História Ever Since Paris. (ziam mayne!) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ed Sheeran, Fifth Harmony, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, One Direction, Zayn Malik
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Ed Sheeran, Harry Styles, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Normani Hamilton, Personagens Originais, Zayn Malik
Visualizações 91
Palavras 1.122
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Ficção Científica, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


era pra eu ter atualizado ontem a noite, maaaaassss, eu bebi além da conta e não tinha condições de postar nenhum capítulo.

xx

Capítulo 4 - {quatre.} Oh, non, Liam.


Os pequenos relevos se formavam no papel grosso, as lágrimas cristalinas caíam em cima do papel e Liam não queria se sentir tão idiota por isso. 


Bateu na porta da casa dos Malik e esperou, a porta foi aberta por  Úrsula que deixou cair o livro que estava em suas mãos. 

— Liam? O que faz aqui? — Úrsula indagou o garoto, Liam entregou a carta em suas mãos e virou as costas deixando Úrsula na porta sem entender o que estava acontecendo. 


Zayn havia dito que Liam estava morto. E o que Liam estava fazendo ali? Úrsula correu ao encontro do acastanhado, sua mão segurou o braço do garoto impedindo que andasse.

— Liam, Zayn me contou que você estava morto. O que houve? — Liam sentiu seu corpo gelar, puxou seu braço e abraçou a morena que estava a sua frente.

— Úrsula, entregue essa carta nas mãos de Zayn, por favor. — Liam beijou a testa da garota e saiu do campo de visão da mesma.

Zayn piscou os olhos acostumando com a claridade da luz que vinha das cortinas abertas. Úrsula sussurrou o nome do irmão sonolento, a morena balançou o corpo magro do irmão na tentativa de acordar.

A morena remexeu novamente nas cobertas grossas que cobriam o corpo do irmão, deixou a carta no criado mudo com dois comprimidos e um copo de água e saiu. 


Zayn colocou-se sobre os pés, coçou seus olhos e foi em direção ao banheiro.  Úrsula bateu na porta do banheiro, avisando que estava indo com o seu carro. 


— Não esqueça de tomar seus remédios e ler uma carta que está em cima do seu criado mudo. — Úrsula deu o seu último aviso e saiu do quarto. 


O muçulmano empurrou os remédios com a água gelada, pegou a carta e guardou junto com seu caderno de desenhos e saiu da casa. 


Zayn andava em passos lentos até sua sala, estava atrasado e não tinha muito pressa em assistir aula do professor JR. 


— Licença. — Zayn empurrou a porta da sala e os olhares foram diretamente ao seu, o professor rolou os olhos e deixou que o moreno entrasse na sala de aula. 


— Atrasado sim, sem café jamais. — O quarteto sorriu, Zayn deixou que os amigos pegassem os copos de café e virou seu rosto em direção a janela. Liam acenou ao ver os olhos âmbar em sua direção, Zayn suspirou como uma pessoa apaixonada  ao ver o abdômen desnudo do garoto. 


— Fecha a boca, Zayn. — Zayn rolou os olhos e mostrou seu dedo do meio para o amigo que sorria. 


O papel que cobria a carta foi rasgado rapidamente, os dedos ágeis e o nervosismo faziam o trabalho rapidamente. 


— O que tá escrito, baby? — Niall perguntou apreensivo. Zayn apanhou sua mochila e saiu do refeitório com a carta em mãos.

— Como você ousa, James? — A carta que estava na mão do moreno foi jogada no rosto de Liam. 

— Vamos conversar, Zayn. — Liam segurou o pulso do garoto e o guiou até o estacionamento.   

— Conversar? Não temos o que conversar. — Liam encostou no capô de seu carro e Zayn permaneceu em sua frente. 

— Zayn, eu te amo. —  Era como se o mundo rodasse devagar, Zayn via tudo em câmera lenta. 

— Você não me ama, James. — Zayn sussurrou.

— Por que você não foi em Paris este ano? Nós tínhamos uma promessa, Zayn. —  Liam indagou o garoto que abaixou a cabeça ao ouvir a pergunta. 


— Minha mãe morreu, Liam. Ela estava com câncer terminal. 


Liam esperava uma desculpa esfarrapada como sempre recebia de algumas pessoas, mas não aquilo. Hesitou um pouco e puxou Zayn para um abraço, os braços magros do garoto rodeavam o pescoço de Liam. Zayn deixou que algumas lágrimas grossas escapassem de seus olhos, sentia- se limitado e cansado. 


— Eu entrei em depressão depois da viagem e ela foi um anjo em minha vida. Eu sinto tanto a falta dela. — A voz era abafada e Liam acariciava suas costas. 


— Eu sinto muito, Zayn. Me desculpe por ter deixado você naquele dia, desculpe-me. — O abraço foi desfeito, Zayn limpou as bochechas molhadas e sentou no banco de madeira. 


— Por que você foi embora e só deixou um bilhete? — Liam destravou o carro e chamou por Zayn. 


— Vamos, eu tenho algo para mostrar a você. 


Zayn permaneceu em silêncio todo o caminho, Liam batucava no volante e cantarolava Friends. Estacionou seu carro em frente ao um hospital de câncer que ficava escondido no centro da cidade. 


— O que... O que estamos fazendo aqui, Liam? — Zayn indagou o acastanhado que desceu do carro sem dar nenhuma resposta. 


— Quero que você conheça uma pessoa. 


O hospital era grande e todo azul, Zayn andava com suas mãos dentro da jaqueta e Liam cumprimentava todos e não teve o trabalho de apresentar Zayn. 


— Espere aqui, ok? — Zayn meneou sua cabeça positivamente, Liam empurrou a porta e Zayn pode ouvir alguns murmúrios e risadas de outro garoto.


— Amor, quero que você conheça o Zayn. —  Liam abriu a porta e Zayn entrou no quarto, Juliano bateu suas mãozinhas e sorriu mostrando os poucos dentes que tinha. 


— Tiu Zaine. — Zayn sentou na cama e Juliano o abraçou pelo pescoço, Liam observava toda cena e continha-se em tirar uma foto como recordação.



Esse é Juliano, meu filho. 


O mundo novamente parou para Zayn, sua respiração falhou e sentia seu coração bombear rapidamente. 


Liam tinha um filho com vinte anos?


— Eu tenho que ir. — Juliano formou um bico em seus lábios pela forma que Zayn havia falado, o moreno acenou para a criança e saiu do quarto.


— Zayn, o que houve? — Liam corria em direção ao moreno que andava apressadamente pelos corredores do hospital.


— Eu entendi tudo Liam, eu não passei de uma diversão para você enquanto o seu filho estava aqui o tempo todo. Por quê você me trouxe aqui? Por que você disse que me amava, Liam?  — A voz estava embargada, Liam aproximou de Zayn que recuou para trás.


— Eu adotei Juliano assim que cheguei aqui, ele não tinha família e necessitava de cuidados médicos e eu tinha condições de cuidar dele. Você não foi uma diversão, Zayn entenda isso, você é o amor da minha vida. — Zayn balançou sua cabeça negativamente. 


James, não me procure mais. 


E assim, o garoto de olhos âmbar saiu do hospital com os olhos regados de lágrimas e se sentindo usado e perdido. Liam sentiu suas pernas perderem as forças e sentou na cadeira, encolheu seu corpo e deixou que as grossas lágrimas escapassem de seus olhos amêndoas.


Notas Finais


obrigada por ter chegado até aqui, amo vocês e não esqueçam de comentar e favoritar.

Minha fanfic larry stylinson

https://spiritfanfics.com/historia/forbidden-love-larry-stylinson-em-edicao-7792845

xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...