História Evil - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Anjos, Bts, Demonios, Got7 2jae, Jikook, Vhope
Exibições 50
Palavras 2.560
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Lemon, Luta, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


To atualizando a essa hora pq não sei se vou ter tempo mais tarde.
gradeço aos comentários que me deixam cada vez mais feliz!

Agora... capitulo importante pq vai explicar atitudes futuras de um certo personagem ai.
dedico o cap as shippers 2jae como eu.
boa leitura.
Desculpe qualquer erro

Capítulo 3 - O juramento de Vingança


Fanfic / Fanfiction Evil - Capítulo 3 - O juramento de Vingança

 

O soco na face alheia foi certeiro, aquela luta já durava a alguns bons minutos e sinceramente já estava cansando. O mais alto, então em um movimente bem calculado, derrubou o moreno um pouco mais baixo que si.

-Por que você sempre tem que deixar tudo mais difícil? – Falou o mais alto entre os dois estendendo a mão para o outro.

-É mais divertido desse jeito Jinie. – O sorriso cínico e bonito estampava a face alheia.

-Sinceramente Im, não sei como Youngjae caiu nessa sua lábia.

-Eu sou irresistível.

-Iludido. – Caminhou até o final do beco checando se não havia ninguém por perto. – Agora o que tem pra mim Jaebum? – Virou-se para o moreno que limpava as roupas.

-Bom, ouvi dizer que o cara lá de baixo está mandando alguém também, não sei quem é ainda, mas suspeito que seja alguém de um certo escalão.

-Está dizendo que ele planeja mandar algum demônio de círculo mais alto?

-Sim, ele não quer se arriscar mandando um peixe pequeno, ao que parece ele está indo com tudo também.

-Isso é ruim. – O mais velho estava preocupado, se Lúcifer sabia sobre as ordens do céu, era por que também tinha algum espião lá em cima, e isso não era uma boa coisa. Precisava entrar em contato com Namjoon urgentemente. – Mais alguma coisa?

-Sim, como ele está? – Seokjin sabia muito bem de quem o Im estava falando.

-Ainda na mesma, estou fazendo o possível para que ele consiga progredir mas seja lá que fez isso com ele, é forte o bastante para impedir que até meus antigos superiores o tragam de volta. – O olhar do Im demonstrava pesar, a quanto tempo esperava o Choi acordar de seu sono? Décadas? Se um dia descobrisse quem no círculo infernal ousou por as mãos em seu Youngjae, o torturaria até o mesmo pedir para o que o mata-se.

-Trarei mais notícias assim que puder. – E assim em meio a nevoa escura Im Jaebum desapareceu.

 O mais velho observou o outro desaparecer e rumou de volta para faculdade, estava atrasado e sinceramente esperava que seu garoto estivesse bem.

 

#~~~~#

 

O intervalo já estava acabando quando avistou Seokjin entrando no refeitório vindo em sua direção.

-Desculpe Jeongguk, não foi minha intenção me atrasar, mas ouve um imprevisto. – O mais velho estava com os cabelos bagunçados e com algumas marcas no braço. Com certeza iria interroga-lo quando estivessem sozinhos.

-Tudo bem hyung. –Sorriu-lhe de maneira falsa e virou-se para apresenta-lo aos outros. – Quero que conheça meus novos colegas, Kim Taehyung que estuda comigo, Jung Hoseok e Park Jimin do departamento de dança. – Apontou para cada um enquanto falava seus nomes.

-É um prazer conhece-los meninos, os amigos do meu maninho aqui são meus também. –Bagunçou s fios loiros do mais novo e sorriu para os demais.

-A beleza deve estar na genética mesmo. – O Kim mais novo falou observando os dois irmãos presentes ali sorrindo.

-Menos Taehyung, bem menos. –A pesar de concordar com o namorando, não poderia deixar ficar enciumado o vendo admirado assim.

-Bom por eu não saímos todos hoje? – O Kim mais novo sugeriu. – Podemos ir beber ou comer alguma coisa.

-Bom eu não posso, tenho um restaurante para cuidar depois da faculdade. –O rosado disse virando-se para o loirinho. – Mas você deve ir Jeongguk, afinal será bom pra você sair um pouco. – Olhou para o mais novo que entendeu o recado implícito indiretamente no olhar do mais velho.

-Eu adoraria.

-Então estamos combinados, podemos nos encontrar naquela boate nova que inaugurou semana passada no centro, estava doido para ir lá. –O loirinho sorria enquanto falava empolgado para os presentes ali.

-Boa ideia Tae, estou doido para por uns passos de dança em pratica.

-Eu não sei onde fica. – O mais novo mostrou uma careta confusa para os mais velhos que o fizeram sorrir.

-Tudo bem, eu sei onde fica. –O ruivo se pronunciou. – Já que somos vizinhos você pode ir comigo hoje à noite.

-Somo vizinhos? – O mais alto se pronunciou se fingindo-se de desentendido.

-Sim, encontrei seu irmão hoje de manhã no elevador. –O ruivo apontou para o de cabelos rosa que concordou.

-ótimo! Então você vai com Jimin e nos encontramos na porta da boate as 21:30 ok?

-Ok – Responderam o ruivo e o loiro mais alto.

 

Depois da conversa os cinco seguiram para seus respectivos departamentos para assistirem as últimas aulas que restavam.

 

#~~~~~#

 

-Então Jin hyung onde você se meteu hoje de tarde? – O mais novo sentou-se em um dos bancos da bancada americana da cozinha. –Não adianta tentar esconder alguma coisa de mim por que eu percebi que algo aconteceu. – O mais velho que antes estava de costas virou-se para o mais novo e suspirou alto.

-Eu fui ver meu informante.

-Informante?

-É, ele é um demônio do quinto círculo demoníaco, está nos ajudando como uma forma de vingança contra os da sua espécie.

-Um demônio trabalhando para o céu? Tem certeza que ele não é um espião duplo, sabe que nunca podemos acreditar em um demônio.

-Podemos se esse demônio for apaixonado por um anjo que foi ferido gravemente pelo inferno.

-Não entendi.

-O demônio em questão se apaixonou por um anjo, esse anjo se chama Choi Youngjae.

 

Nápoles 15 de dezembro de 1990

 

Já fazia algum tempo que observava aquele anjo de longe; nunca antes se atreveu a chegar perto do mesmo, não por medo, mas sim por que preferia observar aquele anjo atrapalhado de longe.

 

-Ahh!! Essa criança vai me deixar louco! – O anjo de cabelos pretos como o carvão e olhos verdes corria atrás da pequena criança a qual cuidava desde do nascimento do mesmo. O pequeno Ricardo corria para lá e para cá atrás de uma borboleta, sem perceber os perigos que corria por se distanciar ainda mais da fazenda da sua família. – O que eu faço com você sua criança arteira? Céus não poderiam ter me designado para uma criança mais calma?

O demônio ria da cara de bravo do pequeno anjo da guarda, estava a algum tempo em cima de uma grande árvore vendo o anjo reclamar. O anjo então ajudou sua pequena criança a voltar para casa e observou quando o pequeno foi recebido de volta com algumas broncas por parte e sua mãe, depois de alguns dizeres severos a pequena criança foi guiada a mesa de piquenique da família e passou a se deliciar com a torta de limão feita por sua avó. O anjo agora ria da lambança que sua criança fazia ao comer a torta, podia sempre reclamar do pequeno Ricardo Montinare, mas amava aquela criança.

O demônio não entendia por que ficava tão hipnotizado pela risada alheia, era como se aquela risada fosse como o alvorecer da manhã.

Talvez aquele tenha sido seu primeiro erro.

 

Era um dia de chuva quando o carro da família Montinare rodopiou na pista, o anjo estava agarrado a criança tentando protege-lo de qualquer forma. Quando o carro parou o anjo buscou ver se sua criança estava bem e viva. Agradeceu ao bom pai por ver que o pequeno ainda respirava, saiu do carro e foi verificar os pais da criança; pode perceber que a mãe do pequeno não estava mais entre os vivos e sentiu a dor que seu pequeno iria ter quando soubesse que perdeu sua amada mãe, seguiu para o pai da criança observando que o mesmo ainda estava vivo porém estava entre a vida e a morte. Tinha que fazer algo ou a criança no banco de trás se tornaria órfã de pai e mãe. No entanto não poderia interferi nos desejos do céu, se já estivesse na hora do homem preso entre as ferragens, nada poderia fazer. Ia se levantar quando viu uma figura parada no meio da estrada. O que identificou sendo um homem maior que si. Emanava uma aura escura percebeu então do que ou melhor quem se tratava. Era um demônio.

-O que faz aqui criatura das trevas? – Falou em meio a chuva que ainda corria incessante. – O homem nada disse, se aproximou do anjo em passos lentos e quando estava a alguns passos, falou com aquela voz fria que não sairia da cabeça do anjo tão cedo.

-Vim fazer um pacto pequeno anjo. – O demônio dirigiu o olhar para o pai da criança vendo o mesmo com os olhos abertos. –Aquele homem ali deseja viver mais do que tudo, ao que parece ele que mais alguns anos com o filho.

-Não deixarei que o faça. –O anjo disse se aproximando mais do demônio.

-Você não pode me impedir –Riu – Ele não irá sobreviver por mais tempo, você protege o filho dele, gostaria de ver a sua criança órfã de pai e mãe? Você sabe o quão amargurado ele pode virar se isso acontecer. – O demônio tinha atingido o ponto certo do anjo, sabia que o de cabelos também pretos amava aquela criança mais que tudo. – Deixe-me dar uma chance aquele velho homem de viver mais alguns anos ao lado do filho.

Estava em conflito, o que deveria fazer? Seguir a ordem certa das coisas e deixar a criança sofrer por anos ou permitir que aquele demônio o ajuda-se? A resposta era clara.

Aquele foi seu primeiro pecado.

Depois daquele dia o demônio sempre aparecia para tentar conversa com anjo, já o mesmo sempre tentava ignorar o máximo os dizeres do ser das trevas.

-O que você quer aqui de novo Im Jaebum? –O anjo perguntou ainda de costas para o outro.

-Pequeno Jae, vim avisar que não poderei vir ver você por algum tempo. –O outro falou vendo o anjo se virar e o encarar. –Espero que sinta saudades. –Sorriu e se aproximou do outro.

-E eu espero que esse tempo seja longo. –O anjo falou se afastando das caricias que o mais velho tentava fazer sem si.

-Sempre tão arisco.

-Sempre tão cheio de si.

-Touché. –E antes de desaparecer o demônio lhe sorriu uma última vez.

Seis meses aviam se passado e nada do demônio, tinha que admitir que sentia falta do mesmo lhe enchendo a paciência, de certa forma era bom ter alguém pra conversa, alguém que podia lhe ver. Nunca entendeu muito bem o que o demônio queria consigo, mas depois de tanto tempo de convivência, começava a desacreditar que o outro pudesse querer lhe fazer algum mal.

Era anoite do sétimo mês que não via mais o demônio, estava sentado em uma arvore observando o garoto de agora dez anos correr pelo jardim da fazenda.

-Como você pôde ficar ainda mais belo depois de alguns meses?

Virou-se para traz vendo a figura imponente do mais velho. Sorriu sem perceber demonstrando o quanto sentia falta da presença alheia.

-Sabe Youngjae se você continuar a sorrir assim não vou mais me segurar. – Disse risonho vendo pela primeira vez um sorriso diferente surgir os lábios do mais novo.

-E quem disse que quero que se segure?

E foi ali em meio a uma noite estrelada que o anjo pecou pela segunda vez

 

Os anos foram passando e o dia do pacto ser cobrado estava finalmente ali, O Choi sabia muito bem do que aquela data se tratava mas se negava a querer acreditar que sua criança, hoje nem tão mais criança assim, ficaria órfão. O menino hoje com 15 anos tinha uma alma boa e ainda pura dos pecados do mundo.

-Jae sei o que está pensando, mas não posso quebrar as regras. – O Im abraçou a cintura do mais novo e depositou um beijo no pescoço alheio.

-Por favor tem que ter um jeito. - Os olhos cheios de lagrimas do mais novo fazia o coração do demônio fraquejar, tinha medo de que se levasse o pai daquela criança seu relacionamento com o Choi regredisse.

- Youngjae eu não posso. –Disse por fim soltando a cintura alheia e se distanciando do mais novo.

-Pode sim, só dessa vez quebre as regras como eu fiz anos atrás naquela noite, e como estou fazendo até hoje por ficar ao seu lado. – Foi até o mais velho o virando para si novamente. –Eu amo você, e se ama do mesmo jeito vai fazer o que estou pedindo.

-Nunca duvide do meu amor Choi Youngjae. – Disse serio olhando nos olhos do mais novo. – Se é isso que você realmente quer, é o que eu farei.

Se soubesse o que aconteceria tempos depois, nunca teria cedido ao mais novo.

Já fazia algum tempo que não via seu pequeno anjo, tinha ido cobrar outros pactos o que o deixou fora por algum tempo, entretanto estava finalmente de volta. Entrou naquela casa já tão conhecida por si e segui até o quarto do garoto, entrou no mesmo e se deparou com a cena que nunca abandonaria sua mente.

O garoto estava deitado na cama coberto de sangue, pelo odor do sangue pode perceber que aquilo já tinha acontecido a algum tempo. Depois do choque da sena entrou ainda mais em desespero ao perceber que seu anjo não estava ali, onde Yougjae teria se metido em um momento desses? Ele nunca deixaria algo assim acontecer com aquela criança. O desespero aumentou ainda mais ao perceber que o anjo não estava em lugar nenhum da casa ou da propriedade, onde estaria seu Jae?

Meses haviam se passado e ainda não sabia onde o Choi tinha se metido, estava agora em café francês observando o movimento do lugar quando uma conversa lhe chamou atenção.

-Da pra acreditar que faz dois meses que aquilo aconteceu?

- Eu soube que ele ainda não acordou.

-Sim. Nenhum dos superiores sabe o que aconteceu com o Choi, seja lá quem fez aquilo, não queria que ele acordasse.

Esperou os dois anjos saírem para segui-los e embosca-los em um beco da cidade parisiense. Derrubou e apagou um anjo deixando o outro imobilizado.

-Quero que me conte o que você e seu amigo estavam falando lá dentro. – Apertou ainda mais o aperto no pescoço do anjo esperando que o mesmo entendesse o recado.

-Estávamos falando do incidente de meses atrás, um anjo foi encontrado inocente na casa de seu protegido, a criança estava morta e o anjo não acordava por nada. Ele foi levado de volta ao céu mais nem os do mais alto escalão conseguem fazê-lo voltar.

-Ele está morto?

-Não, ainda existe vida nele, ele só não acorda.

-Sabem quem fez isso?

- Quem o encontrou relatou uma presença demoníaca na cena, a presença era forte do tipo alto escalão. - O Im soltou o anjo que o encarava agora curioso.

-Por que o interesse nisso? – O outro o perguntou.

-Eu devia um favor a esse anjo.

-Um demônio devendo favores a um anjo? Inacreditável, mas se for mesmo verdade, reze ao anjo Seokjin, é ele que está cuidando do Choi.

 

#~~~~#

 

-Bom depois disso ele me procurou e eu contei tudo que sabia sobre o ocorrido, Jaebum jurou vingança contra os seus e jurou me ajudar se eu trouxesse o seu amado de volta.

-Mas você está aqui agora.

- Youngjae agora é um caído, ele está em uma base hospitalar que cuida de anjos na terra.

-Ele caiu?

-Ele se envolveu com um demônio Jeongguk, podia ser amor, mas ainda era um pecado.

-Entendo, irei conhecer esse Im Jaebum?

-Talvez algum dia.

-Certo acho que depois de toda essa história eu vou tomar um banho e me arrumar, afinal tenho uma festa pra ir.


Notas Finais


espero que estejam gostando unicórnios.
VOCÊS JÁ VIRAM ISSO? EU QUASE TIVE UM TRECO QUANDO O JK DISSE "JIMIN HYNG ESTA SEXY" PELO AMOR DE DEUS ALGUÉM FOCA NESSE JIKOOK!!!!!!!
https://www.youtube.com/watch?v=Mv96MI0fZhQ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...