História Exato - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Sehun, Suho
Tags Baekyeol, Chanbaek, Exo
Exibições 193
Palavras 1.220
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oeeeeeeee msmznxjhzbskzs oi

To aq suave no quintal, roubando os wifi do vizinho e tal, pa posta esse cap especial (to escrevendo rimando pq sim, pudim) ksjsnzjsjsnznxjz

To postando pelo cell de novo, pq meu pc tá ovo, então a formatação vai tá uma bosta, povo. KBznszn vou parar pq tá estranho amsbsjzks

Enton, relevem os erros e essa formatação, quando meu pc parar de cu doce eu arrumo ela :')

Capítulo 17 - Capítulo 16 - Exo? Não. Mandarino the next door.


Fanfic / Fanfiction Exato - Capítulo 17 - Capítulo 16 - Exo? Não. Mandarino the next door.

     Capitulo 16 – EXO? Não. Mandarino the next door.

     BaekHyun não sabia se ria ou se fazia algo para ajudar SeHun. A situação era... Ridícula para um caralho. Ou para todos os caralhos do mundo.

     Curioso, ChanYeol somente observava. Via o desespero no olhar do Byun.

     “Eu vou p-pedir para o JongIn ligar para ele e então o Zhang irá te ajudar.” BaekHyun dissera e SeHun quase gritou para que não o fizesse.

     “E-e se ele me ver assim?”

     “Vai achar muito sexy.” Então findara a ligação, deixando Oh puto e ChanYeol segurava a crise de risos. Conseguira escutar parte da conversa... Só sobre calcinha e mandarino. Talvez o universo, mundo, Deuses, sei lá, estejam vingando ChanYeol e fazendo SeHun de trouxa.

    “O que aconteceu?” O maior perguntara risonho, vendo o Joana discar outro numero rapidamente.

     “Você não pode saber, mas eu preciso falar com o JongIn.” Agora parou de rir de vez. Porra, Joana, estava tudo lindo, cara.

     “Sabe o número do Sone-bunda-bonita?” O cenho do mais alto arqueara e o Byun lhe fitara em reprovação.

     “Annyeong, JongIn-ah!” Falara com sua voz manhosa, cheia de aegyo, deixando Chan estupefato. “Eu preciso de um favor seu. Ligue para o Zhang, e peça para ele comprar uma troca de roupa, e dar para Oh SeHun, o loiro da cabine ao lado.” JongIn não entendera bem o que acontecera, mas dava para deduzir que alguém cagou na roupa dentro do vestiário. “Obrigado, JongIn-ah!”

     “Aigoo, por que fala assim com ele?” ChanYeol parecia uma criança birrenta. “O mundo é tão injusto. Eu tenho que te mostrar a minha bunda também para que você faça aegyo?”

     “A-aish, Yeol!” O menorzinho ficou com as bochechas quentes novamente. “Eu não falo assim com ele.” Tentara argumentar.

     “Fala sim.”

     “Não falo não.”

     “Fala não.”

     “Falo sim!”

     “Você mesmo admitiu!” O Pak apontara o dedo para o rosto do menor.

     Nos lábios de BaekHyun formara-se um biquinho irritado e suas sobrancelhas franziram. ChanYeol não pôde deixar de achar adorável aquela carinha de bravo, segurando-se para não rir.

     “Não falo, Yeollie.” Resmungara. O maior somente levantara-se de sua cadeira, contornando a mesa em passos leves. Abraçara Baek por trás, ficando todo curvado para isso. Selara a bochecha do baixinho várias vezes, adorando aquele cheiro doce e suave que provinha daquela pele branquinha.

     “Então fale só para mim, Hyunnie.” Deslizara a ponta de seu nariz pelo pescoço fino, mordendo a derme vez ou outra. Por sorte havia poucas pessoas na lanchonete aquele momento, somente a garçonete pervertida ficava observando tudo com tamanho prazer. “Depois terminamos, bebê.” Referiu-se aos pegas e Baek apenas encolhera-se na cadeira, digerindo aquele novo apelidinho.

     De onde brotara esse ChanYeol todo sensual que nóis sonha e BaekHyun não porque ele já tem um?

     Uma  garçonete morreu.

    

      “Certo, JongIn.” Zhang magia YiXing desligara o celular assim que acabara de falar com seu melhor amigo, o moreno sensação. Saíra do vestiário, logo escolhendo e comprando quaisquer roupas que mirara em sua fronte.

     Respirara profundamente ao retornar para o vestiário e ficar de fronte a cabine onde deveria deixar aquelas roupas.

    “Com licença...Oh SeHun?” Chamara e somente escutara um “sim” enrustido vir de dentro da cabine, e, antes que o pobre Oh o impedisse, YiXing puxara  a cortina da cabina rapidamente, entrando dentro desta.

     Como explicar este momento...? Para SeHun foi como se tudo estivesse em câmera lenta... Quis se encolher até virar realmente uma vareta, e se enfiar no cu de alguém para que ninguém o encontrasse. A não ser que seu esconderijo seja também “esconderijo” de alguma piroka mal informada, mas não vem ao caso.

     Ninguém ousara falar alguma coisa. Os olhos de YiXing não sabiam se focavam no rosto totalmente corado -meio irônico SeHun corar, já ficou pelado para metade da nação chinesa- ou se focavam no quadril e na cintura fina.
   
     O mais foda de tudo, é que o mandarino reconheceu SeHun, este que sentia vontade de se bater por ficar achando aquele rostinho assustado tão perfeito em um momento como aquele!

     “A-aigoo, descupar!” Zhang gaguejara, engolindo em seco, por mais que quisesse -mentira não queria não- suas pernas não moviam-se. “Sorriso bonito?” Chamara e Oh assustara-se ainda mais, sentindo vontade de chorar pela tamanha vergonha. “Desculpar eu. Roupas!” Exclamara nervosamente, empurrando as roupas contra o peito do mais alto. Se curvara rapidamente, em reverencia, saindo da cabine.

     O mandarino estava arfante, tudo o que se passava em sua cabeça era... “Que caralhos voantes aconteceu?”

     Oh vestira-se rapidamente, continuando a usar a calcinha como roupa intima oficial. Assim que saíra de de dentro das cortinas, seu olhar fora pego pelo de YiXing que lhe fitava curioso.

     “O-obrigado.” SeHun murmurara quase inaudível.

     “O que... Que acontecer?” O chinês questionara em mesmo tom.

     O mais alto não queria realmente falar, porra vida, se for foder, use lubrificante, porque, olha, não ‘tá fácil aguentar esse pau no cu. Então, SeHun ignorara completamente a pergunta do mandarino, deixando-o com aquela típica cara de brisa, seguidor de Gedê.

     “Não quer falar, o-ok...” YiXing falara, tentando, de alguma forma não explicada pela ciência, confortar o loiro. “V-vamos sair da loja, comer... Quer comer?”  Oh apenas concordara com a cabeça, seguindo o menor para fora da loja como se fosse um cachorrinho triste porque cagou no parquinho, deixando assim, seu dono puto. Mas não é como Se YiXing tivesse ficado bravo.

     Achara bonito? Não. Achara maravilhoso! Nunca tinha pensado nesse tipo de fetiche... Calcinhas?

     Quem diria que Oh SeHun, ou melhor, Sorriso bonito, iria ficar tão gostosinho em uma delas. SeHun não tinha apena um sorriso bonito, ele era todo bonito, com pernas bonitas, quadril bonito, cintura bonita e um rosto tão bonito que daria até inveja. 

     “Eu só queria experimentar, não me julgue por isso.” O Oh murmurara, fitando o chão enquanto andava, mal prestando atenção por onde passava.

     “Você ficar bonito...” Quando SeHun escutara aquilo, sentira-se uma piranha voadora, piranhas não voam, mas SeHun voa, monas! Erguera suas costas, colocando-se em pose de diva rainha suprema.

     “Fico, hn?” Perguntara malicioso, porém essa malicia fora despercebida pelo mandarino. SeHun segurou-se para não dizer um “Vamos lá no banheiro que eu te mostro de novo.”
 
     Mas na verdade era exatamente o que Zhang queria ouvir.

     “Sim.” Assentira com a cabeça quase que de forma desesperada, fazendo o loiro rir baixo. “Bonito”. Completara.

    “E você acha que eu fico mais bonito como...? Com o corpo coberto ou só com aquela peça de roupa?”  YiXing sentira o suor frio lhe escorrer a tez em nervosismo. Os felinos olhos daquele loiro lhe pegaram de surpresa, e aquele bendito sorrisinho sedutor nos lábios lhe chamaram para a o pecado.

     O pobre mandarino só queria comprar uma calça nova, mas Deus, o universo ou santa Inês Brasil, lhe abençoou com um SeHun de calcinha.

     E quando deu por si, já estava em uma das cabines do banheiro, com as mãos na bunda do loiro, enquanto este lhe beijava com voracidade.

     Zhang YiXing somente tinha a agradecer a Deus, universo, ou Inês. Amém.

Capítulo 16 – fim

   


Notas Finais


Mssjsksn amém :v quem dera fôssemos todos abençoados com Oh SeHun de calcinha :v layzão sortudo v: akznxn

Gent sksndj eu ainda n acredito q eles foram trampa no banheiro asjdhzksnxkks bem normal :')

Bom, éh isso :v obrigada pelos favoritos, monas, já estamos chegando aos 100 (eu acho lahxzj) tia ama vo6 :v n deixaram a fic flopar <3 seus beurifu

Bye bye, beijinhos na bunda <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...