História Evangelho, segundo Light Yagami - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Death Note
Personagens L Lawliet, Light Yagami, Misa Amane, Personagens Originais
Tags Amor, Death Note, Doces, Kira, Lawlight, Lemon, Lira, Ragatanga, Yaoi
Exibições 61
Palavras 1.901
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oilá diamantezinhos da tia, tudo bem com vcs?

Aproveitando q a minha Bad passou, eu vim postar mais esse capítulo aqui pra vcs. Eu tava escutando What's Up People e depois passou pro Zetsubou Billy ( musica de abertura e final de dn) alto no meu quarto, e eu acho q meu pai deve achar q eu estou ficando doida. Mas fazer o q, eu realmente gosto dessas musicas. E vcs tbm gostam?

E antes de vcs começarem a ler eu quero dar três recadinhos:
Primeiramente: Quero agracer pelos favoritos e os comentarios de vcs. Acho q eu agradeço isso sempre, mas é q eu só quero reforçar a minha gratidão. <3
Segundamente: Oilá para todos os novos leitores e leitoras q apareceram nesse curto período de tempo. Espero q se sintam a vontade aqui :)
Terceiramente, eu gostaria mt q vcs lessem as notas finais, tenho uma pergunta pra vcs.

Agora podem ler a vontade.

Capítulo 6 - Consequência


Fanfic / Fanfiction Evangelho, segundo Light Yagami - Capítulo 6 - Consequência

Light arrumou suas malas, com tudo o que ele precisava levar na sua mudança para outro país. Roupas, livros e objetos pessoais. Tudo tinha sido muito rápido. Uma hora ele estava deitado na cama e na outra, L tinha ligado avisando que iria busca-lo em duas horas. Depois de deixar tudo pronto, ele caminhou até a sacada do seu quarto, onde se debruçou sentindo a leve brisa da tarde. Olhou para a paisagem, que como ele constatou mais cedo, seria a ultima vez que veria aquele lugar em muito mesmo.

 

Soichiro, Sachiko e Sayu estavam sentados à mesa de refeições na cozinha, todos olhando para Light que estava a sua frente. Este por sua vez estava apreensivo, de pé apoiando as mãos na cadeira, onde apertava incessantemente para aliviar a tensão. Light respirava findo, podia jurar que seu coração ia saltar da boca a qualquer momento. Realmente era um assunto delicado de mais, e tinha medo das consequências:

— Otou-san já deve ter falado pra vocês, sobre a minha mudança para a Inglaterra — Light começou a falar, tentando ao máximo esconder seu nervosismo. — Mas acho que ele não falou com quem eu vou.

— Falou sim, é com um colega seu, não é? — perguntou Sayu curiosa.

— Isso, ele é um colega da minha universidade — continuou ele. — Ele é de lá, e me convidou para ir junto morar com ele.

— Intercambio? — perguntou Sachiko, mas ela não deu oportunidade do filho responder. — Estudar em outro país vai ser ótimo para seu currículo, Raito.

— Não, não é intercambio — o estudante respirou fundo, sentindo uma pontada no coração. Ele esperava ter um ataque cardíaco a qualquer momento agora. — Ele me pediu em namoro, Okaa-san.

Ouve um silencio sepulcral na cozinha, Light abaixou a cabeça durante esse tempo, talvez esperando a ajuda do pai. Mas nenhum dos quatro membros da família falaram, todos estavam refletindo as palavras que Light disse:

— Você não vai Raito — Sachiko finalmente falou quebrando o silencio. — Soichiro, como você permite uma coisa dessas?

— Okaa-san não brigue com o otou-san — disse Light levantando a cabeça a olhando. — É uma decisão minha. E eu vou morar com ele.

— Você não vai Raito — o tom de voz de Sachiko aumentou, assustando a todos. — Se você for com esse homem, você nunca mais vai entrar na minha casa.

— Como queira okaa-san — Light suspirou fechando os olhos, em seguida os abriu enquanto começou a caminhar contornando a mesa, em direção a sala. — Vou arrumar as minhas coisas.

 

Os pensamentos de Light foram interrompidos, com a visão de uma luxuosa e imponente limousine, que se aproximava cada vez mais de sua casa. Ele sorriu ao mesmo tempo, que sentiu seu celular vibrar no bolso:

— Sim, eu já estou indo — ele falou desligando o celular em seguida.

— Light — entrou Soichiro no quarto do filho. — O carro que Ryuuzaki mandou esta ai em baixo. Quer ajuda pra levar as coisas?

— Quero sim, obrigada otou-san.

Com a ajuda de seu pai, Light levou suas coisas até a porta de casa. Sayu saiu na porta também, vendo o motorista da limousine colocar as malas no porta malas do veiculo. Assim que terminou, Light andou na direção da sua irmã mais nova:

— Light — ela o chamou dando ele parou na sua frente. — Seu namorado é bonito?

— Bem, ele não é muito comum, na verdade — Light sorriu com a pergunta. — Mas certeza que eu prefiro ele ao Hideki Ryuga.

— Não fique triste com a okaa-san — Sayu o abraçou apertado. — Eu vou abrir a porta pra você e seu namorado quando nos visitar, nii-san.

— Raito — falou Soichiro o abraçando.

— Otou-san? — ele correspondeu desajeitado o abraço, ainda surpreso com a ação inesperada do pai.

— Como eu disse antes — ele falou ainda abraçado ao filho. — Eu confio em você, mas não no Ryuuzaki. Então tenha cuidado.

Light acenou uma ultima vez, ao entrar no carro e ver o motorista fechar a porta. Ao se virar para o outro lado, se deparou com L o olhando. Vê-lo ali deu um grande alivio para Light que sorriu para ele, L vez o mesmo correspondendo o sorriso. Ficaram um tempo se entreolhando, sentindo o carro começar a se mover. Finalmente depois de tudo o que ocorreu, eles poderiam ficar juntos. Sem empecilhos, impedimentos. Seriam L e Light contra o mundo:

— Você não deveria ter vindo, alguém pode ver o seu rosto — falou Light ainda o olhando.

— Você esta triste Raito-kun? Aconteceu algo? — L o analisava com o polegar nos lábios.

— Ah, nada de mais Ryuuzaki — ele suspirou. — Bobagem.

— Você não é o tipo que fica triste por bobagens — o mais velho se virou para o companheiro.

— Minha mãe, ela não aceitou bem o nosso namoro — Light olhou para L, que continuava na mesma posição, sem alterar a sua expressão facial.

— Eu esperava isso do seu pai — o mais velho continuou. — Noventa por cento de não aceitação, por parte de Yagami-san.

— Você analisou até isso? — o mais novo sorriu.

— É bem previsível na verdade — o detetive estendeu a sua outra mão até os cabelos de Light os afagando. — Não se preocupe mais com isso Raito-kun.

— Ah Ryuuzaki — Light falou após algum tempo. — Eu não tive tempo de ligar para Misa. Foi tudo muito rápido.

— Eu já avisei pra ela — respondeu L.

— Ryuuzaki Você não deveria ter feito isso — o estudante o repreendeu. — Eu sou o namorado da Misa

Era — o mais velho o interrompeu, sem se preocupar em disfarçar o seu mau humor. — Agora você é o meu namorado, Raito-kun.

— Certo, não precisa ficar com ciumes —  suspirou Light, mas no fundo estava achando tudo muito engraçado. Finalmente entendeu porque L sempre ficava irritado quando ele ia se encontrar com Misa.

— Não estou com ciumes — L respondeu mordendo o polegar, olhando para frente.

— Mas era eu que deveria terminar o namoro — falou Light após uma pausa. — Já é bem rude terminar o namoro pelo celular, imagina quando nem sou eu que termino.

— Como eu disse antes  — o detetive voltou com a mão a cabeça de Light acariciando novamente. — Você não precisa se preocupar com nada.

 

Misa não tinha noticias de Light a dias, desde que foi pela ultima vez no Q.G. Para piorar, ela também não tinha contatos com Mikame. Light tinha impedido qualquer contato entre os dois, para não comprometer a identidade de Kira. Ele também proibiu as visitas de Misa, para não levantar mais suspeitas, ela deveria esperar pelas ligações dele. Além do namorado, Ryuki não aparecia também. Mesmo que agora ela era a dona do caderno de Ryuki, ele estava agora em posse do promotor. Mas Remu ainda a acompanhava, apesar de ter dado o seu death note para Light, antes de ter perdido memoria pela primeira vez.

Assim que ela chegou em seu apartamento, jogou sua bolsa no chão, e foi até a cozinha e pegou algo pra comer. Decidiu ir até o computador, procurar por noticias sobre o Kira na internet. Se sentou na cadeira e ligou o computador, distraída tomou um susto ao ver a tela totalmente apagada. Logo em seguida, a letra L na fonte old english mt preto em fundo branco, foi visível no monitor.

Aqui é L.

Amane Misa, eu sei que você é o segundo Kira, e que Yagami Raito, é o Kira verdadeiro.

— Raito — Misa arregalou os olhos sentindo um frio na espinha. — O que você fez com ele Ryuuzaki?

Por favor, peço que me chame de L. E não se preocupe com Raito-kun, ele não sofrerá nada, assim como você também não sofrerá. Mas peço antes de mais nada.... Fique longe do Raito-kun.

— Mas Misa ama Raito — ela gritou nervosa para o computador. — L, onde esta o Raito?

Eu o afastei do Japão permanentemente, longe de você e esse seu amor doentio.

— Você que é doentio, sua aberração — ela vociferou. — Eu quero o Raito.

Misa, eu sinto profundo respeito por você, e sei que apesar de tudo, é uma boa garota. Espero que encontre alguém que goste de você como você merece.

— Misa já tem o Raito, não preciso de outra pessoa. Raito me ama — ela rebateu serrando os punhos.

Não Misa, ele nunca te amou de verdade. Raito-kun só te usou para poder concretizar os seus planos, e manter a identidade de Kira oculta. Lamento.

— Quem você pensa que é? Primeiro tira o Raito de Misa, e agora diz essas coisas — Misa sentia seus olhos marejarem, ela sentia tanta raiva de L, que poderia mata-lo. — Eu fiz tudo por ele. Fui o segundo Kira, Misa quase morreu por ele. Essa era a minha recompensa, o amor de Raito.

Misa pela ultima vez, Raito-kun nunca te amou.

Já dei o meu recado, não procure por Yagami Raito. Viva a sua vida em paz. E a proposito, revistamos a sua casa, não à mais nenhum fragmento do death note para você usar contra mim. Eu sei como você pode ser impulsiva.

— L seu desgraçado, eu vou te matar — seus olhos marejavam e um ódio queimou no seu peito.

Não se preocupe, Raito-kun, ele esta bem. Tenha uma boa vida, Amane Misa.

O monitor desligou, voltando sem seguida a mostrar a tela do desk top. Misa foi até o esconderijo do fundo falso da gaveta, onde escondia as folhas soltas do caderno. Assim que ela não viu as folhas lá, começou a bater insistentemente com as mãos sobre a mesa do computador. Ela gritava sem parar, enquanto chorava caindo no chão:

— Como ele se atreve? — ela falou após o ataque de raiva. — Tirar Raito desse jeito de Misa. Invadir a minha casa, e não deixar eu cumprir o meu dever. Ele vai me pagar — Misa levantou do chão, com um punho cerrado, seus olhos estavam vermelhos e brilhavam. — Misa vai matar L custe o que custar. Misa vai achar Raito e juntos, vamos ser os deuses do novo mundo.

 

Light olhava distraído para fora da janela coberto pelo sufilm preto, observando o rosto das pessoas na rua, que olhavam curiosar para o luxuoso veiculo. L permanecia calado, na sua tipica posição com o polegar na boca, e só saiu da sua linha do raciocínio, quando seu celular tocou:

— Sim Watari, ele esta aqui — L falou após atender a chamada. — Sim, já pode liberar para a imprensa.

Light se virou para o mais velho com curiosidade, vendo ele encerrar a ligação e colocar o celular no bolço, voltando a se encolher no seu lugar:

— Finalmente — disse L apático. — Vamos anunciar o termino do caso Kira.

L permaneceu imóvel olhando para o nada. Light seguiu o exemplo e voltou a olhar pela janela, estava aliviado com o termino definido desse caso. Apesar de tudo, ele se sentia grato por ter participado. Isso tinha tirado o seu tédio. Correr risco de vida com um assassino invisível, ser o principal suspeito de ser o serial killer, ficar cinquenta dias preso sem contado com o mundo, participar de uma perseguição de carros em um helicóptero, ficar algemado com o detetive que viria a ser seu namorado. Light sorriu.

Entre todas essas coisas que haviam acontecido, a melhor de todas com toda a certeza, era ter conhecido L. Mesmo com todas as acusações e todas as vezes, que ele tinha perdido a paciência com o detetive. Finalmente alguém que o entendia, alguém que poderia conversar de igual para igual, alguém com mesmo senso de justiça dele, alguém que ele amava verdadeiramente. Light suspirou se recostando no banco. Com toda certeza, sua vida nunca mais seria monótona ao lado de L.


Notas Finais


Puta vida. TA PEGANDO FOGO BICHO! Eita esperamos mts tretas da Misa e L. Agora estou imaginando eles lutando no estilo dragon ball z hahahaha O legal é q como eles estão no Japão, tem mts opções de combate.
L ciumento, é fofo ou estranho? Hj no globo repórter.

Sim, agora eu quero pedir ajuda pra vcs. O q vcs estão achando desse meu Light? Eu to me esforçando ao máximo pra ñ sair mt do personagem, porém contudo entretando, ñ dá pra ver muito do Light bonzinho. Pra mim dois volumes do mangá e aqueles poucos episodios ñ foram o suficiente. Eu realmente acho q até q eu to fazendo o L direito, mas estou com duvidas sobre o Light. Então por favor, se virem uma coisa q ñ condiz com a personalidade do Light (ou L msm), ñ exitem em me falar isso nos comentários, eu ñ mordo (só se vcs quiserem ksjcjsa).

Bjss tia Lucy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...