História Exato - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Sehun, Suho
Tags Baekyeol, Chanbaek, Exo
Exibições 149
Palavras 1.444
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


É O SEGUINTE

AGR EH DUAS E MEIA DA AMANHA

EU TO É PUTA PQ A LUIZINHA TÁ ME OBRIGANDO A POSTAR E EU TO COM SONO ENTÃO N REVISEI PORRA NENHUMA, OK? LUIZINHA VAI TOMAR NO CU E TE AMO.

Capítulo 25 - Capítulo 24 - O ladrão de roupas


Fanfic / Fanfiction Exato - Capítulo 25 - Capítulo 24 - O ladrão de roupas

 

Capitulo 24 – O ladrão de roupas

 

ChanYeol contornara a cintura de BaekHyun com sua mão direita, puxando-o para mais perto de si. O baixinho somente encostara a cabeça no peito do Park, este que suspirara satisfeito ao sentir o cheiro suave de shampoo que desprendia-se dos cabelos pretos. ChanYeol até mesmo pensara em dar uma passadinha de mão na raba enorme do namorado, porém respeitava a vontade dele de não trocar carinhos íntimos em público.

O que o deixava frustrado, pois bem ao seu lado o moreno sensação e o enfermeiro SatanSoo praticamente se comiam enquanto andavam. Queria fazer o mesmo. Às vezes a timidez de BaekHyun é um estorvo, outras vezes é adorável. Mas não é algo que mudaria. Não mudaria nada em BaekHyun. Ele é perfeito e exato como é.

YiXing e SeHun vinham de mãos dadas, conversando algo que ChanYeol não fazia questão de entender, pois falavam mandarim e sorriam um para outro como dois usuários de drogas.

 

As aulas daquele dia já haviam se encerrado, os seis meninos dirigiam-se para a quadra de futebol, faltava somente uma semana para os jogos. Iriam competir contra a YoonHae, uma escola na qual tinham muita rivalidade. ChanYeol já sentia o desejo de massacrá-la como sempre sentia naquela época do ano.

Ao longe, sentado na arquibancada, BaekHyun conseguira ver o Hyung JoonMyeon assistindo o começo de treino do time de futebol, mas somente via Kris que ficava tão bonito com aquele uniforme.

Antes de ir para o campo, pois já estava com seu uniforme, selara a testa de BaekHyun brevemente, fazendo-o ficar todo envergonhado, como o usual.

“É só para eu ter um bom treino, Hyunnie. Se não eu fico pensando em você e vou acabar me distraindo.” Então beijara os lábios fininhos e róseos brevemente, curvando-se para poder alcançar a boca do pequenininho.

“A cena ‘tá linda, mas vamos que você tem que treinar e você tem que assistir.” KyungSoo falara, puxado JongIn pela camiseta para onde ia como se o mesmo fosse um cachorrinho. O que, na verdade, era. “Vai lá, seu virgem! Arregaça!” Gritara para ChanYeol, fazendo o mesmo rir.

Enfim o casalzinho piranha ft Byundinha separam-se, BaekHyun seguira para as arquibancadas, sentindo o olhar de ChanYeol queimar em sua nuca. Sentara-se ao lado livre de JoonMyeon, pois  o outro estava ocupado com JongIn.

Seu peito enchia-se de orgulho ao ver ChanYeol correndo e sorrindo para lá e para cá. Não entendia merda nenhuma do que estava acontecendo, mas era divertido. Eu acho.

 

Oh encostara a cabeça no ombro de YiXing, sentindo o mesmo acariciar seus cabelos. SeHun gostava de ter os carinhos inocentes, mesmo que ainda gostasse muito de toques quentes, de Zhang. Era confortante, calmante, como se só o mandarino magia pudesse tirar-lhe todos os medos e incerteza que possuía consigo.

Iria pegar seu celular no bolço da calça para capturar a face distraída do chinês, porém somente sentira sua bunda –muito gostosa por sinal–  por ciam dos tecidos. Seu cenho arqueara, era como se tivesse  perdido sua vida. Seus nudes estavam ali, não poderia os perder, eram importantes!

Praticamente pulara em seu lugar, assustando YiXing, que gritara assustado.

“Droga, eu esqueci o celular na sala de aula, eu vou lá pegar!” SeHun dissera quase euforicamente, empurrando YiXing com força desnecessária, fazendo o mesmo resmungar. Seus pés corriam afobados pelo pátio escolar, como se sua vida dependesse daquilo. Era quase desesperador com certeza, ficara até mesmo arfante, mas quem não ficaria em seu lugar?

Batera o ombro em uma das paredes, porém não parara de correr. Sua vida dependia de seu celular. Seu celular significava muita coisa, não poderia ficar sem ter a sensação de conforto causada pelo aparelho junto a si por muito tempo, sabendo que, talvez, alguém pudesse tê-lo pego.

Não demorara a chegar na salda 24 no segundo andar, porém a porta estava trancada, fazendo o desespero do loiro aumentar. Tentara girar a maçaneta a todo o custo, mas a mesma não fazia o movimento que deveria fazer.

“Aish!” SeHun praticamente gritara irritado, frustrado com a situação. Os poucos pelos de seu corpo eriçaram-se ao escutar passos atrás de si. Inicialmente tranquilizara-se, achando ser YiXing. Porém seu corpo tencionou-se novamente ao não escutar a voz nasalada do mesmo.

Ele já havia a ouvido, mas não a reconhecera de imediato.

“Está procurando por isso?” A voz extremamente suave questionara ao longe, porém Oh sabia que o dono da voz aproximava-se aos poucos, e seu corpo não reagira. O rapaz não identificado levantara o aparelho celular no ar. “Eu sabia que iria voltar correndo atrás disso, tem muitas coisas interessantes aqui. Sua bunda é bonita e fodível como eu imaginava, sabia? “ Desbloqueara o celular, revendo aquelas fotos e Oh questionara-se como aquele garoto sabia sua senha. “¨6969 é meio óbvio... Se quiser, irá ter que pegar, neném.” Um sorriso quase macabro brotara nos lábios finos e que SeHun achara, involuntariamente, bonitos.

“Me devolva.” SeHun tentara manter a postura inabalável, porém não conseguira. Sentia-se mais e mais ameaçado, fora encurralado aos poucos contra a porta da sala, era como se seu corpo não respondesse aos comandos do seu cérebro. Aquela frase fora tudo o que conseguira pronunciar naquele momento.

“Sentir seu cheiro vindo direto de você é quase um orgasmo.” O estranho deslizara o nariz pela pele do pescoço de SeHun, jogara o aparelho celular no chão, ao longe. “Mas saiba que o cheiro que se desprendia das suas roupas me causou vários.” Beijara a clavícula demoradamente. “Desde que você passou a trabalhar no bar com o meu velho eu passei a te observar, Hunnie. Você é tão lindo... Eu não pude evitar.” Suas mãos apertaram a cintura fina com força, jogando o corpo do loiro ao chão.

SeHun tentava raciocinar, tentava ligar os fatos, mal ligara para sua cabeça que batera com brutalidade no piso frio. Sr. Kim não deixara SeHun sozinho no apartamento para morar com a filha, fora para morar com o filho, este no qual era obcecado pelo loiro e somente manifestou-se agora.

“O que você vê no Zhang?” O rapaz pegara SeHun pelos fios loiros, o fazendo resmungar de dor e voltar a si. Debatera-se, porém, o menor somente lhe estapeou a face. “Por que ele e não eu, SeHun?!” Puxara os cabelos do mais alto e empurrara, batendo mais uma vez a cabeça do mesmo ao chão, deixando-o zonzo. “Eu te amo também!” Gritara histericamente, fazendo SeHun lembrar-se do que passara com ZiTao.

Os olhos do mais novo acumularam algumas lágrimas, ficara com medo, não sabia como reagir. Sabia que seu celular estava em algum lugar por ali, somente teria que o catá-lo e ligar para YiXing.

“P-pare, p-por f-favor!” SeHun implorara com a voz embargara, tentando tirar aquelas mãos de seus cabelos. “Está me machucando, s-se me amasse não me machucaria.” Tentara argumentar, porém o rapaz somente rira baixo, aumentando o aperto.

“Sinta a dor que eu sinto todos os dias, meu amor.” A mão direita do rapaz deslizara até o cós da calça de Oh, brincando os botões do mesmo, depois apertando o membro de Oh por cima da calça.

SeHun começara a chorar afoitamente, soluçando. Sua cabeça sangrava e doía, seu corpo estava imóvel ao chão, sendo prensado pelo corpo do menor, sentia-se totalmente impotente, desesperado.  A dificuldade ao respirar lhe parecia tirar a consciência aos poucos. Porém, deveria revidar para poder escapar.

“Tão lindo...” Gemera deleitoso, ficando alheio a SeHun por estar beijando sua bochecha e testa de forma extremamente carinhosa, o que não condizia com a situação. O loiro, tirando forças do fundo de seu âmago, socara o rosto do menor, o empurrando para o lado.

Imediatamente rolara para o lado, então arrastando-se até seu celular. Tomou o objeto em mãos, a tela estava quebrada, mas ainda funcionava. Desbloqueara o celular, ficando mais desesperado ao sentir as mãos do garoto em seus pés, o puxando.

Mesmo mal conseguindo ver, discou o número de Zhang, soltando o telefone ao ser puxado com força. YiXing atendera. Tudo o que escutara fora os gritos de SeHun.

 

“Sua vadia!” Recebera mais um tapa em seu rosto. “Eu vou te foder tanto que suas cordas vocais irão ficar fodidas e você nunca mais gritar!” Segurara SeHun pelo pescoço, tirando todo o ar do mesmo.

E quando já estava perdendo os sentidos... Escutara os passos desajeitados e afoitos de YiXing.

 

O chinês não acreditara no que vira. Seus olhos arregalam-se ao ver seu Hyung enforcando seu namorado em meio ao chão sujo de sangue.

“JongDae Hyung...” O nome do Kim saíra falho dos lábios de Zhang. Ele não pode conter a fúria que o dominara ao ver seu namorado chorando.

Capitulo 24 – fim. 


Notas Finais


NOOOOOOOOOOO O LADRÃO FOI REVELADO

ALGUÉM DESCONFIAVA DO CHENCHEN? POIS EH ASDFGHJIK

AGR VOU DOMIR, BEIJINHO NA RABA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...