História Explosion - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 1.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Orange, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capítulo um


        P.O.V   VITÓRIA

 Se você soubesse que eu te amo,  você nunca iria falar sobre ele enquanto eu estivesse perto.

 Querida Anny, será que você poderia por favor parar de falar sobre o idiota do seu namorado quando eu estiver conversando com você? 

É muito difícil pra mim ter que ouvir você falando sobre o quão maravilhoso ele é. Se ele é tão maravilhoso, por que eu tenho que ser obrigada a ouvir seus desabafos quando vocês brigam? Se ele fosse tão maravilhoso, não existiria briga entre vocês, estou certa? 

Anny, isso me machuca. Será que você não percebe que eu te amo?

Vocês não devem estar entendendo nada, né? Pois bem, deixe eu explicar. 

Meu nome é Vitória, tenho 17 anos e sou completamente apaixonada por uma garota chamada Anny. Anny é minha melhor amiga, somos amigas desde quando tínhamos 12 anos. 

Quando eu tinha 12 anos, comecei a duvidar da minha sexualidade, afinal, todas as minhas amigas falavam sobre garotos, sobre as atrações que elas sentiam por eles,  sobre o quão perfeitos eles são. Mas os garotos não despertavam meu interesse, eu não sabia o por quê disso. Anny era como as outras meninas, ou seja, ela também ficava falando sobre os garotos da nossa sala. E isso me deixava desconfortável de alguma forma.

Aos 14 anos, eu continuava sem interesse em meninos, toda minha atenção era voltada para as meninas. Nessa mesma idade, eu comecei a "namorar" com um garoto chamado Thiago, mas a verdade é que eu nem gostava dele. Tenho certeza de que ele também não gostava de mim. Eu só namorei com ele pra ver se eu iria ter interesse em meninos. Depois de 2 meses "namorando" o Thiago, decidimos terminar. Logo depois eu resolvi me relacionar com meninas, a experiência foi bem diferente, pois por elas,  eu sentia algo. 

Namorei com uma menina chamada Cristina. Ela era loira, olhos azuis, baixinha e era bem divertida. Namoramos por 6 meses, mas fomos obrigadas a encerrar nossa relação quando os pais delas descobriram nosso namoro. Tínhamos que namorar escondidas, pois os pais dela eram homofóbicos. 

Quando terminei o namoro com a Cristina, comecei a sentir sentimentos pela minha amiga Anny. Porra, se apaixonar por uma amiga é a pior coisa que existe! O pior é quando a amiga é hetero igual a Anny. 

Anny atualmente namora com um cara chamado Kevin, ele parece ser muito babaca. Ela mesma já me disse que não ama ele, então não sei o por quê deles ainda estarem juntos. 

Nesse momento estou aqui na sala de aula, assistindo a uma aula de ciências. Ciências é minha matéria favorita, ou seja, já terminei a tarefa que a professora havia passado. 

Estou aqui sentada ao lado de Anny, ela sempre faz questão de me puxar para sentar ao lado dela, e eu amo isso. Desse modo eu consigo ficar perto dela, e sentir o seu cheiro que eu tanto amo.

- Vitória! Preciso te falar uma coisa, mas tem que prometer que não vai falar isso pra ninguém. - Anny disse enquanto sentava corretamente na cadeira. 

- Prometo! - Eu disse e ergui o dedo mindinho para selar nossa promessa. 

Anny entrelaçou o seu dedo mindinho ao meu. Levamos a promessa do mindinho muito a sério. 

- Então...Isso é meio vergonhoso e eu estou muito arrependida de ter feito isso. - Anny diz e um tom de arrependimento e presenciado em seu timbre. 

- Ah, droga. Se for isso que eu estou pensando, eu juro que mato aquele desgraçado! - Eu digo já sentindo o sangue ferver. 

- Eu perdi minha virgindade com o Kevin...- Ela diz próxima ao meu ouvido. 


OK, calma. Muita calma Vitória! 

Como ela deixou esse desgraçado fazer isso? Isso tudo é fogo no rabo?! Que ódio! Eu deveria ser a pessoa que tocaria nela pela primeira vez! 

- Por favor! Diz que isso é mentira, meu coração é fraco. - Implorei. 

- Desculpa! Eu tô muito arrependida, cara! Nem foi do jeito que eu queria. Eu queria que fosse fofo, que fosse com alguém especial!  Eu descumpri a promessa que eu havia feito para mim mesma! - Ela disse com a voz trêmula.

- Você é muito burra, cara. Se fosse comigo, eu teria feito de um jeito fofo...- Joguei a indireta no ar. 

- Eu tô falando sério, Vitória! - Ela diz. 

- Eu também estou falando sério! Eu tô com raiva de você, como você deixou isso acontecer?  - Perguntei. 

- Foi no calor do momento...- Ela diz na maior cara de pau. 

- No calor do momento, Anny? Vai se fuder! Isso é fogo no rabo, idiota. Eu vou contar pra sua mãe! - Ameacei. 

- Não! Você prometeu não contar! - Ela diz desesperada. 

- Tá, eu não vou contar...- Eu disse por fim. 

- Ele tinha ido dormir na minha casa, mas ele foi dormir no sofá e eu no meu quarto. Quando era 3 horas da manhã, eu fui pra sala e começamos a assistir um filme. Começamos a nos beijar e aí aconteceu...- Ela explicou. 

- Tinha gente em casa ou era só vocês? - Eu perguntei. 

- Tinha gente em casa, e fizemos na sala. Me controlei pra não gemer alto, foi uma sensação estranha. - Ela disse. 

- Me livre de detalhes! Obrigada! - Eu disse em um tom de ignorância. 

Eram duas aulas de ciências hoje. A professora provavelmente vai deixar o outro horário livre. Depois da Anny contar o segredo, eu cruzei os braços e fechei a cara. 

Alguns minutos haviam se passado e eu continuava com a cara fechada. Olho pra Anny e os olhos dela está com lágrimas. Minha expressão de raiva muda rapidamente para uma expressão de preocupação ao ver essa cena.

- Ah, não me diga que está chorando por causa dele! - Eu disse. 

- Eu não tô chorando, é a maquiagem! - Ela diz limpando os olhos.

- Maquiagem? Aham, sei...- Eu digo.

- Eu fui muito burra, cara...- Ela diz e mais lágrimas caem.

- Eu concordo com você. Você foi burra, mas já aconteceu, agora deixa pra lá. Eu tô aqui com você, OK? Se quiser, pode desabafar. - Eu digo e abraço ela de lado.

E assim foi o resto da aula, com a Anny desabafando comigo enquanto eu a consolava e jogava umas verdades na cara dela. 

Esse babaca do Kevin ainda vai me pagar por te feito isso com ela! 


              CONTINUA






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...