História EXODUS - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo
Exibições 140
Palavras 2.100
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Drama (Tragédia), Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OIEEEEEE! Hoje é dia de atualizar fanfics! ^-^

Não atualizei, desculpa a demora, mas eu tava com preguiça #sousinceramesmo

[NÃO REVISEI, É ISSO]

Capítulo 47 - Perdões grátis.


- Não sei pra que essa palhaçada! -Reclamei cruzando os braços enquanto Sehun me empurrava na cadeira de rodas.

- Fica quieta, pouca sombra! Você não está no direito de reclamar de nada. -Kris mandou e eu apenas continuei de cara emburrada enquanto saíamos do hospital.

A noite no hospital até que foi tranquila depois daquele vacilo do Luhan. Baekhyun ficou comigo o tempo inteiro, me distraindo, me fazendo esquecer pelo menos um pouco dos sermões que ouvirei e do castigo em que talvez eu fique.
  Tive que conversar com uma psicóloga e ela perguntou o porquê de eu ter me drogado e essas coisas, só que não soube responder. Podem até achar que foi uma forma de chamar atenção, e talvez até tenha sido isso, mas e daí? Não adianta chorar sobre o leite derramado.

Chegamos à sala de espera e os outros estavam lá, me esperando. Assim que entramos todos se levantaram, menos Luhan, que apenas ficou me encarando com aquela cara de cachorro que caiu da mudança.

- Ih, que cara é essa, toquinho de amarrar jegue? -Chanyeol perguntou e eu quase levantei pra ir socá-lo se Sehun não tivesse me puxado de volta para sentar na cadeira.

- É a cara de quem vai amassar a sua cara, Empire State! -Respondi um tanto agressiva. Não estou bem para palhaçadas hoje.

- Piolho de anão!

- Bambu!

- Dá pra vocês pararem? -Suho perguntou exausto e eu apontei para Chanyeol.

- Foi ele quem começou.

- Não interessa quem começou, parem.

Depois desse fora calamos a boca e deixamos Suho falar.

- Tenho que ir resolver alguns assuntos, mas vou ficar pra cuidar da Lia. Xiumin, será que você pode ir no meu lugar?

- Claro! Luhan, Chanyeol e Kris podem ir comigo.

Xiumin respondeu, mas ao ver as caras dos outros meninos respirou fundo e disse:

- Ok, venceram! Quem quiser ir pode ir.

- Já que eles vão eu posso ficar em casa, né? -Kris perguntou esperançoso e sorriu ao Xiumin confirmar com a cabeça.

- Posso ir também? Não quero ficar sozinho em casa. -Baekhyun disse e todos ficaram estáticos por um tempo. Eu apenas fiquei olhando de rosto em rosto pensando:

Fodeu.

- Não precisa ficar sozinho, Baek! Eu vou ficar em casa e você pode ficar lá conosco, não é, hyungs? -Chanyeol perguntou e Suho e Kris assentiram. Como lá em casa tem uma sala só pra jogos duvido que esses garotos vão sair de lá.

- Ok! -Baekhyun disse animado e só deu para ouvir um conjunto de suspiros aliviados. Até que Chanyeol foi bem inteligente e conseguiu resolver o problema. Estou surpresa.

Tudo muito bonito e legal mas... por quê o Suho está inventando de cuidar de mim? Quando meu pai contou que éramos irmãos só faltou ele sair quebrando o escritório, depois parecia que tinha morrido. Até mesmo Baekhyun mandou mensagens, se importou... mas Suho não. Então por quê isso agora?

D.O, Sehun, Luhan, Kai e Chen seguiram Xiumin para fora do hospital, não antes de virem todos -menos o vacilão do Luhan - falar comigo. Até mesmo Sehun me deu um beijinho na testa e Chen me abraçou, muito empolgado por estar indo numa provável venda. Depois de se despedirem de mim e dos outros foram para o estacionamento e nós que sobramos ficamos nos encarando.

- Então... podemos ir? -Baekhyun perguntou e assentimos. Tao começou a empurrar minha cadeira de rodas para fora do hospital enquanto eu me mantinha em silêncio. Enquanto ninguém me faz perguntas está ótimo.

Baekhyun e Chanyeol foram no carro com Suho e eu e Tao fomos com o Kris. Até que, mesmo sendo bem idiota, Kris está entendendo minha situação com o Suho. Sabe que agora, depois do que aconteceu, é desconfortável ficar perto dele e está me ajudando a evitar o máximo possível.

O caminho até em casa foi silencioso, ninguém disse uma palavra dentro do carro e até mesmo enquanto me ajudava a entrar em casa, Tao não disse nada. Pronto... as coisas estão estranhas!

Suho entrou correndo na frente, provavelmente indo fechar a porta do depósito enquanto eu já via logo o belo estrago de uma tigela de cereal espatifada no meio da sala. Era uma tigela do BB-8, que triste ela estar em caquinhos assim.

Antes que eu pudesse fazer qualquer coisa, Chanyeol já se pronunciou:

- Nem olha que EU vou limpar, você vai ficar quieta! -Ele mandou e eu revirei os olhos. Affe vezes mil, até o Chanyeol vai ficar assim agora? -Baekhyun, vai indo para o quarto e escolhe o jogo que quiser que eu já vou, ok?

- Ok! -Baekhyun assentiu, me deu um beijo na bochecha e subiu enquanto Suho descia as escadas. Sincronia perfeita!

- Já que tenho que ficar quieta vou para o meu quarto. -Avisei e comecei a andar na direção da escada, não antes de ser barrada por aquele ser de três metros de altura.

- Pra quê? Pra passar mais duas semanas lá dentro? Negativo, vai ficar aqui na sala igual uma mocinha. -Kris mandou me empurrando para perto do sofá e me obrigando a sentar.

- Não quero!

- Perguntei?

- Vai se...

Parei a frase no meio quando percebi o olhar que Suho me lançava. Apenas recolhi minha insignificância de mais nova da casa e fiquei calada enquanto fazia beicinho. É... eu realmente não estou no direito de ficar reclamando nem exigindo muito.
Kris me lançou um sorriso irônico por eu não ter conseguido xingá-lo e subiu as escadas. Chanyeol começou a limpar aquela sujeira toda e Suho se aproximou de mim, sentando ao meu lado.

- Posso ver seu braço? -Perguntou baixinho e deixei que ele visse. Suho o pegou delicadamente e o trouxe para mais perto, observando a mancha roxa avermelhada que se destacava nele. Como o Yeohaeng é uma droga muito forte, acabou estourando alguns vasinhos sanguíneos, deixando meu braço nessa cor esquisita, roxo hematoma.

- Lia, por favor... não faça mais isso! Veja só, isso te trouxe algum benefício sequer? -Tao perguntou também observando meu braço.

- Não. -Respondi baixinho.

- Então pare, ok? Por favor, Lia. Sou eu quem está pedindo, seu pandinha.

Tao realmente estava tentando me convencer a parar de me drogar e como eu não queria preocupá-lo mais apenas disse:

- Tudo bem, Tao! Eu paro.

Ele sorriu satisfeito e acariciou meus cabelos. Chanyeol já havia terminado de limpar a sala, então estava indo dar atenção ao Baekhyun antes que ele fizesse qualquer besteira.

- Tao, será que você pode ir limpando o depósito enquanto eu converso com a Lia? Já subo para te ajudar. -Suho pediu e Tao assentiu, em seguida pegando os produtos de limpeza e subindo as escadas, me deixando sozinha com ele naquela sala.

Isso é muito estranho, porque antes eu já estava conseguindo interagir novamente com o Suho, mesmo depois do nosso término, aí agora descobrimos isso. Ainda acho isso meio estranho, mas se for pra ser irmã dos meninos, Suho e Baekhyun estão ótimos. Eles sempre foram carinhosos e atenciosos comigo e hoje posso perceber que as mentiras que Suho me contou e as coisas que me escondeu foi para meu próprio bem.

- Lia... me perdoe por ter sido um idiota! Errei tanto enquanto namorávamos e errei mais ainda depois que descobrimos ser irmãos. Eu deveria ter tido essa conversa assim que descobrimos, mas é que eu estava me sentindo mal... mal por ainda amar você, entende? Eu simplesmente não consegui aceitar no início, mas agora eu entendo... entendo que não podemos ficar juntos por sermos irmãos e eu aceito isso. Agora eu aceito. A partir de agora, sempre que precisar, pode contar comigo, ok? Vou estar disponível sempre que precisar, pra te ajudar, pra cuidar de você... sempre, até você ficar velha e chata.

- Ah, eu já sou meio velha. -Respondi enquanto o abraçava apertado.

- E chata também.

Suho disse e eu o soltei, o encarando com a melhor expressão de ofendida que pude fazer.

- Desculpa! Eu não pude perder a piada. -Ele disse e nós dois começamos a rir, até eu segurar sua mão bem forte.

- Não se culpe pelo o que aconteceu, certo? Isso que eu fiz... não foi sua culpa. Eu quis fazer, ok? Eu sou a burra, você não fez nada. -Disse tentando tranquilizá-lo e logo vi as lágrimas tomarem conta de seus olhos.

- Tudo bem, Lia. Agora eu preciso ir lá ajudar o pobre do Tao, já voltamos. -Ele disse e antes de se levantar me deu um beijo na bochecha, igualzinho Baekhyun.

Como eu estava sozinha, liguei a televisão e fiquei lá, de boa, assistindo um documentário sobre a vida marinha (juro que não tinha nada melhor pra ver e eu adoro documentários) enquanto meu braço doía pra caralho. Fique sozinha cerca de vinte minutos, até Kris descer as escadas e se atirar ao meu lado no sofá.

Antes que eu pudesse reclamar dessa pessoa espaçosa do meu lado, recebi uma mensagem no celular.

De: Luhan
 Dá pra você me perdoar?

Sério? Sério mesmo? Não acredito que ele teve a cara de pau.

Você
 Não! Me erra.

De: Luhan
Amada Lia, a senhorita poderia, com toda sua gentileza me perdoar?

Você
Tá bom, troço! Tá perdoado

De: Luhan
Ótimo! Aproveita e perdoa seu pai também, ele tá se sentindo uma merda por causa de tudo o que aconteceu.

Você
Tenho cara de "perdões grátis?"

De: Luhan
Tem.

Você
Vai se foder, Luhan.

De: Luhan
 Só se for com você. Agora sério, fala com ele, se resolvam. Vão ficar brigados pra sempre?

Resolvi ignorar a brincadeirinha de Luhan e apenas pensei um pouco sobre o assunto. Ele está certo... o Amon é meu pai, e não posso ficar brigada com ele pra sempre.

Você
 Tá bom, vou falar com ele.

De: Luhan
 Ótimo

Depois disso a criatura parou de mandar mensagens e eu pude me concentrar novamente no documentário, até uma pessoa abençoada começar a me cutucar com os pés.

- O quê é, Kris?

- Assim... você sabe que eu sou delicado como um coice de mula e realmente muito sentimental... mas se quiser conversar...

Ele simplesmente jogou a frase no ar e eu dei um leve sorriso.

Assenti e ele ficou surpreso, em seguida se ajeitando no sofá para que eu pudesse me encostar nele. O fiz e Kris me envolveu com aqueles braços enormes de titã.

- Meu problema ainda é o Lay, sabe?

- Oh, jura? Nem eu, nem a Ásia inteira desconfiávamos disso.

- Cala a boca. -Disse e dei um tapa fraco em seu rosto, o fazendo retribuir com um beliscão na minha barriga.

- AI!

- Ai nada, continua.

- ... então... eu ainda me sinto mal pelo o que aconteceu. Sinto como se tivesse sido minha culpa, que se eu tivesse o ajudado mais, me preocupado mais hoje ele estaria aqui.

- Olha, você não pode ficar se martirizando por causa disso. Você fez o que pôde, e ele foi embora porque quis. Tinha jeito... sempre tem jeito! Costumo acreditar que as coisas acontecem por um motivo. Há um motivo para Suho e Baekhyun serem seus irmãos, para o Yagami ser seu pai e para o Lay ter ido embora. Talvez, seja melhor que você fique sozinha, talvez, alguém melhor entre na sua vida. Nunca se sabe... talvez o que está por vir seja bom, Lia, pense nisso.

Fiquei alguns segundos olhando para o nada, pensando no que ele disse e logo dei um sorriso.

- Obrigada.

- Pelo o quê?

- Por não estar sendo idiota.

- Hahaha - ele riu ironicamente - me acha idiota?

- Só de vez em quando.

- Uma pena, porque eu te acho idiota sempre.

O encarei "séria" e ficamos o maior tempão nos encarando, até que, quando vi já estávamos aos beijos. Foi um beijo calmo, repleto de sentimentos estranhos e mesmo sendo bom - tá, eu confesso que é bom - suspirávamos como se fosse doloroso. Era como se estivéssemos nos desprendendo de algo ruim.

Nos separamos devido à faltar de ar e nem consegui encará-lo, apenas me virei para a frente, sentindo os braços de Kris me envolverem ainda mais forte.

- Não estrague o momento. -Ele mandou e eu ri, voltando a prestar atenção na televisão.

- Até que você beija bem... sabe... pra um idiota. -Eu disse e a sala ficou silenciosa, tudo o que podia ser escutado era a televisão falando sobre a vida dos leões-marinhos.

- Porra, Lia! Estragou o momento.

Depois disso caímos na risada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...