História Existem Finais Felizes e Finais Necessários - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias John Mayer, Park Ji-min (Jamie Park), Shawn Mendes
Personagens John Mayer, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Shawnmendes
Visualizações 39
Palavras 5.012
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, a fic vai ficando por aqui... amei escreve-la e espero que vcs tenham amado ler também. Escrevi de coração!
Comentem, compartilhem se tiverem gostado!
Pretendo começar outra fic mas é apenas um projeto... Boa leitura e até a próxima!

Vocês querem um epílogo??

Capítulo 30 - Capítulo final.


Fanfic / Fanfiction Existem Finais Felizes e Finais Necessários - Capítulo 30 - Capítulo final.

Shawn’s POV.



- Felipe? – Stephanie disse sorridente ao se levantar da cadeira e o abraçou. Estava confuso tentando entender quem ele era. Ana e Gabriela, trocavam olhares entre elas e ambas estavam aparentemente nervosas.

- Quanto tempo! Você tá maravilhosa. – O tal de Felipe disse e eu franzi o cenho.

- Obrigada. – Disse Stephanie parecendo sem graça. – Esse aqui é o Shawn, meu noivo. – Ela disse e eu me levantei da cadeira, estendendo minha mão para um cumprimento.

- Muito prazer, Shawn. Não sabia que você tava noiva. – Disse o Felipe se desfazendo do cumprimento.

- Sim! Vamos nos casar em duas semanas. – Ela disse sorridente e ele assentiu.

- Gabriela, Ana. Como estão? – Felipe disse e eu olhei para a Stephanie completamente confuso. De onde eles se conheciam?

- Depois... – Stephanie sussurrou em meu ouvido e eu assenti.

Todos da mesa cumprimentaram esse tal de Felipe e agradeceram pelo jantar.

- Fico feliz que tenham gostado. Foi muito bom te ver, Stephanie. Com licença. – Felipe disse por fim e se afastou.

Um silêncio constrangedor se apoderou da mesa.

- Vamos embora? – O pai da Stephanie se pronunciou.

- Vamos. – Disse Stephanie se levantando da mesa e pegando sua bolsa. Ela estava andando em direção a saída mas eu a impedi, puxando seu braço de leve.

- Aqui não, Shawn. Depois a gente conversa. – Ela disse e se afastou. Ana passou por mim e eu a chamei.

- Diga. – Ana disse ao se aproximar. John passou por nós, empurrando o carrinho de bebê com Mariana dormindo no mesmo. – Vão na frente, amor. – Ana disse para o John e o mesmo concordou.

- Quem é esse Felipe?

- Ah... – Ana disse coçando a nuca. – A Stephanie te conta, ok? – Ela disse sorrindo fraco e saiu.

Nos despedimos na porta do restaurante e cada um foi em direção a seu respectivo carro.

- Nos vemos no casamento! – Disse o pai da Stephanie ao entrar em seu carro.

Stephanie estava andando apressada em direção ao nosso carro. Abri a porta do passageiro e ela entrou em seguida. Dei a volta pelo carro e entrei no lado do motorista.

- Podemos conversar agora? Porque você tá estranha? Saiu praticamente correndo... – Eu disse antes de dar partida no carro. Só havia nos dois no estacionamento.

- O Felipe, é meu ex namorado. – Ela disse e eu respirei fundo, me ajeitando no banco do carro.

- Ah... aquele que você namorou por cinco anos? – Eu perguntei e ela assentiu.

- Eu não sabia que ele trabalhava aqui. Desculpe.

- Não tem problema. Encontros assim acontecem... – Eu disse tentando ao máximo evitar uma discussão. Ela pareceu muito nervosa na presença dele, animada também. Mas preferi não comentar sobre isso e esquecer o assunto. Dei partida no carro e fomos em direção ao hotel.



UM DIA ANTES DO CASAMENTO...


- E aí, Shawn! – Disse John ao entrar em meu quarto de hotel. Stephanie e eu estávamos dividindo o mesmo quarto mas como o casamento é amanhã, nos separamos pois eu não poderia vê-la até a cerimônia.

- Oi! – Eu disse sorridente.

- Vamos sair pra comemorar! Amanhã você vai se amarrar pro resto da vida... – John disse e eu o olhei incrédulo.

- Se a Ana estivesse aqui, você seria um homem morto. – Eu disse e ele riu.

- Tô brincando, cara. Casar é ter uma namorada pro resto da vida. Por isso eu demorei tanto pra achar a mulher ideal. A Stephanie é sua mulher ideal?

- Claro que Sim, John. Vou me casar com ela amanhã.

- Então por isso temos que comemorar! Apenas nós os padrinhos... Sem mulheres, não se preocupe. – Ele disse e eu suspirei aliviado.

- O que tem em mente?

- Vamos sair pra jogar pôquer e beber. – Ele disse e eu concordei animado.

- Por acaso você sabe o que as garotas vão fazer hoje?

- Não. Ana não me disse nada... Mas provavelmente vão sair pra beber também.

Tomei um banho antes de sair e me encontrei com os padrinhos no hall do hotel. Meu pai estava junto conosco.

- Então vamos? – Eu disse e eles assentiram.



Stephanie’s POV.



- Empresta seu batom vermelho? – Perguntei a Ana enquanto me arrumava no meu quarto de hotel.

- Não queria deixar a Mariana... – Ana disse enquanto me passava o batom.

- Amiga, vai ser por algumas horas... Sua mãe tá muito feliz em passar um tempo com a neta. Fica em paz e aproveita a noite. – Eu disse e ela assentiu.

- Bom, eu já tô pronta. Vou ver se as garotas também estão. Não demora! – Ana disse e saiu do quarto.


A princípio, queríamos sair para jantar, apenas as mulheres, mas Aaliyah teve a brilhante ideia de prolongarmos a noite em uma balada.


Eu bebi como se não houvesse amanhã, assim como minhas companheiras de festa. Ao sairmos da balada, haviam fotógrafos por todos os lados, com certeza para tirar sarro da nossa cara de bêbada depois. Mas soubemos disfarçar muito bem, e saímos sorridentes e acenando para as câmeras como se estivesse tudo bem. Ao conseguirmos, entramos em um táxi e voltamos para o hotel em segurança.

Ao chegar em meu andar, tirei as sandálias e fiquei descalça. Estava um pouco alegre mas não havia chegado no meu limite ainda.

Entrei em meu quarto de hotel e antes que eu pudesse fechar a porta, uma mão impediu e entrou, me agarrando pela cintura, me jogando contra a parede.

- Isso são horas? – Shawn perguntou e estava muito próximo ao meu rosto. Ele levantou minhas mãos acima da minha cabeça e eu sorri maliciosamente.

- Você não deveria estar aqui... – Eu disse e ele empurrou a porta com o pé, fechando-a.

- O que você acha de adiantarmos a noite de núpcias? – Ele disse baixo em meu ouvido e mordeu o lóbulo da minha orelha.

- Hum... Me beija, Shawn. – Eu disse olhando em seus olhos profundamente. Shawn sorriu de lado e me beijou calorosamente. Ele soltou minhas mãos, então eu pude envolver seu pescoço, puxando seu cabelo de leve. Ele pressionava meu corpo com o seu, descendo suas mãos até minha bunda e apertando. Nossas respirações pesavam durante o beijo e eu arfei. Shawn sorriu entre beijos.

Eu levei suas mãos até a barra do meu vestido, fazendo com que ele a puxasse para cima, para tira-lo de uma vez de meu corpo.

Fomos em direção a cama mas sem parar de nos beijar.

Me deitei na cama e Shawn se deitou sobre mim. Beijava meu pescoço, dando leves mordidas, seguindo um caminho até meu ombro. Então, com os dentes, Shawn desceu a alça de um lado do meu sutiã e repetiu o ato do outro lado. Ele apertou meus seios e voltou a me beijar na boca com ferocidade, mordendo meu lábio inferior.

- Que fogo você tá hoje... – Eu disse sorrindo, de olhos fechados apenas sentindo seus toques.

- Eu não ia conseguir dormir sabendo que você está há poucos metros de mim... – Ele diz enquanto tira meu sutiã, e joga no chão do quarto. – Sabendo que você tá aqui nesse quarto de hotel, sozinha... – Disse beijando entre meus seios. – Apenas esperando pra eu te foder. – Ao ouvir essas palavras, só ajudou para que eu ficasse mais molhada.

Shawn desceu os beijos até minha barriga e retirou a única peça de roupa que me restava. Ele se levantou, ficando em pé de frente para a cama e retirou sua camiseta, seguido de sua calça jeans e sapatos. Ficando apenas de cueca box. Ele sorriu de lado e voltou a deitar sobre mim.

Colocou suas mãos em meu clitóris, enquanto lambia meu seio e mordia de leve. Arqueei meu corpo, ao sentir seus dedos me penetrar. Então eu apenas arranhava suas costas a cada movimento dele em minha intimidade.

- Aahh... Shawn... – Eu disse entre gemidos.

- Geme meu nome... mais alto... – Ele disse enquanto chupava meu outro seio. – Pede...

- Shawn... – Era a única coisa que eu conseguia dizer naquele momento.

- Pede pra eu te foder...

- Me fode agora! – Eu disse com o pouco de ar que me restava e Shawn sorriu de lado saindo de cima de mim.

Ele se levantou, tirando sua cueca e ficou parado me olhando. Enquanto eu contemplava seu corpo escultural.

- Tá esperando o que? – Eu disse e abri mais as pernas para que ele pudesse ver o meu estado. Ele colocou a mão sobre seu membro, e começou a fazer movimentos de vai e vem.

- É isso que você quer? – Ele disse ainda segurando seu membro.

- É isso que eu quero, Shawn. – Eu disse com uma voz sexy e ele sorriu, voltando a se deitar sobre mim.

Shawn estava roçando nossas intimidades, e ele sabia que aquilo me deixava louca. Ele me beijava com paixão e eu grunhi durante o beijo.

- Para de me fazer implorar! – Eu disse e sem aviso ele me penetrou com força, fazendo movimentos rápidos. Eu estava gemendo tão alto que o Shawn tampou minha boca com sua mão. Não sei se era porque eu tinha bebido, mas a sensação era mil vezes mais gostosa.

O único som que ecoava pelo quarto, era de nossas respirações pesadas e nossos corpos se amando.

Shawn parou com a as estocadas e saiu de dentro de mim.

- Fica de quatro, amor. – Ele pediu ofegante e sem pensar duas vezes eu realizei seu desejo, empinando mais ainda minha bunda. – Puta que pariu... – Shawn disse dando um tapa na minha bunda e voltou a me penetrar.

- Meu Deus, Shawn... – Eu disse entre gemidos completamente ofegante. Senti que estava chegando no meu limite.

- Vai gozar, amor? – Shawn pergunta ofegante enquanto me estocava.

- Vou... – Eu disse ofegante.

- Então goza comigo... – Ele disse e eu cheguei no ápice. Shawn então, saiu de dentro de mim, se deitando na cama.

Trocamos algumas carícias ainda pela madrugada e caímos no sono.



Acordei por volta das nove da manhã, sorridente. Liguei o som do quarto e Shawn ainda estava dormindo.

- AMOR, ACORDA AGORA! VAMOS NOS CASAR! – Eu disse praticamente gritando e Shawn cobriu a cabeça com o travesseiro resmungando.

De repente batem na porta. Me enrolo no lençol e vou até a porta, abrindo devagar.

- Oi... – Eu digo um pouco surpresa ao ver, Ana, Aaliyah, Camila, Gabi, Karen, Lilian, Giovanna e Helen.

- Bom dia noivinha! Vamos tomar café! – Ana disse empurrando a porta do quarto mas eu a impedi.

- É que... – Eu disse saindo no corredor para que elas me vissem. Minha sogra estava ali mas quem disse que eu me importei?

- Ah não... Você dormiu com outro? – Ana diz e eu dou um tapa de leve em seu braço.

- Tá maluca? O maluco do Shawn entrou no meu quarto ontem e... – Disse fazendo uma cara de constrangida.

- Ah... Já entendemos... – Aaliyah disse e eu ri.

- Esperem aqui. Vou tirar ele desse quarto. – Eu disse entrando no quarto novamente e fechando a porta.

- Shawn, levanta agora! Sua mãe tá aí fora! – Eu disse e ele levantou assustado.

- Vamos nos CASAR, amor! – Ele disse e me beijou. Quem entende a bipolaridade desse ser humano?

- Vamos mas antes, preciso que você desapareça desse quarto! Tem umas quinze mulheres nesse corredor!

- Tô indo amor. – Shawn disse enquanto se vestia. – Te amo e até mais tarde! – Ele disse por fim colocando a camiseta e abriu a porta.

- Bom dia garotas! – Ele disse com a maior cara de pau e beijou sua mãe na testa. – Hoje é um dia importante... – Shawn não conseguiu terminar a frase.

- Some, Shawn. – Disse Aaliyah fazendo todas nós rirem.

- Já fui. Te amo amor! – Ele disse e correu para o elevador.

- Pode entrar, gente... – Eu disse e elas entraram.



Os cabeleireiros e maquiadores haviam chegado para nos deixar lindas para a cerimônia.

Optei por deixar meu cabelo meio solto e ondulado. A maquiagem era leve e natural. Meu vestido era tomara que caia e os das madrinhas, optei pela cor azul marinho. Seria uma cerimônia no campo e em seguida o jantar seria servido dentro de um buffet.


A cerimônia estava marcada para às 19h, e eu estava vinte minutos atrasada.


Me olhei pela última vez no espelho, e me virei de frente para minhas madrinhas. Elas me olhavam com ternura e ao mesmo tempo encantadas.

- Você tá incrível! – Disse Helen, namorada do meu pai, enquanto secava algumas lágrimas.

Eu não conseguia dizer nada. Estava emocionada demais para isso, então elas simplesmente me abraçaram.

- Precisamos ir. Shawn deve estar impaciente. – Eu disse e elas sorriram.

Cheguei no hall do hotel e senti todos os olhares sobre mim. Assim que eu saí em direção a limusine que me esperava, uma chuva de flashes surgiu mas os seguranças me protegeram até o veículo.



Shawn’s POV.



- E se ela mudou de ideia? – Eu disse para John e Ed que estavam ao meu lado, os mesmos reviraram os olhos.

- Pela milésima vez, fica calmo! – John disse irritado.

- Acabou de chegar mais familiares da Stephanie. Vou cumprimenta-los.

Já havia cumprimentado praticamente todos os convidados e eu estava muito nervoso. Andava de um lado para o outro, até que meu pai se aproximou.

- Os carros chegaram! – Disse meu pai e eu suspirei aliviado.

- Shawn, você precisa ficar por aqui, os padrinhos já vão entrar e em seguida será você e sua mãe. – Disse a cerimonialista e eu concordei com a cabeça.

Os padrinhos se posicionaram para passar pela passarela até o altar.

- Meu filho tá casando... – Disse minha mãe com lágrimas nos olhos.

- Mãe, não chora agora. Precisamos entrar. – Eu disse sorridente e a beijei na testa. Ofereci meu braço a ela e a mesma o envolveu com o seu.

Eu caminhava pela passarela, sentindo todos os olhares sobre mim. O que eu sentia naquele momento? Um nervosismo sem explicação. Uma emoção tão grande quanto entrar em um palco para se apresentar para mais de 60 mil pessoas. Era algo surreal.

Ao chegar no altar, soltei do braço da minha mãe e a mesma se derramava em lágrimas.

Estava no altar com as mãos à frente do meu corpo, quando a marcha nupcial começou a tocar. E assim eu a vi, no final da passarela, vestida de branco, com seu braço entrelaçado com o de seu pai, caminhando lentamente em minha direção. Eu só sabia sorrir. Senti vontade de chorar de emoção, então deixei que as lágrimas escorressem.

Ela estava com um sorriso diferente. Um sorriso que eu desconhecia o significado mas eu sabia que era um sorriso cheio de amor.

Enfim ela chegou no altar, se soltando do braço de seu pai. Os dois se abraçaram emocionados e em seguida, meu sogro me puxou para um abraço apertado.

- Ela está em suas mãos agora. – Disse ele em meu ouvido e eu sorri.

- Cuidarei dela com a minha vida. – Eu disse e nos afastamos emocionados.

- Você... – Eu tentava buscar palavras para dizer a ela.

- Você também. – Ela respondeu e eu peguei em sua mão, entrelaçando nossos dedos, nos posicionando para o início da cerimônia.

- Shawn Peter Raul Mendes, você aceita Stephanie Vieira Mendonça como sua esposa, para ama-la e respeita-la, na saúde e na enfermidade, até que a morte os separe? – Perguntou o juiz e eu olhei para Stephanie com o meu melhor sorriso.

- SIM! – Respondi no microfone sem tirar os olhos dela.

- Stephanie Vieira Mendonça, você aceita Shawn Peter Raul Mendes como seu esposo, para ama-lo e respeita-lo, na saúde e na enfermidade, até que a morte os separe?

- SIM! – Ela respondeu sem deixar de me olhar e com seu melhor sorriso.

- Vamos dar início aos votos. Shawn por favor, pode começar. – O juiz disse me entregando um microfone. Me virei de frente para Stephanie e a olhava com ternura.

- Sempre sonhei em encontrar uma mulher que me trouxesse paz, que me trouxesse conforto e me aceitasse exatamente como sou. Aí eu conheci você. E você não era nada disso. – Eu disse e todos riram ao mesmo tempo. – Quem diria que em um simples restaurante, no centro de Toronto, exatamente meia noite e quinze, eu iria conhecer o amor da minha vida. – Eu disse tentando conter as lágrimas. Stephanie sorria entre o choro de emoção. – Você realmente entrou para bagunçar a minha vida. Mesmo depois de todas as turbulências, estamos aqui, firmes e nos amando como nunca. Há quem duvidou de um pedido de casamento público, mas isso não vem ao caso. – Mais uma vez todos riram. – Stephanie, quero te agradecer por ter bagunçado minha vida. Por amar e cuidar da minha família como ninguém. Por me amar. Por me cuidar. Por me apoiar e até por brigar comigo quando necessário. Hoje, na frente de todos aqueles que amamos, lhe prometo que te amarei, só enquanto eu respirar. Só enquanto. – Eu disse e todos aplaudiram. Entreguei o microfone a Stephanie.

- Agora é minha vez de expressar meu amor à você. – Ela disse e respirou fundo. – Shawn, soube que você era a pessoa com quem queria envelhecer quando aprendi contigo, a compartilhar. Fiquei pensando no que te dizer, então eu preferi agradecer. Obrigada pelo café da manhã maravilhoso que só você sabe fazer. Obrigada pelo espaguete ao pesto incrível que você faz, mesmo você dizendo que é um espaguete à la Mendes, eu sei que foi sua mãe que te passou a receita. – Ela disse me fazendo rir assim como todos os convidados. – Obrigada por ser tão companheiro e amigo. Obrigada por ser paciente, eu sei que não sou fácil de lidar, principalmente quando estou de TPM. Obrigada pelos quatro anos de amor e aprendizados. Obrigada por ter uma voz maravilhosa e escrever as mais belas canções e me escolher para ser a primeira a ouvir. Obrigada por ter me escolhido, para passar o resto da vida ao seu lado. Hoje é a prova de que o amor existe. Ele realmente tem o poder de unir as pessoas. Shawn, eu escrevi seu nome no meu destino. E com tudo isso eu aprendi que alguns fins são necessários, mas escolhemos ficar com o final feliz. – Ela disse por fim e todos aplaudiram novamente, emocionados.

- As alianças, por favor. – Disse o juiz. Então, o filho da Giovanna e Ji-min, entrou pela passarela envergonhado, vestido com um terninho, segurando nossas alianças. Todos sorriam ao ver o garotinho de três anos andando até o altar. Eu peguei os anéis e um deles entreguei para Stephanie.

Beijei a aliança dela antes de colocar em seu dedo anelar, e a Stephanie fez o mesmo, colocando em meu dedo.

- Eu os declaro, marido e mulher. Pode beijar a noiva, Shawn. – O juiz disse sorridente e eu a beijei apaixonadamente. Todos se levantaram de seus assentos, aplaudindo.


A cerimônia foi encerrada, e todos se dirigiram as suas respectivas mesas, onde seria servido o jantar. Stephanie e eu seguimos em direção a uma sala, pois a mesma iria trocar o vestido para um mais confortável para ficar durante a festa.

- Eu tô tão feliz, meu amor! – Ela disse se aproximando para um abraço apaixonado.

- Não existe alguém mais feliz do que eu! – Eu disse e nos beijamos.


Assim que nos arrumamos, voltamos para o jantar.

Em seguida a festa começou e todos foram em direção a pista de dança.


Os convidados bebiam, dançavam todas as músicas, contentes por compartilhar esse momento tão importante para nós.

Nosso vôo para a lua de mel sairia no dia seguinte pela manhã, então começamos a nos despedir dos convidados, afinal, ficaríamos quase dois meses viajando.

- Obrigado a todos por comparecerem nesse momento tão especial! – Eu disse para todos os convidados.

- Filho, seu pai e eu te amamos. – Minha mãe me abraçou. – Stephanie, bem vinda oficialmente a família Mendes! – Ela disse e abraçou Stephanie carinhosamente.

- Boa viagem filho! Boa viagem nora! – Meu pai disse enquanto nos abraçava.

- Tchau filha. Boa viagem aos dois e mandem notícias! – Disse o pai da Stephanie ao se aproximar de nós.

Depois da despedida um tanto quanto emocionante, entramos no carro em direção ao hotel que estávamos hospedados.



Stephanie’s POV.



- Chegamos, marido! – Eu disse saindo do carro e correndo para o elevador.

- Espera, esposa! – Shawn disse enquanto corria me seguindo. Entramos no elevador e Shawn me pressionou contra a parede, me beijando apaixonadamente. A porta do elevador se abriu em nosso andar e Shawn parou de me beijar.

- Vem aqui. – Shawn disse me pegando no colo, assim como nos filmes.

- Que clichê! – Eu disse e ele riu.

- Quero que seja bem tradicional. – Ele disse enquanto abria a porta do quarto com um pouco de dificuldade. – Agora sim você é oficialmente minha mulher. – Ele disse me colocando no chão novamente ao entrarmos no quarto.

Puxei o Shawn pelo colarinho da camisa, para um beijo intenso. Tirei seu paletó, jogando em qualquer canto. Senti sua língua explorar minha boca com ferocidade. Eu sorri ao sentir. Desabotoei sua camisa e sua calça, o deixando apenas de cueca. O fiz sentar na cama e me afastei.

- Tira a roupa. – Shawn disse com a voz rouca e eu abri meu vestido lentamente, deixando deslizar sobre meu corpo. Ele me olhava com luxúria. Estava usando uma lingerie branca branca de renda com cinta liga, e lacinho.

- Meu Deus... Você é muito linda... – Shawn disse ao me ver apenas de lingerie. – Pena que eu vou arrancar tudo isso. – Ele disse se levantando da cama e me agarrando pela cintura. Me jogou sobre a cama, me fazendo arfar. Então começou a tirar peça por peça do meu corpo, de forma provocativa.

Me agarrei em seu pescoço, fazendo nossos corpos rolar pela cama, me deixando em cima dele. Shawn me olhava com desejo.

- Fica quietinho. – Eu disse enquanto beijava seu pescoço, mordendo de leve. Ele tentava tocar meus seios, mas desistiu e apertou minha bunda com força. Comecei a rebolar em cima de seu membro, mas ele ainda estava de cueca.

- Não faz isso... Você me deixa louco. – Shawn disse rouco enquanto eu descia os beijos para seu abdômen.

Abaixei sua cueca devagar, vendo seu membro grande surgir. Envolvi minhas mãos sobre ele, fazendo movimentos leves de vai e vem. Shawn já estava começando a ficar ofegante. Passei minha língua por toda a extensão de seu pênis, e finalmente o coloquei na boca.

Shawn arqueou de leve seu corpo, no momento em que comecei a chupar seu pênis. Então envolveu suas mãos em meus cabelos, segurando para não atrapalhar. Ele pressionou de leve minha cabeça, dando a entender que queria que eu fosse mais fundo.

- Isso, amor. Chupa ele todinho... – Shawn disse rouco e eu continuei. – Vem pra cá amor. Senta aqui um pouco. – Ele disse e eu soltei minha boca de seu membro e engatinhei até seu rosto, aproximando nossos lábios. Em apenas um movimento, me colocou por baixo dele e começou a beijar meu pescoço.

- Mas eu... – Não pude terminar a frase pois senti os lábios de Shawn abocanhar meu seio.

- Shhh... Se você der um pio, vou te chupar todinha. – Ele disse enquanto lambia meus seios. Estava me segurando para não gemer. Então ele se levantou de cima de mim, e andou até o frigobar do quarto. Pegando um pouco de gelo. Colocou um cubo de gelo em sua boca e se aproximou novamente, passando sobre meus seios e percorrendo por toda minha barriga. Arqueei meu corpo ao sentir o gelado passear pelo meu corpo. Me arrepiei por inteira. Shawn continuou percorrendo o cubo de gelo pelo meu corpo, chegando em minha intimidade, não pude mais me conter e eu gemi.

Shawn riu, soltando a pedra de gelo na cama e se posicionou entre as minhas pernas, passando sua língua gelada por toda minha intimidade.

- Shawn... – Eu disse entre gemidos e ele continuou passeando sua língua por todo meu sexo.

Depois de alguns minutos me fazendo revirar os olhos de prazer, Shawn se posicionou entre as minhas pernas e me penetrou. Ele gemia baixo e ao ouvi-lo, comecei a gemer mais alto que o normal e mais uma vez ele tampou minha boca com sua mão. Suas costas já estava toda arranhada e eu o ouvia grunhir quando eu arranhava ainda mais. Mas não era porque estava doendo, ele gostava de ficar marcado por minhas unhas.

Fizemos amor o resto da noite, e acabamos dormindo.



Pela manhã, acordamos, tomamos nosso primeiro café da manhã como casados e seguimos em direção ao aeroporto de Guarulhos.

Embarcamos no jatinho de Shawn e seguimos em direção a nossa lua de mel.



Visitamos todas as ilhas paradisíacas da Ásia e nosso último destino era o Japão mas dessa vez, iríamos visitar todas as cidades turísticas.



Voltamos a tempo para a comemoração do aniversário de 1 ano da Mariana.



Comemoramos cinco anos juntos.



Comemoramos um ano de casados.



Comemoramos dois anos de casados.



Toronto, 21 de fevereiro de 2024.



Shawn estava fazendo um show em Nova York, enquanto Aaliyah e eu estávamos tomando café da manhã na casa dos pais de Shawn.

Karen estava no telefone com Manuel. O mesmo estava acompanhando o Shawn nesse show, já que eu não pude por conta do trabalho.

- Já volto. – Eu disse me levantado da mesa correndo até o banheiro. Vomitei todo o café da manhã que havia acabado de comer. Respirei fundo, me apoiando na pia. Enxaguei a boca e mais uma vez a sensação de enjoo voltou. Vomitei pela segunda vez. Mas que merda é essa?

- Querida, tá tudo bem com você? – Ouvi a voz de Karen do outro lado da porta.

- Não sei, Karen. Eu tô muito enjoada. – Eu disse e abri a porta do banheiro. Ela me olhava preocupada mas de repente mudou seu olhar para, ternura (?)

- Querida, quando foi sua última menstruação? – Ela pergunta e Aaliyah surge atrás dela.

- Não faço ideia. Tô cheia de trabalho na empresa que nem pensei nisso... – Eu disse me sentando em um banco. Karen e Aaliyah trocavam olhares significativos.

- Você acha que isso pode ser um sinal de gravidez? – Karen.

- O que? Não! Shawn nem conversamos sobre isso ainda. É só um enjoo. Daqui a pouco passa.

- Filha, vai na farmácia comprar um teste de gravidez, por favor. – Ela pediu a Aaliyah e a mesma saiu imediatamente.

- Não precisa se preocupar, Karen. Já estou melhor. – Eu disse e ela sorriu.

Alguns minutos depois, Aaliyah chega com o teste.

- Só para ter certeza que não é nada. – Aaliyah diz me entregando o teste e eu reviro os olhos.

Entro no banheiro e faço o teste. Aguardo os minutos necessários e fico em choque.

- Uma carinha feliz significa o que? – Eu pergunto esperando que seja negativo. Não que eu não quisesse ter um filho mas não sei como Shawn reagiria ao saber disso.

- POSITIVO! – Karen disse com lágrimas nos olhos, abraçando Aaliyah.

- Peraí, deve ser falso positivo. – Eu digo engolindo seco e olhando para o teste novamente.

- Você tá grávida, cunhada! – Aaliyah me abraçou e eu comecei a chorar.

- O Shawn vai me matar!

- Ele vai morrer de felicidade, isso sim! Larga de ser boba! – Karen disse pegando o telefone.

- Vai ligar pra quem? – Pergunto assustada.

- Pro seu marido! Vou pedir pra ele antecipar a volta pra Toronto.

- Não, Karen. Por favor!

- Ele precisa saber, querida. Vai dar tudo certo. – Ela disse e eu respirei fundo.

Shawn voltou no mesmo dia para Toronto, logo depois de seu show. Eu não queria preocupa-lo mas foi tarde demais.

Eu ainda estava na casa dos pais de Shawn, apenas esperando pela chegada do meu marido e do meu sogro.

- Oi gente! – Shawn disse sorridente ao cruzar a porta. – Chegamos!

- Oi amor, como foi o show? – Eu digo tentando não transparecer meu nervosismo.

- Tudo ótimo, linda.

- Oi família! – Disse Manuel.

- Shawn, sua esposa tem algo a dizer. – Karen diz com lágrimas nos olhos e Shawn nos olha preocupado.

- Coragem. – Aaliyah diz atrás de mim.

- Ok. Então, amor... – Eu tento procurar as palavras.

- Fala logo, amor! Tô preocupado! – Shawn disse ansioso e eu lhe entreguei uma caixa. O mesmo me olhava confuso.

- Abre. – Eu disse e Shawn abriu. Na caixa havia mais três testes que eu havia feito apenas para confirmar. Ele olhava para a caixa e para mim.

- Isso aqui... – Ele buscava as palavras. – Isso é o que eu tô pensando?

- Uhum... – Eu disse e comecei a chorar. Shawn me abraçou.

- Vou ser pai? Meu Deus!

- Amor eu sei que não conversamos... – Eu ia dizendo mas Shawn me interrompeu.

- Ele ou ela veio na hora que achou que tinha que vir. E eu quero gritar pra todo mundo ouvir que sou o cara mais feliz do mundo! – Ele disse e me beijou com ternura.



Naquela mesma semana, eu havia marcado uma consulta no médico para saber se estava tudo bem e começar com o pré Natal.

Não ia contar para ninguém até ter a certeza do médico.



Naquela mesma semana, recebi a notícia que Ana também estava grávida, de três meses! Mas ela não sabia que estava pois não teve nenhum sintoma. Era um menino.

Eu queria tanto compartilhar a notícia com a minha amiga mas precisava da certeza antes de tudo.



O dia da consulta chegou e, Shawn, Karen, Manuel e Aaliyah me acompanharam.

- Bom, vamos ver o destino dos futuros pais. – Disse a médica enquanto colocava uma espécie de gel em minha barriga. Shawn pegou em minha mão e nos olhávamos atentos para a tela do ultrassom.

- Então, doutora, eu realmente estou grávida? – Pergunto e ela me olha sorridente.

- Sim e o mais legal dessa gravidez que vem por aí, é que vocês estão esperando, não um só mas sim, dois!

- GÊMEOS?! – Shawn e eu dissemos ao mesmo tempo e nos olhando com cara de assustados.



Fim...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...