História Exponha-me (Camren) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, One Direction
Personagens Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Zayn Malik
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Harry Styles, Lauren Jauregui, One Direction
Exibições 579
Palavras 1.621
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Small Feelings


P.O.V Lauren

 

 Acabei acordando quase duas horas da tarde por ter ido dormir de madrugada, minha mãe estava na cozinha preparando algo para comer quando eu me sentei na bancada.

 

- Lauren. -Ela me chamou seca.

- Sim? -Falei sem olhá-la. - Quando vai arrumar um emprego? -Me olhou.

- Ando fazendo um documentário pra faculdade, quando eu passar eu vou procurar um emprego. -Revirei os olhos.

- Já disse que você não vai conseguir passar nessa merda, é perca de tempo. -Retrucou.

- Sério? Eu desisto. -Me levantei. - Vou sair de casa.

- Agora você se faz de vítima. -Ela riu.

 

 Mandei ela se foder nos meus pensamentos e subi pro quarto, mandei uma mensagem para a Normani perguntando se eu podia passar uns dias em sua casa, mas ela disse que seus primos já estavam por ali, pensei em mandar uma mensagem pro Harry, mas ficar mais perto da Camila vai me deixar ainda mais confusa sobre tudo, a única que me resta é a Dinah, que morava sozinha por conta da sua família morar longe demais da "civilização". Mandei uma mensagem pra ela e segundos depois ela me respondeu que já ia preparar uma cama pra eu dormir, espero que ela não fique dando em cima de mim.

 Comecei a arrumar a minha mala, uma com as roupas e a outra com as minhas câmeras e os equipamentos, peguei também o dinheiro que juntei no meu guarda-roupa para emergências como essa, havia apenas $5.000, agora eu vou ter que procurar um emprego mesmo. Desci as escadas com as malas e dei de cara com a minha mãe.

- Você vai mesmo continuar fazendo ceninha? -Ela disse.

- Pense o que você quiser, aqui eu não fico mais. -Falei e peguei a chave do meu carro.

- Que seja, sobra mais espaço pra mim.

 

 Aquelas últimas palavras realmente doeram em mim, mesmo que eu nunca tenha tido um carinho de mãe com aquela mulher, eu só não esperava ouvir isso... Melhor esquecer, essa casa de hoje em diante é apenas o meu passado. E assim eu decidi, coloquei as malas no porta-malas e segui rumo à casa da Dinah. Assim que eu cheguei lá ela já estava me esperando na porta, me ajudou pegando uma mala e eu levei a outra, eu iria dormir num quarto ao seu lado, ainda bem que não vou precisar dormir no mesmo quarto.

 

- Obrigado por me ajudar nessa, eu não aguentava mais aquela casa. -Falei e dei um abraço nela.

- Não precisa agradecer, sempre estarei aqui pra você. -Ela disse enquanto colocou seus braços em minha cintura.

- Eu sei disso, amiga. -Falei um pouco nervosa, me afastei dela antes que ela tentasse algo.

 

 Eu ajeitei as minhas coisas no meu quarto, coloquei as roupas no armário e as câmeras na escrivaninha que tinha ali, ficou organizado, e quando estava terminando a Dinah apareceu na porta.

 

- Tá com fome? -Perguntou.

- Não, mas se eu sentir fome eu procuro algo pra comer. -Falei e a olhei sorrindo.

- Não precisa sentir vergonha, Lauren, você tem a liberdade de comer o que quiser aqui. -Falou e saiu da porta.

 

 Eu realmente engoli seco quando ela falou aquilo, espero que não tenha sido em duplo sentido, meu Deus, isso seria até mesmo nojento. Reparei que enquanto eu mexia no celular a Dinah passava ali para me olhar, então achei melhor eu sair e ir fazer alguma coisa, era cinco horas da tarde e eu precisava comprar cigarro. Avisei a Dinah que ia sair e fui até o carro, rodei pelo bairro até encontrar uma lanchonete, estava comprando uma coxinha e um cigarro quando meu celular começou a tocar, peguei pra ver quem era e era o Harry, esqueci que marquei de gravar.

 

- Onde você tá, Lauren Jauregui? -Ele perguntou puto.

- Desculpa Hazza, aconteceram umas coisas e eu acabei esquecendo. -Falei.

- Que coisas? -Ouvi a voz preocupada dele.

- Longa história. -Falei tentando disfarçar a voz.

- Eu conheço essa voz, vem aqui agora, não precisamos gravar se você não quiser, mas vem. -Harry disse e desligou o telefone.

 

 Confesso que gosto desse jeito dele de praticamente me obrigar a ir vê-lo, Harry sempre faz de tudo para ver os seus amigos e a sua irmã bem, eu admiro muito isso nele. Bom, como ele me pediu, eu fui até a casa dele, sua mãe tinha saído e só estava ele e a irmã lá. Harry sentou comigo no sofá e a Camila no outro, e ele me perguntou o que estava acontecendo, eu comecei a contar tentando conter as lágrimas, mas algumas caíram e a primeira coisa que ele fez foi me abraçar.

 

- Você deve estar chorando por ter que dormir junto com a Dinah, mas eu prometo que isso vai passar logo. -Ele disse fingindo estar chorando, tentando me fazer rir.

- Eu não tinha mais opção. -Falei rindo no meio do choro.

- Eu não admito que diga isso, Jauregui, sabe que podia muito bem ficar aqui. -Ele revirou os olhos.

- Não queria incomodar. -Falei e olhei pra Camila.

- Não ia, seria legal se ficasse por aqui. -Camila falou e sorriu, mas suas bochechas rosaram depois.

- Viu, até quem te odiou durante anos tá falando isso agora. -Harry disse rindo.

- Eu não conhecia a Lauren, Harold. -Camila disse meio sem graça.

- E eu não te conhecia, no final foi bom fazer esse documentário. -Falei.

 

 Harry me perguntou se eu queria ver um filme com eles, e eu aceitei, pretendo chegar na casa da Dinah depois que ela já tiver dormido, então ele ligou na Netflix e decidimos assistir A Entidade. Harry correu pegar cobertores e pipocas enquanto a Camila se sentou do meu lado pra ficar no meio de nós dois.

 

- Lauren. -Ela me chamou meio baixo.

- Eu. -Olhei pra ela.

- Se quiser conversar sobre algo, eu to aqui. -Ela disse, percebi a timidez na sua voz.

- Obrigado, Camila. -Sorri olhando aquele rostinho tímido.

- Me chama de Camz, Camila é sério demais. -Ela falou e riu.

 

 Eu queria entender o que essa garota anda fazendo comigo, o fato de eu estar ao seu lado, sentindo o seu cheiro e o cheiro do shampoo que ela usa no cabelo, até isso mexe comigo, ela anda me deixando sem defesas e eu não consigo mais lutar com o desejo de estar perto dela, parece até que a dor que eu senti hoje mais cedo por conta da minha mãe havia sumido, como que ela tem esse poder sobre mim.

 

- Trouxe os cobertores e a pipoca. -Harry disse jogando o cobertor em nós e dando a pipoca pra Camila, já que ela ia ficar no meio.

- Ainda acho que deveríamos ver comédia. -Camila disse encarando Harry, por mais que ela negue, dá pra ver que morre de medo de filme de terror.

 

 Camila tentou cobrir os olhos com a coberta, mas o Harry puxou pra baixo novamente, começamos a comer a pipoca enquanto rolava o começo do filme. Nem havia chegado no primeiro susto e a pipoca já acabou, Camila colocou o pote na mesinha de centro da sala e deitamos mais o sofá para podermos ficar mais relaxados; numa certa parte do filme acontece o primeiro susto, nada demais, mas a Camila deu um gritinho quando viu a família pendurada na árvore, e eu comecei a rir.

 

- "Eu não tenho medo de filme de terror. -Falei rindo e imitando ela.

- Mas eu não tenho medo, apenas me assustei. -Ela me olhou com a feição mais séria do mundo, mas logo depois riu.

 

 Continuamos assistindo o filme, lá pro meio começou a ficar mais "assustador", Camila apertava o sofá pra não gritar ou pular e aquilo estava me deixando estranha, é como se eu quisesse protegê-la, por isso encostei minha mão na sua por baixo da coberta, e eu percebi o pulinho que ela deu, mas em seguida segurou a minha mão forte e até relaxou. Harry já estava dormindo quando percebemos, e a Camila tirou uma foto dele de boca aberta, perguntei se ela estava com sono e ela pediu para terminarmos de assistirmos o filme, segurou em minha mão novamente e voltamos a assistir, e mesmo focada no filme ela estava tombando a cabeça toda hora, até que cochilou sobre o meu ombro, e minutos depois se ajeitou mais sobre o meu corpo, abraçando a minha cintura como um travesseiro. Meu coração disparou com ela tão perto assim, eu comecei a passar delicadamente a minha mão por seu cabelo o colocando pro lado, fiquei assim até acabar o filme, seu cheiro e a maciez da sua pele, me controlei para não beijá-la. Quando o filme acabou eu cutuquei o Harry, ele acordou e riu ao ver a Camila me abraçando daquela forma, eu mandei ele calar a boca antes que ela acordasse, sai de seus braços devagar para ela não acordar e fui até o carro com o Harry me acompanhando, abracei ele pra ir embora.

 

- Você tá com o cheiro da Camila. -Ele disse rindo.

- Deve ser porque ela dormiu em cima de mim, bocó. -Falei e dei partida no carro.

 

 Voltei a casa da Dinah e abri a porta com a chave escondida atrás de um vaso, fui até o quarto devagar para não acordá-la, tirei minha roupa e me joguei na cama, fechei os olhos e lembrei da Camila deitada no meu colo, seu cheiro, a forma como me abraçou forte, e quando cochilei eu me vi sonhando com a garota jogando o cabelo pro lado, abraçada novamente comigo e com seus lábios quase encostando nos meus.


Notas Finais


Como estamos?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...