História Everything has changed (Larry) - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ed Sheeran, Justin Bieber, One Direction
Personagens Ed Sheeran, Harry Styles, Justin Bieber, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Ed Sheeran, Harry, Harry Styles, Josh Devine, Justin, Justin Bieber, Larry, Larry Stylinson, Louis, Louis Tomlinson, Lustin, Ned, Nedsh, Nosh, Zouis
Exibições 35
Palavras 3.623
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorou, mas chegou. Não tive tempo de revisar, mas tá aí!

Capítulo 21 - Podia morar naquele abraço


            Faz um mês desde que Harry se declarou para mim. Desde que eu o abracei naquele corredor de hospital. E desde que eu falei para ele que não sabia se estava pronto para continuar aquela relação. Choramos, ele insistiu, eu pensei em ficar, mas não dava. Estou morando em um apartamento não tão grande, mas também não muito pequeno. Comprei com a grana do apartamento que eu vendi, em Londres. Ah, sobre o escândalo da briga? Bom, eu ainda sou motivo de fofoca, e meu nome agora é “O Garoto que causou tudo isso”, mas vez ou outra eles lembram de me chamar de Louis. Ando tentando me manter o mais incógnito possível. E isso, em Los Angeles é uma tarefa que exige muito gasto de energia.

Tive a notícia de que Justin adiou duas semanas de sua turnê, por conta de todos os hematomas que Harry deixou em seu rosto. O One Direction já tinha voltado para a estrada. Estavam felizes por ter todas as datas esgotadas. A turnê do Ed já havia começado e essa semana, finalmente, viria pra Califórnia. Os meninos também estarão na cidade, já que essa é a época que eles sempre pedem uma semana de folga. Ed veio aqui em casa pela manhã e disse que preferia ficar na na cobertura do Niall. Ele também me avisou que ia rolar uma festa para comemorar que todos estavam tendo sucesso em seus trabalhos. Quase todos, né?! Afinal de contas, Perrie, ex-noiva do Zay, para ser assistente dela. Mas depois de falar com Zayn, pelo telefone, e escutar ele pedindo mil vezes para eu não me envolver com “aquela doida”, recusei. Sou um bom assistente e algumas pessoas me pedem para trabalhar para elas, mas eu acabo dando uma consultoria ou outra, em eventos e fico quieto.

 

<whatsapp on>

Zayn: tá vindo?

Louis: sim, acabei de pegar o uber.

Zayn: o que aconteceu com o seu carro?

Louis: não tô afim de dirigir.

</whatsapp off>

 

Não moro muito longe da cobertura do Niall, por isso o uber não levou mais de 20 minutos para chegar lá. No elevador, encontrei com o Josh, baterista dos meninos. Ele não parecia muito feliz.

- Hey!! – Josh falou, forçando um sorriso e me abraçando.

- Tudo bem?

- Ah, mais ou menos. – ele deu de ombros enquanto respondia. – Festa do Niall com o Ed.....

O elevador chegou e podíamos ouvir a música alta dentro do apartamento. Mas preferi não entrar, segurei o Josh.

- O que aconteceu? – perguntei.

- Ah, você sabe que eu sempre gostei do Ni... Todos sabem. – concordei com a cabeça, quando ele falou, sem olhar para mim. – Rolou de ficarmos juntos nesse mês de turnê. Aliás, sempre ficamos juntos na estrada, mas ninguém fica sabendo.

- Todos ficam sabendo. - interrompi, sorrindo. Ele riu e suspirou, ficando triste de novo. 

- Só que meus sentimentos estão mais fortes e Niall parece estar gostando mais de mim. Mas essa relação dele com o Ed meio que me magoa, afinal de contas, eles são liberais e não tenho cabeça pra ser assim.

- Josh, se você se sente assim, fale com o Niall. – segurei em seus ombros. – Achem uma solução. Não faz merda, igual eu sempre faço.

Ele riu fraco e me olhou.

- E o Harry? – perguntou – O que vocês vão fazer? Ele não anda muito bem. – me assustei.

- Como assim? – perguntei surpreso, porque o Zayn nunca me disse nada. Todas as vezes que perguntei, ele disse que o Harry estava ótimo. 

- Ele não tem dormido, emagreceu muito nesse mês. E só come mesmo, quando sabe que não tem forças pra fazer um show inteiro. – ele me explicou – Depois de você, só os fãs importam, mas nem eles estão animando o Harry. Tá preocupan....

Josh não conseguiu terminar a frase, porque a porta do elevador se abriu e Liam nos viu parados ali. Ele nos cumprimentou e nos arrastou para dentro da festa. Não demoramos para achar o Zayn, que logo puxou o Liam para um canto e enfiou a língua em sua garganta. Josh disse que ia falar com o resto do pessoal, e eu fui procurar o Niall.

- Broooooo! – Ed gritou, ao me ver e correr em minha direção. Ele estava animado, conversando com o Harry e o Niall. – Que saudade!

- Ed, a gente se viu hoje cedo. – falei, enquanto o abraçava. – Não exagera.

Harry, que realmente estava mais magro do que o normal e Niall se aproximaram.

- Amor da minha vida. Metade de OTP do meu Coração Shipper! – Niall se pendurou no meu pescoço. – Como você tá?

Abracei-o, percebendo que o teor alcoólico ali estava alto. Percebi que alguns amigos de Ed haviam chegado e que ele tinha se afastado de nós. Expliquei rapidamente para Niall que tinha chegado junto com Josh e que ele estava chateado. Niall me agradeceu e disse que ia ver o que fazia nessa situação. Ficamos só Harry e eu.

- Se eu te abraçar, vai ser esquisito? – ele perguntou, visivelmente triste. Sem responder, eu o abracei. Senti sem corpo relaxar ao meu toque. Ele respirou fundo contra o meu cabelo e me apertou com força. Acho que posso morar num abraço do Harry Styles. Quando nos soltamos, ele secou algumas lágrimas que caíam de seu rosto.

- Hazz – falei, tentando tocar seu rosto, mas ele não deixou. – Você tá se cuidando?

- Eu tô tentando. – ele fingiu o sorriso. – Relaxa, eu vou sobreviver.

- Não quero você assim, quero você vivo. – falei calmo. – Não gosto desse Harry. – apontei para ele todo.

- Só sobrou esse. – ele deu de ombros.

Peguei sua mão e o levei para o segundo andar. Entramos em um dos quartos vazios. Quando o fizemos, me sentei na cama, e ele fez o mesmo.

- Harry, eu quero que você entenda que não podia simplesmente voltar com você. – falei, quase que em um único fôlego. – Não depois de tanta coisa. Você não pode se meter em escândalo e aquela briga já ia te causar muita dor de cabeça.

- Louis, você acha que eu me importo? – ele falou bravo, se levantando e passando as mãos nos cabelos. – Eu posso me meter em mil confusões por sua causa. Mas saiba que isso aqui está me afetando muito mais. – ele apontou para a distância entre nós. – Lembra que você me disse que não podia estar comigo se eu sempre quisesse te falar “tchau”? Pois é, eu não consigo respirar sem você por perto. Louis, meu corpo desaprendeu as funções normais de sobrevivência, porque você partiu.

Eu suspirei.

- Como eu sempre falei, não vou insistir com nada. Você faz o que quiser. – ele falou. – Pelo menos o Simon está bem feliz com a minha situação atual, afinal de contas, eu peguei tanta mulher pra te esquecer nesse mês, que minha fama de pegador está intacta.

- Como é que é? – ok, agora eu estava bravo e o empurrei contra a parede. – Você o que?

- Louis, eu sou seu para sempre, mas existem métodos para te esquecer. Sabia? – ele me olhou com o rosto de lado, estudando cada expressão do meu rosto.

- Quer dizer que toda vez que eu liguei perguntando pro Zayn se você tava bem, você provavelmente pedia pra ele dizer que sim. E não tem tempo pra comer ou se exercitar, mas tem pra ficar pegando todas as vadias. - nesse ponto eu já gritava e ele começou a rir. – Você é um filho da puta, Styles. Por que você tá rindo?

- Porque você ainda sente algo por mim. – ele respondeu com um sorriso brincando em seus lábios.

- Que?

Ele me segurou, virou nossos corpos e dessa vez eu estava contra a parede. Harry me deu um beijo sedento. Logo me entreguei ao seu toque. Quando ar se fez necessário, ele nos separou.

- Eu não fiquei com ninguém, seu bobo. – Ele falou, colando nossas testas. – Só queria ver sua reação.

Comecei a dar tapas nele.

- Você é louco? – continuei com os tapas e ele não sentia dor, apenas ria. – Sabia que isso podia ter resultados horríveis?

- Tipo você me bater com essa força toda? – ele falou e eu bati mais forte – Hey! Para com isso, porque eu tô fraco.

Parei de bater, me dando conta de que é verdade, ele não tem muito músculo. Quando parei, ele foi até mim e pousou os lábios nos meus. Podia morar naquele abraço.

- Te odeio. – resmunguei.

- Te amo. – ele respondeu. Ficamos um tempo ali, tranquilos, respirando o cheiro um do outro. – Quer voltar para a festa?

Concordei em voltar. Quando estávamos no topo da escada, ouvimos uma gritaria. Josh subiu correndo e Niall veio atrás dele, seguido por Ed.

- Josh! Vamos conversar!!!! – Niall gritou

- Vai se fuder, Horan. – Josh falou, entrando em um dos quartos e fechando a porta.

Ed se aproximou de Niall, que estava encostado na porta, chorando.

- Amor, deixa ele. – Ed falou, abraçando Niall. – Ele nunca vai entender nossa relação. Ninguém entende que você é meu e pronto.

- Sinceramente, Edward. – Niall falou – Tem hora que nem entendo!

Ed pareceu se assustar com a resposta do Niall e se afastou. Harry me puxou para descer as escadas. Ed parou do meu lado.

- Me dá a chave da sua casa. – ele falou para mim. Tirei a chave do bolso e entreguei para ele. Olhei para Harry, que entendeu que eu não podia deixar meu irmão sozinho. Ele me entregou as chaves de seu carro, provavelmente o Zayn falou que eu estava á pé. Eu disse que entregaria na manhã seguinte e ele disse que depois passava para pegar, enquanto eu descia as escadas. Encontrei com o Ed na porta. Com um sinal de mãos me despedi de Liam e Zayn, fazendo sinal com a mão de que ligaria depois.

 

/Niall POV on/

Não conseguia parar de chorar. Josh tinha que entender que a minha relação com o Ed era meio esquisita. Ele tinha que entender que eu só posso ficar com ele, quando estou em turnê. Que se o Ed está presente, somos um casal. Enfim, Josh tem que entender que eu sou uma bagunça ambulante, mesmo gostando muito dele. Muito além, até do que eu posso explicar. Esse mês foi meio complicado para mim, e o Josh me ajudou com o seu jeito romântico e doce. Seu jeito bobo de estar comigo para tudo.

Harry estava ali, sentado do outro lado do corredor, de frente pra mim. Zayn e Liam deram um jeito de por fim na festa, que por sorte estava recheada apenas de amigos próximos. Logo depois, se juntaram a nós. Eles se sentaram ao lado de Harry. E eu só chorava.

- Acho que o amo. – falei entre os soluços, tentando limpar as lágrimas.

- O Josh ou o Ed? – Zayn perguntou e eu comecei a chorar mais forte. Eu não sei responder isso!

- Olha, Ni. – Liam falou. – Estamos aqui pro que der e vier, mas você não pode ficar dividido assim.

- Eu passei por isso com o Louis, aliás, ainda estou passando. E olha pra mim. – Harry falou.

- É você realmente tá um lixo. – falei e Harry me deu um chute de leve, e os demais riram. – O Ed me faz bem, mas não se faz presente, quando não está presente. Dá pra entender?

- Sim. – Zayn falou. – Dá pra entender perfeitamente, Ni. E o Josh?

- O Josh me liga quando está de folga, só pra saber se eu almocei. E uma hora depois, me liga de novo, pra saber como foi meu segundo almoço. E de novo, meia hora depois pra saber se eu já estou pensando na sobremesa.

- PUTA MERDA! – Harry falou – Você come demais mesmo, né!? Caramba! - Mostrei o dedo do meio para ele.

- O Josh me abraça sempre que falo do Ed, ou que ligo para ele e não ouço a melhor das respostas ao meu “te amo”. – dei de ombros, começando a chorar de novo. - Não sei, vocês estão sempre por perto, mas com ele é diferente. Ele tá sempre por perto, mesmo.

- Ni, isso é amor. – Liam falou, sorrindo de leve. – Eu sempre fui assim com o Zayn, e olha como estamos hoje.

Pude ver os dedos deles se entrelaçando com um pouco mais de força. Eles se entreolharam e sorriram.

- Ele é ótimo na cama...

- Não quero detalhes! – Harry falou, tapando os ouvidos. – Já tô na seca faz tempo, migo! Nem fala disso.

Rimos fraco e eu dei me estiquei para dar um leve chute no pé dele.

- Na real, o que aconteceu para ele se trancar aí? – Zayn apontou para a porta do quarto.

- Eu o chamei no canto da festa para dar-lhe um beijo, mesmo com o Ed estava por perto, não queria ficar sem seu gosto nos lábios. – sorri - Mas o Ed viu e acabou dando um empurrão no Josh. E o meu maior erro da noite foi que eu não o defendi, apenas puxei o Ed para longe. Josh veio atrás e perguntou se eu não iria fazer nada. Quando fiquei sem reação e Ed pediu que ele se afastasse, ele subiu. Ed entendeu que a gente teve algo na turnê e veio junto, afirmando que era normal que não nos entendessem. O resto vocês sabem.....

Escutei a porta destrancar. Josh saiu de lá, com o rosto inchado. Me levantei na mesma hora e os meninos imitaram o ato. 

- Eu te ligo tantas vezes, não por me importar com a sua alimentação, mas porque a sua voz me deixa mais tranquilo nos dias de folga. – Ele falou, limpando as lágrimas e ainda soluçando de leve. – Eu te ligo porque isso me faz passar mais rápido por aquele tempo longe de você. Eu te abraço quando você tá triste, porque se fosse eu do outro lado da linha, já teria inventado tele-transporte, para responder todos os “eu te amo” com um beijo. E na cama... – ele riu - ... eu sou só seu, por isso dou o melhor de mim.

Ele começou a caminhar para a escada e eu o segurei. Olhei para os meninos que sorriram fraco e se retiraram. Que bom que a gente se entende com o olhar, né?

- Josh, eu não sei o que te dizer agora. – falei baixo. – Só posso pedir desculpas por ser essa bagunça que você conhece.

- Essa bagunça que eu amo. – ele falou sorrindo e eu sorri de volta.

- Josh, você não me ama. – abracei ele de frente, colando nossas testas. – Você não quer esse cara que vai precisar te ligar todos os dias, que não vai dividir a batatinha frita com você. Você não quer essa coisa aqui.

- Pelo contrário. – ele falou – Eu não desligo o telefone, não durmo, só pra te atender em qualquer fuso-horário. E compro duas batatinhas, pra não dar briga. Ah, e te dou metade da minha.

Não tinha resposta para aquilo. Apenas o beijei.

- Não sei o que fazer em relação ao Ed. – falei fraco, desgrudando nossos beijos. – Porque eu o amo. Você sabe e não quero e nem vou te machucar.

Ele entendeu, me deu um leve selinho e desceu as escadas, indo embora.

PUTA QUE PARIU! Eu, o cara dos OTP’s, agora tô com um dilema de OTP na minha fuça. Isso não devia acontecer!

/Niall POV off/

 

Dirigi com Ed até a minha casa. No caminho ele me explicou o que tinha acontecido. Entramos no apartamento, e Ed se jogou no sofá. Sentei ao seu lado.

- Ed... – falei com receio – Você ama o Niall? – ele demorou mais do que devia para responder com um leve balanço de ombros, como se não soubesse – Porra, Edward Sheeran!

- Eu realmente não sei! – Ele falou – Eu acho que gosto da ideia de ter alguém tão doce sempre ao meu lado, mas não posso afirmar que é amor. – ele me olhou – Se amor é o que você e o Harry tem, ou o que o Liam sente pelo Zayn, eu definitivamente não amo o Niall. Eu amo a ideia de ter o Niall, na real.

- Você precisa falar isso pra ele! – falei mais alto do que devia.

- Calma, bro! – ele falou, me acalmando. – Eu posso até falar, mas não quero perder o Naill. Não para o Josh.

- O Josh gosta dele!!!!

- Eu sei, e ele gosta do Josh, dá pra ver quando ele fala do cara, os olhos brilham – Ed me falou, meio resmungando.

- Então, libera o boy! – falei irônico.

- E eu? Fico com quem? – ele perguntou.

- Fica com o meio mundo que você conquista a cada dia que passa, uai! – respondi, como se fosse óbvio.

- É, vou dar um jeito nisso. – ele falou, olhando para o teto. – Posso dormir aqui hoje? – perguntou.

- Mi casa, su casa, hermano! – respondi.

- Óia, meu irmão agora é bilingue! – rimos juntos. – E o Harry? Se acertou?

- Ah, nos beijamos, mas nada muito certo, eu acho. – falei, pensativo.

- Ele tá mal sem você. – ele falou, andando até a cozinha e pegando uma garrafa de água mineral na geladeira. – Você tá mal sem ele. Junta as peças.

- É, eu sei. – falei – Amanhã, quando for devolver o carro, eu falo com ele.

- Não tem o que falar! Tem o que transar! – Ed olhou para mim, sorrindo malicioso.  – Vocês dois na seca ficam com aparência de doente. – joguei uma almofada na cara dele, que sorriu.

- Quem te garante que não transei com ninguém? – perguntei

- O Justin tá em turnê e não deve querendo ver você nem pintado de ouro. – ele começou a listar nos dedos – O Zayn tá comprometido. A gente não dorme junto. O Nick, aquele crush gostoso que você tinha, tá comprometido. O Stan tá casado e em Londres. Bom, só sobrou o Harry, que é o que te faz mais feliz. E esse, você não pega por ser um cabeça dura.

- Não é por ser cabeça dura! – falei, escondendo meu rosto nas mãos. – É por achar que estou acabando com a banda dele!

- Olha, eu vou dormir. – Ed falou caminhando para um dos quartos. – Você pode ficar aí, achando que é o motivo da tristeza ou do fim da banda alheia. E eu, vou pensar em um jeito de terminar com o Niall amanhã, pra ver se alguém nesse recinto fica sem peso nas costas.

Fiquei ali, encarando o teto e pensando em como seria mais fácil se todos fossemos anônimos. Sem mídia, sem Simon, sem fãs, só a gente. Meu telefone tocou e me tirou dos meus devaneios.

 

<ligação ON>

- Amor.... quer dizer, Louis? – reconheci a voz de Harry de imediato.

- Eu mesmo. – respondi, sorrindo pelo “amor” do início da ligação.

- Estou saindo da casa do Niall, me passa seu endereço? – ele falou calmamente. – Quero pegar meu carro. Posso?

- Ah, claro. Vou te passar por mensagem. Quando estiver chegando, me avisa que eu desço com a chave.

<ligação OFF>

 

Passei a minha localização pra ele. Fui no meu quarto, troquei a roupa, colocando um moletom quentinho e uma camiseta qualquer. Em poucos minutos e a mensagem foi respondida com um “estou aqui embaixo, do lado do meu carro”. Desci rapidamente. Quando cheguei na entrada do prédio, lá estava ele, encolhido no frio, sem casaco, apenas com seu jeans e camisa de botões. Os cabelos ao vento e nariz vermelho. Posso apertar esse trocinho lindo? Corri até ele.

- Cadê seu casaco? – perguntei e ele sorriu ao tirar a atenção do joguinho do celular.

- Esqueci no Niall, sai com pressa. – ele me abraçou e estava com o corpo gelado. Ouvi que ele soltou um leve gemido de quem se esquenta, parecendo uma criança. Não pude deixar de rir. – Você tá quentinho.

- Eu sei. – falei. – Vamo subir, faço um chá pra você.

Ele aceitou sem pestanejar. Subimos. Abri a porta e dei passagem para ele, que estrou observando o apartamento.

- Lugar legal. – comentou, enquanto se sentava no banco junto ao balcão da cozinha.

- Fiquei sabendo que você arrumou um lugar legal também. – falei, enquanto colocava a água para esquentar. Ele deu de ombros.

- Ah, não é nada demais, mas tem aquela vista que você ama. – ele falou, como se lembrasse de algo muito importante.

- Depois quero ir até lá. – me sentei no banco ao seu lado.

- Você pode ir quando quiser. – ele pareceu se lembrar de algo e começou a mexer nos bolsos, tirando de lá, uma chave, em um pequeno chaveiro em formato de coração. De um lado escrito “hi” e do outro “oops”. – Sua chave da minha casa, mandei fazer. – aposto que eu estava com cara de babaca, porque ele começou a rir. – Quero  você na minha vida para sempre. – ele falou, dando de ombros e sacudindo a chave para que eu pegasse de suas mãos. E eu o fiz.

Me levantei e dei um beijo em seus lábios. Confesso que era pra ser um beijo leve. Mas perdi a razão quando ele pediu passagem pelos meus lábios. Sentir o seu gosto era algo indescritível. De repente a chaleira começou a dar sinal de que a água estava fervendo. Cortei o beijo e fui até, desliguei o fogo e peguei duas canecas no armário. Quando comecei a nos servir, ele me abraçou por trás e me deu um leve beijo na nuca, seguido de uma mordida.

- Você sabe que não preciso mais de chá pra me esquentar, né? – falou, enquanto dava leves chupões no meu pescoço. Parei de nos servir, peguei sua mão e o arrastei para o quarto.

Meu Harry estava aqui, meu só meu! 

 


Notas Finais


Me contem o que acharam???
Niall tem que ficar com o Josh, né? O Ed não o ama e entende isso.
Larry juntinhos! Será que o Louis vai deixar de ser cabeça dura mesmo?
Tenho uma bomba pro próximo capítulo. Vocês nem imaginam... ahhaha
Ia colocar hot nesse, mas preferi não colocar. Querem pro próximo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...