História Everything Is Blue - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Jackson Whittemore, Kira Yukimura, Lydia Martin, Personagens Originais, Scott McCall, Stiles Stilinski
Tags Scira, Stydia
Exibições 136
Palavras 1.105
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ooooiiie gente linda da minha vida! Como estão? Eu estou ótima!
Eu achei bem difícil escrever esse cap, porque é um hot bem hot! E eu adorei!
Avisei que não seria uma fic tradicional, então se preparem!
Adorei os favoritos e amo os comentários! Amo vcs!
Espero que gostem!
Boa leitura
Beijos, AA ~°~

Capítulo 6 - Sex don't sleep when the lights are off



  -Eu não sou certinho! -Ele faz bico. -Só acho que devia pensar antes de se envolver com outro cara. Sabe que a sociedade não perdoa.

-Eu não ligo. -Eu falo e me aproximo dele.

-Senhor? -A governanta entra na sala e chama. -Me desculpem, a mesa foi colocada.

-Tudo bem. Já vamos. -Stiles fala e sorri. -Vamos, Lydia?

-Sim, claro. -Ele me guia até uma sala de jantar linda e nos sentamos, um de frente para o outro. Conversamos sobre coisas leves, como o clima, a cidade, a empresa. E então acabamos o jantar, e ele me leva até a sala novamente. Me sento no sofá, e ele senta em outro, tentando manter distância.

-Está com medo de mim? -Eu pergunto e sorrio.

-Claro que não. Estou com medo do que posso fazer se não me controlar. -Ele fala baixo.

-Tipo o que? -Pergunto e passo a mão de leve pelo meu vestido.

-Isso é errado, Lydia. Pensa no seu marido. Eu sou solteiro Lydia, e quem vai sair como errada vai ser você. -Ele fala, e passa a mão pelo cabelo, nervoso.

-Tudo bem. Vou embora. -Falo e reviro os olhos. -Nem se preocupe, eu pego um taxi.

-Lydia... -Ele fala e segura meu braço.

-Me solta! -Eu falo e puxo o meu braço. Ele para na minha frente, vejo ele levantar a mão e me encolho, mas ele só passa a mão pelos cabelos.

-O que foi isso? -Ele pergunta e eu faço a minha expressão ficar neutra.

-O que? -Eu pergunto. -Nada, não foi nada.

-Você achou que eu iria te bater? -Ele pergunta e faz uma careta de pura desgosto.

-Eu... Desculpa. -Eu falo baixinho.

-Lydia, eu nunca te machucaria... Nunca. -Ele fala e encosta a testa na minha. -Confia em mim?

-Sim. -Eu sussuro, e estou sendo honesta, eu confio nele, eu só tinha medo de ele ser como Jackson. -Stiles?

-O que? -Ele pergunta de olhos fechados.

-Me beija. -Eu peço, me sentindo estranha por estar pedindo, eu geralmente arrancaria um beijo dele.

-Lydia...

-Por favor... -E então ele me beija. Um beijo gentil e carinhoso, uma coisa não conhecida por mim. Seus lábios finos e macios faziam um carinho gostoso nos meus. Mas eu estava com pressa, eu queria mais, e logo puxei seu pescoço, para o ter mais perto. Ele segura minha cintura com força, me deixando arrepiada e morde meu lábio. Ele me empurra na parede e separa nossas bocas, por falta de ar. Eu já tinha um sorrio enorme estampado no rosto. Era errado, eu sabia disso, mas me sentia bem. -Sabia que beijava bem.

-Faço muitas outras coisas bem. -Ele beija meu pescoço, e eu percebo que ele finalmente entrou no meu jogo.

-Prova. -Eu provoco e ele sorri, e me pega no colo, ele sobe as escadas e nem parece se cansar, ele abre uma porta e entramos. Ele me coloca no chão e me beija de novo. Com as luzes apagadas.

-Eu posso te tocar? -Ele pergunta entre beijos.

-Oh Senhor Stilinski, faça o que quiser comigo. -Eu falo aquele sobrenome com uma voz arrastada e ele me beija novamente. Ele desce as mãos pelas minhas coxas, até a barra do meu vestido, o tirando. Ele liga a luz. Queria me ver.

-Tão linda... -Ele rosna no meu ouvido e tira meu sutiã. Ele beija meu pescoço e aperta meu seio direito com força. Me arrancando um gemido.

-Mas já? Eu ainda nem comecei. -Ele fala e eu rio da sua capacidade de ser safado. Eu o julguei mal. Ele não é tão certinho assim.

-Ah, eu estou louca para ver do que é capaz! -Eu falo e mordo sua orelha.

-Vai gemer tanto esta noite, que amanhã não vai ter voz. -Eu tiro sua blusa, e o olho. Tinha um físico magro, mas definido. O bastante para me deixar excitada. O empurro e vou tirando seu cinto, até que suas pernas batem na borda da cama. Eu o jogo na cama e ele se apoia nos cotovelos, me olhanda. Eu tiro sua calça e vejo o volume na sua cueca.

-Benzinho, já está grande assim e eu nem o toquei ainda. -Ele fecho os olhos e eu me ajoelho. -Ainda.

Coloco a mão por cima de sua cueca e aperto. Um suspiro sai de sua boca. Puxo a cueca preta e a tiro, e tenho a visão de seu membro grande e duro. Passo a mão e faço um vai e vem lento, e ele se joga na cama e geme.

-Lydia... A... Boca... -Ele tenta falar e eu sorrio com aquilo. Em um movimento, eu coloco seu membro na boca, grande parte fica de fora, porque não cabe. Sinto suas mãos nos meus cabelos, forçando minha boca mais e mais. Doia um pouco, mas ouvir meu nome saindo de sua boca era tão bom que eu nem me importei. Ele se despeja em minha boca, e eu engulo, sorrindo. Passo de leve o dedo no canto da boca, e o olho com um olhar sugestivo.

-O que achou, amorzinho? -Eu pergunto e me sento na cama macia.

-Você tem a melhor boca do mundo. Mas agora, eu só quero ouvir meu nome sair dela. -Em um movimento, ele se senta e puxa minhas pernas, me fazendo ficar deitada, e ele se coloca entre minhas pernas.

Ele rasga minha calcinha e sorri. Com o rosto tão perto de minha intimidade, e com a respiração batendo em mim, ele se aproxima ainda mais e passa a língua. Ele aperna minhas pernas e me chupa com força. Eu seguro os lençóis com força e chamo seu nome. Uma, duas, várias vezes. Quando chega perto do meu limite, ele para, e me beija. Sinto o meu próprio gosto e ele o dele. Em segundos, ele entra em mim com força, segurando minhas mãos e se movimentando rápido. Ele vai e vem, e eu já não consigo sentir mais nada a não ser prazer. Ele era melhor do que eu imaginei, e era duas vezes melhor que o meu marido idiota.

Eu já nem sabia o que era a minha voz e o que era a dele. Meus gemidos altos, que tinha certeza que ecoavam por toda a casa, se misturavam com os dele. Erámos uma só pessoa. Um só pecado. Um só amor.

Chego no meu limite e ele no dele segundos depois, ofegando e sem forças. Ele se joga do meu lado e me puxa para perto. Era uma sensação aconchegante.

Então como um tapa no rosto, eu vi a verdade.

-O que eu fiz? -Eu sussuro e me sento. -Eu trai Jackson...


Notas Finais


E ai, o que acharam?
Foi bem intenso e eu espero MUITO que tenha sido bom!
Obrigada a quem favoritar e comentar, importa muito pra mim! Amo vcs!
Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...