História Ever Since I Met You - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time, Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Captain Swan, Captainswan, Once Upon A Time, Romance
Visualizações 74
Palavras 1.102
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiee
Espero que gostem desse capítulo

Capítulo 2 - Capítulo 2 - Three Months Ago...


Fanfic / Fanfiction Ever Since I Met You - Capítulo 2 - Capítulo 2 - Three Months Ago...

Pov Charlotte

Acordei na manhã seguinte com a esperança de que tudo fosse apenas um pesadelo. Mas eu estava errada. Foi bem real. Me dei conta disso quando olhei em volta e não vi minha penteadeira branca com detalhes em ouro puro. 

Ouvi passos e fingi ainda estar dormindo. Alguém entrou no "quarto" e caminhou lentamente até mim.

- Pode parar de fingir. Sei que está acordada - era uma voz masculina.

Virei-me para encará-lo. Era praticamente um garoto.

- Então... Como passou a noite? - ele perguntou.

- Maravilhosamente bem. As camas são realmente muito confortáveis - falei sarcástica.

- Ah - ele riu - Claro.

- Então, garoto... Qual seu nome? - perguntei.

- James Rogers Moore. Irmão mais novo do homem que todos chamam de Capitão.

- Bem que eu notei uma semelhança...

- Não sou como ele. Não gosto do que ele está fazendo com você.

- É bom conhecer alguém consciente - falei.

- Qual seu nome, princesa?

- Charlotte. Charlotte Marie Jones.

- Isso soa tão... Real!

- E é! Charlotte era o nome da minha avó materna. E Marie era da avó paterna. Ambas foram Rainhas muito poderosas e que reinaram por um longo tempo.

- Eu adoraria ficar e ouvir mais, alteza, porém, meu irmão não me deixaria impune.

- É claro... - quando ele estava saindo, resolvi perguntar o que estava em minha mente desde que o Capitão abriu a porta do quarto secreto - Qual o nome dele? 

- William. Mas eu o chamo de Will.

 William...

- Obrigada - falei.

Não esqueci meus bons modos só por estar cercada de pessoas que se esqueceram.

Ele saiu e eu fiquei sozinha novamente.

Mas ele não trancou a porta... Mas eu não ia sair de jeito nenhum.

Não tinha nada pra fazer, então resolvi trançar meu cabelo. Minhas belas mechas loiras e sedosas estavam uma bagunça de fios fora do lugar.

Algum tempo depois, a porta abriu, assustando-me. Uma mulher foi jogada no chão.

- ESPERO QUE APRENDA A OBEDECER SEU CAPITÃO, SUA VADIA! - alguém gritou.

A porta foi fechada e trancada.

Fui ajudar a moça. Ela tinha cabelos castanhos e pele morena. Seus olhos pareciam ser de uma cor bem escura. e seus lábios sangravam, assim como sua bochecha.

- Ai minha nossa! Você está bem? - perguntei oferecendo a mão para ajudá-la a se levantar.

Ela deu um tapa em minha mão e me olhou com ódio.

- Eu vou ficar bem. Não preciso da sua ajuda - ela disse se levantando sozinha.

- Como queira. Mas não me olhe com ódio se nunca te fiz nada.

- Tá legal.

Ela se sentou ao meu lado na cama, pressionando a mão contra a barriga.

- Perdão, mas você não parece bem - falei.

- Claro que não estou bem! 

- E por quê?

- Não é da sua conta! - ela disse.

- Bom... Não é. Mas eu sou provavelmente a única pessoa que vai falar com você por um tempo.

- Eu fugi desse lugar três meses atrás.

- Nossa! Mas como você veio parar aqui em primeiro lugar?

- Bem é... Uma longa história.

- Temos bastante tempo.

- Eu era o brinquedinho sexual do Capitão.

- Mas... Você foi sequestrada ou... veio por vontade própria? - perguntei.

- Vim por vontade própria... Eu o conheci em uma taverna em uma madrugada. Ele... me falou coisas tão belas... Eu me apaixonei por ele logo em seguida. Pensei que ele estava apaixonado por mim também mas... Eu... eu estava errada. Eu vim com ele para o navio pensando que iríamos navegar juntos, como em um passeio romântico... Mas assim que chegamos... Ele me olhou com maldade e malícia. Me trancou em uma cela igual a essa e me manteve prisioneira até eu aprender que, quem estava no comando era ele. Ele me queria sob seu controle para ser seu brinquedo. E essa... não era a vida que eu queria. Então... Três meses atrás, enquanto eles bebiam, eu fugi. Corri o quanto pude e encontrei um homem gentil na floresta. Acabei me apaixonando... Só que dessa vez foi recíproco. Nós... tivemos semanas para nos conhecermos e... acabamos ficando juntos... Ficamos íntimos... Muito íntimos... E... nós transamos várias vezes... - ela mordeu o lábio inferior - Só que... Dois dias atrás eu percebi que... carrego um filho! Um filho dele! Quando eu contei ao meu amado a notícia, ele me abraçou e me beijou e... me encheu de carícias... Mas o capitão me encontrou esta manhã - ela olhou para a porta como se quisesse arrancá-la e socar o rosto do Capitão - E me trouxe de volta para esse inferno! Ele soube da minha gravidez e... bem... agora estou aqui... Contando tudo para uma completa estranha... E... esperando o Will decidir como vai me matar.

- Você não vai morrer.

- Qual é, garota... Pare de falar isso... Vai acabar me fazendo acreditar que está falando a verdade. E além do mais... O capitão não precisa mais de mim. Ele já deve ter encontrado outro brinquedinho.

Baixei os olhos, mas ela não pareceu perceber.

- Mas isso não quer dizer que ele vai te matar - falei olhando pra ela.

- Veja... Você não deve ser da vila. Deve ser alguém nobre ou... sei lá! Você não sabe como é viver aqui com Piratas! 

- E James? O garoto parece ser bom.

- Ele é uma boa pessoa. Mas não tem tanto poder aqui. Não como o irmão dele.

- E se eu falar com o Capitão? - sugeri.

Ela riu.

- Boa sorte, garota. Ele é mais duro que uma rocha.

- Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura - falei.

- Esse ditado não é verdadeiro.

- Nunca se sabe. Talvez ele tenha um coração.

- Talvez... Mas se tem, ele nunca mostrou a ninguém.

Levantei-me decidida a falar com o Capitão, mas lembrei que a porta estava trancada.

- Tem alguma outra porta? - perguntei.

- Todas as celas tem mais de uma porta - ela explicou - Por ali - apontou para a parede de madeira.

Fui passando a mão pelas tábuas cheias de farpas até que encontrei algumas tábuas soltas. Passei por elas sem dificuldades e saí da cela.

Fui sorrateiramente até a cabine do Capitão e bati na porta. Como ele não abriu, resolvi entrar. Mas me arrependi depois de um segundo. Vi tudo o que ele escondia... E fiquei com medo.

- O que faz aqui?

Olhei para trás e vi a sombra do Capitão.

Eu estava perdida. Com certeza...

 

 

 


Notas Finais


Bom gente... Eu pretendia atualizar todos os sábados (e é isso que eu quero), mas a inspiração bateu e... Não se pode desperdiçar, não é mesmo? Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...