História Eu Vou Proteger Você - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Drama, Kookmin, Namjin, Romance, Yoonseok
Exibições 120
Palavras 5.541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie meus docinhos...
Voltei; não consegui postar no final da semana passada mas estou voltando hoje ❤❤❤

TWITTER.
Aqueles que falaram comigo no Twitter muito obrigada, fico feliz que vocês gostem dos NamJin que eu posto lá... Vocês viram que está quase virando FC 😂😂😂 desculpem... Não me controlo..

FAVORITOS.
Obrigada pelos favoritos ❤❤ principalmente aqueles que chegaram agora, fico feliz que estão gostando...😁

COMENTARIOS.
Vocês são muito fofos comigo então também agradeço por isso. Fico feliz que muitas pessoas reconhecem meu nome por aí e as vezes eu nem sei pq😂...

VAMOS LER?!
YEP!!!


👑 LEIAM AS NOTAS FINAIS 👑

Capítulo 23 - Capítulo XXIII


Fanfic / Fanfiction Eu Vou Proteger Você - Capítulo 23 - Capítulo XXIII

      A chuva chegou repentinamente; tudo parecia calmo quando subi ao quarto de hóspedes para chamar Yume; Kim Taehyung havia passando uns vinte minutos reclamando do tal quarto que ele queria de volta depois de ter dormido com Jimin e JungKook. "Não vou dormir sozinho, o hyung não está aqui" choramingou depois que falei irritado com ele na noite anterior.

-Jin tem que parar com isso… ele não é uma criança…- falei comigo mesmo após fechar a porta do quarto. Fui até a sala encontrando meu pai ainda ali; com um semblante pensativo.

-NamJoon…- ouvi a voz doce da senhora Jeon me chamar da cozinha - Podemos conversar?

-Claro…- adentrei o cômodo sentando em um canto qualquer.- o que aconteceu?

-Primeiro quero saber de Yume…- suspirou enquanto vestia um avental - quando vai levar aquela garota ao médico?

-Médico?

-Sim; ela já tem cinco meses de gravidez…- falou obviamente - além disso ontem estava passando muito mal…

-Ontem? Que horas?

-acordei de madrugada pra fazer um chá pra ela… não demore; além disso vocês ainda não sabem o sexo não é?…- a pequena mulher colocava algumas frutas em cima do balcão.

-Eu vou fazer isso depois…- levantei guardando o celular que estava em minhas mãos, havia mensagens de Jin e tudo o que eu queria era retornar.

-NamJoon…- me fitou pensativa - JungKook perguntou ontem se você já havia decidido o que fazer sobre o pai dele…- "O pai dele", senti um tom de mágoa nessa frase carregado de um fardo; desde que chegara ali nunca havia se referido a ele como marido, esposo ou seja lá qual o termo…- ele ainda está preso na TreeF?

-Sim… falei com meu pai; ele disse que isso era decisão minha…- sentia o celular vibrar mais uma vez em meu bolso - só vou decidir depois da cerimônia; não se preocupe, vou tentar afastar ele de vocês…- sorri e recebi um sorriso de volta, ela me mostrava animadamente um bolo que havia feito; o preferido do senhor Kim… " se a senhora Kim estivesse aqui estaria com ciumes " ri mentalmente pensando nisso. - preciso ir…

      Yume me esperava, parada perto da entrada olhando a chuva; fazia muito frio e a sensação gélida não ajudava muito; peguei o celular no bolso e me afastei um pouco dela ligando de volta para Jin.

-Yah! Jonnie…- falou parecendo chateado - porque não atende? O celular criou pernas e se escondeu?

-Bom dia senhor irritadinho - sorri imaginando quão fofo ele estaria agora reclamando comigo - porque tudo isso?

-Vou voltar hoje e você não está nem aí pra mim…- reclamou manhoso; podia jurar que ouvia Kim Taehyung falar naquele momento.

-Você sabe que eu te amo não sabe? E também sabe que vou te buscar se é isso que queria saber...

-Leve alguns seguranças; o que estava comigo; Min, não vai voltar comigo…

-Tudo bem…- coloquei a mão abaixo de algumas gotas de chuva que caiam de cima da cobertura sentindo a água gelada percorrer minha mão - Hyung, estou com saudades…- falei sincero.

-Nós vamos resolver isso hoje…- sorri lembrando do nosso último abraço; e como todas as noites eu tinha a mesma sensação de que ele estava ali comigo - sobre o que você disse… eu também te amo. - saiu tímido; mas só o fato dele admitir aquilo fazia meu coração se aquecer - Onde está agora?

-Ah… eu… - pensei em algo para falar - em casa; vou sair pra resolver algumas coisas na TreeF…- odiava até mesmo as pequenas mentiras, quando ele já havia dito que eu não escondesse mais nada.

-Mas eu pensei que tudo estivesse resolvido… a cerimônia já…

-Jin - o cortei - não é sobre a cerimônia, quando você voltar nós vamos conversar ok?

-Ok…

-Eu preciso urgentemente te beijar também…

-Me diz que você não falou isso alto - ria e poderia apostar que estava sorrindo do mesmo jeito fofo.- idiota…

-Nós precisamos urgentemente nos beijar de língua sabe…

-Para NamJoon! - até poderia imaginar que ele estivesse corando.

-Ok, ok, ok, preciso ir…

-Antes; você brigou com Tae?

-Não; porque? - ainda não; mas se ele continuasse agindo infantil na noite anterior, talvez sim.

-Ele ligou pra mim ontem dizendo o quanto "NamJoon Hyung é ruim" - podia ouvir ele rir baixo - o que fez com ele?

-Fiz ele dormir com Jimin… quem deveria estar reclamando era JungKook e não ele…- ri lembrando da birra - você não acha que eu iria dormir com um bebê daquele tamanho não é?

-Não seja assim com ele Joonie…

-Não mime tanto ele Jinnie - respondi no mesmo tom carinhoso que ele usou. - vou desligar… quando estiver chegando pode me ligar?

-Tudo bem…- nos despedimos depois e quando olhei em volta, Yume estava lá no mesmo lugar olhando para a mesma direção, não sei se ela havia ouvido algo, isso não me importava.

-Vamos? - chamei sua atenção indo em direção aos carros; abri um guarda-chuva cobrindo nós dois até chegar ao carro estacionado perto ao grande portão de entrada. - Está tudo bem? - perguntei após o longo silêncio que se seguiu desde que eu tentava ligar o carro, ela não havia tentado falar comigo e nem mesmo fazer alguma pergunta; mesmo a mais fútil que fosse. Os carros de segurança nos seguiam de perto; talvez uns cinco homens estivesse indo conosco, se eu dissesse que havia me acostumado com aquele aparato de perseguição estaria mentindo.

-Um pouco… parece que tudo me causa enjôo…- respondeu depois de um tempo - fechei os vidros escuros do carro e as gotas pareciam bater com mais força; e a chuva engrossar em instantes - Já são cinco meses…- a vi sorrir quando olhei de canto, Yume passava as mãos sobre  a barriga como se fizesse carinho na mesma.

-Eu sei… - pensei que cinco meses não pudesse passar tão rápido; porém o tempo parecia correr contra mim todos os dias - nós vamos ao médico depois…

-O que acha que é? -perguntou sorrindo e me fitando com os olhos negros e de formato bem diferente; Yume tinha traços nada asiáticos que agora eu sabia que herdara de Peter; o senhor que vez por outra mantinha contato com minha família. A imprensa muitas vezes enaltecia Peter como um cara influente na organização maçônica; pelo pouco que sabia ele havia voltado pra Coréia depois de um longo tempo no Japão, onde conheceu a TreeF. Naquela época eu não poderia ter mais de sete anos de idade, e se bem me recordo uma única vez eu havia estado diante de Peter pessoalmente. Logo depois, eu só ouvia falar sobre ele; reservado; sem nenhum contato com a imprensa; e nem mesmo gostava de estar presente em público desde que entrou para aquela organização. Alguns afirmavam ser uma ceita controladora; onde sua intenção era dominar o mundo com ajuda de demônios; no meu ver, nada mais que uma lenda qualquer; outros nada mais diziam, era apenas uma organização qualquer composta por milionários e seus costumes estranhos como; tomar seu vinho do pacto dentro de um crânio humano… Seja qual for a verdade, isso não me importava. O segredo ali era jogar o "Jogo do poder" conforme a necessidade; aumentar seu território, seus lucros; sua riqueza… tudo isso a TreeF havia alcançado durante seus últimos anos, e agora tudo parecia depender de mim e de Kim SeokJin.

-Eu não sei, o que você acha que é? - tentei não demonstrar meu desinteresse na pergunta.

-acho que tanto faz… um menino, ou uma menina…- continuava acariciando a barriga; sorrindo.- eu só queria que... - parou a frase no ar; e não terminou.

-O que? - Yume virou-se olhando do outro lado da estrada, o vidro escuro e as gotas de chuva grossa deslizavam continuamente; não havia parado de chover de forma alguma desde a madrugada.

-Pode virar a direita…- indicou, havia um estrada de pequenas pedrinhas decoradas até a entrada de um grande portão de metal cor dourada.

-Você não vai responder?

-Eu só queria que você o aceitasse, como filho…- me olhou novamente séria.- e me aceitasse.

-Yume; isso é novo pra mim… não espere que eu vá agir como um príncipe… eu não sou assim. - suspirei batendo os dedos contra o volante - além disso, saiba que eu sou apaixonado por uma pessoa…

-Tudo bem; eu não esperava que você gostasse de mim… só, não vamos agir como dois inimigos.

-Haha - ri fraco - você quer fazer a cena de família feliz e que esse bebê foi fruto do nosso belo amor juvenil? - um símbolo de gavião acima do portão me causou arrepio, era como ter algo olhando diretamente nos seus olhos; como se aquele animal estivesse lhe fitando.

-Não. Está na sua cara que você ama outra pessoa. Só não use isso como motivo pra me odiar.

-Porque você acha isso?! - perguntei  um pouco irritado.

-Eu ouvi você e Yoongi conversando ontem - sorriu de uma forma triste - Seja quem for; eu não quero atrapalhar vocês… então pare de agir assim.

-Tudo bem… Seja como for só o bebê me importa agora.

- chegamos. - Yume vestiu o casaco preto que trazia no colo; passamos pela segurança assim que um homem nos viu, acenou para a garota ao meu lado e deixou que passássemos- Vamos… - abriu a porta parecendo chateada; não era minha culpa; por isso não achei que tinha obrigação de corresponder expectativa de ninguém. Peguei o guarda-chuva e fui até ela numa simples tentativa de ajudar. -Não precisa fingir que se importa…- saiu andando na frente me deixando sem entender pra que aquela irritação.

-Olha aqui - segurei seu pulso apertando mais do que deveria no momento, ela me fitou como sempre o mesmo olhar calmo - você está grávida, eu estou tentando cuidar disso… não me desafie Yume; não sou sempre bonzinho.

-Não me ameaça NamJoon; ou você nunca vai ver essa criança...- voltou a andar em direção a grande propriedade; um estilo rústico de mansão. Pra alguns "rústico", pra mim "velho". Adentrei a sala acompanhando a garota que chamava pela mãe; olhei para os cantos da sala e tudo parecia familiar; talvez…

~♡~♡~♡

-NamJoon…- uma senhora de cabelos vermelhos me chamou atenção - você é Kim NamJoon?

-Sim senhora…- cumprimentei recebendo um sorriso.

-Sou mãe da Yume…- a pequena mulher me fitava como se desejasse perguntar algo, ou me reconhecesse - você me parece tão familiar - Sorri tentando ser gentil. - eu mandei que arrumassem tudo para que ela levasse; os empregados já devem estar colocando no seu carro…

-Obrigado; assim demoramos menos…- Yume apareceu em uma outra entrada perto de um corredor, me fitou apreensiva e chamou silenciosamente com o dedo.

-O que houve? - perguntei baixo.

-Meu pai está aqui; entre comigo; não vou conseguir encara-lo sozinha. - abriu a porta de cor vermelha e uma silhueta de um homem dava pra ser vista ali. Ela entrou e então a segui. Yume se pôs diante da mesa marrom de escritório; justamente de frente ao homem assentado ali…

-O que faz aqui? - aquele que eu juguei ser Peter Solomon finalmente nos fitou, encarou a barriga da filha com uma expressão desgostosa. - porque voltou aqui?

-Eu vim me despedir…- Yume falou com voz embargada - estou indo morar com ele... - apontou para mim e foi então que sentir o olhar do homem sobre mim.

-O pai da criança?! Nada mais justo…- ele voltou a encara-la - Só volte aqui outra vez quando estiver casada...- a voz dura como uma repreensão - você me decepcionou! - falou ainda mais rude; Yume escondeu o rosto e então percebi que ela estava chorando.

-Pare de chorar na minha frente! - bateu na mesa e se aproximou da garota; segurou seus braços puxando de forma agressiva do seu rosto - Sabe o que você merecia agora?! Sabe?! - por impulso segurei seu corpo puxando contra mim; retirei as mãos dele de seus braços e então recebi um olhar cortante.

-Quem você acha que é?! Ela é minha filha e está na minha casa…- o mesmo tom ainda permanecia.

-Acho que não nos apresentamos formalmente… - cortei sua fala após perceber o drama familiar ali - o senhor deve ser Peter…

- Peter Solomon. - assenti estendendo a mão num cumprimento - e você? - sua pergunta foi um tanto desafiadora.

-Sou Kim NamJoon. - o homem me olhou num misto de surpresa e algo a mais que não pude descifrar. - está na sua casa, mas esse é meu território.

-Não pode ser…- sorriu falsamente - Kim NamJoon… Kim NamJoon…- me analisava - quanto tempo; um Kim na minha casa depois de tanto tempo… não é possível. - riu debochado - depois de tantas desavenças com seu avô, aqui estamos nós.

-Desculpe, não sei de nada sobre…

-então era verdade? - me cortou perguntando - o famoso neto bastardo dos Kim está vivo? - não entendi o porque daquela pergunta naquele momento.

-Yume; me espere lá fora; olhe se todas as suas coisas estão no carro. - pedi, ela havia se encolhido perto de mim e só agora havia percebido suas mãos em volta do meu braço.

-Ainda me lembro bem; aquela época quando sua mãe morreu…- voltou a sentar na mesma poltrona de couro marrom no canto da sala. - houve tantas divergências; tantos confrontos de facções, muito sangue; muita gente morta por causa do poder… - sorriu pegando um copo colocando um líquido de cor marrom - vocês eram apenas crianças, o nome do outro era…- pensou um pouco tentando puxar do fundo de sua memória. - Kim SeokJin? - estremeci ao ouvir o nome vindo da boca daquele homem cujo minha primeira impressão; era péssima.

-hm… porque estamos falando sobre isso?

-Porque eu devo estar intrigado com o pai do meu neto - sorriu ainda mais falso - seria finalmente uma aliança futura entre os Maçôm e a TreeF? - não deixei de rir; não havia maneira alguma de permitir isso enquanto estivesse vivo. Muito menos Jin permitiria. Uma aliança antiga já havia mostrado que só resultava morte; segundo as histórias passadas aquela organização já havia cometido milhares de crimes e assassinatos secretamente da qual a TreeF se recusou a participar resultando na separação da aliança.

-Não vamos falar sobre isso, estou aqui pra avisar que sua filha está indo comigo; eu vou cuidar de tudo.

-Quando vai se tornar líder? - perguntou novamente enchendo a taça.

-Kim SeokJin e eu; vamos assumir juntos. - fiz questão de ressaltar - a cerimônia será no dia do meu aniversário.

-Dois líderes? Que poderosos - sorriu ainda do mesmo jeito debochado.- Boa sorte; líder. - não sabia bem o porque, mas a sensação ruim que aquele homem me trazia era um tanto estranha. - Nós vamos nos ver muitas vezes ainda… - estendeu a mão apertando a minha, um anel dourado com uma grande pedra verde escuro se ressaltava em sua mão; a cor brilhava mas não era bem isso que me chamava atenção, era familiar; um flesh passou na minha mente como um raio, não permitindo discernir de onde era aquilo.


-Vamos… - abri a porta dando passagem para que Yume fosse na minha frente; a chuva grossa ainda predominante, abri o guarda chuva de cor escura levando-a até o carro.

-Tudo bem? - me fitou preocupada - o que houve lá? - perguntou após eu entrar no carro e bater contra o volante; uma sensação de frustração havia tomado conta de mim.

-Ele sabia que o pai do bebê era eu? - perguntei ligando o carro em seguida, talvez não tinha acreditado na surpresa que ele demonstrou ao me ver; o grande portão dourado se abriu dando espaço para que saíssemos; algumas caixas balançavam no banco traseiro, havia pedido que ela pegasse todos os pertences e colocasse lá. A estrada agora escorregadia me forçava a dirigir devagar. Os carros que nos seguiam vinham na mesma velocidade; não havia movimentação na estrada e ela era um tanto afastada da cidade - põe o cinto…

-Isso incomoda Namjoon…

-Yume põe o cinto…

-Olha o tamanho da minha barriga, é perto não precisa…

-Yume…- suspirei - põe o cinto…- olhei de relance pra ela; que obedecendo colocou a droga do cinto de segurança.

-Ele não sabia…- enfim respondeu - na verdade, eu só descobri quem você era duas semanas depois, quando eu te vi com Kim SeokJin.

-Não sabia quem eu era?! - ri com essa inacreditável afirmação.

-Não; antes daquela noite; eu estava no Japão…- falou; brincava com os dedos em cima da barriga - não vivi muito tempo aqui pra saber quem você era…

-Interessante… - sorri - e estamos prestes a ter um filho…

-É…- no começo; havia uma barreira entre nós e ainda há. Porém não era como se eu a odiasse ou tivesse o mínimo de raiva por estarmos ali conscientes que iriamos cuidar de uma criança; talvez a única ligação entre nós, o motivo pelo qual estava tentado rever todos os meus princípios e valores ultimamente, tentando ser uma pessoa menos fria. - E SeokJin? - senti um arrepio percorrer meu corpo ao ouvir o nome dele.

-O que tem ele?

-Quando ele vai chegar? - me olhou sorrindo; mais uma vez senti que ela tentava constantemente quebrar o gelo; talvez um iceberg, entre nós - Quero conhecer ele… todos falam tão bem dele - sorriu, meu corpo ainda parecia tenso.

-Ele vai chegar hoje…- respondi; o ar de inocencia naquela conversa nem demonstrava meu nervosismo.

-Jimin não gosta de mim não é? - perguntou depois de um longo tempo.

-Porque você acha isso? - já sabia o porque; mas precisava de uma desculpa.

-ah, Namjoon… serio que você não percebeu? Desde aquele dia ele não olha pra mim e quase não me responde e…

-Yume - a interrompi - não é por sua causa; ele só não esperava que você fosse morar lá…

-Mas isso não faz sentido, eu nem fiz nada pra ele…

-Ele acha que você quer tomar o lugar de uma pessoa…

-quem? - me olhou surpresa.

-É uma longa história…

-A garota que você gosta não é? - suspirei e dei a volta na rua larga pra logo adentrar o portão da mansão. Não respondi e podia sentir que ela esperava uma resposta - não vai falar? Ah…

-Não quero falar disso…

~☆~☆~☆

-Não precisa ser esse quarto; seu primo pode querer ficar nele…- se ela soubesse que eu preferiria mil vezes que ele escolhesse meu quarto pra ficar não alegaria isso.

- Jin já tem um quarto aqui…- respirei fundo com a teimosia dela - além disso, acho que você vai querer espaço pra por as coisas do bebê - aquela idéia não era minha, hoseok sugeriu que eu fizesse isso, até porque eu não era capaz de cuidar de mim mesmo quanto mais decidir sobre um quarto de uma criança.

-Tudo bem… - cedeu sentando na lateral da cama - posso por o berço daquele lado, o que acha? - apontou para um canto do quarto; não sei se era impressão minha ou ela realmente queria me fazer participar daquele papel paternal de um jeito ou de outro.

-Você escolhe; faça o que achar melhor… - coloquei uma caixa que havia ficado no carro em cima da cama.

-Chato…- resmungou.

-Já falamos sobre isso… - meu celular vibrou me tirando atenção. Jin.

-Eu só estou pedindo sua opinião…- falou sério. A olhei de canto e ri de sua irritação; sentei na cama bloqueando a tela do celular onde tinha acabado de enviar uma mensagem a Jin. Yume me olhou pensativa enquanto acariciava a barriga com as mãos; o silêncio não era desconfortável… estava torcendo pra ela ficar quieta mesmo. Voltei a responder Jin assim que chegou uma nova mensagem; senti a mão da garota tocar a minha direita, Yume puxou minha mão até sua barriga cobrindo a minha com a sua, e sussurrando coisas para o bebê. Não era novidade pra ninguém que eu não levava jeito pra aquilo mas deixei que ela continuasse…

-Mamãe está aqui…- sussurrou sorrindo. - papai está aqui… - senti uma sensação estranha me atingir ao ouvir aquelas palavras; mesmo assim era uma sensação boa; tentei falar pra mim mesmo que uma vida crescia ali, não era justo agir tão frio com ele, ou ela. Deslizei minha mão por sua barriga fazendo um carinho breve, agora de livre e espontânea vontade; Yume sorriu e então decidi que era hora de sair dali… eu estava ficando tenso.

       Fazia um tempo que estávamos ali sentados olhando Jimin e Tae jogar; bem, eu não estava prestando muita atenção desde que meu celular tocou alertando uma mensagem. Jin estava conversando comigo desde a hora que eu havia chegado com Yume; a garota agora estava no andar de cima arrumando seu novo quarto com a senhora Jeon. Fiz questão de escolher o único quarto que era maior e quase igual ao meu, por sugestão de Hoseok vale ressaltar…

-Que horas Jin hyung chega? - Jimin perguntou após perder o jogo e se jogar -literalmente - em cima de mim no sofá.

-Sai daqui Jimin…

-Yah! Não seja rude… aliás vou contar como me tratou mal quando ele chegar…

-É mesmo? - ri fraco sem olhar pra ele; minha atenção estava na tela do celular. Jin havia feito algumas mudanças no vôo; por isso estava voltando pra cidade em um carro da TreeF; após ter pousado em uma cidade a três horas atrás.

-Desde que ele viajou; o hyung nem liga pra mim…- sabia que era drama bobo e ele só estava querendo implicar comigo. - não conversa comigo; - fez biquinho enquanto Hoseok ria e eu não dava nenhuma atenção - eu achei que era seu bebê! - gritou no meu ouvido chamando atenção.

-O que você quer? Sai daqui Jimin! - o empurrei para longe - você não cresce não é?…- resmunguei - Jimin! Sai! - falei após o baixinho voltar e deitar no meu colo…

-Jin hyung mandou você cuidar de mim…- sorriu infantil, praga perturbada.

-Sério bolinho de arroz? - falei irônico fazendo os outros rirem. - vou contar pra ele que eu finalmente lembrei do seu apelido; bolinho de arroz - apertei sua bochecha com gosto, fazendo ficar vermelha.

-Hyung… - sussurrou - você já contou pra ele? - perguntou baixo ainda com a cabeça em meu colo; pelos anos que conhecia JungKook, eu seria a única pessoa autorizada a ter aquele tipo de intimidade com os dois, nada parecia estranho na nossa relação.

-Não… ainda não. - larguei meu celular na mesinha de vidro entre os sofás.

-Porque não o leva pra conversar antes de vir pra casa? - sorriu fraco.

- porque está tão preocupado com isso Jiminie? - continuávamos a conversar baixo; mas o barulho de Tae e JungKook discutindo um com o outro as vezes nos fazia falar mais alto.

-Só não deixe o hyung de lado… não deixe ele se sentir sozinho… - não era do feitio dele falar coisas assim; que pareciam sem nexo.

-Jimin… porque acha isso? - fiz ele sentar ao meu lado passando meus braços por seus ombros - você sabe que eu o amo não sabe? E que ele é importante pra mim… além disso nós vamos estar sempre juntos agora…

-Ele tem medo de te perder…- falou num fio de voz, as vezes tinha a impressão que Jin desenvolveu uma ligação tão forte com Jimin que eu ainda não tinha dimensão; sabia que eles sempre conversavam, quase todos os dias por sinal  - "Jimin estava falando com Jin hyung" - era o que sempre ouvia Kook falar quando chegávamos do treinamento na TreeF. - só não quero que ele fique desconfortável com ela aqui… - olhou para as escadas onde Yume descia devagar segurando no corrimão de madeira, sorriu pra nós e atravessou a sala adentrando a cozinha.

-Também não quero isso, mas eu preciso cuidar dos dois agora… - sorri fracamente; olhei novamente o celular e finalmente uma sensação ótima me fez sorrir de verdade dessa vez - bolinho de arroz; você quer ir comigo? Seu hyung chegou…- falei num tom carinhoso só pra irrita-lo.

-Não me chama assim! - me batia usando uma almofada.

-Assim como? Bolinho de arroz?! - ri provocando; Jiminie podia fazer qualquer um sorrir, mas eu não gostava quando ele ficava preocupado com um de nós; sempre fazia isso excessivamente.

~☆~☆~☆

       Era por volta das quatro da tarde quando olhei novamente o celular; estava escolhendo uma roupa enquanto sentia o vento frio entrar no quarto me causando arrepios; fechei as cortinas agora vermelhas em tom escuro; e continuei procurando algo para vestir. Quem me visse naquele momento poderia jurar o quanto nervoso eu parecia; Jin estava de volta e agora tudo parecia mais real; mais concreto. Me vesti no meu completo preto básico, e enquanto colocava um pequeno brinco de pedra negra que fazia algum tempo que já não usava - sim; fui praticamente obrigado a retirar os brincos durante minha estadia na sede da TreeF - meu celular tocou…

-alô…

-senhor Kim NamJoon…- me senti um pouco velho ouvindo aquilo.

-Quem é?

-Jeong Soo senhor.- constantemente ouvia falar dele apesar de termos nos encontrado poucas vezes; me parecia bem tempestuosa quando ele e Tae se encontravam, mas enfim os dois ainda continuavam trabalhando juntos.

- Pode me chamar apenas pelo nome… o que houve?

-Sim, desculpe…-odiava aquelas formalidades forçada - Kim SeokJin o espera perto da plataforma de desembarque; pedimos que alguns seguranças fossem para lá como seu pai pediu mas a imprensa está aqui…- suspirei pedindo paciência; a imprensa, sempre os mesmos ratos de sempre. - não sei como a informação vazou… nós viemos de carro pra evitar justamente isso…

-Me escute, leve ele pra uma sala qualquer e diga que não responda pergunta alguma, nós estamos indo…- me apressei em sair do quarto; bati na porta do quarto de Jimin o chamando…

-JungKook vai com a gente. - falou após o mais novo descer as escadas com o namorado.

-Por acaso você vai a algum desfile de moda? - perguntei olhando sua roupa digna de um verdadeiro psicopata de grife, o que ele era diga-se de passagem.

-Hyung a imprensa está lá; Tae me avisou… estou apresentável - afirmou entrando no carro, JungKook nada disse apenas sorriu, depois de mais de um ano já estava acostumado com as neuras do namorado.

-Tae queria fazer uma surpresa pro Hyung… - Kook falou depois de um tempo; o silêncio estava bom ao som da chuva e sem Jimin implicando comigo outra vez - ele até pediu pra minha mãe fazer umas coisas e…

-Como assim?! Porque aquela naja de terno não me disse nada?! - Jimin mirou o namorado indignado enquanto eu olhava pelo pequeno espelho.

-Ele não disse? Pensei que… - sorri achando graça do baixinho irritado, pior coisa que você podia fazer na sua vida era esconder ou excluir Jimin de algo - Jimin, talvez ele não falou porque não deu tempo… você viu que ele foi correndo com Soo pra TreeF quando Jin hyung chegou…

-O que Tae foi fazer lá? - perguntei estranhando; pelo que conheço Taehyung podia ir conosco buscar Jin…

-Não sei; só ouvi eles falarem que invadiram um dos computadores… ele e Hobi hyung pareciam nervosos…- procurei não pensar naquilo; podia ser simplesmente algo normal que Hoseok logo resolveria. - mas eles vão nos encontrar no aeroporto.

-Eu vou dar uns tapas naquela naja de terno…

-Que agresivo você bolinho de arroz…- ok, quem ganhou o tapa foi eu.

- Yoongi e Jin hyung irão saber disso Kim Namjoon! - brincou com falsa indignação batendo do meu braço direto fazendo eu e o mais novo gargalhar.

-Pelo amor de qualquer ser altíssimo; cresce Jimin… - provoquei mais um pouco - ah, e estou falando metalmente…

- Até porque físicamente ele não cresce mais - JungKook alfinetou me fazendo não segurar mais o riso.

-Vão a merda vocês dois…- Jimin se encolheu no banco; usava um casaco vermelho escarlate num tecido que lembrava veludo; não sei se tive aquela sensação porque praticamente o vi crescer; mas era como ver a mesma criança fofa que Yoongi e eu conhecemos quando pequenos.

      Estacionei perto de uma das entradas laterais do aeroporto; podia ver alguns carros de imprensa ali parados e algumas pessoas mais a frente como se esperasse apenas que nós chegássemos. Desci do carro e logo Soo apareceu com o guarda-chuva nos cobrindo; ofereceu outro a JungKook que abraçou o namorado assim que recebeu.

-Seu pai ligou; pediu que falasse com a impresa…

-Porque? Agora? - perguntei achando aquilo desnecessário.

-Eles precisam de uma palavra sua; a cidade está um caos, recebemos relatórios… - Soo olhava para o céu com os olhos brilhando; marejados - acabamos de perder dez homens num confronto na fronteira… não temos como ficar fugindo da curiosidade deles. - respirou fundo - Kim SeokJin havia mandado mantimentos pra abastecer a cidade; não vai durar por muito tempo…- pensei um pouco; olhei para as pessoas do outro lado do pavilhão esperando que um de nós aparece.

-Kim Taehyung está aqui?

-Ele acabou de chegar; mas não foi ver o irmão ainda…

-Tudo bem… Jimin! - chamei, ele estava me esperando próximo dali.

-Hm? - voltou a ficar ao meu lado - o que vai fazer? - apontou para os jornalistas próximo de nós.

- Vou falar com eles, não deve ser tão difícil - na verdade era sim, dar uma resposta quando as pessoas esperavam que você já agisse como um líder era sim difícil.

-Não devia ir com Jin hyung? - JungKook perguntou.

-Não; ele não está acostumado com isso… melhor não. Vamos entrar… - andei até uma parte coberta do estacionamento; Soo fechou o guarda-chuva mas se manteve ao meu lado - Jiminie; vá até onde Jin está e peça que eles saiam com ele pelo outro lado… - ele assentiu - Soo; aqui as chaves, leve o meu carro até lá…

-Pensei que iriam usar o carro da segurança...

-Não; prefiro ir no meu…- sai assim que ele concordou; JungKook segurou a mão do namorado e foi em direção ao outro andar onde Soo havia dito que Jin estava…- Lá vamos nós… - falei pra mim mesmo caminhado até o amontoado de jornalistas; podia sentir os flashes refletir em meus olhos; uma sensação péssima mas nada que já não estivesse me acostumando. Dois homens ficaram ao meu lado alguns minutos depois e pude perceber que eram apenas os seguranças novamente.

"Kim NamJoon como se sente em relação a ter que dividir a liderança com seu primo?", "É verídico que ele foi dado como morto pela sua família?", " quando irá acontecer a cerimônia?", "Pretende fazer alianças com outras organizações?", "Como está a relação da TreeF com Kim Yul?"…

    Foram algumas das perguntas feitas ali; passaram alguns longos minutos de respostas curtas minhas; me despedi educadamente ao sentir meu celular tocar pela terceira vez seguida. Acenei para que os seguranças me seguissem, retirei o celular do bolso atendendo.

-Namjoon? - Soo falou com tom nervoso - Temos um problema…

-O que houve? - passei as mãos pelas têmporas torcendo pra ser algo bobo.

- O carro não está aqui; sumiu…-respirei pesadamente andando apressado até onde eu pedi que deixassem o carro - Jin e Jimin estavam nele…- literalmente corri até lá; JungKook andou até mim nervoso…- Eu sai para buscar as malas e deixei eles com um segurança…

-Quem estava naquele carro?!  porque eles sairam cantando pneu daquele jeito? - JungKook deixou dois copos de café em cima de um banco perto de nós.

-Porque não ficou aqui com eles? - perguntei irritado.

-Jin me pediu pra ir buscar isso - apontou os cafés…- Onde Tae está? E Jimin?! - perguntou ainda mais nervoso.

-Ligue pra ele, agora! - peguei meu celular discando imediatamente o número de Hoseok.

-NamJoon, o que vai fazer? - Soo perguntou assim que chegou até mim.

-ACHEM AQUELE CARRO! - gritei irritado. - como deixaram ele sozinho?!

-Ele não estava sozinho, tinha seguranças aqui! Eu mesmo os vi aqui…

-Eu não sei quem estava aqui Jeong Soo; mas não era da nossa segurança! - bagunçei meus cabelos; com os fios entrelaçados em meus dedos tentava me acalmar.

-NamJoon! - a voz de Hoseok me chamou; ele descia uma rampa até onde eu estava; com um computador em mãos - cadê Taehyung?! - perguntou afoito.

-Hoseok até onde eu sei o Hacker perseguidor aqui é você… eu que pergunto!

-Eu sabia, - sorriu fracamente - ele desconfiava de alguma coisa…

-Do que está falando?!, Aliás desde quando está aqui? - andei até um outro carro que nos esperava do outro lado do pavilhão; Soo estava na direção e pude ver JungKook sentado ao seu lado; irritado olhando para o próprio celular.

-isso não importa agora…- entrou no carro e abriu o computador - não consigo achar o sinal do celular de Jimin. Não faz sentido! - todos ali estavam tentando entender o que aconteceu exatamente; quem estava no carro? Porque JungKook viu o carro sair tão apressado? Quem estava na direção do meu carro?…


Notas Finais


PRIMEIRAMENTE FORA TEMER....
SEGUNDAMENTE.... ta parei...

PERGUNTA: RESPONDA NOS COMENTÁRIOS - NA SUA OPINIÃO O BEBÊ, FILHO DE NAMJOON; DEVERIA SER MENINO 👶OU MENINA ???👧


Vocês percebem que quase nunca eu peço opinião ou algo do tipo, então sintam-se a vontade pra comentar ❤ 

PANFLETÁRIO:

ESTOU LENDO:

❤The only exception- NAMJIN

https://spiritfanfics.com/historia/the-only-exception-5598352

👑Parabéns Seoyoon; sua fic é fofa  ❤


YOU ARE JUST MY - NAMJIN

https://spiritfanfics.com/historia/you-are-just-my-6916718

👑É de uma das minhas filhas :3 ❤

VOCÊS CURTEM VÍDEO DRAMA (Historia em formato de vídeo?)

🔰VIDEO DRAMA NAMJIN

https://youtu.be/itxQAu_pjj4


🔰TWITTER VÃO LÁ VER MEUS NAMJIN DE CADA DIA 😂❤

Confira 👑 Lorak_NamJin👑 (@Lorak_NamJin): https://twitter.com/Lorak_NamJin?s=09

VOLTO LOGO 😍 KISSUS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...