História Eu, você e a Lua - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Hinata, Naruhina, Naruhinasasu, Naruto, Sasuhina, Sasuhinanaru, Sasuke
Exibições 537
Palavras 5.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse capítulo ficou um tantin maior do que outros, espero que gostem! Boa leitura.

Capítulo 7 - Capítulo VI


“Apenas um pouco do seu coração, é tudo que estou pedindo. Ouvi dizer que um pouco de amor é melhor do que nenhum.” Just a Little Bit of Your Heart, Ariana Grande.

Partiram cedo no outro dia, estavam perto dos portões da Vila da Névoa e acharam melhor se disfarçarem para que pudessem perambular pela cidade sem serem reconhecidos, depois do fim da quarta guerra os maiores heróis da dela ficaram famosos por todos os lados. Sasuke só aumentou sua popularidade com as mulheres e Naruto tinha mais do que quadriplicado a sua, que antes de tudo só contava com uma integrante no fã clube.

Naruto usava uma roupa menos laranja que o normal, as marcas da raposa haviam sido tapadas por adesivos negros e uma peruca castanha cobria a cabeleira loira. Hinata prendera o cabelo em um rabo alto e usava lentes de contato pretas para que não fosse reconhecida como integrante do clã Hyuuga. Sasuke usava um boné azul, bermuda e uma camiseta comuns, sem o símbolo de seu clã. Ajeitou a franja de modo que cobrisse seu olho esquerdo.

O clima parecia tenso entre Hinata e Naruto, Sasuke percebeu. Sempre que seus olhares se encontravam eram desviados e as bochechas ruborizavam, será que ela soube sobre o beijo da outra noite? Ou algo acontecera na noite passada? O Uchiha se perguntou, mas depois deu de ombros, não era como se ele se importasse. Chegaram no centro da vila no começo da manhã. Os comerciantes já estavam, em sua maioria, vendendo os mais variados tipos de mercadoria. Hinata agradeceu aos céus por poder comer algo diferente de comida enlatada ou instantânea. Volta e meia pedia a gentileza de que os companheiros parassem para que ela pudesse pegar algo diferente para eles levarem para a viagem, assim como Naruto, que parecia realmente empolgado com os mais variados tipos de comida, mesmo que os Lámens chamassem mais sua atenção. Em uma das paradas, Sasuke acompanhou Hinata para comprar dangos.

- Venha, querida, venha! – A senhora que trabalhava na tenta de dangos chamou Hinata com as mãos rechonchudas. – Tenho certeza de que você irá adorá-los!

- Hai. – A morena respondeu animada. – Eu quero um desse... – Disse apontando para um espetinho que continha vários dangos coloridos. – E você Sa... – Interrompeu-se no começo do nome percebendo que acabaria com o disfarce falando o nome dele. Engoliu em seco, vendo Sasuke lançar lhe um olhar não muito amigável. – Saito-san? – Tentou sorrir, mas tinha quase certeza de que sua expressão era mais como se estivesse com dor.

- Eu quero dois desses. – Sasuke anunciou apontando para os palitinhos normais. Pagaram suas respectivas comidas e viraram-se para continuar o caminho.

- Obrigada! – Hinata acenou para a senhora bondosa da tenda, que a chamou em seguida, falando relativamente alto para que a Hyuuga pudesse ouvir.

- Você sabe, meu dangos são conhecidos por manterem juntos os casais que os comem juntos! – Sorriu. - Vocês formam um belo casal! – Hinata corou até os pés e Sasuke quase engasgou com o dango que comia.

- Nós não… - A Hyuuga começou a explicar, mas sentiu o Uchiha agarrar lhe a mão esquerda e começar a puxá-la para longe dali, chamando a atenção das pessoas em volta. As mulheres da vila cochichavam em quanto encaravam os dois atravessarem a ruela “de mãos dadas”. Hinata corou ao constatar este fato, não se dera conta de que o Uchiha ainda segurava sua mão e ela até cogitou recolhe-la, se não estivesse tão confortável daquele jeito.

Encontraram Naruto não muito longe dali. O loiro sorriu para o companheiros de equipe, sorriso esse que desmanchou-se ao ver a mão de Sasuke cobrindo a de Hinata tão intimamente, em sua opinião. Virou o rosto incomodado e resmungou algo baixinho, não viu quando o Uchiha largou a mão da mulher.

 Partiram em direção ao esconderijo de Orichimaru. Sasuke não teve grandes dificuldades para achá-lo, uma vez que já estivera lá antes. O lugar era subterrâneo e sua localização era consideravelmente longe da vila. Sasuke abriu a grande porta de aço fazendo alguns símbolos para que esta desbloqueasse, dando-lhes passagem. Os outros dois apenas observavam seus movimentos e o acompanhavam em quanto ele seguia na frente.

Há uma biblioteca neste lugar, com os mais variados pergaminhos e livros. Acredito que podemos encontrar informações importantes sobre a Lotus Lunare lá. – O Uchiha anunciou parando em seguida para encarar os companheiros. – Ha também alguns quartos vazios que podemos dormir, escolham algum deles e se acomodem, ali – Apontou para uma das portas. – É uma espécie de cozinha. – Ali – Uma porta que dava para o exterior. – Há uma fonte termal para banho.
Certo. – Hinata assentiu séria, Naruto apenas torceu a boca mal humorado, Sasuke parecia um mandão.

*****

Depois de se alojarem cada um em um quarto diferente, porém próximos, revezaram-se entre pesquisar e se banharem. Pretendiam sair no outro dia cedo, por isso não poderiam se demorar. Sasuke havia acabado de deixar a biblioteca para preparar o seu próprio banho, Hinata, que já havia se banhado lia alguns pergaminhos que poderiam ajudá-los e Naruto ainda não havia retornado do seu. A morena trajava uma camiseta lilás de botões que continha o símbolo dos Hyuuga sobre o peito direito e um short preto que ia até o meio de suas coxas.

Levantou-se encarando as enormes prateleiras que circundavam a sala, os livros e pergaminhos eram devidamente divididos em ordem alfabética e tipo. Uma prateleira em especial chamou sua atenção, espreguiçou-se alongando o corpo preguiçoso e seguiu até a prateleira que se encontrava no canto mais escuro da sala. A placa com a palavra “Clã” estava sobre ela, e enquanto Hinata lia os nomes contidos ali uma das repartições parecia brilhar em letras neons aos seus olhos “Clã Hyuuga, Aldeia Oculta da Folha”. Alguns livros e pergaminhos estavam dispostos ali e não contendo sua curiosidade, a Hyuuga começou a analisá-los. Em sua suma maioria, eles continham apenas informações que todos tinham conhecimento, porém seus olhos foram direcionados para um pergaminho em especial: Os símbolos dos Hyuuga e dos Uchihas estavam cravados na folha. Curiosa, a Hyuuga começou a ler. Um documento assinado por Uchiha Fugaku e Hyuuga Hiashi prometendo compromisso de seus primogênitos, como selo da união dos clãs em busca da criação de uma linhagem invencível. O coração de Hinata batia tão rápido ao ler aquilo que chegava a doer.  Ela fora prometida a Itachi. E não apenas isto, nas condições do contrato a era da família de secundaria acabaria assim que houvesse a união dos clãs, eles planejavam juntos se tornarem o maior e mais importante clã de Konoha. Deu um pequeno salto ao ouvir a porta ser aberta, enrolou o pergaminho e guardou-o de volta. Naruto adentrava a sala.

- Hinata-chan, você está bem? – Naruto se pronunciou ao ver a menina se aproximar, suas mãos estavam trêmulas e o rosto alvo estava um tanto quanto mais pálido.

- S-sim... Eu só, estou um pouco cansada de ler isso tudo. – Apontou para os livros sobre a mesa, na verdade não estava cansada de lê-los, ela passava as tardes sem missão na biblioteca de Konoha, a bibliotecária já havia até mesmo se acostumado com a presença dela lá. Não soube porque, mas não quis contar o motivo se seu espanto para Naruto.

- Certo. – O Uzumaki arregaçou as mangas e mostrou o polegar direito para ela. – Deixe comigo, eu irei achar o que precisamos. – Hinata sorriu. Seu coração estava inquieto desde a noite anterior. Ela derramara todo seu pranto nos braços do loiro e quando se separaram não foi capaz de olhá-lo, apenas virou-se e adentrou a cabana, tentando ao máximo dormir. Mas o Uzumaki parecia estar normal, afinal por que ele se afetaria, certo? Levantou-se, se sentia fraca, tudo que acontecera era muito para processar, ainda mais depois da informação sobre seu clã.  

- Vou deixá-lo se concentrar, então. – Deu alguns passos em direção à porta quando sentiu a mão de Naruto impedi-la. Aquilo estava se tornando um padrão. Virou o rosto para trás se encontrando perigosamente perto do loiro.

- Fique comigo, por favor. Quer dizer... – Coçou a cabeça sem graça percebendo que havia soado mal. – Me faria companhia? Seria um pouco entediante ficar aqui sozinho. E esse lugar me dá calafrios. – Hinata assentiu sentando-se na frente de Naruto. Engoliu a saliva e lembrava-se constantemente de que devia respirar, mexia nas mãos inquieta enquanto Naruto lia atentamente um livro malcuidado. Ela olhava em volta evitando encara-lo. Quando finalmente o fez, o loiro esboçava um sorriso vitorioso. Havia achado informações valiosas de onde poderia se encontrar a nova cultivação da Lotus Lunare.

- Eu vi alguns pergaminhos próximos a este livro! – Hinata levantou-se de prontidão, aquilo havia deixado-a eufórica. – Ali em cima. – Apontou para uma prateleira alta no canto direito da sala. Correu até lá e puxou a escada para que ficasse perto suficiente dos pergaminhos que desejava. Vasculhou por ali e pegou todos aqueles que acreditava ter alguma informação a mais do que as contidas no livro. Começou a descer as escadas segurando-se com apenas uma das mãos. A outra agarrava firmemente cerca de seis livros e pergaminhos. Porém, a queda não pôde ser evitada ao pisar em falso em um dos degraus e não conseguir manter-se equilibrada com apenas um dos braços. Para sorte dela o grito que dera chamou a atenção do loiro que estava concentrado na mesa que por sua vez correu até lá, não a tempo de socorre-la apropriadamente, apenas conseguiu evitar com que ela caísse sobre o chão, mas sim sobre seu próprio corpo.

Hinata mantinha os olhos fechados esperando sentir as garras duras do chão frio a abraçarem, mas só o que sentiu foram dois braços fortes e quentes aconchegando-a. Abriu os olhos assustada e viu o Uzumaki sob si. O loiro sorriu-lhe com um dos olhos fechados, sentindo uma dor incômoda nas costas.

Se encaram por um tempo que nenhum deles poderia dizer ao certo quanto, os rostos se aproximando lentamente sem quebrar o contato visual tão puro, tão intenso que chegava a ser invasivo. O aperto de Naruto ao redor de Hinata tornou-se mais forte e os narizes se tocaram levemente, as bochechas da Hyuuga tomavam um tom avermelhado e seu coração clamava pelo que viria a seguir, acelerado em êxtase. Eles então ouviram a porta ser fechada com mais força que o necessário. Sasuke aproximou-se da mesa com certa indiferença em suas ações, Hinata saiu de cima de Naruto na velocidade da luz, recolheu os livros que deixara cair e desposou-os na mesa. Sentando-se de cabeça baixa logo em seguida. Naruto juntou-se a eles um pouco depois.

- Não se incomodem comigo, podem continuar o que quer que estivessem fazendo. – Sasuke falou puxando a pilha de livros, que Hinata segurava anteriormente, para si.

- Não estávamos fazendo nada, Teme. – Naruto respondeu no mesmo tom, puxando a mesma pilha para o seu lado.

- Não é o que parece, idiota. – Sasuke rosnou puxando mais uma vez para si.

- Eu não me importo com o que parece ou não. – Foi a vez do Uzumaki puxá-los. Safira e ônix se encaravam tão profundamente que quase formavam uma linha tênue entre seus olhares.

- Você gosta do som da própria voz, não é? – Sasuke perguntou e o loiro perdeu-se no assunto. – Cale a boca antes que eu o obrigue a fazê-lo. Pegou alguns livros e começou a analisa-los.

Naruto abria a boca para retrucar quando ouviram o ranger da cadeira de Hinata contra o chão.

- Irei preparar o jantar. – Virou-se seguindo em direção a porta, os homens assentiram. Preparava para sair dali quando tornou a olhá-los. – Seria de muito bom grado que vocês não se matassem antes do fim da missão. – Disse mais firme do que ela mesma esperava. Estava um pouco frustrada pela intromissão e sentia-se cansada com todas informações rondando sua cabeça, a única coisa que não precisava era de uma competição infantil entre os dois. Saiu dali deixando para trás um Naruto e um Sasuke um tanto quanto atordoados.

 

Mais tarde os três jantaram pacificamente, Naruto e Sasuke trocavam farpas vez ou outra, mas recebiam um olhar repreendedor e decepcionado da Hyuuga a cada vez que o faziam. Juntaram toda a informação que conseguiram e montaram um plano para a missão. Graças as pesquisas de Orochimaru agora tinham ideia de quais seriam os próximos passos a serem tomados. Sasuke enviou um corvo para Konoha, avisando ao Hokage o que havia se passado e o relatório atual da missão, avisando também tudo que haviam descoberto e como chegariam até o possível local onde encontrariam a flor. Depois disso, cada um deles migrou para seu próprio aposento.

******

Segui pelo corredor com pouca iluminação analisando cada centímetro no meu campo de visão, não sabia onde eu estava e minha linhagem parecia sofrer uma espécie de bloqueio ali dentro. Os chãos frios geravam um incômodo em meus pés descalços e a camisola mínima de seda preta que cobria meu corpo não parecia ajudar a combater o frio. As portas eram feitas de aço e uma em particular chamou minha atenção, segui até lá com certa ansiedade, as iniciais de meu nome estavam cravadas logo acima dela. Adentrei o cômodo finalmente conseguindo ver o que havia dentro, uma vasta cama com lençóis de seda em tons bordô desposava-se no meio do aposento e esta parecia ser tudo o que jazia ali. Vi meus pés trilharem o caminho até lá e meu corpo relaxar sobre a cama tão macia, fechei os olhos aproveitando a sensação.

Tentei mexer meus braços mas parecia impossível, o que estava acontecendo? Abri minhas pálpebras devagar acostumando-me com elas abertas, tentei mexê-los mais uma vez e o tilintar do que me prendia a cabeceira da cama se fez presente. Arregalei os olhos quando distingui duas algemas que me impossibilitavam de fazer maiores movimentos. Minha atenção foi tirada das algemas ao enxergar uma silhueta masculina aproximar-se da cama. Os cabelos de Naruto estavam grandes e a franja farta cobria-lhe um pouco dos olhos, a bermuda laranja ia até um pouco abaixo dos joelhos e a falta de camisa ressaltavam seu tórax definido. O homem subiu na cama com o sorriso mais sujo que eu já vi em seu rosto. Seguia até mim sobre a cama como um felino que ia de encontro a sua presa. Por mais apavorada que eu estivesse, não conseguia desviar os olhos da cena, extasiada. Naruto colocou-se por cima de mim e eu pude sentir o cheiro cítrico de seu perfume, passou um dedo sobre meus lábios quando eu finalmente tomei coragem para perguntar o que estava acontecendo. Segurou meu queixo com firmeza, deslizando os lábios unidos por meu pescoço, causando-me um arrepio instantâneo. Continuou a roçar os lábios no local por um tempo, até que adicionou sua língua quente nas carícias. Fechei os olhos, arfando. Ele descia os beijos molhados por meu colo desnudo e sua mão esquerda acariciava minha coxa. Minha boca estava seca e clamava por sentir os lábios deliberados de Naruto sobre ela. Como se ouvisse meus pensamentos, Naruto levantou a cabeça, puxando meu lábio inferior por entre os dentes. Sugou-o com força e depositou um pequeno beijo sobre meus lábios. Abri levemente os olhos sentindo as mãos atrevidas do loiro adentrarem minha camisola, acariciando minha cintura, fazendo-me arrepiar pela diferença de nossas temperaturas. Naruto beijou-me com pressa, sua língua pedia passagem que foi concedida pouco depois, minhas bochechas estavam quentes e meu corpo tremia em excitação. Quando separou nossos rostos e depois nossos corpos, eu senti falta de seu toque.

Arregalei os olhos ao vislumbrar o último dos Uchihas recostado sobre a porta, observando-nos.

- Divertindo-se sem mim? – Perguntou com tons de ironia. Naruto apenas deu-lhe uma risada nasalada, sem muito humor. Senti-me extremamente embaraçada com aquela situação, o Uchiha me olhava como um pedaço de carne, assim como Naruto a minutos atrás. Caminhou até a cama despreocupado, a bermuda negra contrastava com a pele alva e combinava com seus olhos, as mãos no bolso e os cabelos mais arrepiados que o normal. Eu o observava cada vez mais perto e sentia meu rosto cada vez mais quente, assim como meu ventre. Senti vergonha de mim mesma, não conseguia desviar o olhar dos olhos negros, pareciam tão selvagens, sombrios. Sasuke era um homem lindo, não era atoa que era cobiçado por tantas mulheres. Então por que diabos agora ele estava por cima de mim levantando o tecido de seda e depositando beijos em minha barriga? Mordi meus lábios na tentava de reprimir os sons embaraçosos que desejam escapar por meus lábios, senti as grandes mãos de Sasuke trilharem um caminho perigoso na lateral de meu corpo, dedilhando cada centímetro, o moreno agarrou meus seios por cima do tecido de seda e subiu os beijos para o meu colo. Eu sentia vontade de toca-lo, de retribuir a atenção, porém não era possível graças aquelas malditas algemas. Senti seus lábios sobre os meus e suas mãos apertarem meu busto, fazendo movimentos extasiastes. Arfei contra sua boca sentindo-o contornar meus lábios com sua língua. Beijou-me tão intensamente que eu já nem mesmo conseguia me sentir envergonhada, não naquele momento, sentia-me desejosa e desejada. Era o mais puro sentimento de luxuria que eu já havia experimentado. Sasuke saiu de cima de mim, deixando seu corpo ao meu lado, começou uma trilha de beijos por meu pescoço, arriscando uma mordidinha vez ou outra. Naruto que até o momento apenas observava, acariciou minhas pernas devagar, como se querendo torturar-me. Distribuiu beijos por toda a extensão de minha perna direita e depois a esquerda, apertando-as com suas mãos fortes. Sentia-me no paraíso, cada sensação que se apossava de meu corpo era uma explosão de sentimentos completamente novos para mim. Meu corpo tremia, clamando por mais, eu queria muito, muito mais. E eles estavam me dando isso.

Hinata acordou assustada. Desde quando ela tinha aquele tipo de sonho? Seu rosto tomou um tom vermelho escarlate, jogou-se de volta na cama tapando-se até a cabeça. Ela estava ficando louca, sentia os cabelos grudando em sua pele por úmidos de suor, assim como outra parte, mas essa parte em questão a umidade não se dava por culpa do suor. Levantou-se atordoada e foi em direção a garrafa d’agua que estava a pouco centímetros de sua cama. Tomou um gole farto, sentindo a água refresca-lá por dentro, a acalmando mesmo que minimamente. Decidiu que seria melhor caminhar, já que estava muito agitada para conseguir dormir novamente. Levantou-se e saiu do aposento, enquanto caminhava pelos corredores sentia uma sensação familiar com a do sonho em sua mente, era exatamente o mesmo local. Balançou a cabeça tentando livrar-se daqueles pensamentos. Ela estava ficando louca, até o fim daquela missão ela começava a imaginar que seria mandada para um hospício tamanha sua insanidade, tudo que se passara nos últimos dias era demais para sua cabeça.

Tentou concentrar-se para que seu pensamento fluísse para outro lugar e não ficasse apenas perambulando pelas loucuras com Sasuke, Naruto e a sua mais nova descoberta sobre ela e Itachi. Lembrou-se então de que havia visto uma sala exclusiva para treinamentos. Ao menos era o que imaginava, já que alguns sacos de pancadas e bonecos para treino jaziam lá dentro. Virou-se de volta, trilhando o caminho até a sala, treinar faria bem a seu corpo e sua mente. Ao menos era o que a Hyuuga imaginava. Alcançou a porta da grande sala e adentrou a sala, fechando a porta recostando-se sobre ela em seguida.

- O que está fazendo aqui? – O coração da Hyuuga foi parar na boca tamanho o susto que levara, levou a mão ao peito levando os olhos. Sasuke se encontrava alguns metros à frente, estava ofegante e sua camiseta preta de gola longa está úmida de suor. Alguns bonecos de treino estavam destruídos em um canto e outros continham kunais e pequenas shurikens por toda sua extensão.

- Desculpe. Eu não sabia que estava aqui. – A Hyuuga respondeu desviando o olhar dos olhos amedrontadores do Uchiha. – Eu... eu já estou indo. – Virou-se agarrando a maçaneta com urgência, porém interrompeu sua ação ao ouvir a voz grave do moreno.

- Fique. – O homem virou-se de costas com as mãos nos bolsos. Retirou uma shuriken pequena do bolso que guardava as armas e mirou na cabeça do boneco. – Veio aqui para treinar, certo? Podemos fazer isso juntos. Treinar com algo que possa se defender é mais interessante. – Atirou a shuriken sem nem ao menos virar-se para olhar se acertara, o pobre boneco jazia com a arma cravada bem no centro de seu alvo. A Hyuuga sentiu-se intimidada, imaginava que treinar com o Uchiha poderia não ser uma boa ideia, mas poderia aprender algumas coisas com certeza. E além disso, sentia-se desafiada. Um Hyuuga não fugia de um desafio. Assentiu com a cabeça e caminhou para frente, rezando para que suas pernas não fraquejassem.

Sasuke não sabia dizer exatamente porque a impedira de ir, não gostava de companhias e lidava muito melhor sozinho. Porém, imaginar como seria treinar com a Hyuuga parecia algo divertido, a garota parecia temê-lo, talvez até mesmo detestá-lo. Detestá-lo não, ela parecia muito pura para nutrir esse tipo de sentimento, mas tinha certeza de que ele era uma das pessoas das quais ela menos gostava e Sasuke adorava isso.

- Sem ninjutsus, ou armas, use apenas o seu corpo. – Sasuke aproximou-se ditando as regras. – Ah, e sem usar sua linhagem. Não usarei a minha também. – Hinata assentiu colocando-se em posição ao mesmo tempo que o Uchiha.

- Não pegue leve comigo. – Anunciou a Hyuuga.

Hinata percebeu que ele não atacaria primeiro e decidiu que seria melhor que ela o fizesse, correu na em sua direção tentando acerta-lo com a palma aberta, que foi facilmente esquivada, mais uma, mais uma e mais uma, o Uchiha continuava a esquivar-se sem muito esforço, mas também não atacava de volta. A Hyuuga tentou acerta-lo com um chute, mas não conseguiu, o homem segurou sua perna e ela girou o corpo na tentativa de soltar-se. Abaixou-se imaginando ter vantagem sobre Sasuke e sua palma passou a centímetros da bochecha direita do homem, tão perto que ele conseguiu sentir o fluxo de vento que acompanhou o ataque, segurou o braço da Hyuuga a girando e apertando seu braço contra o pescoço dela.

- Você estaria morta. – A mulher grunhiu e se separaram. Voltaram para a posição inicial e Hinata sentia-se ainda mais motivada.

Sasuke tomou iniciativa desta vez e Hinata não esperava tal atitude, por isso surpreendeu-se ao receber um golpe na boca do estômago, ofegou sentindo a dor no local, mas percebeu que o Uchiha definitivamente havia maneirado na força, o homem tentou acertá-la na mandíbula com o punho fechado, desta vez sem obter sucesso. Hinata bloqueou o ataque com uma das mãos e acertou-lhe uma das palmas em seu rosto, com força o suficiente para fazê-lo cambalear para trás. A mulher aproveitou a deixa e tentou acertá-lo novamente, foi bloqueada. Com a outra mão e foi bloqueada também. Sasuke derrubou-a no chão com uma rasteira nas pernas e colocou-se em cima dela. Quando daria o ultimato, a Hyuuga forçou o corpo para frente, impossibilitada de usar as mãos e acertou-lhe uma cabeçada, bem no meio da testa. Tinha certeza de que nasceria um galo ali para contar história. Segurou-o contra o chão prendendo sua cabeça contra o mesmo com um dos braços.

- Você estaria mor... – Não pôde terminar sua frase ao sentir as mãos de Sasuke se soltaram de baixo de si e a empurrarem para longe pela barriga. O Uchiha levantou-se.

- O que estava dizendo? – Gabou-se passando a mão pelo pequeno relevo que se criava em sua testa. Admitia que a Hyuuga estava se saindo melhor do que ele imaginava, mas ainda não era o suficiente.

- Tsc. – Foi o que ela conseguiu responder. Sentia um irá circular por suas veias, fazendo seu coração pulsar mais rápido. Naquele momento lhe dava satisfação ver o pequeno galo testa de Sasuke, marcando seu rostinho perfeito. Ela o derrotaria, mesmo que uma vez, ela o faria. Levantou-se também planejando seu próximo movimento, olhou para a parede um pouco atrás do moreno, ela tinha uma ideia.

Não esperou que o Uchiha fizesse qualquer movimento e correu em sua direção, a mão direita estava erguida e sua palma mirava o rosto do homem, que estava em posição de defesa. Tentou acertá-lo sem sucesso, após o desvio de Sasuke porém, a Hyuuga continuou com o impulso da pequena corrida e concentrando o chakra nos pés subiu três passos na parede para em seguida pular sobre um Sasuke surpreso, mas mesmo assim atento, a palma direita de Hinata passara de raspão e ela acertou o chão, deixando um buraco no piso de madeira. Sasuke girou o corpo, acertando um chute no meio das costas da Hyuuga a fazendo cair a alguns metros dali. Um filete de sangue desceu por seu queixo.

- Nunca subestime o seu adversário. – Falou o Uchiha colocando as mãos no bolso, seu tom de voz era sério e suas expressões eram indiferentes, sempre mantendo seu ar de superioridade. Caminhou em direção a garota caída no chão e abaixou-se ao vê-la apoiar-se em um dos joelhos, tentando se levantar. Passou um dedo no lábio inferior da morena limpando o sangue. – Eu deveria pegar pesado agora? – Falou sorrindo de canto ao ver a chama de cólera lampejar pelos olhos claros. Fúria esta que escapou por seus lábios em forma de urro, começou uma sequência de golpes um tanto quanto fortes para cima de Sasuke, que desviava de um por um. Quando finalmente conseguiu acertá-lo, levou um soco no rosto, mas manteve-se de pé tentando mais uma, e mais outra e mais outra vez. Sasuke agora, assim como no início, apenas esquivava.

Hinata parou os movimentos, longe o suficiente do homem, ofegante. Ele a olhava com superioridade, chamando-a para o desafio. E ela sentia seu sangue ferver. Cada vez mais, mas sabia que nunca venceria enquanto estivessem lutando corpo a corpo, era inútil. Mas ela sentia que não poderia desistir, ela não queria, não enquanto aquela droga de sorriso convencido ainda estava no rosto dela. Volta e meia as imagens de seu sonho a atormentavam, fazendo-a perder o foco. Cada vez que sentia Sasuke sobre si, ou o toque dele em sua pele, aquilo a estava matando e excitando. Queria tirar aquelas imagens da cabeça e aquele treino só estava tornando tudo pior, desde quando achava Sasuke atraente? Ela não saberia dizer, talvez fosse sua frustação na vida amorosa, estava começando a delirar, definitivamente ficaria louca. Era a única explicação. Bufou nervosa. Estava com raiva, raiva de seu sonho, raiva de sua mente traiçoeira, raiva de Naruto e principalmente do homem a sua frente.

Preparou-se novamente e decidiu que deixaria que ele atacasse desta vez, ela ficaria na defensiva, ela jogaria o jogo dele.

Não soube dizer quanto tempo ficaram se encarando até que Sasuke começasse a ditar os movimentos, e assim como o planejado ela apenas desviava ou bloqueava os ataques. Sasuke sorriu, ela finalmente havia aprendido a não baixar a guarda. Sasuke acertou-lhe um soco na altura das costelas e ela fraquejou por um instante, mirou em seu rosto e para sua surpresa ela bloqueou segurando sua mão, soltando-a rapidamente para segurar seu braço pelo pulso. Ele tentou acertá-lo com o outro punho e mais uma vez foi bloqueado, ela segurava os pulsos do moreno com força como se sua vida dependesse daquilo, o Uchiha tentou mover os pés para derruba-la, mas ela pulou no mesmo momento, nada parecia fazê-la mover-se de lugar. Hinata encarava a orbe negra e púrpura de Sasuke com tanta intensidade que ele se sentiu perdido, por um momento ele pôde jurar que ela era quem possuía um poder de manipulação com os olhos e não ele mesmo.

A morena projetou seu corpo para cima do moreno ao ver a guarda do mesmo baixar. Encaixou suas pernas uma de cada lado de seu corpo, prendendo-o em sob o seu. Apertou as coxas sobre o quadril do homem com força o suficiente para que não se debatesse, Sasuke arregalou os olhos um pouco perplexo e fascinado pela ação. Ela prendeu os punhos do homem cada um de um lado de sua cabeça. Os olhos perolados estavam sérios e determinados, raivosos como nunca vira. Em tempo recorde a Hyuuga levantou a mão direita até atrás dos ombros, liberando o aperto do pulso direito de Sasuke por um instante, o Uchiha por reflexo fechou os olhos ao ver a palma brilhante de chakra da Hyuuga descer em direção a seu rosto, abriu-os ao ouvir o baque no chão ao lado de si. Um buraco jazia na madeira e uma Hyuuga jazia ofegante sobre si.

- Você estaria morto. – Anunciou Hinata sorrindo travessa. E Sasuke suspirou, admitia a derrota. Observou o sorriso de Hinata e as bochechas levemente coradas, alguns fios do cabelo desgrenhado, estavam grudados pelo rosto delicado. O busto subia e descia conforme a respiração ofegante. As pernas estavam firmemente coladas ao lado de seu quadril, excitantes. E o cheiro, ah aquele cheiro... O cheiro de flores e suor chegava embriagante as narinas de Sasuke e por um momento o homem sentiu que poderia sentir aquele cheiro por muito, muito tempo. Em um lampejo de insanidade, o Uchiha agarro a Hyuuga pelos cabelos e puxou-a em sua direção, encaixando o rosto feminino na curva de seu pescoço. Hinata alarmada tentou mover-se, mas foi impedida pelo aperto forte de Sasuke, enlaçando-a com os braços. A Hyuuga então fechou os olhos sentindo o cheiro agradável do homem, involuntariamente levando uma das mãos aos cabelos úmidos de suor perto da nuca de Sasuke do lado contrário ao que seu rosto se encontrava. Ficaram assim por longos minutos, não queriam ter que dar ou ouvir explicações ao se soltarem. Queriam apenas apreciar o momento de desatino.

Estavam alienados o suficiente para não ouvir um certo loiro adentrar a sala de treinamento e quase gritar as palavras que se seguiram.

- O que diabos vocês estão fazendo? 


Notas Finais


Olá meus amores! Então aqui estou eu com mais um capítulo!
Este capítulo ficou maior pelo simples fato de que eu amo vocês e queria retribuir todo o carinho!
Gente esta é minha primeira Longfic e já tem mais de 100 favoritos, estou radiante com isso! Vocês são uns amores e eu agradeço muito pelo apoio a mim e a fic!
Criei o grupo no facebook guys, por favor entrem lá para que fiquem por dentro de tudo!
Avisarei das próximas atualizações, postarei spoilers, fanarts e vocês estão livres para compartilharem suas opiniões, conversarem, o que quiserem!
Link: https://www.facebook.com/groups/324160291272812/
Enfim, espero que tenham gostado de ler este capítulo tanto quanto eu gostei de escrevê-lo. Nove paginas do word feitas com muito amor. <3 <3 <3
Não se esqueçam de comentar e me avisar qualquer erro/sugestão, e much love para vocês (não se esqueçam de entrar no grupo)

Até mais xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...