História Everything happens in Rosewood - Emison - Capítulo 55


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Ashley Marin, Byron Montgomery, Caleb Rivers, Ella Montgomery, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Jason Dilaurentis, Jessica DiLaurentis, Maya St. Germain, Melissa Hastings, Mike Montgomery, Paige McCullers, Pam Fields, Peter Hastings, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh, Veronica Hastings, Wayne Fields, Wren Kingston
Tags Alison, Emily, Emison, Pll, Pretty Little Liars, Romance
Visualizações 596
Palavras 3.154
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Antes de mais nada:
AEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE 300 FAVORITOOOOOOOOOOOOS! VOCÊS SÃO FODA DEMAIS! OBRIGADA MEUS AMOREEEEEEEEEES, POR TUDO!
Voltando a fingir ser uma pessoa normal: Olá pessoinhas, tudo bem? Eu espero que sim!
Me desculpem pela demora, eu sei que não estou postando mais com tanta frequência, mas meus dias andam tão corridos que eu estou quase enlouquecendo! (Brincadeira).
Bom, eu sei que as aulas de muitos leitores voltaram, então acho que não está corrido só para mim, não é mesmo? Eu espero que vocês entendam ok?
Esse capítulo não está tão comprido, mas ele tá legal, eu acho haha. Eu quero muuuuuuito postar capítulo fim de semana e estou torcendo para dar tempo, vamos cruzar os dedos? Obrigada por todos os favoritos e por todos os comentários! Essa fic é nossa, amém? Amém!
Boa leitura meus amores <3

Capítulo 55 - Então vocês são um casal?


Fanfic / Fanfiction Everything happens in Rosewood - Emison - Capítulo 55 - Então vocês são um casal?

POV TOBY

Depois que saímos da loja de autopeças paramos em um posto e compramos um galão de gasolina. Emily estava animada com a moto, mas seu semblante mudou completamente quando questionei sobre a Alison. Mudei de assunto rapidamente, perguntei sobre a escola e eles me contaram sobre o baile que teria em breve, tanto Caleb quanto Emily estavam sem ânimo para isso e eu entendia perfeitamente, bailes de escola geralmente eram um saco. Quando chegamos na casa dos Fields o Caleb nos abandonou, ele entrou com a desculpa de que ajudaria a mãe na cozinha, claro que não acreditamos nele, mas ficamos quietos e fomos mexer na moto. Emily olhava tudo atentamente e me perguntava tudo que queria saber, respondia as suas perguntas com bom humor, mas sem tirar os olhos do que estava fazendo. Troquei a vela de ignição e alguns parafusos que estavam enferrujados, aproveitei para trocar o óleo e encher o tanque de gasolina. Dei uma checada geral quando terminei para confirmar que havia feito tudo, sorri para Emily e balancei a cabeça positivamente.

—Está pronta? – Ela perguntou animada.

—Está! Vamos dar uma volta? – Perguntei sorrindo.

—Meninos, venham almoçar! – Pam gritou a gente da varanda.

—Depois de almoçar… – Ela falou sorrindo de lado.

—Isso, depois! – Concordei e entramos em sua casa. Fui até o banheiro lavar minhas mãos e voltei pra mesa onde todos me esperavam.

—E ai? Terminaram? – Caleb perguntou enquanto servia seu prato.

—Terminamos, só falta testá-la! – Respondi animado.

—Não vejo a hora, estou tão empolgada! – Emily falou dando pequenos pulos na cadeira.

—Isso é bem notável filha! – Pam falou rindo.

—Filha?! – Meu chefe falou um tanto sério.

—Oi pai. – Emily olhou para ele.

—Eu estava vendo alguns papéis no meu escritório enquanto vocês tinham saído e achei uma coisa curiosa no testamento do seu avô! – Wayne falou ainda sério e todos ficamos olhando para ele em silêncio.

—Que coisa? – Emily perguntou apreensiva.

—A moto estava listada em seus bens e ele deixou para uma pessoa em especial. – Wayne olhou para a Pam que o olhava confusa.

—Para quem amor? – Pam perguntou ainda olhando para ele.

—Para a Emily! – Ele falou sorridente.

—Ou seja, Emily teria essa moto de qualquer jeito? – Caleb perguntou.

—Sim! Talvez meu pai tenha adivinhado que Emily seria apaixonada por motos, assim como eu! – Wayne falou orgulhoso.

—Vovô era mesmo esperto pai! Eu adoro motos, pena que não pude ter uma antes… – Emily lamentou.

—Não vamos voltar nesse assunto! Agora você já tem uma e por favor, tome cuidado filha! – Pam falou séria.

—Eu vou tomar cuidado mãe, não se preocupe! – Emily falou sorrindo.

—Sra. Fields, primeiro eu vou testar a moto sem a Emily, assim a senhora fica mais tranquila? – Perguntei olhando para a Pam.

—Fico sim! Eu não sei quanto tempo essa moto ficou parada e confio em você para isso! – Ela falou com um sorriso no rosto. Sorri para ela e terminei de servir meu prato.

—Então está tudo bem! Vamos comer! – Wayne falou sorridente. Almoçamos com uma conversa animada, meu chefe contava uma piada ou outra, o que deixava tudo mais divertido, até mesmo trabalhar. No trabalho ele era exigente quanto aos projetos, mas sempre conseguiu fazer isso com animação. Ele me ensinava diversas coisas com paciência, me fazia rir e ainda me acolhia em sua casa. Eu não podia estar mais feliz, sempre quis trabalhar com o senhor Fields, mas Wayne fazia jus ao nome que seu pai construiu na cidade.

 

 

POV EMILY

Depois do almoço o Toby foi em sua casa com minha moto que segundo ele era uma Harley Davidson. Fui pegar uma jaqueta de couro, meus óculos, meu cartão e minha carteira de motorista, pois ele me levaria para um lugar mais afastado para que eu pegasse prática novamente. Eu só tinha dirigido uma moto quando tirei carta, então eu precisava mesmo de algumas aulinhas. Caleb ficou comigo na calçada esperando o Toby voltar, pedi para que ele fosse conosco, mas ele queria ficar mexendo no computador, então não insisti muito. Tentei ligar para Hanna enquanto esperávamos, mas ela não me atendeu. Elas deviam estar no lago ou fazendo alguma outra coisa que distraísse a Alison. Eu queria tanto saber o que estava acontecendo e o que estava deixando-a daquele jeito, mas ainda estava em dúvida se devia procurá-la quando voltasse. Será que eu devia esperar ela me procurar? Meus pensamentos foram interrompidos pela buzina da moto, olhei pro Toby, sorri e ele tirou o capacete. Assim como eu, ele estava com uma jaqueta de couro. Me despedi do Caleb, corri até a moto, ele me entregou um capacete e me olhou.

—Gostei da jaqueta! – Ele falou sorrindo.

—Gostei da sua também! – Falei e retribui o sorriso.

—Eu peguei os meus antigos capacetes, você pode ficar com eles se quiser! – Ele ofereceu.

—Claro! Quanto te devo por isso? – Perguntei curiosa.

—Você não me deve nada ok? Isso é um presente! – Ele falou sorrindo novamente.

—Me deixa pelo menos te pagar uma cerveja mais tarde? – Insisti com um bico e ele riu.

—Tudo bem! Eu aceito! – Ele falou com as mãos pra cima em sinal de rendição. Sorri satisfeita, dei a volta na moto, coloquei o capacete e subi na garupa. Envolvi meus braços na cintura do Toby, esperei ele colocar o capacete e fiz sinal de positivo com meu polegar. Ele acelerou a moto, começamos a andar devagar e ele foi acelerando aos poucos. Sorria sem parar com os braços em volta do Toby, o vento batia contra meu corpo e nada mais importava nesse momento.

Estávamos longe de casa quando dei por mim, Toby havia pego uma estrada deserta e seguiu até chegarmos em um bairro no meio do nada. Ele estacionou a moto e descemos da mesma. Eu não fazia ideia de onde estava, mas notei que esse lugar era estranhamente calmo, não tinha muitas casas ou pessoas ali.

—Onde estamos? – Perguntei enquanto tirava o capacete.

—Não sei direito, meu pai me trazia aqui para me ensinar a dirigir. – Ele falou dando de ombros.

—Mas ninguém mora aqui? – Perguntei olhando as casas.

—Acho que não, pelo menos eu nunca vi ninguém por aqui. – Ele falou olhando na mesma direção que eu.

—Que estranho! – Falei e olhei para ele.

—Estranho mesmo! – Ele falou e colocou o capacete em um banco de madeira que tinha ali. —Pronta?

—Sempre! – Falei animada. Deixei meu capacete ao lado do seu, arrumei meu óculos no rosto e montei na moto. Tentei equilibrar o peso da moto sozinha, girei a chave e fiz tudo que eu lembrava das minhas aulas de direção. Toby montou na garupa, pousou suas mãos nas próprias coxas e me ajudou no equilíbrio.

—Você se lembra como faz? – Ele perguntou me olhando e eu assenti com a cabeça. —Vamos lá então! – Ele falou sorrindo. Acelerei para poder ouvir a potência do motor e senti meu corpo se arrepiar.

Comecei a soltar a embreagem devagar enquanto tirava meus pés do chão e deixei com que a moto pegasse o embalo. Sorri ao ver que estávamos pegando velocidade, senti o vento batendo em meus rosto e notei que o Toby abriu os braços. Mantive minhas mãos no guidão com força e fui relaxando ao ficar mais confiante. Ficamos a tarde inteira andando de moto, às vezes eu ia na garupa, outras eu dirigia sozinha ou com Toby na garupa. Decidimos ir para o centro da cidade no final do dia, eu fui dirigindo durante o caminho e paramos em frente a um barzinho. Toby entrou para pegar duas cervejas, eu o esperei escorada na moto e olhei meu celular para ver se tinha alguma chamada perdida. Desanimei por não ter nenhum sinal de vida de nenhuma das meninas, Toby cutucou meu ombro enquanto eu encarava a foto da Alison no plano de fundo. Bloqueei meu celular, coloquei no bolso da jaqueta e peguei a cerveja da mão dele, sentamos na calçada, tomei um gole da minha bebida e respirei fundo.

—O que tá rolando entre você e a Spencer? – Perguntei olhando para o Toby. Ele engasgou e riu nervoso enquanto limpava a boca.

—Como assim? – Ele perguntou e eu ri.

—Ela me contou sobre vocês! – Falei e ele sorriu.

—Contou o que? – Ele perguntou com uma cara de idiota.

—Iiiih, tá apaixonado né?! – Falei e começamos a rir.

—Não sei, mas eu gosto dela! Ela é inteligente e curiosa. – Ele falou olhando para mim.

—Curiosa? – Questionei sem entender.

—É, Spencer é diferente das outras garotas que conheci, fora dos padrões de patricinhas, entende? – Ele perguntou e eu ri.

—Entendo! Ela é mesmo fora dos padrões de patricinhas! Eu amo a Spencer do fundo do meu coração Toby e tenho um conselho para te dar. – Falei séria e olhei em direção a rua.

—Que conselho? – Ele indagou curioso.

—Não machuque ela. Se não eu vou atrás de você e te mato! Ai além de sem garota, você fica sem amiga e sem vida também! – Falei e continuei encarando a rua.

—Mas isso não foi um conselho, foi uma ameaça! – Ele protestou.

—Que bom que entendeu! – Falei, olhei para ele e sorri irônica. Ele ficou me encarando preocupado e eu comecei a rir.

—Por um momento eu achei que estivesse falando sério! – Ele falou e começou a rir.

—Mas eu estou! Claro que eu não vou te matar. Mas se machucar a Spencer, vai me machucar também. Entendeu? – Perguntei e ele assentiu com a cabeça.

—Posso te perguntar uma coisa? – Ele questionou.

—Claro! – Falei sorrindo.

—Como estão as coisas entre você e Alison? Notei que ficou desanimada quando perguntei mais cedo. – Ele perguntou direto e reto. Meu coração se apertou e eu encarei seus olhos azuis, assim como os de Ali.

 

 

POV SPENCER

Tínhamos voltado do lago há horas e estávamos preparando o jantar. Hanna resolveu compartilhar sua garrafa de bebida conosco, tomávamos em doses moderadas com refrigerante e falávamos animadamente sobre as férias. Nenhuma de nós tínhamos planos de viagem por enquanto e Mona sugeriu que a gente fizesse algo juntas, concordamos de prontidão, e ficamos de marcar algo.

—Ali, a Spen já te contou sobre Spoby? – Hanna perguntou se aproximando da Alison.

—Spoby? – Alison perguntou curiosa.

—Que isso? – Perguntei.

—Spencer e Toby é igual a Spoby! – Hanna falou e notei que ela já estava levemente alterada.

—Vai dar nomes esquisitos para todos os casais? – Perguntei e arqueei a sobrancelha.

—Huuuuuuuuuuuum, então vocês são um casal? – Hanna perguntou e gargalhou em seguida.

—Cala boca Hanna! E chega de bebida pra você! – Falei e tirei o copo da mão dela.

—Sem graça! – Ela exclamou, sentou na cadeira e cruzou os braços.

—O que eu perdi? – Alison perguntou.

—O que nós perdemos? – Mona falou, parou ao lado dela e riu.

—Ai gente, eu e o Toby nos beijamos, só isso! – Falei e coloquei o copo da Hanna na pia.

—Só isso? Como assim só isso? Queremos detalhes! – Alison exigiu e se sentou em um banco enquanto eu mexia o macarrão na panela. Mona sorriu para mim e eu neguei com a cabeça.

—Não é nada muito sério! Eu e ele corremos juntos, tomamos um sorvete e depois ele me beijou. Satisfeitas? – Falei e elas assentiram com a cabeça.

—Mas como você tem certeza que não é nada muito sério? – Mona perguntou e eu a encarei.

—Não quero criar expectativas, só isso. Tenho medo de quebrar a cara de novo. – Confessei e abaixei a cabeça.

—Spen, você não pode pensar assim! – Alison falou e eu olhei para ela. —Eu sempre fui uma merda em relacionamentos e você sabe bem disso, mas você não pode começar nada com esse tipo de pensamento ok? Permita-se sentir, abra seu coração e deixe esse sentimento se espalhar sem medo! Eu aprendi isso e confesso que foi uma das melhores coisas que eu já fiz! – Ela falou sorrindo.

—Você tem razão! Eu não posso pensar negativo antes mesmo de começar algo! – Falei e Ali assentiu. Eu dando razão a alguém facilmente? Será que é a bebida?

—Isso mesmo! Deixe acontecer e não se feche para os sentimentos que crescerem dentro do seu peito. Não é porque um relacionamento deu errado que todos os outros darão também! – Ela falou confiante e eu sorri pra ela.

—Obrigada Ali! – Agradeci ainda sorrindo. Ela tinha mesmo razão, nenhum relacionamento é igual e as pessoas também. Cada pessoa é diferente da outra e é por isso que não devemos compará-las. Toby era educado, inteligente, gentil e lindo. Eu gostava dele e ele de mim certo? Ou será que não? Ai meu Deus Spencer, pare! Deixe acontecer!

 

 

POV ALISON

Acordei com uma leve dor de cabeça essa manhã, olhei para as meninas e vi todas em suas camas dormindo. Levantei da cama, fiz minha higiene matinal e fui até a cozinha preparar o café. Coloquei a água para ferver e comecei a lavar a louça da noite passada. Enquanto enxaguava os pratos me lembrei da noite em que a Emily me pediu em namoro e sorri involuntariamente. Como não sorrir ao me lembrar de uma das melhores noites da minha vida? Estava começando a sentir saudade da minha sereia e não podia negar isso para mim mesma ou para alguém. Não vou dizer que me arrependo de ter vindo para a cá sem ela, pois eu mentiria. A ausência dela me fez pensar melhor em tudo o que está acontecendo. Eu me acalmei e agora sentindo a falta dela, eu estou disposta a conversar. Não queria falar com ela apenas por obrigação e eu sabia que agora faria isso de coração aberto. Coei o café, peguei uma caneca e fui me sentar na varanda. Aos poucos as meninas foram levantando e se juntando a mim, não fizemos nada nesse domingo além de comer e jogar conversa fora. Hanna estava com um humor bem melhor hoje, Spencer estava mais relaxada, e Mona estava mais entrosada com as meninas. Acho que esse fim de semana no chalé não fez bem só para mim, todas nós estávamos precisando de um tempo. Eu estava feliz de um modo geral, minhas amigas estavam do meu lado e eu sabia que poderia contar com elas. Depois de se relacionar com a Aria, Spencer estava se abrindo novamente para o amor e isso me deixava realmente satisfeita. Eu sentia falta da Aria e torcia para vê-la em breve, mas não sabia quando isso aconteceria. Ainda tinha dois problemas para resolver, as coisas com a Emily e meu pai. Porém, eu sabia qual era o problema que eu queria resolver primeiro. Meu problema era mais como uma solução, tinha um lindo sorriso, usava sempre uma jaqueta de couro, dirigia super bem e seu sobrenome era Fields.

 

 

Já estávamos voltando para casa, Hanna ligou o som em um volume moderado e todas cantávamos as músicas juntas. O carro fez alguns barulhos estranhos, mas ignoramos por um tempo e quando uma fumaça começou a sair pelo capô Spencer parou o carro, e descemos para ver o que podia ser. Mona abriu a parte da frente e mais fumaça saiu dali. Olhamos todas para o motor, era notável um ponto de interrogação na cara de todas nós e uma sensação de desespero se espalhou por meu corpo. Pegamos nossos celulares e tentamos ligar para qualquer tipo de socorro. Infelizmente não tinha nenhum mecânico que conhecíamos disponível e Spencer não conseguiu falar com seus pais.

—Já sei! – Hanna falou, olhamos para ela e ela discou um número.

—Pra quem ela tá ligando? – Perguntei e Spencer deu de ombros.

—Emily? – Hanna falou enquanto se afastava de nós.

—Ela ligou para a Emily? A minha Emily? – Perguntei curiosa.

—Você conhece mais alguma? – Spencer perguntou nervosa encarando o carro.

—Credo, que grossa! – Exclamei.

—Spen, não adianta ficar brava agora, fica calma. – Mona falou e colocou a mão em seu ombro.

—Mas esse carro está dando tanto trabalho nos últimos meses! É impossível não ficar brava! – Spencer falou irritada.

—Invés de dar patada nas pessoas, vende esse carro e compra outro! – Falei e me afastei dela.

—Emily vai dar um jeito de nos buscar! – Hanna falou e todas olhamos para ela.

—Que ótimo! Vamos esperar então. – Mona falou sorridente. Ficamos todas sentadas do lado de fora do carro, o dia estava quente para ficarmos lá dentro. Ainda bem que tinha bastante árvore em volta, assim o sol não torrava nossas peles. Hanna estava começando a surtar por causa dos mosquitos, Mona reclamava de sede e Spencer continuava de cara fechada. Já estava a beira de cometer suicídio quando ouvimos um barulho de moto. Me levantei e encarei a estrada, notei que era uma moto mesmo que vinha em nossa direção. Me afastei para deixar a passagem livre, mas para a minha surpresa o veículo foi diminuindo a velocidade e parou. O motorista era uma mulher, eu conseguia reconhecer pelo corpo, aliás, eu conhecia bem esse corpo.

—Eu não acredito! – Murmurei baixo e encarei a motorista. Emily tirou o capacete, balançou sua cabeça e seus cabelos negros caíram sobre seus ombros.

—Alguém pediu ajuda? – Ela perguntou sorrindo enquanto descia da moto. Fiquei paralisada encarando-a. Ela estava com uma calça preta justa, uma blusa do Nirvana e uma jaqueta de couro. Simplesmente maravilhosa! Mas espera, de quem era essa moto? E desde quando ela dirigia motos?

—Você veio buscar a gente numa moto? – Hanna perguntou irônica.

—Não banana! O Toby está chegando com a caminhonete para guinchar o carro! Eu só vim guiar ele! – Ela falou sorrindo para a Hanna.

—Entendi! Obrigada por vir! – Hanna abriu os braços e elas se abraçaram. Em seguida Emily cumprimentou Spencer e Mona. Me aproximei lentamente e ela sorriu para mim.

—Puta merda. – Sussurrei para mim mesma. Porque ela sempre quebrava todas as minhas barreiras?

—Ooi? – Ela perguntou no lugar de afirmar.

—Oi! – Falei e sorri de lado para ela. Toby chegou com a caminhonete, ele cumprimentou eu e as meninas, e depositou um beijo na bochecha da Spencer. Esperamos ele dar uma olhada no motor enquanto Hanna conversava animada com a Emily. Minha namorada não fez questão nenhuma de ficar perto de mim, de me dar um beijo ou ao menos me abraçar. Será que eu tinha afastado ela? E se eu fui muito grossa e agora ela quer desistir? Mas ela não daria aquele sorriso para mim, daria?

—Bom, eu vou ter que guinchar, quando chegarmos lá eu posso dar uma olhada melhor. – Toby falou sorrindo.

—Eu vou indo, as meninas te guiam de volta, tudo bem? – Emily perguntou para ele.

—Claro! Pode ir parceira! – Toby falou e foi pegar algo na caminhonete. Emily montou na moto, colocou o capacete e senti meu coração apertar no mesmo instante. Ela vai embora sem se despedir de mim?

—Alguém quer ir comigo? – Ela perguntou olhando pra gente mesmo com o capacete na cabeça e estendeu um outro na nossa direção. Todos olharam para mim, eles esperavam uma resposta e eu senti meu ar faltar no peito. Eu tenho medo de motos, será que devo ir? 


Notas Finais


E ai? O que acharam? A Alison vai com a Emily? E o nosso Spoby? É ou não é um casal?
Gente, eu e a @CamrenRari estamos começando uma fic maravilhosaaaa Camren! Se vocês ainda não conhecem o casal ou ainda não leram, eu vou deixar o link aqui nos comentários ok? Um beijo meus amores, até breve <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...