História EXODUS - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo
Exibições 326
Palavras 2.100
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Drama (Tragédia), Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoas!

Desculpa ter sumido assim, mas estive hospitalizada desde sexta-feira à noite. Primeiro, uma gripe monstra quase me fez levantar os braços e dizer "me leva, Senhor". Aí, quando melhorei da merda da gripe, comecei a vomitar igual uma fdp. Aí quando melhorei, não consegui comer nada por causa da desidratação, aí foi Mazu tomar duas bolsas de soro na veia. Resumindo meu rolé no hospital: Nunca tomei tanta injeção na vida (vsf), os enfermeiros eram mó legais (eles só me chamavam de Mazu mesmo tendo minha ficha lá com o nome de verdade ^^) e na TV só passa novela mexicana, tá doido.

Ou seja, tô completamente destruída, desatualizada e #morta.

Capítulo 35 - Quero minha casa.


~Xiumin off

~Baekhyun on

- ... aí eu saí correndo espalhando tinta para tudo quanto é lado.

Chanyeol contou e eu ria de quase sair rolando para fora de colchão. Temos fama de sermos as pestes e, ao ouvir essas histórias, chego à conclusão que realmente somos.

Continuamos conversando por um tempo, até que a porta do quarto foi aberta por Suho.

- Bom dia! Baekhyun, devolve minha blusa xadrez. -Ele mandou e eu fiz cara de sonso. Antes de sairmos de casa, eu queria muito trazer uma blusa xadrez, mas a minha estava perdida pela casa, então... secretamente, peguei uma do Suho. Não sei como ele descobriu!

- Que blusa, hyung?

- Minha blusa xadrez vermelha e preta.

- Não sei do que você tá falando.

- Que merda, Baekhyun! Devolve logo a droga da blusa e não me estressa mais, por favor. 

Eu apenas me levantei e fui pegar a blusa na mochila.

- Hyung... você está bem? Aconteceu alguma coisa? -Chanyeol se atreveu a perguntar e Suho encostou no batente da porta.

- Muitas coisas, mas... o Xiumin hyung deu o maior grito comigo agora há pouco. Eu nem fiz nada pra ele, só perguntei se estava bem.

- E por quê ele não estaria?

- Ele estava encolhido no chão do banheiro, com a mão cobrindo o rosto. Quando perguntei, ele simplesmente gritou que eu saísse dali.

Que estranho... o quê será que está acontecendo com o Xiumin hyung? Achei a blusa e a entreguei logo para o Suho antes que ele ficasse bravo de verdade.

O mesmo pegou a blusa, agradeceu e se retirou. Eu e Chanyeol nos entreolhamos e em menos de cinco segundos já estávamos à procura do Xiumin hyung. Podemos tentar descobrir o que está acontecendo e ajudá-lo, vai que é algo ao nosso alcance?

Chegamos ao primeiro andar e procuramos nos dois banheiros. Quando chegamos no último banheiro da casa, lá estava ele, exatamente como o Suho hyung havia dito, encolhido no chão com a mão cobrindo o rosto.

- Hyung? -Chanyeol o chamou e ele tirou a mão do rosto para nos olhar.

- O quê está acontecendo? -Perguntei e ele se levantou do chão.

- N-Nada, meninos, estou apenas me sentindo mal. Quero minha casa, vou voltar mais cedo.

Olhei rapidamente para Chanyeol, que assentiu de leve.

- Você quer que a gente vá com você? Eu quero mesmo dar uma passada no hospital e ver como minha perna está. -Perguntei.

- E eu ainda tenho que preparar a aula de amanhã das crianças. Fiquei tão eufórico com a vinda pra cá que esqueci.

Xiumin hyung ficou pensativo por um tempo até responder.

- Ok, já que vocês querem. Eu vou arrumar minha bolsa.

- Eu também vou. -Chanyeol subiu correndo e eu fiquei lá com o Xiumin.

- Eu também, vou só avisar ao Suho! Xiumin hyung...

- O quê?

- Tem certeza que está bem?

- Tenho, Baek. Obrigado pela preocupação.

Assenti e subi para arrumar as coisas. Primeiro, parei no quarto do Suho e Kris, avisei ao meu irmão que iria embora com o Xiumin e fui para o quarto. Chanyeol estava simplesmente tacando as roupas dentro da mala e resolvi fazer o mesmo, em casa eu arrumo direito. Depois que estava tudo dentro da mala escolhi uma roupa, me vesti e arrumei os colchões que estavam no chão enquanto Chanyeol trocava de roupa.

Ele saiu do banheiro e estava tudo pronto. Descemos, nos encontramos com Xiumin hyung e fomos para o carro.

Eu não o deixaria ir pra casa sozinho. Já vi muitas histórias onde pessoas que não estão bem cismam em dirigir e acabam até morrendo. Lá, nós podemos distraí-lo, fazê-lo pensar em outras coisas e até rir.

~Baekhyun off

~Lia on

- Para de ficar me encarando! -Lay mandou e cobriu o rosto com o cobertor. Eu continuei a encará-lo e quando o mesmo descobriu o rosto ficou vermelho ao ver que eu continuava. - Para, Lia!

- Você é tão bonito... não consigo parar.

Foi então que ele ficou mais vermelho ainda e cobriu o rosto com o travesseiro. Puxei o travesseiro das mãos dele e Lay me olhou sério.

- Você é muito chata.

- Eu sei... mas você me ama.

- Pior que eu amo mesmo.

Ele me puxou mais pra perto, me abraçou e beijou o topo da minha cabeça.

Foi então que o silêncio se instalou no quarto, tudo que podia ser escutado eram nossas respirações - ainda - ofegantes.
Fiquei aproveitando por alguns minutos, depois dei um beijo no queixo dele e me soltei de seus braços.

- Eu te amo, mas vou tomar banho, ok? -Disse, me enrolei no lençol que estava mais caído do que preso no colchão e levantei da cama.

- Posso ir com você?

- Não! Arruma a cama.

Entrei no banheiro, encostei a porta e fui tomar meu banho. Depois de uns cinco minutos só senti aqueles braços me envolvendo e um beijo no ombro.

- Mas, garoto! Você não cansa? -Perguntei enquanto me virava pra ele. Lay sorriu com o rosto corado e emaranhou as mãos em meus cabelos.

- De você? Nunca.

Ele me puxou para mais perto de si e selou nossos lábios, dando início à um beijo - de primeira - calmo mas que foi aumentando de intensidade com o passar do tempo.
Lay me empurrou até que dei de costas contra a parede, fazendo meu corpo se arrepiar ainda mais por causa do contato gelado.

Ele começou a beijar meu pescoço e segurou em minha cintura, deslizando as mãos até minhas coxas e ergueu minhas pernas para eu as entrelaçar em seu quadril. O fiz e deslizei as unhas por suas costas, o arrepiando e o fazendo suspirar.

Lay calmamente me penetrou, me fazendo gemer alto e cravar as unhas em suas costas. Afundei meu rosto na curva do pescoço dele enquanto o mesmo se movimentava profunda e controladamente, mordendo meu ombro tentando se conter.

Agarrei seus cabelos com força e ele segurava minha cintura, também usando muita força. Depois de alguns minutos de movimentos compassados, beijos, carícias e gemidos baixos chegamos ao ápice.

Continuamos por um tempo desse mesmo jeito, apenas tentando ao máximo recuperar o fôlego perdido.

- Você foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. -Lay disse baixinho no meu ouvido e eu sorri enquanto o abraçava com força.

(...)

- Bom dia! -Eu e Lay dissemos juntos enquanto entrávamos na cozinha. Todos já estavam reunidos alí, mas senti falta de Xiumin, Baek e Channie.

- Bom dia. -Todos respoderam juntos.

- Onde estão Chanyeol, Baekhyun e Xiumin? -Lay fez a pergunta de um milhão de dólares e meu pai respondeu:

- Eles foram embora na frente. Baekhyun queria ir ao hospital por causa da perna, Xiumin estava se sentindo indisposto e Chanyeol tinha que planejar a aula de amanhã das crianças dele.

Lay apenas assentiu e foi pegar uma xícara de café enquanto eu procurava uma vítima. Por fim, foi Sehun mesmo. Ele estava parado ao meu lado comendo um pão ao qual eu furtei das mãos dele.

- Aigoo, Lia! Me devolve. -Ele mandou e tentou puxar o pão de volta.

- Você quer um pão? -Perguntei num tom zombeteiro, o fazendo lembrar do nosso primeiro beijo.

- Não! Fica pra você o "pão". -Ele respondeu amargo e foi pegar outra coisa para comer na mesa. Lay estava conversando com Kris e Chen e fiquei feliz por ele estar socializando de novo com os meninos. D.O estava conversando com Kai, e resolvi me meter.

- Olá! -Disse e me sentei na perna de D.O, que estava sentado de frente para Kai.

- Lia, sua doida! Sai! O Lay vai ficar bravo. -D.O disse desesperado e eu ri.

- Calma! Se for você ou Tao, ele nem liga. -O tranquilizei e peguei a caneca de café que estava na mão do Kai. Esse é meu hobby, furtar comida dos outros. Francamente, a comida alheia é sempre melhor que a sua!

- Que garotinha, hein... -Kai reclamou e eu dei língua pra ele.

- Tô nem aí pra você. Sobre o quê vocês estão falando?

- Sobre o que faremos na próxima vez que viermos aqui. -D.O respondeu e devolvi a caneca para Kai.

- Na próxima vez que viermos eu vou jogar futebol. -Disse e Kai riu da minha cara.

- Quero só ver.

- Então você vai ver só! Vou fazer só gol bonito.

- Nós, na próxima vez, vamos explorar o mato. -D.O explicou e eu ri.

- Espero que encontrem uma onça e ela engula vocês.

- Aigoo, garota! Eu vou bater em você. -Kai ameaçou e eu ri.

- Desculpa, oppa.

- Ahhhh! Agora eu sou o oppa, né?

- É.

Peguei a caneca novamente e me levantei da perna de Kyungsoo, indo até meu pai que conversava com Suho.

- Oi papai. -O cumprimentei enquanto parava ao lado dele. Estiquei o braço e passei a mão na touca do Suho, a vestindo em seguida. Eu sei que ele é meu ex-namorado e que já estou namorando novamente, mas foi há bastante tempo. Chega de infantilidade. -Olá, Suho. Bom dia.

- Bom dia, Lia. -Suho respondeu e me ofereceu a caneca antes que eu a tomasse dele. Por sorte dele, era chá e eu não suporto chá. Desde que bebi no cassino e Xiumin me obrigou a tomar chá então... porra, piorou a situação.

- Dormiu bem, filha? -Meu pai perguntou e eu assenti.

- Dormi sim, pai. E vocês?

- Bom... eu dormi bem.

- Diga só por você, senhor Yagami. Luhan ficou berrando a noite inteira, não deixou nenhum de nós dormir. Olhem a cara de sono do Chen.

Foi então que olhei e realmente vi que ele estava um caco.

- Jura? Do meu quarto nem deu pra escutar. -Meu pai disse e eu assenti de leve.

- Do meu também não. Nem eu, nem Tao e nem o Lay... nenhum de nós ouviu nada.

- Que sorte a de vocês! Kris já estava querendo chamar um padre para exorcizar Luhan.

Começamos a rir e eu peguei uma laranja em cima da mesa.

- Ora, porque não me chamaram? Eu cuidava disso - disse e encarei a laranja - Exorcizo te, omnis spiritus immunde, in nomine Dei Patris omnipotentis... Luhan!

O chamei e assim que ele olhou, joguei a laranja nele. A laranja percorreu o belo trajeto pela cozinha até bater no peitoral de Luhan. Suho observou tudo perplexo e meu pai ria de passar mal.

- O quê foi isso? -Luhan perguntou com medo.

- Um exorcismo. -Respondi e a cozinha foi tomada por risos.

Depois do exorcismo mais fail do planeta, terminamos de tomar nossos cafés-da-manhã e começamos a arrumar a casa para ir embora. Passamos umas 2 horas arrumando tudo e foi divertido, ajudamos uns aos outros e parece que todas as diferenças já foram resolvidas. Kris, Suho e Sehun estão me tratando normalmente, como se nada tivesse acontecido.

Minha bolsa já estava arrumada e eu havia acabado de arrumar a do Lay quando meu pai veio me chamar. Já estava tudo pronto e poderíamos ir embora. Como Xiumin foi embora mais cedo, guardei minha coisas no porta-malas do carro de Lay e fui me despedir do meu irmão.

- Bye bye, palhacinha do onii-san. - ele disse enquanto apertava minhas bochechas - Juízo com seu namorado cara de cobra.

- Tchau, onii-san. -Respondi depois de uma breve risadinha.

- Aishiteru*. -Dissemos juntos e demos um abraço antes de eu voltar para o carro do Lay. Entrei no banco do carona e esperei até que pudéssemos partir. O último a entrar no carro foi Luhan. Assim que ele fechou a porta, Lay trancou as portas e se virou pra mim.

- Amor, você pode pegar meus óculos escuros aí no porta-luvas, por favor? -Ele pediu e eu assenti, em seguida abrindo o porta-luvas e dando de cara com os óculos. Os tirei de lá, mas antes de fechar vi algo que me chamou atenção. Era uma caixinha, e nela tinha uma etiqueta que dizia: "BW- Alianças".

A caixinha estava muito mal escondida, o que me fez hilariamente pensar:

Se for pra alguma amante, ok, mas se for pra mim, deu ruim... porque eu descobri.

Caraca, o Lay é lerdo até pra esconder as coisas.

- Toma, amor. -Entreguei os óculos pra ele e fingi que não vi nada. Ele apenas colocou os óculos e finalmente estávamos voltando para casa. O final de semana foi divertido. Temos que repetir mais vezes.


Notas Finais


*Pra quem não sabe o que é aishiteru digo logo que é eu te amo.

E digo também que vou postar dois caps.

Agora imaginem:

Mazu, numa maca de hospital, escrevendo esse cap escondendo o celular da fuckin enfermeira pra ela não me achar uma safada.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...