História Everything Has Changed - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais, Selena Gomez
Tags Jelena, Justin Bieber, Selena Gomez
Exibições 390
Palavras 4.530
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente! Me desculpem qualquer erro, boa leitura. ❤

Capítulo 10 - Despite all angry, i still love him.


Fanfic / Fanfiction Everything Has Changed - Capítulo 10 - Despite all angry, i still love him.

Selena Gomez Point Of View.

Eram exatamente cinco horas da manhã quando nossos corpos nus caíram sobre a cama king size de lençóis brancos extremamente macia. Contrariando a lei da física nossos corpos ocupam o mesmo espaço. Sinto suas pernas entrelaçadas nas minhas, seu tronco subindo e descendo por baixo do meu peito desnudo ainda se recuperando do orgasmo que acabara de ter. Nossa respiração ofegante voltando a se normalizar aos poucos após nos entregarmos por inteiro ao prazer excedente de minutos atrás.

Fecho os olhos... abro os olhos... ele continua em silêncio observando o nada. Sua mão continua sobre minha bunda mas não a aperta ou promove qualquer movimento que fazia minutos atrás, ela está ali pelo braço posicionado ao redor do meu corpo. 

Nesse momento tudo parece tão normal, como dois dos muitos amantes do mundo que se encontram na mesma situação que nós. As consequências dos nossos atos parecem inexistentes dentro das quatro paredes que nos rodeiam. Não é como se eu tivesse acabado de transar com meu primo, e sim como fazer sexo com um homem qualquer do qual eu não tenho parentesco algum.

Apesar disso não ser o que parece não é como se eu me importasse com o que realmente é lá fora.

Eu me entreguei e não me arrependo disso, em momento algum, nem sequer por um milésimo de segundo passou pela minha mente algum tipo de remorso.

Como poderia me lamentar por ter me deixado sentir o gosto de Justin, sendo ele tão bom?

— Acho que precisamos de um banho. — A voz rouca dele soando ao pé do meu ouvido me causa um leve arrepio. Sorrio nasal concordando com o que ele fala.

Desencosto-me do seu corpo dando espaço pra que ele se levante, em seguida puxo o lençol de seda ao meu lado jogando o mesmo sobre meu corpo tentando cobrir a nudez do mesmo.

Justin sorri balançando a cabeça de um lado pro outro achando graça do meu pudor.

— Você nunca vai deixar de fazer isso né? — Fala virando-se pra mim em uma pergunta absolutamente retórica já que não espera minha resposta pra prosseguir. — Eu conheço cada parte do seu corpo, Selena. — Gaba-se.

— Como se isso pudesse ser verdade tendo em vista que você só teve a honra de me ver sem roupa duas únicas vezes. — Debocho em um tom provocativo fazendo-o sorrir discordando da minha afirmação.

— Isso não significa que eu não tenha decorado cada curva que seu corpo faz. — Justin diz com um sorriso convencido, se inclina em minha direção e cola seus lábios nos meus com um beijo rápido que me deixa surpresa fazendo-me sorrir assim que ele encerra o beijo com uma mordida de leve no meu lábio inferior.

— Inclusive, essa pinta no seu seio direito é extremamente sexy. — Com um sorriso lascivo esboçado em seus lábios ele faz minha respiração acelerar assim que desce a cabeça e puxa rapidamente parte do tecido sedoso que cobria meu corpo depositando um beijo seguido por uma lambida na região acima do meu peito, exatamente onde a pinta que acaba de mencionar se localiza.

Um gemido automático desprendeu-se das minhas cordas vocais ao sentir sua língua queimar sobre minha pele.

— Acho melhor você ir tomar banho. — Digo tentando conter seu entusiasmo ao vê-lo subir em cima de mim com uma feição maliciosa ao distribuir beijos e mordidas pelo meu pescoço espalhando formigamentos por toda parte.

Eu desejaria aprofundar as carícias, beijá-lo ardentemente, mas já são cinco e meia da manhã, se voltarmos de onde paramos sei que não vou querer parar nunca.

— Tem certeza? — Susurra tentador.

Justin revira os olhos ao ouvir minha confirmação, desiste dos pensamentos devassos que imagino passar pela sua mente nesse exato momento e se levanta em um movimento ágil.

Logo vejo seu corpo nu de pé caminhando até uma porta que imagino ser o banheiro.

Uma perfeita obra-prima. Penso ao vê-lo daquela forma. Cada detalhe da sua musculatura, a bunda branquinha arredondada, até a forma que ele anda com certa marra mexe comigo.

[...]

Coloquei-me de pé assim que acordei, alonguei-me ao levantar da cama, espreguiçando-me com bocejos longos sentindo o sono se esvair do meu corpo.

Agradeci mentalmente por despertar antes de Justin. De jeito nenhum gostaria que ele me visse dessa forma, imagino que meus cabelos estejam em um estado caótico, minha cara deve estar amassada assim como devem estar presentes leves olheiras matinais devido a noite mal dormida.

Olhei para o lado e vi Justin dormindo tranquilamente de bruços trajando apenas uma cueca boxer preta, seus fortes braços tatuados seguravam o travesseiro branco e seu corpo não está coberto, imagino que eu seja culpada por isso.

Me pego suspirando ao admirar a excedente beleza que ele possui.

Sem qualquer maldito defeito.

Paro de observar Justin pra procurar minhas roupas, já que dormi apenas de lingerie. Percorro meu olhar pelo chão do quarto até me deparar com meu vestido jogado no chão e ao lado, meu salto preto, exatamente como deixamos ontem a noite.

Peguei a roupa e fui pro banheiro vestindo-me rapidamente, logo depois, escovo meus dentes e por fim, uso a escova que tinha na bancada para pentear meu cabelo.

Após sair do banheiro, peguei meus saltos e saí descalça. Fecho a porta do quarto lentamente pra não fazer barulho algum que pudesse acordar Justin que permanecia dormindo.

Desço o primeiro lance de escadas em silêncio torcendo pra Ashley já ter acordado já que não quero estar aqui quando Justin se levantar.

Assim que meus pés descalços tocam o piso de mármore da sala ouço risadas vindo da cozinha, poderia reconhecer aquela risada escandalosa a quilômetros de distância. Ashley.

— Bom dia. — Digo ao entrar na cozinha, o cheiro da comida preparada pelas garotas faz meu estômago roncar devido as horas que não ingiro nenhum tipo de alimento.

— Eu sabia que você tinha dormido aqui, safada. — Ashley fala enquanto bate os ovos em um recipiente de vidro, me aproximo do balcão sentando na banqueta do lado oposto ao que as meninas se encontram.

— A madrugada foi muito boa? — Vanessa profere com um sorriso malicioso. — Ouvi alguns gemidos do quarto. Só não sei qual das duas foi.

— Provavelmente foi a Ashley, eu não sou tão escandalosa quanto ela. — Respondo entrando na brincadeira, se isso fosse de fato, uma verdade com certeza Ashley seria a culpada.

— Tem certeza, Selena? Acho que vou perguntar pro Justin. — A loira me provoca ao ouvir a voz dos meninos vindo da sala.

— Você não seria capaz, seria? Eu te mato, Ashley! — Minha voz soa baixa pra que os meninos que entram na cozinha não ouçam.

— Que cheiro gostoso! O que vocês estão fazendo? — Ryan é o primeiro a falar enquanto olha o que as meninas estão preparando.

Justin e Chaz sentam-se ocupando as outras duas banquetas que contém no lado que me encontro.

Agradeço mentalmente por Chaz ter se sentado do meu lado evitando um constrangimento da minha parte se Justin ocupasse o lugar que ele escolheu.

— Acho que vou trazer vocês pra dormirem aqui sempre.

Sorrio ao ouvir o tom brincalhão de Ryan, imagino que normalmente eles não tenham um café da manhã assim tão movimentado.

— Quer dizer que vocês fizeram uma festa e tiveram a ousadia de não me convidar? — A voz enjoada de Hailey ecoa ao entrar pela porta de trás da cozinha, o sorriso presente em seu rosto desaparece assim que seus olhos me encontram, sua expressão de total surpresa seguida pelas sobrancelhas juntas e o cerrar de olhos exibindo a chateação faz com que um sorriso cínico apareça nos meus lábios.

— Selena? — Diz como se ainda não acreditasse que eu estava ali, move-se até estar próxima a ponta do balcão de onde me olha inexpressiva. — Justin não demorou tanto pra conseguir te levar pra cama como imaginei que demoraria. — Sua expressão muda, agora seus traços indicam veementemente o desconforto que minha presença causa. — Acho que subestimei o poder de conquista que ele possui, ou talvez... tenha superestimado sua integridade.

Ashley encara Hailey assim como os outros desacreditando do que a loira acaba de falar.
   
Sei que ela quer me envergonhar mas isso ela não conseguirá, não ouvirei calada suas provocações gratuitas.

— Ele demorou menos do que você imagina já que essa não é a primeira vez que transamos. — Respondo a altura sem pudor algum com um ar superior e um sorriso nos lábios debochando descaradamente da cara da Baldwin.

Hailey me olha hostil, não sei se ela está surpresa por essa não ter sido a primeira vez ou por ter ouvido tais palavras extremamentes provocantes vindas da minha boca.

Justin está tão surpreso quanto os outros, eles se encontram boquiabertos com a minha fala, Ashley sorri como se estivesse orgulhosa por eu ter respondido dessa forma, em seguida pisca o olho pra mim, ela com certeza adorou minha resposta.

— Quem fala o que quer, ouve o que não quer. — Ryan se pronuncia zombeteiro.

— Vocês duas são bonitas demais pra brigar por alguém como o Justin.

Justin sorri ao ouvir as palavras do seu amigo parecendo não se importar com a afirmação de Chaz, ele nem se quer tira a atenção voltada pro celular nas suas mãos.

Apesar de pensar como Chaz, eu não poderia me calar diante de uma provocação como aquela, eu não deixaria barato já que eu não fiz nada pra receber seu comentário maldoso. Acho ridículo brigar por causa de homem mas esse não é o caso, não de minha parte. Eu só respondi dessa forma porque isso seria o que atingiria em cheio o ego inflado que ela possui, e foi dito e feito.

— O que será que dona Pattie acharia disso? Tenho certeza que ela adoraria descobrir que a querida sobrinha, a inocente Selena, faz sexo com seu próprio primo.

Justin desvia a atenção antes presa no eletrônico ao direcionar seu olhar até Hailey, ele parece furioso.

— Isso foi uma ameaça? Hailey, eu não estou a fim de me irritar, então guarde o seu ciúmes idiota e pare de me incomodar. — Justin a censurou usando um tom de voz rígido.

— Isso não foi uma ameaça, mas é uma possibilidade. Você vai se meter em confusão se seus pais descobrirem, o que você acha que os pais dela vão fazer? — Hailey responde com uma mentira deslavada, aquilo obviamente foi uma ameaça.

Apesar de não querer concordar com ela, isso com certeza é uma chance. engulo seco ao imaginar o que meu pai faria. Ele já não vai muito com a cara do Justin, acha que ele não passa de um moleque mimado, se tudo viesse a tona minha vida se transformaria em um inferno.

Isso não pode acontecer, de jeito nenhum.

— Meus pais nunca ficaram sabendo de nenhuma garota que transei. Porque agora seria diferente? Você pode parar de encher a porra do meu saco e calar a boca?

As palavras de Justin surtiram um efeito doloroso e inesperado assim que saíram de sua boca sem se preocupar com o que causariam. Encaro minhas mãos posicionadas sobre minhas pernas tentando evitar que vejam meu rosto. Suponho que minha expressão retrata exatamente o que estou sentindo, mas apesar do meu esforço imagino que todos repararam no poder que aquelas malditas palavras de Justin obtiveram.

Sinto o olhar das meninas sobre mim, como se estivessem com pena, sabendo exatamente a dor que aquilo pode ter me causado.

Eu sei que tudo não passou de sexo mas ouvi-lo dizer isso não foi fácil. Isso não é algo que uma garota gostaria de ouvir depois de transar com um cara.

Mas é isso que eu sou, apenas uma garota com quem ele passou passou uma noite. E ele não passa de um maldito cretino, o único maldito cretino que eu tenha me entregado.

Vanessa anuncia que o café da manhã está pronto cortando o clima chato instaurado há poucos minutos.

[...]

Fazia mais de trinta minutos que Ashley e eu esperávamos a pizza de calabresa pedida por nós na pizzaria mais próxima pra chegar o mais rápido possível. Benson não aguentava mais esperar e demonstrava isso enquanto andava de um lado pro outro ao discar o número da pizzaria querendo saber quanto tempo mais demoraria.

Assim que chamou a primeira vez a campainha soou, ela encerrou a ligação e rapidamente abriu a porta recebendo a pizza que acaba de chegar.

— Eu estou morrendo de fome, poderia comer essa pizza sozinha.

Ashley abriu a caixa da pizza e logo o maravilhoso cheiro se espalhou pela casa.

Encaminhei-me atrás da loira seguindo-a até a cozinha.

— Isso é a oitava maravilha do mundo.

Sorrio concordando com ela, pego um pedaço grande me sentando ao lado de Ashley em volta do balcão preto.

— Agora que já temos comida, você pode me contar sobre tudo o que rolou entre você e o Justin.

Soltei uma gargalhada baixa, eu sabia que ela iria perguntar sobre isso.

— Você sabe muito bem o que rolou, Benson. — Ironizo.

— Onde estava as mãos dele quando ele te beijou?

Reviro os olhos ao perceber que ela não desistiria. Da outra vez, Ashley me obrigou a contar detalhe por detalhe, e mesmo tentando fazê-la desistir, era como tentar convencer uma pedra.

— Hmm... na minha cintura... nos meus peitos... na minha vag...  — Faço um gesto como se estivesse tentando lembrar dos detalhe sórdidos e não termino de falar a última palavra arrancando risadas da loira.

— Entendi.

— Mas quem tem que me contar sobre a noite anterior é você. Vocês transaram?

Ashley sorriu sacana e não precisou de mais nada pra que eu tivesse certeza que eles se divertiram e muito juntos. Na verdade eu só não tinha certeza absoluta que isso havia acontecido pelo receio que Ashley demonstrava, ela tinha medo dele só querer transar com ela e depois agir como da última vez.

— Me conta como foi, agora! — Ordeno.

Ashley começa a falar que apesar de temer a forma que ele agiria depois, na hora ele passou tanta segurança que ela esqueceu de qualquer impensilho que a impedia de fazer o que tanto desejava.

— Amiga, o Ryan nem sabe que vocês já transaram. Acho que você deveria esquecer isso, ele é um cara legal.

Não minto, Ryan pode ser mulherengo mas a forma que ele vem tratando Ashley é diferente. Não é como uma transa qualquer, ele não é o tipo de cara que esperaria pra transar com uma garota se não tivesse algo a mais rolando.

— Eu sei, mas sei lá... eu fico insegura e com medo dele estar brincando comigo.

— Talvez você devesse contar pra ele o que aconteceu, ou isso vai ficar entre vocês e vai acabar impedindo qualquer coisa séria que possa rolar adiante.

Ashley assenti, beberica um pouco do refrigerante do copo de vidro e volta a me olhar como se estivesse querendo me perguntar algo mas não sabe como fazê-lo.

Olho-a encorajando pra que ela fale logo.

— Você não está gostando do Justin está? — Sinto a apreensão no tom da sua voz, como se estivesse temendo minha resposta.

Respiro fundo antes de responder sua pergunta.

— Claro que não, da onde você tirou isso? Nem em mil anos. — Respondo convicta, não sei da onde ela tirou um absurdo desses.

— Sua reação hoje mais cedo contesta sua resposta. Você pareceu se importar demais com o que o Justin falou.

Franzo o cenho irritada com a pertinência de Ashley.

— Aquilo me causou certo incômodo sim e isso eu não posso negar, mas não por nutrir sentimentos pelo Justin sabe? Longe disso, eu sei que tudo não passou de sexo e é isso que é pra mim também mas ouvir as palavras dele soarem com tanta naturalidade fez com que eu me sentisse uma completa idiota, e não me pergunte porque mas aquilo doeu. — Ashley ouve atentamente cada palavra enquanto come o último pedaço da pizza. — Acho que nenhuma mulher gostaria de ouvir que você não passou de mais uma que ele fez sexo, não me importo ou quero ser mais que isso, mas de certa forma é como se eu tivesse sido usada, aquilo me desconcertou porque eu nunca tive que lidar com uma situação dessas.

— Eu te entendo perfeitamente e me sinto aliviada por você não gostar dele. Justin não é o tipo de cara pra você, ou melhor, ele não é o tipo de cara pra mulher alguma.

Meus lábios se abrem soltando uma risada nasal ao ouvir a correção de Ashley, ela está totalmente certa.

Justin é como um quebrador de corações, e como Caitlin havia falado ontem, não vale a pena ter seu coração despedaçado por ele.

— Ele tem tudo o que eu mais repudio  em um homem. Não é como se eu pudesse me apaixonar por ele.

— E tem tudo pra fazer uma mulher ficar de quatro por ele, literalmente.

Ashley enfatiza com um sorriso malicioso nos lábios, nisso eu tenho que concordar. Fisicamente, Justin é um homem que tem o poder de fazer qualquer mulher ficar aos seus pés.

— Não posso negar que ele tem certo charme. — Falo em um tom brincalhão arrancando uma risada alta de Ashley. — Se ele não fosse tão egocêntrico eu poderia me preocupar com a possibilidade de gostar dele.

Me apaixonar por Justin não é algo com que eu me preocupe, até hoje eu só me apaixonei por um homem, e as diferenças existentes entre Charlie e Justin são gritantes. Charlie tem tudo o que eu mais admiro em um cara, já Justin, além de não ter nada admirável só mostrou até agora como é um escroto cretino, o ar de superioridade que exala dele me incomoda assim como várias outras coisas que eu poderia listar até amanhã.

Imagino que muitas mulheres já se apaixonaram por Justin, mas com certeza elas gostaram da sua aparência física, ignorando os múltiplos defeitos que sua personalidade possui.

Eu não poderia ou conseguiria me apaixonar por alguém que só contém atrativos físicos e ser por dentro tão vazio a ponto de não ter nada pra oferecer, e é exatamente assim que eu enxergo Justin.

— Domingo vai ter a festa de aniversário do meu pai, você está sendo intimada a comparecer.

Digo deixando claro que ela não tem escolha. Esse tipo de festa é sempre chata, meus pais vão ficar me apresentando pros novos amigos e eu terei que ficar conversando sobre os típicos assuntos chatos que rolam entre eles se ela não estiver aqui.

[...]

Sábado, 11h20min A.M

— Selena, acorda! — Essa era a segunda ou terceira vez que Mandy me chamava e era totalmente ignorada por mim enquanto finjo estar dormindo.

— Eu não tenho a vida toda, Selena. Vamos, levanta agora.

Ela parece não se cansar, mas que merda!

Hoje é sábado e eu deveria poder acordar a hora que eu quisesse e definitivamente não quero acordar agora.

— Eu tenho uma surpresa pra você. — Diz tentando me convencer, com certeza isso não passa de um truque e eu não sou idiota de cair no seu papo furado.

Ao perceber que eu não dei a mínima pra sua surpresa bufa raivosa puxando as cortinas brancas fazendo o sol que queima lá fora brilhar dentro do meu quarto.

— O que está acontecendo com você? Vamos, tem alguém te esperando lá embaixo. — A voz de Mandy se normalizou mas logo sou surpreendida pelo cobertor sendo puxado abruptamente deixando meu corpo sem proteção alguma.

— Mãe, não me importo com quem está ai. Avisa que eu estou morrendo de dor de cabeça e que volte mais tarde.

Falo e enterro minha cabeça no travesseiro macio demonstrando que não estou a fim de levantar-me.

— Como quiser, ele vai subir em 15 minutos, acho que você não vai querer que ele te veja dessa forma. — Diz e se retira do quarto deixando-me confusa.

Me levanto, ou melhor, me arrasto indo até o banheiro escovar meus dentes. Não sei quem pode ser esse tal "ele", e se isso for uma mentira que minha mãe usou pra me convencer ela tá ferrada.

Escovo os dentes depressa, lavo o rosto, visto uma calça jeans e uma camiseta qualquer.

Saio do meu quarto em passos rápidos e desço as escadas com pressa devido a curiosidade que me consome. Não tenho ideia de quem possa estar me esperando, poderia imaginar que seria Ashley ou Vanessa, mas segundo minha mãe é um homem.

Um nó se prende em minha garganta ao pensar na possibilidade de Justin ser a pessoa que me aguarda, mesmo que isso não faça sentido algum, ele é o primeiro e único nome que se passa pela minha cabeça.

Assim que dou os primeiros passos pela sala a procura de quem me espera ouço a risada do meu pai vindo do outro lado em seguida ouço ele chamar por um nome que me provoca arrepios, franzo o cenho desacreditando do que acabei de ouvir, isso só poder ser coisa da minha cabeça.

Faço o caminho contrário ao que eu fazia anteriormente cruzando a sala até descer alguns degraus que divide o ambiente, assim que meus olhos se direcionam pro fim da sala de jantar minhas pernas tremem ao perceber que de fato, eu tinha ouvido perfeitamente bem antes.

Ele está bem ali, sentado na mesa tomando café da manhã com meus pais.

Meu corpo parece não ter forças pra continuar a se locomover tendo em vista que assim que o vi minhas pernas pararam de se mover.

Tudo dentro de mim parece remexer, meu coração treme assim como meu estômago que revira aceleradamente causando-me um desconforto horrível.

Isso só pode ser uma loucura, uma alucinação, não tem chance alguma de ser ele.

Não pode ser.

O que Charlie poderia estar fazendo aqui?

— Selena?

A voz de minha mãe me faz voltar a mim, respiro fundo e tomo coragem ao caminhar até onde eles se encontram.

Sento-me sozinha, do lado oposto ao que minha mãe e Charlie estão.

Não sei como agir ou o que falar, não sei se devo sorrir ou ignorar sua presença. Eu nem ao menos sei se estou feliz ou chateada por ele estar aqui, estou tomada por um turbilhão de sentimentos, presa em um estado caótico que leva a vários questionamentos totalmente distintos.

— Gostou da surpresa? Charlie pediu pra não te avisar, ele queria te surpreender.

Meu pai fala como se não soubesse o que se passa entre em mim e Charlie, e na verdade ele não sabe. Ele pensa que continuamos juntos, inclusive, brigou várias vezes comigo por achar que pra uma mulher que tinha namorado eu estava saindo demais. E, por causa da minha covardia eu não sabia como contar o que verdadeiramente estava acontecendo.

— Selena nunca gostou de surpresas mas eu sempre gostei de contrariar.

Charlie se pronuncia pela primeira, sinto meu coração bombear rapidamente ao ouvir aquela voz, uma voz conhecida, talvez um pouco mais grave, mas mesmo assim reconhecível.

— Eu não esperava te ver. — Minha voz soa com certa rispidez fazendo meu pai me olhar com cara feia. — Quer dizer, isso foi realmente inesperado.

Dessa vez minha voz sai menos ríspida mas nada tão diferente de antes.

Meu pai parece confuso com a minha reação, minha mãe sabe exatamente o que aconteceu entre Charlie e eu mas isso não impede que ela esteja surpresa com a forma ríspida que meu tom de voz saiu.

— Selena sentiu muito a sua falta. Todos nós sentimos. — Brian fala amigável esboçando um sorriso sincero enquanto bebe um pouco do suco de laranja.

— Eu também senti falta de vocês, principalmente da Selena. Não imaginei que sofreria tanto com sua partida. — Charlie fala a última frase totalmente direcionado pra mim, com um tom sofrido que me faz olhar desacreditando da sua falsidade.

Ele deveria ter vergonha de dizer tais palavras como se isso fosse verdade, como se ele não tivesse me ignorado todos os dias agindo como se os quatro anos que passamos juntos tivessem virado pó.

— Eu imagino como você sentiu minha falta, suas mensagens diárias demonstravam exatamente a dor que você deve ter sentindo com minha ausência.

Digo com um cinismo escancarado, cada palavra que saía da minha boca transbordava fingimento sem me importar com a carranca que meu pai colocava no rosto.

— Acho que vocês precisam conversar. — Mandy intervém tentando cortar o clima chato que se instaurou.

— Podemos ir lá pra cima? — Charlie questiona já se levantando da cadeira, saio sem responder e ele me segue em silêncio.

— Podemos conversar aqui. — Digo encarando-o nervosa ao chegarmos na cozinha.

Charlie se posiciona na minha frente e respira fundo antes de começar a falar.

— Selena, você sabe que eu te amo mais que tudo então não duvide de como eu senti sua falta todos os dias, era como se nada tivesse sentindo sem você.

Sorrio nasal debochando da fala ensaiada que Charlie profere.

— Você tem um jeito diferente de sentir saudade não acha? Enquanto eu te ligava, mandava mensagem, você ignorava todas elas. Agora vem dizer que sentiu minha falta? Por favor, não seja tão hipócrita.

Cuspo as palavras alteradando minha voz automaticamente ao ser consumida pela raiva.

Enquanto eu chorava e entrava em desespero por não saber o motivo de ter sido ignorada, eu me perguntava por que ele estava fazendo isso comigo. Não conseguia entender a razão de tanta indiferença, não queria aceitar que o motivo dele não me atender mais era por não querer mais falar comigo.

Porque se quisesse, se realmente tivesse sentido minha falta como alega teria me respondido.

Por mais cruel e dolorosa que aquilo parecia ser, por mais que meu coração tentasse pensar em uma justificativa pra explicar suas ações e alimentar minha ilusão de que ele não deixou de me amar eu comecei a aceitar que isso tinha acontecido. E agora ele volta dizendo que sentiu minha falta, pronto pra me dizer o que eu quero ouvir e citar diversas desculpas padrões que os homens sempre usam nessas horas.

Ver Charlie outra vez trouxe a tona sentimentos e sensações que eu havia trancado e jogado a chave fora. Sentimentos que eu me esforçava todos os dias pra esquecer.

Eu sei que se recuperar de um relacionamento de anos leva tempo, que é natural que alguns sentimentos permaneçam, mas parece que nada mudou.

Apesar de toda raiva, eu ainda o amo. Apesar de parte de mim estar chateada, a outra se encontra saltitante por ver ele outra vez. Apesar de desejar odiar infinitamente o homem a minha frente, eu não conseguiria.

"É difícil me ganhar de volta, tudo simplesmente me leva de volta para quando você estava lá, e uma parte de mim continua apegada, apenas pro caso de ainda existir alguma coisa. Acho que eu ainda me importo, você ainda se importa?"


Notas Finais


E ai, o que acharam? Dêem boas vindas ao mozão Charlie, acho que ele vai causar um pouco.

Charlena ou Jelena? O que vocês acharam da volta dele? e o que esperam que a selena faça? Me conta nos comentários 💕

Até o próximo capítulo, mal posso esperar pra escrever um acontecimento que espero há alguns dias, beijos! 🌹


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...