História Ex-Girlfriend Club - Capítulo 13


Escrita por: ~ e ~Lullaby

Postado
Categorias Kim Woo Bin
Personagens Kim Woo Bin, Personagens Originais
Tags Fic De Fichas, Fic-fichas, Hyein, Interativa, Personagens Fichas
Exibições 18
Palavras 2.516
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello peeps! Tudo bom?? Espero que sim. ell daqui estou eu a postar mais um capitulo e a continuar a história. Como podem ver algumas personagens desapareceram neste capitulo, ou melhor dizendo estão desaparecidas, não é como se as tivesse eliminado totalmente da fanfic lmao.
Mas enfim, desculpem a demora, sabem como é, a vida é complicada uma pessoa nem tempo para respirar encontra, quanto mais para postar, escrever e até ler D8
Mas enfim, espero que gostem e apreciem.
Até às notas finais 8D

Capítulo 13 - 13. Uma mudança


 

Fazia coisa de duas semanas desde que Min Jin tinha desaparecido. E, com isso, o escritório tinha-se tornado um pouco vazio e estranho. Sem falar que muita gente tinha começado a trabalhar novamente.

Min Soo apenas aparecia aos fim-de-semana para se colocar a par dos assuntos e saber que tudo continuava igual. Na Yoon tinha trazido o seu trabalho para o escritório; já que na editora nem sequer tinha uma secretária fixa podia muito bem mudar-se para ali e trabalhar no novo livro que revisava, enquanto fazia pausas para apreciar o nada que o sitio se tinha tornado. Iseul voltava e saía do escritório, sempre com mais papéis; mal se via a mesa de trabalho com a quantidade astronómica de documentos "importantes" que ela lhes colocava em cima. Segundo ela eram todos sobre espécies de insectos que existiam na Coreia do Sul, mais propriamente em Seul. E todos os bichinhos que ela precisava de preparar, ordenar e categorizar para os dois próximos artigos da revista que tinha que entregar no espaço de seis dias - isso é que era viver no limite. Violet também passava imenso tempo no escritório a reler projectos e afins, que eram extremamente privados, já que ambas trabalhavam para editoras rivais.

Soo Jung tinha desaparecido do mapa, segundo informações de Iseul tinha ido viajar com uma amiga nova que tinha encontrado. Por fim, Woo Bin também não passava muito tempo no escritório. 

Yoon suspirou cansada, revendo na mente as últimas semanas. O que é que fosse que tinha acontecido entre aqueles quatro tinha sido guardado a sete chaves. Min tinha desaparecido, o telemóvel estava desligado e nem em casa alguém sabia dela. O noivo, ou melhor, ex-noivo, também não tinha alguma noticia. O que é que tinha acontecido para terminarem? Três semanas atrás estavam a falar de como se tinham encontrado e "apaixonado". Teria sido ali, naqueles momento que tinha reavaliado a sua situação e pensado melhor? Mas isso não explicava as caras marcadas de Soo e Woo, que durante os primeiros dias se evitaram, até Soo Jung decidir ir viajar. E Iseul sabia de tudo. Parecia a pessoa menos atacada e mesmo assim não compartilhava nada com ninguém. Como se já não se soubesse tudo o que há a saber uma das outras com aquele guião. Frustrada, Yoon levantou-se, atacou o frigobar em busca de algum sorvete para comer. Tirou dois de chocolate e não quis oferecer a ninguém. Estava ofendida com todos eles, se iam guardar segredos dela, ela iria guardar os gelado dentro do seu estômago esfomeado. Nada mais justo. 

Woo entrou no escritório sem fazer grande barulho. Viu que faltava Min Soo e ponderou se devia ou não falar naquele momento. Toda a gente parecia estar ocupada, menos Na Yoon.

- Pstt. - Chamou-a. Ela olhou desconfiada com o gelado a meio caminho da boca. Bufou zangada por não ter conseguido dar a primeira dentada ainda. - Vem aqui. - Pediu fazendo gestos com a mão.

Na Yoon levantou-se sem muita vontade e foi até ao corredor com Woo, para saber o que é que ele precisava naquele momento. Se fosse para ela ir buscar alguma coisa ou fazer alguma coisa que tivesse o verbo "mexer", ou derivados, ia levar um redondo não. 

- O que é? - Soou demasiado azeda. 

- O que é que tu tens? - Não esperou que ela respondesse, limitou-se a continuar. - Olha, eu quero trocar umas coisas no guião. - O gelado caiu no chão, formando uma poça viscosa, que manchou gradualmente a carpete. - Aish, estás a fazer tanta porcaria, idiota. 

Na Yoon espetou o que restava do gelado na camisa branca de Woo. Ele resmungou mais alto e ficou completamente chocado, olhando fixamente e de forma cautelosa para Na. 

- Seu idiota. Se tivesses feito isso desde o inicio não estaríamos aqui todas metidas nesta vida. Provavelmente não terias a merda desse queixo a parecer o mapa de Itália e todo o mundo estaria razoavelmente bem na sua vida, sem saber destas coisas todas. - Deu-lhe um pontapé nas canelas. - Homens! Vocês são as coisas mais estúpidas à face da terra. - Bateu-lhe novamente com ainda mais força. 

- Vais parar de massacrar as minhas pernas ou vamos ficar nisto durante horas? - Resmungou Woo, esquivando-se de mais uma investida. - Yoon-ah - pediu. - Por favor. 

- Não, por favor nada. Sabes que merda é estar ali dentro com duas loucas? Elas estão demasiado ocupadas a tentarem viverem a vida delas. Eu estou aqui porque provavelmente não terei mais emprego. - Bufou. - Estou preocupada com o amor da tua vida, que simplesmente fugiu do país e ninguém sabe onde anda. - Olhou de relance para ele. - Por acaso sabes onde anda metida a Min Jin?

- Nem desconfio. - Suspirou cansado. - Os teu problemas são graves, mas acredita que existem pessoas aqui a sofrer ainda mais. - Criticou. - Olha, apenas atira a ideia para dentro da sala quando alguma estiver a fazer uma pausa. - Avançou em direcção do seu escritório, mas antes afagou o topo da cabeça de Na. - Ah! - Voltou-se para trás. - E, se precisares de emprego, podes sempre pedir-me alguma coisa. O que mais precisamos é de revisores e roteiristas. - Sorriu

 

***

Durante a minúscula pausa de almoço que as três tiveram, Na Yoon comentou a ideia com as colegas. Iseul arqueou as sobrancelhas admirada e Violet deixou escapar um pequeno suspiro cansado. 

- Não estaria tudo resolvido e nem estaríamos agora aqui nisto se ele tivesse começado com essa ideia? - Viv recostou-se na cadeira e cruzou os braços frente ao peito. 

- Foi o que eu lhe disse! - Bufou Na, revirando os olhos. - E depois dizem que as mulheres é que são complicadas! 

- Acho que ele mudou de ideias depois da confusão que houve com a Min Jin e o Soo Jung. - Disse Viv olhando depois para Iseul, que se mantinha quieta e calada desde o começo da pausa. - O que se passa contigo exactamente? Estás ainda mais calada que o costume. 

- Acho que traí o meu namorado. - A confissão saiu tão depressa que se chocou consigo própria. 

- Uhhh até que enfim novidades novas! - Na bateu palmas esperançosas. - Conta-nos mais. 

- Com o irmão da Min Soo... 

Na Yoon fez uma pequena dança da vitória enquanto estava sentada. Podia não ter sorte com os seus romances, mas era a melhor cupido de sempre. Agora só faltava ela do grupo. Viv era comprometida e Min Jin estava noiva, achava pelo menos. 

- Para! - Resmungou dando-lhe um pequeno abanão. 

- Já falaram sobre isso? - Iseul abanou a cabeça negando. - Aish isso ainda é pior. Quando é que tencionas contar? - Violet tinha uma expressão mais calma e delicada. Ela sabia que Iseul não era má pessoa. E nunca trairia alguém se tudo estivesse bem com a sua relação.

- Aish. Já é a segunda vez. - Reclamou abanando a cabeça. - Primeiro Min Jin e agora o Matt.

- Min Jin? - Disseram em unissono. 

- Como assim? 

- Tens que explicar essa história de forma clara. - Reclamou Na Yoon. 

- Aish. Eu devia aprender a ficar calada. 

- Oh, saber dessas coisas entretem a minha vida. - Riram-se. 

Iseul começou por perguntar se ninguém tinha dado pela falta de páginas no guião original. Na Yoon acenou que sim e Viv que não. Depois explicou brevemente toda a história. Woo tinha pedido Min em casamento, mas ela tinha dito que não e dado uma volta antes de voltar para o apartamento. Aí soube que o avô faleceu por um conhecido da familia que estava por lá. Woo tinha visto os dois a abraçarem-se e achou que ela o andava a trair. Quando Min voltou ao hotel só encontrou Soo Jung e explicou-lhe as coisas antes de ir embora. 

- E depois disso tudo fica horrível... - Continuou a história. Explicou que o irmão estava apaixonado por Minnie e que decidiu mentir e inventar uma história diferente. No final, Min foi embora para a Coreia, para o funeral do avô, e nunca mais voltou. Woo embebedou-se e Iseul também e acabaram por ter sexo. 

O choque nas caras das duas colegas foi maior do que Iseul esperava. Nem as conseguia olhar como devia ser, sem se sentir envergonhada e culpada. Provavelmente não teriam uma imagem muito boa dela depois de tudo. 

- A Min Jin já sabe disso? - Perguntou Viv. 

- Já.

- E não te matou!? - Na Yoon levou as mãos à boca. 

- Não, e apenas disse que entendia e que sabia que tinha sido algo não proposital e disse todas as coisas certas que eu precisava de ouvir. E eu sei que foram sinceras.

- Ainda estou em choque. E eu a pensar que o meu namoro com ele tinha sido complicado. - Violet suspirou pesadamente, voltando a encostar-se na cadeira. à medida que se ia chocando tinha voltado a estar completamente em cima da mesa. 

- E ela e o Jae acabaram, não foi? - Na Yoon era rápida, tinha compreendido tudo, ou quase tudo. Precisava era de saber o porquê de eles terem terminado. 

- Sim. Ele gostava de outra pessoa. 

- Existe mulher mais perfeita, linda e irresistível que ela!? 

- Ahum... na verdade ele gosta de homens. - O choque ainda se tornou maior com gritos exclamatórios. - E ela sabia. 

- E não se importou!? 

- Até saber a verdade toda, não. Estava completamente bem com o assunto. - Decidiu explicar que eles tinham decido terminar as coisas de forma simpática e amável. Que Jae gostava de outro homem, mas não era capaz de explicar isso a Min Jin e teve que ser ela a puxar o assunto enquanto estava bêbada, depois de falar com Soo Jung e Woo Bin.

- Parece até aquelas fanfictions que recebemos na editora! - Na Yoon explodiu. - Não há melhores histórias que estas... Credo, agora compreendo o mau humor de todo o mundo. - Suspirou. 

 

***

 

Final do dia de trabalho, ou seja lá o que aquilo fosse. Woo fechou a porta do seu escritório privado e olhou para a porta da frente. Um arrepio correu-lhe o corpo e uma vontade de vomitar cresceu dentro de si. E pensar que durante anos chamou a Soo Jung de melhor amigo, pensar que aquela pessoa era capaz de o trair assim tão facilmente por causa de uma mulher. Bufou e suspirou. Podia culpa-lo, podia culpar Min Jin, mas a verdade é que ele também tinha feito coisas erradas para com as outras, principalmente Min Soo e Violet. Elas não tinham merecido os anos de constante desapontamento. Tinha de pedir urgentemente desculpas a cada uma, em separado. Apesar de não ter paciência para ouvir as queixas delas, era o mínimo que podia fazer. Afinal, tinha sido o maior dos idiotas. 

Como que por escolha divina, Min Soo saiu do escritório, fechando a  porta atrás de si. Assustou-se, recuando para trás quando viu Woo Bin.

- Desculpa. - Disse num fio de voz. 

- Não tem mal. Acontece. Também estás de saída? - Sorriu. Tinha um capacete na mão. Iria andar de mota? Talvez aquele barman a viesse buscar. Pelo menos, Soo tinha conseguido seguir em frente... 

- Não, realmente peço desculpa. 

- Do que é que estás a falar? 

- Desculpa pelo passado... - Parecia que sempre que queria falar os seus pulmões encolhiam e o ar tornava-se escasso. Credo nunca pensara que pedir desculpas pudesse doer-lhe tanto. 

- Vamos lá para baixo. Ainda tenho algum tempo. 

Durante a viagem de elevador ficaram calados, ela olhando para os botões do elevador a mudar de cor e Woo para o chão, planeando cuidadosamente todas as palavras que lhe queria dizer e antecipando todos os possiveis comentários de Min Soo. Honestamente, ela não se parecia tanto com a antiga namorada. Estava mais adulta, mais interessante e muito mais mulher, inteligente e reservada. Gostava de pensar que não era culpa dele ela ter-se tornado assim, mas sabia perfeitamente que era dos principais culpados. O seu pé esquerdo batia descompassado no chão revestido de carpete escura. Era suposto ser ao ritmo de alguma melodia, mas apenas acompanhava o bater frenético do seu coração. 

Depois da descida mais longa das suas vidas Min Soo encarregou-se de ir buscar duas bebidas. Colocou as moedas na máquina e retirou duas garrafas de chá gelado, um de frutos silvestres como ela gostava e um de verbena como ele apreciava. Woo agradeceu com um aceno e depois foram para a frente do prédio, sentando-se nos primeiros degraus. 

- Queres explicar-me agora o que estavas a murmurar lá em cima? - Abriu a sua garrafa e bebeu. - Parecia que não querias que ninguém ouvisse. - Olhou para o horizonte. - Mas para tua informação fomos os ultimos a sair. 

- Fomos? Então porque é que não ficamos por lá?

- Tinha medo que fosse algum assunto embaraçoso e assim era mais fácil fugir dele. - Sorriu. - A verdade é que me esqueci do telemóvel e assim consigo ver quando é que o Ryu chega. 

- Ryu é o nome dele? 

- Kang Ryu Wook. - Parecia mais alegre apenas por dizer o nome dele. Woo estava grato ao raio do homem. Tinha tornando a sua tarefa mil e uma vezes mais fácil. 

- Certo. Bem, Min Soo... O que eu estava a dizer é desculpa. Desculpa ter sido um perfeito idiota enquanto namoravamos. Desculpa ter-te sempre comparado com a Min Jin e ter arruinado a nossa vida quando te trai. Desculpa-me todos os erros idiotas e sem sentido. Nem é desculpa, é perdoa-me, por ter sido o pior namorado de todos os tempos, o homem com quem perdeste bons anos de vida e com quem partilhaste mais desgraças que coisas boas. 

- Nem foi tudo mau. - Disse encolhendo os ombros. - A tua mãe foi a mãe que não tive, e tu trouxeste-me de volta a onde pertenço. Sem ti nunca teria acreditado o suficiente em mim para ser médica e não estaria a onde estou se não fosse todo o ódio que nutri por ti depois de termos terminado. Woo, a gente pode escolher a nossa vida, mas não tenho a certeza até que ponto o destino não tem uma mão nisso. Não foste a melhor coisa da minha vida, mas foste uma das coisas que existiu para a tornar melhor. E eu espero realmente que consigas no futuro resolver toda essa mágoa guardada. Espero mesmo. 

Outro sinal dos céus. Ryu parou exactamente naquele momento à entrada do edifício. Deixou o motor ligado enquanto esperava pela namorada. Acenou para Woo Bin com cortesia e depois sorriu para a Min Soo. Deu-lhe um beijo antes de colocar novamente o capacete e depois esperou que Min se instalasse como deve ser para arrancar. Despediaram-se de Woo, que ficou durante mais algum tempo sentando nas escadas.

Afinal não tinha sido tão dramático ou trágico como na sua imaginação. 


Notas Finais


Pronto 8D
Como podem perceber a história começa a fechar algumas pontas soltas, que nos próximos capitulos serão terminadas antes de continuar a história :)
Espero que tenham gostado mesmo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...