História EXODUS - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo
Exibições 273
Palavras 1.647
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Drama (Tragédia), Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Sei que, por ser Lay biased, vocês devem estar esperando eu me pronunciar sobre os MV's...

Bom, eu só digo que quando eu ressuscitar eu digo algo. Estou muito afetada ainda.

OBS: Oi

Capítulo 37 - Goodbye letter.


- Lia... me ajuda. -Lay pediu baixinho e caiu ajoelhado no chão, quase esmagando o Uta, que miava desesperadamente.

Quantas vezes essa cena vai se repetir? Quantas vezes vou ter que ouvi-lo implorando por ajuda?

Corri até ele, me ajoelhei em sua frente e tomei seu rosto nas mãos. O sangue vinha de cortes na pele mas também do nariz. Meus soluços só não eram mais altos que a respiração do Lay. Seu corpo lutava com todas as forças por oxigênio.

- O... o quê aconteceu com você? -Perguntei baixinho e por um momento ignorei o cheiro de álcool e baseado, o sangue... ignorei tudo e o abracei com todas as minhas forças.

- Me desculpa... me desculpa, Lia.

Ele começou a chorar também enquanto retribuía o abraço.
Eu não aguento mais, porém, o amo demais para não fazer nada... para não cuidar dele.

- Vem, Lay... a gente vai dar um jeito, ok? -Tentei tranquilizá-lo enquanto o ajudava a levantar, em seguida o puxando até o quarto. O coloquei sentado na cama e comecei a tirar aquelas roupas que estavam mais para trapos. O deixei apenas de cueca e o empurrei até o banheiro, levando o celular comigo para ligar para o Xiumin oppa.

- Desculpa, Uta, mas agora a mamãe vai cuidar do papai, ok? -Disse baixinho enquanto fechava a porta do banheiro, o deixando lá fora. Coloquei a banheira para encher e peguei o kit de primeiros-socorros que fica alí mesmo, no armário. Primeiro, limpei o sangue no rosto do Lay, depois passei remédio nos machucados. Agora, com o rosto limpo, eu podia notar o tamanho daquele hematoma no olho dele e meu coração apertou ainda mais.

A banheira já estava cheia então o ajudei a entrar e enquanto ele estava lá quietinho liguei para o Xiumin.

~Ligação on

- Lia?

- Oi, Min! O Lay voltou.

- O quê?

- Ele voltou, está aqui comigo.

- Como?

- Não sei, quando saí do quarto o vi na sala. Agora ele está tomando banho.

- E-Ele está muito acabado?

- Muito. Pior do que da outra vez, muito pior...

- Aigoo! Obrigado por avisar... eu... eu vou passar aí, ok?

- Não precisa, eu estou cuidando dele. Se quiser vir, venha amanhã. Descanse por hoje.

- Ok, eu farei isso. Boa noite, Lia.

- Boa noite. Avise aos meninos, por favor.

- Vou avisar, tchau, Lia.

- Tchau, Min.

~Ligação off

Encerrei a ligação, coloquei o celular em cima da prateleira e me ajoelhei ao lado da banheira. Lay estava cobrindo o rosto com as mãos e chorava muito.

- Hey, amor! Calma, já passou. -E de novo, lá estava eu tentando tranquilizá-lo.

- Me desculpa, Lia! Você é um anjo! Mas que merda, eu não te mereço. Me desculpe por ser assim.

- Shhhhh! Para de ficar falando bobagem! É claro que merece. Você é humano, e humanos cometem erros, simples assim.

Eu acariciava seus cabelos e passeava os dedos por sua nuca. Ele finalmente se acalmou um pouco e comecei a lavar os cabelos dele. Aos poucos Lay ia ganhando uma aparência melhor. Se não fosse seu rosto todo cortado e seu olho roxo, diria que já estava bom.

Depois de lavar seus cabelos o deixei terminar o banho e fui separar roupas para ele vestir. Peguei uma calça de moletom preta, uma blusa também preta e um casaco, já que está bem frio.

Lay saiu do banho e o deixei se vestindo enquanto ia até a cozinha preparar algo para ele comer e também buscar remédios. Peguei os remédios, arrumei a bandeja e voltei para o quarto.
Ele estava encolhido na cama, escondendo a cabeça entre os joelhos.

- Vou acender a luz, ok? -Avisei e o fiz, em seguida me sentei ao lado dele. - Anda, fica direito que eu trouxe algo pra você comer.

Lay obedeceu e entreguei a bandeja a ele. Fiquei alí do lado dele, esperando em silêncio.

Não sei o que pensar, não sei o que dizer... tudo está tão confuso.

Depois que ele terminou de comer, levei a bandeja para a cozinha, voltei, apaguei a luz e sentei na cama. Lay deitou a cabeça em minhas coxas e abraçou minhas pernas enquanto eu acariciava seus cabelos e comecei a chorar baixinho.

O quê eu vou fazer? Tenho que tomar alguma atitude mas não sei o que fazer. Eu não posso deixá-lo desse jeito, mas estou completamente perdida. Eu nunca convivi com ninguém que tivesse algum vício... não sei como agir!

Amanhã vou ter uma conversa séria com o Xiumin e com o Suho. Vamos ter que fazer algo, eu não aguento mais ver o Lay desse jeito.

- Lia...

- Shhhhh! Não precisa dizer nada, ok? Está tudo bem, nós estamos bem.

Ele simplesmente abraçou com mais força minhas pernas e logo caiu no sono. Eu fiquei acordada o maior tempão, preocupada, o vigiando, até cair no sono.

(...)

Acordei com a luz do sol escapando por uma fresta na cortina e batendo direto no meu rosto. A primeira coisa que vi foi o Uta em pé na minha barriga, me encarando e miando. Esse gato tá numa afobação que nunca vi!

- Bom dia pra você também, criatura.

Ele continuou me encarando e miando. Resolvi ignorar e peguei meu celular no criado-mudo para ver as horas. Eram 8:30 da manhã. Eu estava sozinha na cama, então resolvi ir procurar o Lay. Se ele tiver saído de novo eu vou ligar pro Xiumin e pro meu pai. Vamos achá-lo de qualquer jeito.

Me levantei da cama, calcei os chinelos e saí do quarto. A casa estava completamente silenciosa e logo estranhei. Mas que merda, será que ele saiu de novo?

Fui até a sala e percebi que as manchas de sangue no chão de quando o Lay chegou ontem à noite - que eu ia deixar pra limpar hoje - já estavam limpas. Foi então que rodei a casa inteira à procura dele.

Depois de visitar todos os cômodos vi que ele realmente não estava em casa.

E lá vou eu tentar ligar pra ele!

Voltei para o quarto e enquanto discava o número dele fui fechar aquela cortina que estava me incomodando. Antes de fechá-la, resolvi dar uma olhada e vi que o carro do Lay estava estacionado lá fora. Comecei a estranhar mais ainda, e então, quando a ligação começou a chamar, descobri que o telefone também estava em casa. Segui o toque até o guarda-roupa e quando o abri, só vi o celular nas prateleiras, mais nada.

Não havia uma roupa pendurada ou dobrada, nenhum sapato, todas as gavetas vazias. Só havia o maldito celular alí.

Não estou entendendo mais nada.

Sentei na cama completamente desorientada, até que algo me chamou a atenção. Era uma caixinha em formato de coração. Ela estava em cima do outro criado-mudo e não estava alí antes, eu teria percebido.
Me aproximei e vi que havia um papel dentro da caixinha. O peguei e comecei a ler o que estava escrito.

Querida Lia,

Inicio esta carta pedindo perdão. Me desculpe por ser assim, eu realmente tentei mudar, mas não foi possível. As drogas são mais fortes que eu, me desculpe.

Agora, peço que me perdoe, mas não posso deixar que você sofra desse jeito. Eu te amo demais, por isso tenho que ir embora. Comigo, você não terá um futuro. A cena dessa madrugada se repetirá sempre.

Não poderemos casar, não poderemos ter uma família... eu não posso te dar um futuro digno. Algumas pessoas têm que simplesmente serem fortes, levantarem e irem embora.

Eu te amo, nunca duvide do meu amor por você. E por te amar tanto, vou deixar que você siga seu caminho. Não quero nunca mais te ver chorar, não quero mais vê-la sofrer.

Quero que você sempre sorria, que seja feliz, mesmo que isso tenha de ser longe de mim.

Não tente me achar, é só isso que te peço e não tenha raiva de mim, logo verá que isso foi o melhor a se fazer.

                               Com todo meu amor,

                                           do seu Yixing.

De início, não tive reação. Tudo que fiz foi colocar o bilhete na caixinha e disquei o contato de emergência salvo no meu celular.

~Ligação on

- Alô?... Alôôô?

- D.O... eu preciso de você.

- Lia? O quê aconteceu?

Comecei a chorar tanto que mal consegui respondê-lo.

- Só vem aqui, por favor.

- Tô saindo de casa.

(...)

- Mas que droga, Yixing! -Xiumin reclamou ao terminar de ler a carta enquanto D.O apenas me abraçava e Tao entrava no quarto com um copo de água com açúcar em mãos.

- Bebe.

- Eu não quero, Tao. -Respondi com a voz chorosa e ele me olhou sério.

- Ou você toma esta merda ou eu vou fazer descer goela à baixo. Você decide.

Ele disse e eu fiquei até assustada. É a primeira vez que o Tao fala desse jeito comigo... na verdade, eu nunca tinha o visto falar assim com ninguém.

Resolvi tomar a água de bom grado enquanto Xiumin andava de um lado para o outro pelo quarto, tomando cuidado para não passar nem perto do Uta, que estava dormindo em sua caminha.

Não sei porque ele está com medo do Uta, ele nem faz nada.

- Eu tenho alguns contatos, vou ver se ele embarcou nos últimos voos para China.

- Mas ele pediu para não procurá-lo. -D.O argumentou e só vi Xiumin respirar fundo.

- Ah, então é assim? Se o Yixing pedir pra você pular da ponte você vai pular também?

- Não, hyung! Eu só...

- Fica quieto! Cansei da sua voz.

Xiumin saiu do quarto e Tao e D.O ficaram quietos, apenas me dando atenção. Eu não conseguia parar de chorar.

Eu não acredito que o Lay foi embora. Eu não acredito que ele me deixou!

Eu simplesmente não acredito.


Notas Finais


QUE SE DANE TAMBÉM! EU VOU FALAR DOS MV'S, SE NÃO GOSTAR, ME PROCESSA.

- Aviso:

As palavras a seguir contêm uma Mazu muito louca. Ignore boa parte - se não tudo - do que for dito.

CHINÊS FDPPPPP! ELE GOSTA DE FODER MEU CORAÇÃO!
EU TÔ ABALADA, DESTRUÍDA... SABE TODOS OS ADJETIVOS PRA DESCREVER ALGUÉM NA VALA? ENTÃO... EU SOU/ESTOU.
QUE HOMEM LINDO! QUE MV'S MARAVILHOSOS!

BABEI A MERDA DOS MV'S TODOS, TÔ ME MATANDO PRA NÃO IR CONTRA MEUS PRINCÍPIOS DE APENAS UM ULTIMATE (~imagine aqui letras maiores do que com o caps NÃO SEI COMO ESSE HOMEM NÃO É MEU ULTIMATE - JISOO DO CÉU - MAS NÃO É. MAS TÁ NA PONTA PRA SER... AHHHHHHHH)

Enfim, eu tô surtada.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...