História Exhauriunt - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Kris Wu, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Tao
Tags Kristao, Sebaek
Visualizações 90
Palavras 4.637
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi pessoal, eu deveria estar escrevendo capítulo novo das minhas outras fics? Devia, mas as ideias para outras histórias estão surgindo para essas "oneshot"...Espero que gostem 💙
Desculpem qualquer erro...

Capítulo 1 - BABACA


Fanfic / Fanfiction Exhauriunt - Capítulo 1 - BABACA

ANTES

O dia estava ensolarado, as nuvens no céu pareciam feitas de algodão doce. Sentado na balança do parquinho eu estiquei minha mão inutilmente, tentando tocar os ‘ algodões doces do céu ‘, até que um choro estridente interrompeu minha brincadeira, olhei em volta e vi uma criança sentada na caixa de areia, levantei e andei vagarosamente até aquela coisa irritante.

-Pare, isso é chato - disse parando de frente ao menino barulhento  - O que aconteceu ?

-U-uns meninos - ele balbuciou.

-O que tem os meninos ? - perguntei, sentei-me na grama a sua frente.

-E-eles pegaram meu baldinho e m-minha pazinha - chorou, suspirei.

-Se eu pegar de volta, você para de chorar ? - ele me olhou e assentiu - Espere aqui.

Levantei-me e andei até os três meninos que estavam sentados perto do escorregador, eles mexiam na terra e gargalhavam. E em suas mãos, um baldinho azul e uma pazinha branca.

-Oi, vocês podem devolver esse baldinho e essa pá? - perguntei indiferente.

-Não, vá embora - disse um menino de cabeça raspada.

-Essas coisas não são suas, e o dono as quer de volta - respondi.

-Você é metido - disse o mesmo careca levantando-se, os outros dois repetiram o ato - E feio.

Os amigos do careca seguraram meus braços, tentei me soltar, tentativas em vão. O careca segurava a pazinha com as mãos em punho, logo começando a bater na minha barriga, e no meu rosto. Um som alto foi ouvido quando a pequena pá quebrou. Ele a soltou no chão e me olhou.

-Agora pode levar - disse, e saiu andando chamando seus amigos com os dedos.

Cai de joelhos no chão, tentando recuperar o ar que perdi, mordi os lábios e senti um o gosto de sangue. Com muita raiva peguei a maldita pá e o baldinho, andei novamente até a pessoa barulhenta e joguei seus brinquedos na sua frente. Assim que ele focou os olhos na pazinha sua boca se abriu formando um ‘0’, assim que ele olhou-me seus olhos dobraram de tamanho.

-O-o que aconteceu ? - perguntou começando a chorar novamente.

-A não, você disse que ia parar se eu pagasse isso de novo - suspirei e andei novamente até o balanço, sentando-me e voltando a observar o céu.

Após um tempo ouvi o barulho da balança ao meu lado, olhei e vi o barulhento.

-Byun Baekhyun - ele sussurrou.

-O que? - perguntei confuso.

-Meu nome, Byun Baekhyun, e antes que pergunte, eu tenho 9 anos - disse olhando-me fixamente.

-Tá - respondi e voltei a olhar o céu.

-Você não é educado - ele sussurrou - É bem chato na verdade, deve ser por isso que está sozinho, você não deve ter amigos, e além do ma…- o interrompi.

-Oh Sehun, e sim eu sou educado, só não gosto de falar com pessoas chatas como você , estou sozinho porque quero, e eu tenho amigos sim, agora você pode por favor ficar quieto Byun ? - disse ríspido, pelo canto do olho vi ele assentir.

Fechei os olhos e me concentrei em sentir a leve brisa que bagunçava meus cabelos, então Byun começou a estalar a língua e suspirar.

-Eu juro que tentei, mas isso é insuportável - disse erguendo seus braços - Quantos anos tem Sehun?

-Tenho 7 - sussurrei.

-Você quer ser meu amigo? - ele perguntou, olhei Byun e ele mostrava-me um divertido sorriso retangular.

-Não - disse indiferente, seu sorriso morreu aos poucos em seus lábios, formando um bico engraçado, involuntariamente sorri.

-Não me importo com isso, eu quero ser seu amigo, e você vai ser meu amigo - ele sorriu - Querendo ou não!

-Você me irrita, Byun - disse sério. “

 

°°°

 

AGORA

Eu havia finalmente conseguido dormir, estava quase entrando no glorioso mundo dos sonhos, onde tudo é maravilhoso, e todos os nossos desejos se realizam. Mas um pequeno de cabelos cinzas decidiu não me dar essa oportunidade.

-OH SEHUN, ABRE ESSA MERDA - gritava Byun socando a porta da minha casa.

-VAI EMBORA BYUN - gritei.

-SEU GRANDE BABACA, SE NÃO ABRIR EU VOU ARROMBAR ESSA PORTA - gritou, sorri.

-” Não tem força sequer para abrir um enlatado, e acha que vai derrubar a porta da frente “-, seria realmente engraçada ver sua tentativa falha, -” Mas e se ele acabar se machucando ? “-, com esse pensamento levantei-me da cama e andei calmamente até a porta, estava no topo da escada quando ele ameaça.

-QUER SABER ? QUE SE FODA - começou a contar - 1, 2 e … - escutei o barulho do impacto de algo contra a porta, corri até lá e abri com tudo, encontrando Byun parado em frente às escadas da entrada, ele segurava uma pedra -

-IDIOTA - ele arremessou a pedra em mim.

-VOCÊ É DOENTE ? - perguntei arremessando a pedra no baixinho.

-Porra Sehun, você me deixou sozinho - sussurrou - Belo amigo você é ! - me olhou com aquele típico olhar de -” Me deixa entrar, por favor “-.

-Entre, está frio - sussurrei, entrei em casa novamente e sentei-me no sofá, logo sentindo o outro deitar sobre mim - Desculpa, eu só não queria que seu namorado me visse - sussurrei fazendo carinho em seus cabelos.

-Ele ainda não voltou para casa - disse choroso - Ele deve estar me traindo com alguma vagabunda por ai - ele sussurra.

-Não seria a primeira vez, não é - sussurro, sinto suas lágrimas molhando minha camiseta - Não chore Baek, por favor - pedi colocando o rosto em seu cabelo.

-” Se ele soubesse como me dói vê-lo chorar “-, levanto-me com Byun no colo e o levo até meu quarto, o deito na cama e logo em seguida deitei-me ao seu lado, sem perder tempo, o pequeno me abraça e coloca a cabeça em meu pescoço, faço carinho em seus cabelos até ele dormir.

Se Byun soubesse seu efeito sobre mim, soubesse como me parte o coração vê-lo nesse relacionamento estúpido, ou até mesmo como é difícil ficar desta forma tão próxima, aposto que ele jamais me procuraria. Não iria chorar em meu colo por seu namorado ser um babaca, não me torturaria com seus carinhos, não me faria definhar dia após dia o vendo com outro homem que não fosse eu. Eu não sei ao certo quando fui engolido por esses sentimentos, pode ter sido em uma das nossas noites juntos na adolescência, quando o baixinho esgueirava-se até minha cama com a desculpa de -” Está muito escuro na sala Sehun “-, ou quando íamos à praia e ele segurava em minha mão quando vinha uma onda forte, ou até mesmo em algumas das noites em que fomos em algum karaokê e ele cantava olhando para mim. Provavelmente, tenha sido a junção de todas essas coisas e outras mais, que fez com que eu me apaixonasse por esse baixinho, sorrateiramente e de forma avassaladora. Mas de uma coisa tenho certeza, Byun Baekhyun é a minha vida e minha morte misturadas em um belo homem de sorriso retangular.

 

°°°

 

-Você devia contar para ele Sehun - disse Chanyeol - Ele tem que saber, talvez assim ele largue aquele babaca do Heyojin.

-Ele foi lá em casa 4 vezes essa semana Chan, está ficando mais frequente - confidenciei ao orelhudo - Se ele ousar fazer alguma coisa com meu pequeno, juro que o mato - bati no balcão com as mãos em punho.

-Talvez você não devesse se preocupar tanto com ele - diz, ele bebe um gole de seu whisky.

Estávamos em um bar badalado da cidade, sempre vínhamos aqui quando éramos mais novos, ato que não se modificou com o tempo. Chanyeol sempre foi um de meus melhores amigos, assim como Baekhyun corre para mim quando tem que chorar por Heyojin, eu corro para Chanyeol quando tenho que chorar por Baekhyun.  O lugar encontrava-se cheio, pessoas sorriam, dançavam, bebiam, e eu estava ali no bar chorando por homem que nunca vai sentir nada por mim além “ amor irmão “.

-Talvez você tenha razão - sussurrei, tomando o último gole da minha bebida.

Olhei para pista de dança, dentre todos os presentes, um em especial chamou minha atenção, seus cabelos eram castanhos, ele era baixo e magro, suas roupas eram totalmente negras e apertadas, ele dançava no ritmo da música, fazendo movimentos leves e precisos, -” Baekhyun ? “-. Antes mesmo de eu ter tempo de falar com Chanyeol, vi um homem de aproximar do acastanhado, segurando em seu braço violentamente o menor se debatia sobre o aperto, sem pensar duas vezes levantei-me e andei em direção aos dois.

-SEHUN - Chanyeol gritou.

Ao me aproximar vi que o homem segurava os braços do acastanhado e sussurrava alguma coisa em seu ouvido, o menor chorava, o homem então arrasta o acastanhado consigo até a saída, o menor se debatia.

Segui os dois, assim que entraram em um beco, corri. Ao chegar perto, ouvi os gritos do garoto.

-SOCORRO - gritava desesperado.

-Se você relaxar, vai ser bom boneca - disse o homem, escutei o barulho de pano sendo rasgado.

Entrei no beco e vi as roupas do garoto completamente destruídas, ele estava prensado na parede com lágrimas nos olhos, o homem apertava seu pescoço com uma das mãos enquanto com a outra apertava seu membro. Peguei o velho pelos cabelos e o puxei para longe do garoto.

-Está tudo bem ? - sussurrei ao acastanhado, ele apenas caiu de joelhos.

Olho para trás e vejo o homem se levantando, ele sorri e vem em minha direção.

-SEHUN - era Chanyeol, ele aparece na entrada do beco, seus olhos focam em mim e no garoto e logo se estacionam no homem que nos encarava com um olhar fulminante - Então você gosta de abusar de garotinhos ? - perguntou andando até o homem - Pois bem, hoje você aprende a mexer com alguém do seu tamanho - ele segura o homem pela gola, Chanyeol é alguém doce e brincalhão, mas quando precisa ser “mau”, ele é - Sehun tira ele daqui - disse olhando para o menino - E chame a polícia! - assenti.

Olhei o menino, ele apenas chorava e abraçava seu corpo, ao seu lado um celular. Peguei o celular e o garoto, andei apressadamente até o carro, coloquei o garoto no banco do carona, e liguei para a polícia, sendo atendido rapidamente.

LIGAÇÃO ON.

-Central de atendimento polícia de Seoul, posso ajudar ? - disse uma mulher.

-No beco próximo a boate El Dorado, tem um homem ferido, ele foi agredido após tentar realizar um abuso sexual contra um garoto, venham rápido - desliguei o telefone.

LIGAÇÃO OFF.

Olhei para o lado e vi que o menino ainda chorava.

-O-oi, onde você mora? - perguntei sem obter resposta- Eu me chamo Oh Sehun, eu preciso saber onde vo..- um som alto foi ouvido, vindo  do celular no garoto, o tirei do bolso e fitei a foto de um homem loiro estava presente na tela com o nome “ KRIS “ em cima, atendi, escutei um homem gritando e falando rapidamente, em mandarim.

LIGAÇÃO ON.

 -Senhor - disse alto - Eu não entendo.

-QUEM É VOCÊ? CADÊ O LUHAN ? - “ Não é o Luhan, ai meu Deus “ ouvi alguém dizer ao longe.

-Ele está aqui, mas não está em condições de falar, eu vou colocar no viva voz - fiquei com medo de o garoto não conseguir segurar o aparelho.

-SÃO 02:00a.m, E VOCÊ SUMIU ! VENHA PARA CASA AGORA - o acastanhado fungou-  VOCÊ ESTÁ CHORANDO?

Houve o barulho de alguma coisa quebrando, e então duas pessoas começaram a gritar em mandarim, até que uma voz diferente falou.

-Meu amor, está tudo bem? Volte, estamos preocupados - disse uma voz chorosa.

-T-tão - sussurrou Luhan -E-está tudo bem - mentiu.

-GRAÇAS A DEUS, KRIS ELE ESTÁ VIVO - gritou - Volte ago…- o celular apagou.

LIGAÇÃO OFF.

Luhan pegou o celular de minha mão e começou a apertar os botões fervorosamente, quando viu que nada adiantava simplesmente jogou o aparelho com violência sobre o vidro. Ele não me daria informações então liguei o carro e segui até minha casa, lá ele poderia trocar de roupa e tomar um banho, admito que em parte fiz tudo isso por ele me lembrar Baekhyun.

Parei o carro em frente a minha casa e fiquei encarando o volante.

-O-onde estamos? - sussurrou.

-Minha casa, aqui você pode tomar um.banho e trocar de roupa - sussurrei.

-Como vou confiar em você? -pergunta ríspido, o encarei e vi que ele fazia o mesmo.

-Eu te ajudei, se fosse fazer alguma coisa com você, já teria feito - suspirei - Confie em mim, Luhan - ele assentiu.

Adentramos a casa, subi e peguei uma calça de moletom e uma camiseta para Luhan, desci e entreguei a ele.

-Suba as escadas, terceira porta a esquerda, tem toalhas limpas no armário - sussurrei, ele subiu calmamente as escadas.

Fui até a cozinha preparar alguma coisa para comermos, recebi uma mensagem de Chanyeol dizendo que estava tudo bem, a polícia levou o homem preso, após sair da conversa com Chanyeol vi que Baek havia me mandado 42 mensagens,estava prestes a abrir quando o acastanhado aparece.

-O-obrigado - ele se curva.

-Sente-se, fiz ramen para nós - comemos em silêncio. Ele é lindo, seu rosto tinha traços leves e um tanto afeminados, ele era pouca coisa os baixo que eu, -” Não tão lindo quanto Baek “-, pensei - De onde você é?

-Pequim, China - sussurrou - Estou fazendo intercâmbio aqui, porque me ajudou ? - ele me encarou.

-E-eu achei que você fosse um amigo meu - o encarei.

-Entendi.

Terminamos de comer e fomos até o sofá.

-Você quer ir embora? - perguntei.

-Não quero encarar meu irmão agora, posso ficar ? - sussurrou.

-Tudo bem.

A noite foi tranquila, conversamos muito, Luhan se mostrou ser alguém muito doce, fiquei triste imaginando o que poderia ter lhe acontecido se eu não tivesse chegado. Fomos dormir era 04:15 a.m, ele dormiu no meu quarto e eu no sofá.

Acordei cedo e fui preparar um café para nós dois, 09:40a.m escuto alguém batendo em minha porta, caminho até lá e a abro, sendo surpreendido por dois braços à minha volta.

-Posso entrar? - perguntou Baek.

-Claro - disse dando-lhe espaço.

Ele entrou e se esticou no sofá, olhando desconfiado para as cobertas e o travesseiro ali.

-Não me respondeu ontem, fiquei preocupado - sussurrou.

-Eu saí, acabei ficando ocupado, desculpe - fui até a cozinha.

-Sehunnie, eu vou acabar tudo com Heyojin - sussurrou, deixei o pó de café cair sobre a pia - Cuidado!

-V-você vai o que ? -perguntei o encarando.

-Terminar com Heyojin, eu estou cansado de tudo isso, ele foi longe demais - sussurrou olhando para seus pés.

-Como assim?

-Nada.

Andei até ele e o abracei, ele retribuiu o abraço de prontidão, levantei seu rosto em minha direção.

-Eu vou estar com você independente da sua escolha, seja forte Byun - sussurrei olhando em seus olhos, ele sorri e encara-me, alternando o olhar entre meus olhos e meus lábios, -” Isso é real ? “.

-Sehun - ele sussurra, vagarosamente ele vem se aproximando, -” PUTA QUE PARIU, ELE VAI ME BEIJAR “-, estávamos prestes a colar os lábios quando uma voz se faz presente.

-Sehun, onde eu coloco a rou…- Luhan para de falar assim que vê Baek em meus braços - Desculpe, e-eu não quis - ele volta correndo para o quarto.

Baek me empurra e encara-me furiosamente.

-Q-quem é? - perguntou.

-Luhan, eu conheci ele ontem e…- ele me interrompeu.

-Fico feliz por você - ele sorri amarelo - Eu tenho que ir - diz e sai em direção a porta.

Eu apenas fico ali, parado, pensando no que acabou de acontecer, -” Droga “-.

 

°°°

Dois meses se passaram, 60 dias que converso com Luhan todo dia, e 60 dias que Baekhyun não aparece aqui em casa. Ele não terminou com Heyojin, e se não apareceu quer dizer que está tudo bem. Chanyeol me diz para esquecer o pequeno de cabelos cinzas e me concentrar no pequeno de cabelos castanhos, -” Queria que fosse fácil assim “-.

Hoje o dia estava extremamente perfeito para ficar em casa, chovia deliciosamente, o clima estava gélido. Eu estava embrulhado em minha coberta favorita, assistindo um dorama, tudo na mais perfeita paz, até que alguém bate na porta, levanto-me e sigo até a mesma, assim que a abro, encontro um Baekhyun completam encharcado.

-Mas que porra é essa, Byun? - perguntei o encarando.

-Posso entrar ?

-Claro - ele entra e fica parado me encarando.

-Qual é o problema ? - perguntei preocupado.

-E-eu - ele fitou o chão e tirou sua jaqueta, -” Meu lindo tapete está arruinado “, ele jogou sua jaqueta no chão - Desde aquele dia aqui na sua casa, eu fiquei pensativo sobre muitas coisas Sehun, eu quero tirá-las a limpo - disse firme, -” Meu Deus “-.

-Que coisas Byun ? - perguntei curioso.

-Coragem Byun -  sussurrou.

Ele aproximou-se de mim e empurrou-me na parede, seu olhar era tão intenso que eu poderia jurar que ele estava vendo minha alma, sua mão vai até meu rosto, ele então ergueu seus pés e cola nossos lábios, ele pediu passagem com a língua que é logo concedida, nosso beijo era feroz, nossas línguas travaram uma guerra sem vencedores. Minhas roupas já estavam encharcadas por culpa do contato, assim que o ar se faz necessário separamos nossos lábios e nos encaramos.

-O que você está fazendo? - perguntei - E Heyojin? - ele franze as sobrancelhas.

-Sehun - ele sussurra - Faça-me seu - como se aquilo fosse minha injeção de adrenalina, o peguei no colo e subo rapidamente até meu quarto.

O coloquei gentilmente sobre a cama, tirei rapidamente suas roupas e as minhas, impossível esconder minha pressa.

-Calma, eu quero aproveitar cada segundo, por favor - pediu, me deitei sobre ele e afastei seus cabelos dos olhos.

-Se soubesse a quanto tempo eu espero por isso, entenderia minha pressa Byun - pequenas lágrimas escorreram de seus olhos - Não chore, eu prometo ser gentil - sequei suas lágrimas com beijos.

Ele puxa-me pelo pescoço, colando novamente nossos lábios porém com ternura, eu passei todo o amor que sentia por ele através deste beijo. Levei meus lábios até seu pescoço, beijei e chupei aquela região causando pequenos gemidos em nós dois, com a mão brinquei com seu mamilo rosado, extremamente convidativo, os chupei e os mordi, fazendo o pequeno se contorcer.

Ele leva sua mão até meu membro e faz leves movimentos de vai e vem, levando-me a loucura. O puxei até a ponta da cama, fico de joelho entre suas pernas, as ergo e coloco sobre meus ombros, envolvi seu membro com os lábios de uma vez só, o fazendo gemer alto, ele coloca a mão em meu cabelo e dita os movimentos, levo 3 dedos até sua boca e ele os chupa sem demora, quando os sinto bem lubrificado os levo até sua entrada, e coloco 2 de uma vez e dou uma longa sugada em sua glande para o distrair, o que funciona muito bem. Coloco o terceiro dedo e faço movimentos mais rápidos, sem aguentar mais, tiro meus dedos e levanto-me, olho para Baek, -” Tão exposto, tão entregue, tão meu “-, me masturbo lentamente, prestando atenção em cada detalhe do pequeno, desde seus cabelos bagunçados, até os olhinhos fechado e às boca aberta, sua face corada, sua barriga definida com uma cintura bem marcada, suas coxas fartas, seu membro rosado e duro, e finalmente sua entrada piscando.

-Sehunnie, não me torture assim - pede manhosos.

Seguro suas coxas, espalho meu pré gozo em meu membro e posiciono-me em sua entrada. O penetro calmamente, ele se contorce e geme alto, suas mãos vão até minhas costas e castigam minha carne, seu interior esmaga meu membro, tentando expulsá-lo. Baek rebola sobre meu membro, começo a estoca-lo firmemente, ele gemia em meu ouvido, assim que atingi sua próstata ele deu um grito e fincou suas unhas em meu ombro.

-De novo - sussurrou.

O levantei da cama e encostei-me na parede, ele enlaçou as pernas em minha cintura, segurei sua bunda e comecei a estocar rapidamente, atingindo sua próstata por vezes seguidas.

-Tão apertado - sussurrei - Tão gostoso - ele gemeu, ele levou sua mão até seu membro.

-SEHUN - gemeu alto e logo em seguida teve um espasmo, gozando em nossos abdomens.

O levei até a cama novamente, meu membro era esmagado, fazendo-me gozar logo em seguida.

-BAEK- gemi e cai sobre o corpo do menor.

Deitei ao seu lado e o puxei para deitar sobre meu peito, não pude evitar o sorriso que fora formado em meu rosto, minhas bochechas poderiam rasgar, em meu peito senti algo molhado, passei a mão em seu rosto e senti lágrimas.

-E-eu te machuquei ? - perguntei preocupado.

-N-não Sehun, foi perfeito - ele disse me olhando - Eu tenho que te contar uma coisa.

-Depois Byun, vamos dormir, por favor - disse fechando os olhos e acariciando seus cabelos.

-Tudo bem - sussurrou - Mas quando eu falar, lembre-se de bom tudo que fizemos - ele beijou meu peito.

E assim dormimos, um no abraço do outro, -” Será um sonho ? “-.

Acordei com Baek fazendo carinho em minha bochecha, ele ainda estava sem roupas, tudo estava escuro, a noite já se fazia presente.

-Oi - eu disse.

-Oi - ele sussurrou - Temos que conversar.

-Eu gostaria de falar algumas coisas antes - ele assentiu e eu o abracei - Eu te amo Byun, te amo a muito tempo, e eu estou realmente feliz que finalmente se entregou a mim, e por vontade própria,obrigado por me fazer feliz, eu poderia morrer agora - sorri, ele abaixou a cabeça - Estou disposto a fazer qualquer coisa por você, por nós - beijei sua testa.

-Sehun - sussurrou - Não existe “ nós “ - fiquei petrificado olhando para o pequeno que estava deitado sobre mim - Nunca vai existir “ nós “, isso que aconteceu hoje não vai mais se repetir - ele sentou-se - E-eu vou me casar com Heyojin - sussurrou.

-VOCÊ VAI O QUE ? - levantei-me o fitei furioso - REPITA BYUN BAEKHYUN !

-Eu vou me casar com Heyojin - disse de cabeça baixa, senti meu chão ruir.

-Eu sou um idiota, um babaca mesmo - disse, peguei minhas roupas e comecei a me vestir - Espero que esteja realmente feliz, pois você está sozinho agora - disse ríspido, lutando bravamente contra as lágrimas.

-Sehun eu…- o interrompi.

-VOCÊ NADA! ESQUEÇA TUDO O QUE EU DISSE - andei até a porta do quarto - VOCÊ SE TORNOU ALGUÉM PODRE, UM MERDA QUE AGUENTA QUIETO SER MALTRATADO POR UM VAGABUNDO QUALQUER - soquei a porta, o pequeno deu um pulo na cama e começou a chorar - Quando eu voltar, não quero você aqui - disse ríspido e desci as escadas.

Sai de casa sem me importar com a chuva, andei até onde já não fosse possível ver mais prédios ou carros, então cai de joelhos, gritando a plenos pulmões, como se isso fosse diminuir a dor em meu peito. Deitei ali em posição fetal, pensando em como fui estúpido, e lembro-me a todo instante de que perdi o amor da minha vida. Meu celular toca, atendo e fico sem dizer nada.

LIGAÇÃO ON.

-Sehun, onde você está? Baek ligou para Chanyeol que ligou para mim - Luhan parecia desesperado - Me responde Sehun.

-L-Luhan - sussurrei - Está doendo.

-O QUE ESTÁ DOENDO? VOCÊ SE MACHUCOU? ONDE VOCÊ ESTÁ ? - gritou.

-M-meu coração Luhan, ele dói-  disse apertando o peito e desligando o telefone.

LIGAÇÃO OFF.

-” Vai doer sempre “-, com esse pensamento permiti as lágrimas tomarem conta do meu rosto, do meu ser, da minha vida.

 

°°°

Eu estava indo muito a casa dos 3 chineses, já me sentia parte da família. E é exatamente por essa proximidade que estou atrás de uma porta escutando os 3 conversarem.

-Ele precisa de ajuda, viu o que ele fez com o apartamento?  - perguntou Tão, assim que vi o convite sai de mim, causando uma mão ferrada, e um apartamento destruído.

-Como aquele filho da puta tem coragem de enviar um convite do casamento, justo para ele? - perguntou Luhan.

-Olha a boca menino - um barulho de um tapa se fez presente - Vai ver ele achou que estava tudo bem, faz quase 1 mês, e com o casamento próximo ele quis saber se o melhor amigo dele vai comparecer ! - disse Kris.

-Ele se tornou um filho para mim, eu não quero ver o meu bebê sofrendo - choramingou Tão - Mas eu acho que ele devia ir no casamento, querendo ou não, eles viveram a vida juntos - disse firme, -” Ele tem razão “-.

-O casamento é daqui a 3 dias, você sabe se ele vai ? - perguntou Kris.

-Não sei - sussurrou - Mas se depender de mim, ele não vai.

-Eu não vou - disse entrando na sala em que eles estavam.

-Meu amorzinho, já parou para pensar que ele pode te amar? - perguntou Tão.

-Não  - menti, já pensei nisso inúmeras vezes.

-Eu acho que ele te ama, mas é medroso demais - disse Kris.

-Que seja - disse ríspido.

-” 3 dias para o casamento do Byun, 3 dias para meu inferno particular começar “-.

 

°°°

Amanhã é o casamento do Byun, Chanyeol está comigo em minha casa, ouvindo novamente minha choradeira, e contando-me como Baek está irreconhecível, visivelmente mais magro, os cabelos agora estão rosa, e ele está triste.

-Estou pouco me fodendo para aquele babaca - disse ríspido.

-Finjo que acredito - disse indiferente.

-Eu podia fazê-lo feliz, podíamos ser felizes, eu o amo tanto Chanyeol - disse afundando-me no peito do mais alto  - Sinto como se uma parte minha estivesse morrendo - choraminguei - Eu fui rude com ele quando ele me contou.

-Está arrependido ? - perguntou.

-Muito - sussurrei.

-Então conserte isso amanhã, o casamento vai começar as 11:00a.m, esteja lá, vá apoiar seu amigo, seja o pilar dele - disse afagando meus cabelos.

-Tudo bem.

Nossa noite se passou tranquila, logo Chanyeol foi embora eu fiquei só, sendo atormentado por meus pensamentos. Pesadamente andei até meu armário e tirei de lá, um terno preto, e uma camisa branca, deixei a roupa pendurada em um cabide de frente para minha cama, sentei-me ali e fiquei encarando o terno, como se de lá, pudesse sair as respostas para todas as minhas dúvidas.

Acordei na manhã seguinte, comecei a chorar antes mesmo de abrir os olhos, hoje será o dia de dizer adeus ao meu amor, virei-me e dei de cara com o terno, as lágrimas se intensificaram. Eram 10:30a.m quando levantei-me e fui me arrumar. Fiz minhas higienes matinais, comi, arrumei meus cabelos, olhei no relógio, 11:40a.m.

Estava novamente encarando o terno, segurando as lágrimas, -” Eu não consigo “-. Coloquei uma calça jeans, uma camiseta eu uma jaqueta, desci correndo as escadas, sai e virei-me para trancar a porta, estava de costas quando sinto algo ser jogado em minhas costas. Travei. -” Não é real “-, olhei para meus pés e vi, uma pedra.

Vagarosamente virei-me e foquei os olhos naquela pequena pessoa, ele usava um terno todo branco, seu cabelo rosa estava deslindado, ele seus lábios um pequeno sorriso, lágrimas banhavam o seu rosto.

-Oi babaca - sussurrou - Posso entrar?

-Claro - disse chorando.

-” Sempre foi assim que começou, agora é rezar para não acabar “-.






 

 


Notas Finais


Foi isso pessoal, espero que tenham gostado 💙
Queria agradecer a @HikaruDaeYoon, pela capa fofa que ela fez 💙( super recomendo as fics dela )


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...