima seria obrigada a ficar três horas sozinha, em uma sala vazia...

"Bem, pelo menos tenho comida..."

-Ahhh, que droga!

Estava a girar a maçaneta quando ouvi alguém reclamar, ficando intrigada.

"Tem mais alguém de castigo?"

Abri a porta devagar, entrando lentamente olhando em volta, procurando  oser que reclamava alto e me deparando com... A-armin?

-Hum, Ambre? Veio fazer uma vista ao detento? - Ele se sentou direito, já que estava largado na cadeira, e riu.

-A-armin... Não... - Ri.- Estou cumprindo minha pena!

Entrei na brincadeira, fechando a porta.

-Qual foi o crime dessa vez?

-Homicídio! Matei a aula de Educação Física! - Ri me aproximando e sentando na frente dele.

-... Poxa, brincando assim eu não consigo continuar! - Fez bico e riu. - Muito bem dito!

-Obrigada! - Me fingi de convencida rindo e logo o olhei, inclinando a cabeça.- É a primeira vez que você conversa assim comigo, digo, olhando nos meus olhos...

-Muito bonitos por sinal! - Riu novamente, me fazendo corar de leve. - Mas me desculpe por isso! Bem que o Alexy diz que é impossível conversar comigo quando estou jogando...

-E me desculpe por isso... Mas tenho que concordar... - Deixei a bolsa em cima da mesa.

-Tudo bem... -Ele sorriu fraco deitando a cabeça no objeto também.

-Está entediado, né?

- ... - Ele suspirou . - Sim... Confiscaram meu PSP!

-Entendi...

Abri minha bolsa para pegar um salgadinho e vi que o aparelho que ele havia me dado no dia anterior estava lá. Por um momento, pensei em entregá-lo, mas logo desisti da ideia, temendo que o mesmo fosse me esquecer ali, e escondi o objeto entre assim várias coisas que tinha. Sorri satisfeita e puxei uma das embalagens, erguendo a cabeça encarando o garoto que... Tinha uma expressão desanimada...

Senti meu coração apertar! Abri minha bolsa novamente, encarando  o objeto aflita. Logo suspirei e estiquei a mão o pegando e retirando dali. Tudo bem que eu queria um pouco da atenção dele... Mas eu também não queria vê-lo triste! Então, fiz o que achei melhor. Puxei o objeto e estendi a ele, que ergueu a cabeça meio surpreso e confuso.

-Ambre, isso é...

-É o PSP que comprou pra mim... Não revistaram minha bolsa, então ainda estou com ele! Pode pegar... -

-S-sério?

-Sim, vamos... Sei que quer... - Empurrei o objeto contra ele.

-H-ham? - Ele pegou o aparelho, encarando, e logo sorriu largo.- Obrigado!!!

Fui  surpreendida por um abraço e corei sem jeito, sem reação. O garoto logo se afastou, sentando-se no chão, no canto da sala; sorri o olhando e logo baixei a cabeça, abrindo um pacote de salgadinhos em silêncio, começando a comer. Sim, eu estava sozinha ali; mas pelo menos ele estava se divertindo...

-Ei!

-Hum? - Virei minha cabeça e vi Armin andando até a mesa, pegando em meu braço.

-Tem salgadinho e nem divide! Que coisa feia.

-A-ah me desculpe, quer um po-

Ele me puxou, fazendo eu me levantar e andou até o canto novamente, sentando no chão me abaixando junto. Corei ao extremo ao ver que estava entre as pernas dele , e paralisei. Ale ajeitou os braços em volta do meu corpo e pegou um salgadinho, antes de voltar a jogar.

-O-o quê...

-Não tem graça se só eu me divertir... Além do mais, quando um de nós estiver jogando estará com as mãos ocupadas! Perfeita ocasião para ter uma ou duas mãozinhas a mais! - Riu, escolhendo um jogo.

-Q-quer dizer que... - Eu corava cada vez mais.

-Poderia ir colocando alguns salgadinhos na minha boca de vez em quando? - Fez uma expressão extremamente fofa.

-E-e-e... - Gaguejei, mas logo respirei fundo sorrido.- Tudo bem... Mas só se você me deixar jogar de vez em quando também!

-Er... - Ele hesitou e arquei a sobrancelha, fazendo-o rir fraco.- Certo... Só um pouco1

-O PSP é meu...

-... Perdi...

Ele riu e ri junto. Brevemente, ele começou a jogar e me acomodei em seu corpo, comendo salgadinhos e colocando um ou outro na boca dele; ás vezes, alternávamos as funções. Ficamos nisso até meus salgadinhos acabarem e a hora bater. Na verdade, ficamos até um tempo depois do solicitado, pois estávamos muito distraídos. Assim que nos demos conta, nos levantamos constrangidos e rimos sem jeito, nos despedindo, e ele saiu na frente, sorrindo para mim. Corei. Fique ali juntando minhas coisas, percebendo que ele havia esquecido de devolver meu aparelho eletrônico; suspirei mas logo sorri, ajeitando a bolsa e saindo da sala. Conforme eu ia andando pelo corredor, eu ficava com a cena do meu momento com Armin na minha cabeça, o que de alguma forma me deixava feliz... E com o coração acelerado! Parei para beber água, e me inclinei ainda pensativa. Assim que me recompus , limpei a boca e olhei para o lado, vendo um certo ruivo ao longe, conversando com seu amigo. Fiquei os encarando enquanto lembrava de tudo o que havia conversado com Lysandre; inclusive da parte de que meu coração pertencia a outro e...

"Espera aí..."

Olhei o chão, pensando nas palavras dele.

"No momento que passei a gostar de outra pessoa... Tudo o que eu sentia pelo Castiel desapareceu, e todas as sensações que eu tinha, agora, eu teria com essa outra pessoa... Coração acelerado... Meu rosto corar repentinamente... Eu sentir vontade de falar e estar com ele... Querer abraçá-lo...E-eu sinto tudo isso... Quando estou com o Armin?"

Fiquei boba. Eu estava mesmo... Amando o Armin?... T-tão de repente assim?... Não... Já fazia um tempo que tentávamos nos aproximar... E talvez nesse tempo... Eu tivesse me apaixonado... Eu não acredito... E-eu realmente estava...

Coloquei a mão sobre meu peito, sorrindo corada. Comecei a andar, agora tendo a sensação de como era amar uma pessoa diferente... Era ótimo... Eu ria e sorria cada vez mais com meus pensamentos, enquanto me dirigia ao portão. Eu estava feliz...

-Ambre!

Parei, desmanchando minha expressão alegre.

"Eu conheço bem essa voz..."

Me virei devagar até dar de cara com...

-M-mãe...?

-Ambre... - Ela sorriu, como se estivesse aliviada e se aproximou, me abraçando.

-... - Tentei não esbanjar reação, mas não consegui. Eu estava tão aconchegada naquela ação, que acabei por retribuir.

-Que bom que está bem... Está machucada? Onde está dormindo? Quem está cuidando de você?

-E-ei, calma... - Separei.- Estou bem... Estou morando com o Nathaniel, não se preocupe...

-Que bom... Que bom... - Ela suspirava aliviada e acariciava meu rosto.

-Mas o que está fazendo aqui?...

-Vim ver como você estava... Sabe, depois daquele dia, não pude entrar em contato... - Ela pareceu triste.

-.. Você está mesmo preocupada comigo?...

-Claro! Quem mãe não se preocupa com seus filhos?...

-Desculpa a pergunta... É que você sempre... - Me calei ao encarar os olhos dela.

-Sempre ignorei tudo o que acontecia com vocês?... Pode falar...

-... Sim...

-Me desculpe por isso, Ambre, mas.... Eu sempre tive tanto medo de seu pai... Tanto medo... Que achei que o melhor fosse ignorar a situação, até que ela se tranquilizasse... Eu fui tão errada... Deixei você e seu irmão sofrerem... Eu me arrependo tanto de não ter tido coragem para fazer algo...

-...

-Me desculpe... Eu só queria o bem de vocês... Só queria ter vocês por perto... E optei por temer seu pai. E o que isso resultou? O afastamento dos meus filhos... Estou pagando tão caro por deixar de cumprir meu papel de mãe que... Me desculpa, Ambre...

Eu percebia que ela segurava as lágrimas, enquanto apertava minhas mãos, me encarando. Eu estava surpresa! Nunca vi minha mãe assim... E pensar que talvez, ela estivesse sendo oprimida pelo meu pai... Sei que ela errou, eu sabia... Mas ela aparentava estar tão arrependida... E tudo o que disse fora tão maternal... Talvez eu não devesse perdoá-la, já que uma atitude dela poderia ter evitado tudo de ruim que eu e o Nathaniel passamos... Mas... Ela ainda é minha mãe... E agora, nesse momento, tudo o que quero... É somente abraça-la...

Avancei, a segurando em um forte abraço, enquanto não continha a vontade de chorar.

-F-filha?...

-T-temos muito o que falar ainda... Mas por favor... Agora... Não diga mais nada... A senhora não sabe a quanto tempo queria te abraçar assim...

-...

-ENTÃO... P-por  favor...

Ela me encarou surpresa, e logo começou a chorar também, com um sorriso fraco, me aconchegando em sua retribuição de abraço. A senti acariciar meus cabelos, e fechei os olhos sem me segurar...

Eu tinha ganhado meu irmão.... Amigos... estava amando um novo alguém e... Agora... Eu também tinha minha mãe de volta....


Notas Finais


Como ficou? Legal? Muito cansativo? Ruim? Interessante? Angustiante? Como?
Comentem :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...