História Exo, My Neighbor? - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Baekhyun, Chanyeol, Exo, Exo Next Door, Kai, Kyungsoo, Mark, Neighbor, Novela, Romance, Suho
Visualizações 59
Palavras 5.727
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioioioioioiii
Desculpa a demora, again e again.

Eu tô muito animada por esse capítulo e para os outros que virão, espero que vocês também estejam porque olha... rsrsrs

Ignorem os erros, se tiver, por favor. Na hora de revisar a gente sempre dá uns bugs.

Capítulo 7 - You don't know


Fanfic / Fanfiction Exo, My Neighbor? - Capítulo 7 - You don't know

– VERSÃO ELISA –

Los Angeles — 7 horas da noite


Saio do banho, indo em direção ao meu quarto e rapidamente visto uma roupa, sendo essa uma calça jeans azul de tom escuro e uma blusa regata, e logo calço uma sapatilha preta. 

Em seguida vou para o quarto de minha mãe. Abro a porta do local e vejo-a dormir profundo, sinto dó de acordá-la, mas eu precisava.


- Mãe. - acaricio seu rosto e ela abre seus olhos lentamente - Eu preciso ir para a faculdade agora. Você vai ficar bem?


- Sim. 


- Não esqueça dos seus remédios.


- Tudo bem. - ela passa suas mãos sobre meu cabelo que no momento estava molhado


- Você pode me ligar a qualquer momento, e eu virei correndo.


- Não se preocupe. - como se isso fosse fácil 


- Me liga, está bem? - ela confirma com a cabeça - Eu te amo. - abraço-a e sinto o seu calor


 - Eu te amo. - ela beija meu rosto e em seguida pego meu casaco preto e minha bolsa logo saindo do local





– VERSÃO ELISABETH –



Deixo a TV ligada para não ficar aquele silêncio de morte, e novamente me deito sobre a cama. 

E é neste momento em que milhares de pensamentos passam por minha mente.

Eu já estava sendo um fardo para Elisa. Ela faltava à faculdade para me vigiar e ver se estava tudo bem. Claro, eu sei que ela é minha filha e já que somos apenas nós duas, deveríamos cuidar uma da outra. 

Mas como poderíamos fazer isso, sendo que ela cuidava apenas de mim? E quanto à ela, e a sua vida? 

Elisa tem um gênio muito forte em cuidar de quem ama acima de si mesma. 

Confesso que, estou sendo burra por esconder essa doença de Elleirbag. E eu me culpo por isso todos os dias. 

Mas sabe o porque de eu não contar? É por que, eu sei como ela agiria. Ela e Elisa apesar de não serem gêmeas, são iguais em certas atitudes.

Meu Deus, por que eu dei educação à elas mesmo? Ok, se eu não desse seria bem pior. Mas eu não... ai, essa minha mente martilizadora.

Quando finalmente deparo-me estou chorando.






– VERSÃO ELISA –



Eu estava sentada em uma arquibancada de assentos reclináveis, assim como todos os outros alunos. 

As horas vão passando e ainda não consegui me concentrar naquela aula devido a minha preocupação com minha mãe.

 Sozinha o dia inteiro...  Tenho medo de sua situação piorar e ela ignorar a ideia de me ligar, pensando que pode se virar sozinha. Sendo que não pode. Ela é teimosa demais.


Eram exatamente 9 horas da noite , meu coração estava apertado e situações horríveis passavam por minha mente, eu precisava vê-la. Ela estava precisando de mim.

Levanto daquele acento, tendo a atenção de todos em cima de mim, inclusive a do professor. Que não dirige nenhuma palavra à mim, assim que saio daquele local.


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


Saio daquele local e procuro um táxi, logo encontrando o mesmo e indo direto para casa.


Chegando lá, vejo-a caída ao chão, de joelhos, ela chorava tanto que não percebeu a minha presença.


- Mãe? - ajoelho em sua frente e consigo ver seu rosto, e estava vermelho - O que houve? - toco em sua testa e ela estava queimando


- Minha cabeça.. está explodindo. Junto com o meu coração.


- Por favor, não diga isso. - sinto uma lágrima cair por meu rosto - Onde está o seu remédio?


- Eu não sei... - ela responde e eu sigo até o banheiro do quarto, abro o armário e encontro o remédio


- Tome-o, rápido.


- O que faz aqui? - ela pergunta, já calma


- Cuidando de você.


- Como você sabia? Espera, o que deu em você? Mas e a faculdade?


- Como eu sabia? - rio contido - Eu apenas sabia. - ela se mantém séria assim que respondo - Eu não ligo pra faculdade, eu ligo pra você mãe. Você é a minha prioridade.


- Filha, eu... - interrompo-a


- Mãe, eu vou trancar a faculdade. Só por um tempo, até você ficar boa novamente.


- Não, você não pode fazer isso consigo mesma.


- Essa é uma decisão minha.


- Eu sinto muito.


- Mãe, voc... - meu coração aperta assim que vejo suas lágrimas caírem por seu rosto


- Me desculpe por ser um fardo...


- Para, não diga isso. Mãe... - meu abraço alcança o seu de forma apertada e carinhosa


- Eu sinto muito, filha...


- Mãe, por favor para. A culpa não é sua. - ela se mantém em silêncio mas eu ainda conseguia ouvir o seu choro



Eu já estava soluçando devido ao choro e ela manteve aquele abraço quentinho e seguro por mais algumas horas. 

Ela continuava com esse pensamento de ser um fardo. Eu nunca sei o que dizer à ela, eu não sei o que fazer, e isso é o que mais me machuca.


 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


As horas se passaram e nós ainda estávamos ali, deixando o abraço falar por nós mesmas.

Ouço o toque de chamadas do meu celular ecoar de forma alta.


- O que é? - ela pergunta assim que alcanço o celular dentro de minha bolsa que antes estava no chão perto de nós duas


- É uma chamada por vídeo.


- Da Elleirbag? - ela pergunta rapidamente


- Sim. O que eu faço?


- Não atenda.


- Por que? Mãe, nós... - ela me interrompe


- Nós não estamos bem agora.


- Simplesmente ignoramos ela?


- Eu sei que é difícil, mas você conhece sua irmã.


Suspiro: - Tudo bem. 


Assim que desligo o celular, meu coração aperta novamente. E um sentimento de culpa vêm sobre mim.






– VERSÃO ELLEIRBAG –

Seul - 10 horas da manhã 


- Urg! Por que elas não me atendem? Que raios... - desligo e jogo o celular sobre a cama depois de 20 chamadas ignoradas


- Calma. - Chung estava ali, sentada na cabeceira de minha cama me observando de forma séria


- Elas não me atendem. - sinto meu coração apertar e minha preocupação aumenta ainda mais


- Você não sabe, Elle.


- Não sei o que?


- Você não sabe o que pode ter acontecido, elas devem estar ocupadas. Ou estão dormindo.


- Que horas são em Los Angeles?


- Eu não sei. Umas dez horas da noite? Ou menos?


- Eu não entendo o fuso.


- Muito menos eu. - ela comenta e vejo um sorriso em seu rosto


- Por que você está sorrindo?


- Eu? Não estou sorrindo.


- Hum.


- Eu estou rindo da sua cara.


- Chung-Hee.


- O quê? Você realmente é muito fofa quando está preocupada.


- Sério, Chung?


- Uhum.


- Quer me ver irritada?


- Uhum. - ela afirma e mudo minha expressão facial - Ér.. Eu vou dar uma volta por aí.


Rio: - Idiota.


- Você me assusta, sabia?


- Não. Obrigada por me lembrar disso. - digo e ela abaixa sua cabeça saindo do local



~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~



Estávamos saindo de casa quando nos deparamos com Kai e Chanyeol em frente à sua casa. Eles usavam roupas pretas e bonés na mesma cor.

 Sinto meu coração palpitar de forma dolorosa no momento em que nossos olhares se encontram. 



- Hey yo! - Kai nos cumprimenta com um sorriso enorme enquanto Chanyeol se manteve em silêncio


- Olá. - falo formalmente me curvando rapidamente para eles


- O que é isso? - ouço Chanyeol resmungar em baixo tom e antes que eu pudesse responder Kai interrompe


- Como vocês estão?


- Bem, obrigada. - respondo ainda formalmente e Chung aperta meu braço contra o seu


- Nós temos que ir agora... - Chung se manifesta e percebo que Chanyeol mantinha seu olhar em mim e miro o meu olhar em uma árvore qualquer - Se cuidem.


- Vocês também. - Kai responde e lança outro sorriso e fazemos o mesmo


Sinto Chung me puxar e retomamos nosso caminho até o ponto de ônibus mais perto.





– VERSÃO KAI –


- O que foi isso? - ouço Chanyeol indagar de forma incrédula - Ela realmente falou formalmente conosco?


Rio contido: - Parece que sim.


- Que sexy...


- O que você disse? - me surpreendo com o que Chanyeol acabara de dizer


- Oi? Nada... Pensei alto.


- Hum. Ok.


- Vamos logo. - sinto-o me cutucar e começo a rir - Coloque sua máscara.


- Certo.






– VERSÃO CHUNG –



- Não acredito que você falou formalmente com eles. - tento controlar meu riso mas era impossível - Você é ridícula. - vejo Elle revirar os olhos e logo me acerta um tapa no braço



- Cala a boca.




– VERSÃO ELLEIRBAG –


Descemos do ônibus e seguimos até a Cafeteria Kwang, havíamos marcado um encontro com Hunnybe às 11 horas.


Entramos no local e nos deparamos com a mesma sentada ouvindo música completamente dispersa.

Sigo em passos rápidos até ela e pulo em sua frente, assustando-a.


- Droga. - a coreana dá um pulo na cadeira e não controlo minha risada - Você me assustou!


- Desculpe, Hunny. Ela tem problemas. - Chung fala e as duas começam a rir


- É verdade, tenho muitos problemas. E o principal deles, é você Bum Chung-Hee. - argumento e jogo um sorriso cínico para a mesma


- Você não sabe brincar. - Chung responde e rio com a companhia de Hunnybe







– VERSÃO KYUNGSOO –


Acordo e vejo as horas no celular. Já eram 12hrs.

 Nunca dormi até tão tarde em toda minha vida.

Levanto rapidamente e vou até o banheiro, e em seguida tomo um banho rápido.


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


Saio do banheiro e vou até o guarda-roupa, alcanço a primeira blusa que vejo, sendo essa uma regata preta, e logo visto uma calça moletom cinza, onde estava escrito SUPREME.

Em seguida saio do local, indo até a cozinha.


Deparo-me com Chanyeol e Kai indo em direção à cozinha, com pacotes do Starbucks.


- Bom dia. - ouço Chanyeol me cumprimentar de forma calma


- Quase tarde.


- Compramos pão de queijo pra você. - Kai me entrega um pacote e jogo uma piscadela para o mesmo


- Você viu o Suho? - pergunto e antes que Kai pudesse responder, Suho aparece junto dos membros


- Ouvi meu nome. - ele apóia suas mãos em meus ombros e olha para Kai - Estavam falando de mim? - logo negamos em silêncio


- Você dormiu bem, pelo visto. - Chen comenta em seguida sentando-se ao lado de Kai e Chanyeol que se mantinham quietos


- O sonho foi bom? - ouço as risadas de Xiumin e antes que pudesse argumentar Suho interrompe


- Não comecem. - o nosso líder fala e agradeço mentalmente - Só porque ele tem uma namorada e vocês não. Invejosos. - ... até você Suho... 


- Nós somos amigos. - aperto minhas mãos de forma irritada


- Verdade. Assim como Suho é amigo de Elleirbag. - Lay se manifesta


- Quem disse isso? Eu não sei nada sobre ela. - Suho indaga - Nós apenas conversamos no Central Park. 


- O que vocês conversaram? - Sehun pergunta curioso assim como todos os outros ali


- Nada demais.


- Você gostou de dançar com ela, Suho? - Chen pergunta e olho para Chanyeol onde seu semblante se fechava rapidamente


- Eu me senti bem. Ela é legal. - vejo o sorriso envergonhado nos lábios de Suho


- Ela é bonita, não é ? - Xiumin pergunta animado


- Por que vocês não calam a boca? - antes que mais alguém indagasse algo, Chanyeol se manifesta em um tom de voz irritado - Estão me dando dor de cabeça. - o coreano sai rapidamente da cozinha e vejo-o sair da casa, sem rumo


- O que deu nele? - Kai pergunta sem entender assim como os outros garotos 





– VERSÃO CHUNG –


Enquanto Hunny pedia algo para comermos, ouço o toque de notificação do meu celular e rapidamente o tiro do bolso da calça jeans que usava, deparando-me com uma mensagem no KakaoTalk.


Kyungsoo: Boa tarde, Chung.


 E logo respondo.


Chung-Hee: - Boa tarde, Soo.


Kyungsoo: - Como você está?


Chung-Hee: - Estou bem. E você?


Kyungsoo: - Um pouco cansado.


Chung-Hee: - Você dormiu bem?


Kyungsoo: - Acho que sim. E você?


Chung-Hee: - Eu também.


Kyungsoo: - O que está fazendo agora?


Chung-Hee: - Estou em uma cafeteria com Elleirbag e uma amiga da universidade.


Kyungsoo: - Sério? Droga...


Chung-Hee: - O que foi?


Kyungsoo: - Os garotos querem ver um filme. Eu gostaria que vocês viessem...


Chung-Hee: - Elleirbag não iria querer... Desculpe. 



Antes que pudesse ver sua resposta, Elleirbag cutuca meu braço de forma irritante.


- Com quem está falando? - ela pergunta curiosa mesmo já sabendo a resposta - É com ele? - ela passa a me olhar de uma forma estranha e engraçada


- Cuida da sua vida. - respondo e dou um leve tapa no braço da americana


- Essa doeu. - ela faz uma expressão de dor e controlo minha risada no momento - Você é má.


- Eu não. 


- Vocês duas - Hunnybe ri - Vou começar a filmar a amizade de vocês, é engraçada. Teria milhões de views no YouTube.


- Boa ideia. - falo em um tom moderado, mesmo sabendo que Elleirbag odiava a ideia de ser filmada ou fotografada


- Nem pensar. Nunca! - ela se mantém séria enquanto Hunny e eu voltamos a rir


Alguns minutos depois nossos pedidos chegam e logo o atacamos.





– VERSÃO CHANYEOL –


Eu realmente não sei o que está acontecendo comigo. 

Eu me sinto como uma biblioteca, onde cada livro representa um sentimento diferente.

Saio daquela casa e encontro o motorista Lee, que havia acabado de chegar com um novo carro, e parecia cansado.


- Oh, jovem mestre. Boa tarde. - ele se curva rapidamente para mim e faço o mesmo - Vai a algum lugar? - ele pergunta e solto um suspiro longo e pesado


- Podemos ir a qualquer lugar?


- E onde fica isso? - ele indaga com um semblante sem graça


- Você já almoçou? - pergunto e o mesmo nega em silêncio - Então, vamos almoçar. - toco no ombro do mesmo e logo entro no carro


- Eu conheço um ótimo restaurante de ramen, perto do Central Park. O que acha? - o motorista pergunta e afirmo em silêncio com um leve sorriso


–15 minutos depois –



- Chegamos. - ouço a voz do motorista no banco da frente e pendo minha cabeça para o lado observando o local


- Tem muitas pessoas. Eu não posso ser visto. - comento e o motorista se mantém quieto - Vá você. Eu espero aqui.


- Jovem mestre, nós podemos ir a outro lugar... - antes que ele continuasse eu o interrompo


- Senhor Lee, você pode ir. Eu não estou com fome. Está tudo bem. - falo calmamente e de forma séria


- Certo. Eu não vou demorar.


- Não tenha pressa. Sério.


- Obrigado, jovem mestre. - antes que ele saísse do carro, eu chamo sua atenção


- Senhor Lee. - ele rapidamente se volta à mim - Por favor, apenas "meu jovem" está bom.


- Certo. - ele concorda e sai rapidamente logo alcançando a porta do restaurante e some devido ao movimento


Alcanço meu celular no bolso do casaco que usava e coloco uma música em meu headphone. Em seguida pego no sono.






– VERSÃO ELLEIRBAG –


Hunnybe nos convidou para dar uma saída. Resultado, nós demos a volta em Seul. 

Depois da cafeteria, Hunny nos levou até uma feira, onde haviam várias barracas com diferentes comidas, o que me chamou bastante a atenção.


- Com licença. - chamo a atenção da vendedora de bolinhos de peixe em espetos e ela rapidamente me olha - Eu poderia...? - mostro a câmera que agora estava sendo apoiada por meu pescoço e a coreana passa a ficar envergonhada - As fotos não irão para nenhum site.


- Tudo bem. Fique à vontade.



Com a licença da coreana tiro algumas fotos, desde o momento em que ela fazia os bolinhos aos mesmos prontos em uma tigela grande de molho apimentado.


- Poderia me dar 3? - chamo mais uma vez a vendedora coreana e ela apronta 3 bolinhos de forma rápida e em seguida me entrega - Muito obrigada. - agradeço a mesma e volto minha atenção a Hunny e Chung que observavam outras barracas - Peguem. - entrego 2 espetos para elas e logo como o outro


- Obrigada. - elas agradecem de forma sincronizada e continuamos nossa caminhada pelo local com várias fotos tiradas por mim


Eu realmente não me importava se a fotos ficariam boas ou não, eu apenas gostaria de registrar aquele momento.


- Podemos comprar aquele, certo? - Hunny aponta para uma barraca um pouco longe de onde estávamos


- O que diz? - mantenho meus olhos atentos ao nome da barraca mas não conseguia ler o que dizia


- Meijiyo petiscos. - Chung responde e observo os tais petiscos


- O que é isso?


- Pés de galinhas. - foi a vez de Hunnybe responder


- Que nojo. - falo em um tom de voz baixo mas meu semblante se torna péssimo


- Tente disfarçar, pelo menos. - Chung me cutuca assim que percebe a reação curiosa do vendedor


- Desculpe, eu não consigo. - coloco minha mão direita sobre a boca e o nariz de forma enjoada - Acho que vou vomitar. Galinhas, por quê? O que elas fizeram pra merecer isso... - me afasto da barraca enquanto Hunny comprava dois pés junto de Chung - Ai, nossa.


- Você quer? - Chung se aproxima de meu rosto com aquele pé e fecho meus olhos de forma forçada - Fresca.


- Sério? - rio incrédula - Eu não consigo comer isso, sabendo que é literalmente o pé de uma galinha morta. - ouço a risada de Hunny enquanto comia o pé - Por favor, me dêem doces.


- Vamos lá. - sinto Chung e Hunny cruzarem seus braços aos meus e me guiam até uma barraca, maior do que as outras, e nela haviam muitos doces de cores e provavelmente gostos diferentes


- Eu quero provar todos. - falo de forma inusitada e as coreanas ao meu lado se assustam


- Não acredito. - Hunny ri


- Acredite se quiser, essa garota só não come pedra porque não tem como.


- Nossa, mas você é tão magra... Nem parece que gosta de comer. - ouço o comentário de Hunny e me mantenho atenta aos doces


- Já ouviu aquela expressão de nem tudo o que parece é? Então. Resume a Elleirbag. - Chung responde à coreana e começo a rir alto assustando de alguma forma o vendedor


- Com licença, senhor. - chamo sua atenção - Pode me dar um de cada? - pergunto e o coreano rapidamente alcança um pacote e nele coloca os doces que haviam ali e em seguida me entrega - Muito obrigada. - me curvo de forma rápida e vou em direção a saída daquele lugar junto das duas coreanas


- Não vai dividir? - Chung pergunta de forma irônica já sabendo a minha resposta


- Eu não. Vai comer seu pé. - não controlo minha risada e nem Hunny a dela


- O que vocês acham de irmos ao shopping? - Hunny lança a ideia já cogitando-a


- Não, não. - rio - O que você acha de um filme e um brigadeiro caseiro?


- Por favor, Elle. - Hunny implora com uma cara meiga e permaneço negando - Chung, me ajude.


- Ela não gosta de shoppings, eu não vou obrigá-la.


- Tem razão. - Hunny concorda com Chung e volta seu olhar à mim - Não podemos te obrigar a nada. Desculpe.


- Tudo bem. - rio contido - Vamos passear no Central Park, as flores das árvores estão rosas nesta época.


- Espírito de fotógrafa aparecendo novamente. - Chung fala e Hunny ri


- Sempre. - sorrio de forma fofa e jogo uma piscadela para a mesma


- Vamos. - Hunny cruza seus braços ao meu e de Chung e nos guia até um táxi mais próximo





– VERSÃO CHANYEOL –


Acordo do meu pequeno cochilo e percebo que eu ainda estava no carro. 

Olho para a janela no lado direito do carro, tendo como vista o restaurante. Procuro pelo motorista Lee, e não o encontro. O lugar estava realmente cheio.


Pego meu celular e deparo-me com 2 mensagens do Kyungsoo. Ignoro e volto minha atenção a qualquer outra coisa na rua. 

Até que algo, ou melhor, alguém chama minha atenção.

Coloco a máscara preta e o boné na mesma cor e saio do carro, me mantenho parado ao lado do carro. 

E a pessoa do outro lado da rua, tinha toda minha atenção.




– VERSÃO ELLEIRBAG –


– 5 minutos depois –


Chegamos ao Central Park, e alcanço a câmera que ainda estava sendo apoiada por meu pescoço logo fotografando o local. 

As flores, as pessoas, os cachorros e pássaros que passeavam por ali se encontravam em algumas fotos.


Vejo que Hunny e Chung conversavam tão distraídas que não perceberam o momento em que eu tirava algumas fotos espontâneas delas.


- Ei. - chamo a atenção das duas coreanas e rapidamente consigo - Quando eu falar 3, vocês dizem "pés de galinha". - tendo elas em minha frente onde o fundo eram as árvores, elas se posicionam e vejo Hunny fazer um coração com os dedos e Chung faz um coração na cabeça - 1, 2 e... 3!


- Pés de galinha! - após a foto ser tirada nós caímos na risada sem nos importar com as pessoas que por ali passavam


- Tem um restaurante aqui perto. - Chung comenta e lembro do dia em que ela voltou bêbada para casa - Há a melhor bebida do mundo neste local.


- Não faça isso. - falo rapidamente e em tom de voz alto - Você não vai beber agora.


- Mas... - a interrompo


- Bum Chung-Hee. - a encaro séria e ela abaixa sua cabeça enquanto Hunnybe ria


- Quantos anos vocês duas têm mesmo? - Hunny indaga rindo contido 


- Tenho 21. - respondo


- 22. - era vez de Chung responder


- Oh, certo. Só para saber mesmo. - Hunny fala debochada e caímos na risada mais uma vez - Ei. Olhem aquilo. - Hunny chama nossa atenção e assim que a têm, minha visão alcança um jovem homem acompanhado de uma senhora


A senhora estava sentada em um banco do Park dando toda sua atenção ao homem. Enquanto ele tocava violão e cantava uma música desconhecida por mim, chamando a atenção de quem passasse por ali.

 A senhora segurava uma pequena cesta, onde continha uma pouca quantia em dinheiro.

Enquanto Hunnybe e Chung se aproximaram deles, eu permaneci no mesmo lugar.


 Confesso que me encantei com a voz daquele homem, e principalmente, com aquela música ainda desconhecida.

 Ando alguns passos para perto deles e alcanço minha câmera, em seguida fotografando aquele momento.


O dia estava realmente bom. Eu me sentia bem.


- Elle? - sinto Chung me tocar e desperto como se estivesse em algum tipo de transe - Tudo bem? - ela pergunta e percebo seu tom de voz preocupado


- Está sim. - suspiro e abro um sorriso


Ando mais alguns passos até a senhora e sento-me ao seu lado, tendo sua atenção para mim.

Ela estava sorrindo do jeito mais fofo que eu já tinha visto. Me curvo de forma devagar em sua frente e alcanço minha carteira. Tiro todo o dinheiro que havia ali naquele instante.


- Não faça isso, minha jovem... - estendo minhas mãos para ela e ela recusa - Não é necessário...


- Por favor avó, aceite. - levo minhas mãos livres até as mãos da senhora entregando o dinheiro - Considere isso um presente.


- Muito obrigada. - ela faz feição de se curvar e eu a impedi, rapidamente me curvando


- Não precisa agradecer. - me mantenho atenta à ela, observando a sinceridade em seu olhar


Percebo que a música havia acabado, e ouço aplausos vindo de Chung e Hunny. O homem se curva e se volta a senhora ao meu lado.

- Avó. - ele chama sua atenção e logo a têm - O que achou desta música? - ele pergunta sem notar a minha presença - Ela é nova. Escrevi ontem. - vejo-o sorrir


- É linda, minha criança. - ela responde de forma calma e suave


- Oh, olá. - ele finalmente percebe minha presença e se curva de forma rápida - Desculpe não notar a sua presença, eu me distraí levemente.


- Não tem problema. - respondo de forma calma e ele mantém seu olhar atento ao meu - Ela é sua avó? - pergunto com um pouco de vergonha


- Sim. - ele continuava de pé em minha frente - A avó está com alguns problemas de saúde. - ele comenta de forma calma e sua expressão era triste - Por isso me apresento aqui, em alguns dias da semana. - ele rapidamente coloca sua mão na nuca e ri sem graça - Eu não sei por que contei isso para você, aliás nem nos conhecemos. Fui mal educado. Me desculpe.


- Não se preocupe tanto, sua avó irá se recuperar. - permaneço atenta à ele enquanto as palavras saíam de meus lábios com uma certa fé - Sua música é linda.


- Obrigado. De verdade.


- Meu nome é Elleirbag, prazer. - mostro minha mão livre para ele que de forma rápida me cumprimenta


- JooYoung. O prazer é meu. - ele sorri e faço o mesmo


- Avó. Posso chamá-la assim? - pergunto e a senhora afirma com a cabeça - Eu preciso ir agora. Tudo bem?


- Vamos nos encontrar outra vez, minha jovem? - ela pergunta com seu tom de voz suave


- Com certeza. - me curvo de forma calma à ela e sorrio, indo embora em seguida





– VERSÃO CHUNG –


Depois de uns minutos, Elleirbag vêm em nossa direção com um sorriso leve nos lábios.


- O que foi isso? - ouço a pergunta de Hunny assim que Elle se encontra em nossa frente - Você deu todo o seu dinheiro...


- Eu não me importo. - ela fala da forma mais calma que o normal e me impressiono - Eles precisam mais do que eu. - vejo-a voltar seu olhar a senhora e o homem ainda com um sorriso nos lábios


- Você é tão boa. - Hunny comenta e Elle se mantém quieta


Rio contido: - Ela é sim.


- Espera um pouco. - Hunny fala em um tom alto e caminha em passos rápidos até a senhora, logo ela entrega uma quantia em dinheiro e cumprimenta o homem de forma rápida e tímida, em seguida corre em nossa direção com um sorriso tímido no rosto - Isso foi tão legal. Faremos mais vezes, certo? - a coreana indaga de forma animada e a abraço deixando seu rosto mais vermelho do que antes enquanto Elleirbag ria





– VERSÃO CHANYEOL –


Ainda mantinha minha atenção à ela. Ela era tão linda...


Volto aos meus sentidos e vejo que ela estava vindo em minha direção.

Meu coração acelera de forma assustada, abro a porta do carro e me jogo no banco, me escondendo.



- Eu quero pepero. Preciso de doce. - ouço sua voz ecoar naquele carro devido a sua aproximação - Chung, você vai comprar o quê?


- Uma garrafa de soju. - a coreana responde - Estou com sede.


- Existe uma coisa, chamada água. Sabia, Chung-Hee? - a americana fala e rio baixo


- Elleirbag, deixa de ser mamãe. Eu não vou ficar bêbada com apenas uma garrafa. - ela ri, enquanto a americana se mantinha séria - No máximo alguns soluços.


- Faça o que quiser, então. - vejo-a se afastar das duas coreanas de forma rápida


- Para onde você está indo? - Chung pergunta em um tom curioso


- Para uma biblioteca. - a americana para um pouco longe mas ainda era possível enxergá-la e ouvi-la - Podem passear por aí, se quiserem. Até mais! - Elleirbag conclui e some do meu campo de visão


Depois de uns segundos Chung e a outra coreana também desaparecem de uma form rápida e assustadora.




Saio do carro cautelosamente, e sigo a americana, que caminhava de forma rápida e destinada.

Alguns coreanos passavam por ela, quase derrubando-a devido a brutalidade e a a falta de educação, o que me deixou irritado. 


- Olhe por onde anda, idiota. - cutuco com certa força o homem que acabara de esbarrar em Elleirbag fazendo-a tropeçar e a quase cair, mas graças a Deus isso não aconteceu


Vejo ela pairar em frente a uma loja de conveniência e ela observa algo parecendo cogitar alguma ideia, mas não faz nada e continua seu caminho.

Vejo-a dobrar em uma rua movimentada, e ao dobrar a mesma consigo enxergar a tal biblioteca. Nunca parei para visitar o lugar, até porque nem tempo eu teria para isso. Até agora.

 Elleirbag entra no lugar, ignorando tudo e todos.

Pairo em frente à loja de conveniência e de forma rápida entro no local logo comprando um pacote de pepero.

 Em seguida saio, e vou discretamente até a entrada da biblioteca.





– VERSÃO ELLEIRBAG –


Assim que entro no local, me surpreendo com tantas estantes.

Haviam mesas para quem quisesse estudar ou ler. Haviam escadas também. 

O lugar era realmente enorme.

Tiro uma foto do mesmo e vou em direção a bibliotecária.



- Com licença. Boa tarde. - chamo sua atenção e sua expressão facial estava terrivelmente séria - Eu preciso encontrar um livro...


- Sabe o nome do livro? - ela pergunta ainda séria


- É sobre o idioma coreano... - respondo e ela começa a digitar algo em seu computador


- Há uma estante com a bandeira da Coréia, por ali. - ela aponta para uma estante realmente alta e me assusto - Ali deve haver o livro que você deseja, moça.


- Obrigada. - curvo minha cabeça em agradecimento e logo saio





– VERSÃO CHANYEOL –


Elleirbag procurava algum livro em uma estante maior que ela mesma.

Me aproximo da estante, tendo uma vista e principalmente, uma audição melhor.


- Achei. Mas... será que tem alguma escada por aqui? Droga... - ouço-a resmungar e me controlo para não morrer de rir da situação


Agora, estávamos separados por uma estante de livros.

Vejo o livro que ela desejava mas não alcançava e rapidamente o empurro em sua direção e me escondo atrás de outra estante.






– VERSÃO ELLEIRBAG –


Eu estava na luta de alcançar o livro, quando de repente ele cai em minhas mãos, me assustando e ativando o meu útil reflexo.

Dou a volta na estante e não vejo ninguém.


- Mas o que...? Tão de repente... - resmungo e saio dali, indo para algum lugar mais movimentado


Vou em direção a bibliotecária e coloco o livro no balcão.


- Com licença...


- Conseguiu encontrar? - ela segura o livro com um sorriso nos lábios - Hmm. Aprendendo coreano? - ela indaga referindo-se ao livro que havia escolhido


- Mais ou menos... - respondo meio surpresa com a mudança de humor da moça - Estou aprendendo a um tempo, mas continuo me perdendo em algumas coisas. - rio contido


A moça me devolve o livro, junto de um cartão, que me chamou bastante a atenção.


- O que é este cartão?


- Quando você devolver o livro, entregue o cartão.


- Tem algum prazo?


- Um ano. - ela ri contido com a minha expressão impressionada


- Certo. Vou me sentar em algum lugar. Obrigada. - concluo e antes que me afastasse do balcão a moça chama minha atenção


- Ei. Quase me esqueci... - vejo-a alcançar um pacote voltando sua atenção a mim - Você é a Elleirbag, certo? - ela pergunta e afirmo com a cabeça - Alguém deixou isso para você. Pegue. - hesito mas logo pego o pacote de suas mãos e continuo meu caminho



Eu me sentia estranha e principalmente, curiosa.

Largo minha bolsa e o livro na mesa, abrindo o pacote deparando-me com uma caixa de pepero.

 Corro em direção a bibliotecária assustando-a.


- Quem deixou isto? Foram duas coreanas? - pergunto meio ofegante e a mulher nega


- Era um homem. - ela responde - Ele apenas me pediu para entregar. Ele também comentou que você estava com desejo de comer esse chocolate... De um jeito bobo.


- Como ele era?


- Ele era alto. Mas usava uma máscara, não vi seu rosto. Sinto muito.


- Tudo bem. Obrigada... e desculpe.


Volto à mesa onde meus pertences se encontravam e em seguida saio da biblioteca.


O sol estava quase se pondo e o clima estava esfriando aos poucos.

Guardo aquele chocolate na bolsa e alcanço meu celular, logo ligando para Chung.


- Onde vocês estão? - indago assim que a ligação é atendida - Pode vir me encontrar?


- O que houve?


- Aconteceu algo estranho... - respondo sua pergunta


- Você está bem? - mais uma vez ela pergunta e demoro a responder


Suspiro: - Estou com medo. Venha rápido, por favor.


- Estamos indo. 


Concluo a ligação e desligo, sentando-me em um degrau da pequena escada que dava acesso a entrada da biblioteca. E ali esperei por minha amiga.





– VERSÃO CHANYEOL –


Consigo sair do local antes de Elleirbag, e volto ao restaurante de forma rápida encontrando o motorista Lee com um semblante preocupado.


- Meu jovem... Onde esteve? Pensei que algo havia acontecido.


- Está tudo bem. Eu tive que dar uma saída, me desculpe por isso.


- Quer ir a algum lugar? - ele indaga e rapidamente o respondo


- Para casa.


Entro no carro e encosto minha cabeça no banco quando uma crise de risos toma conta de mim. Eu sou tão maluco.





– VERSÃO CHUNG –


Já estávamos em casa e Elleirbag se manteve em silêncio o caminho inteiro.


- Ei. - chamo sua atenção assim que vejo-a sentar-se no sofá - O que aconteceu?


Ouço-a suspirar de forma pesada:  - Eu realmente não sei...


- Conte o que lhe deixou assim... preocupada. - Hunny comenta e vejo-a sentar ao lado de Elle, e faço o mesmo


- Vocês não estão brincando comigo, estão? - ela indaga e não entendo


- Não entendi. - respondo


-  Eu fui até a biblioteca e algo estranho aconteceu...


- O que? - Hunny pergunta curiosa


- Eu estava tentando pegar um livro do alto de uma estante, mas eu não consegui. Quando de repente, o livro cai em minhas mãos. - ela explicava de forma calma - Depois disso, a bibliotecária me entregou um pacote de pepero, dizendo que alguém havia o deixado para mim. E esse alguém sabia o meu nome...


- Caramba. - Hunny se manifesta com a mesma expressão surpresa que a minha


- O mais estranho é... - ela continuava - Como essa pessoa sabia que eu queria comer esse chocolate? E o meu nome?


- Você comeu o chocolate? - pergunto e ela nega


- Não. E se contém algum tipo de veneno, sei lá...? 


- Está certa. - Hunny comenta e rio contido


- Cadê o pepero? - pergunto e ela retira o pacote da bolsa entregando-me


- Você enlouqueceu? - ela grita assustada assim que pego um chocolate - E se isso conter algum tipo de veneno? Chung-Hee.


- Vamos descobrir. - rapidamente mordo um pedaço do chocolate - Ainda estou viva, certo? - indago e acabo rindo com a expressão incrédula de Elleirbag para mim - Não contém nada. Não se preocupe. Alguém quis brincar com você. Ou te achou bonita. Muitas possibilidades...


- Os coreanos costumam dar chocolates para as mulheres que gostam. - Hunny comenta - Mas quem poderia ser? - ela leva sua mão direita até sua cabeça coçando o local com uma certa força


- Temos um admirador secreto? Inacreditável. - comento e volto a rir comendo mais um chocolate


- Pare de comer. São meus. - ela agarra o pacote de minhas mãos e some do meu campo de visão 


Notas Finais


O que acharam???
Espero que tenham gostado szszsz


Obs: eu não ando postando fotos no perfil do Instagram ( @gsz_1975 ) por alguns motivos pessoais bem chatos. Mas o perfil ainda tá lá, e vou postar as fotos do capítulo quando der, okay?

❤ OBRIGADA POR ME ACOMPANHAREM ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...