História Expurgo - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Norminah, Ot5
Exibições 26
Palavras 1.606
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Antes de mais nada,quero agradecer mais uma vez a quem favoritou,comentou e está acompanhando. Esse moço bonito e maravilhoso da foto é o irmão da Lauren,o Chris. O capítulo está curto,mas boa leitura.

Capítulo 3 - Capítulo III


Fanfic / Fanfiction Expurgo - Capítulo 3 - Capítulo III

 

 

Do banco do meio,Normani assistiu perfeitamente o momento em que uma garota encapuzada descarregou uma arma no peito de um rapaz loiro que foi pego totalmente de surpresa. Após o corpo ensanguentado desabar no chão,a garota ergueu a arma para o ar e deu um grito de guerra,sendo saudada pelos outros encapuzados que pareciam pertencer ao seu grupo. A morena se sentiu como uma expectadora de um filme sobre vinkings selvagens e desalmados. Era como se toda humanidade tivesse regredido uns trezentos anos. Era assustador.

 Chris,sem perder tempo,se apressou em dar a marcha a ré,manobrando o carro e girando o volante com rapidez,dirigindo o mais longe possível dali. Sua respiração estava acelerada e ele proferia mil e uma maldições em pensamento,olhando pelo retrovisor freneticamente. As meninas ainda estavam processando a cena que acabaram de presenciar. Nenhuma delas estivera fora de casa no dia da purificação antes e nunca poderiam imaginar a real dimensão daquilo tudo.

  – Eu vou fazer o retorno. - o rapaz disse,sabendo que teria de ser a cabeça pensante naquele momento. – Vou pegar a próxima rua e deixar vocês na casa  dos pais de Ally. É próximo a avenida principal,não é? - levou seu olhar a pequena,que acentiu lentamente com a cabeça,apertava a barra da manga de sua blusa com força,rezando mentalmente.

  – Você vai ficar com a gente lá,Chris. - Lauren foi enfática e categórica,sem deixar espaço para discussões. Sempre funcionava nas suas discussões com seus irmãos por ela ser a mais velha e os dois a respeitarem o bastante para entender que ela dava a palavra final. Chris apenas suspirou,ele não iria explicar de novo.

   – Você é tão teimosa,Lauren.

  – Parece ser um defeito de família então. 

 Balançando a cabeça negativamente,Chris se limitou a dirigir. Camila estava quieta em seu lugar,um pouco espremida entre Normani e Ally. Girava distaidamente o celular nas mãos,mordendo o lábio nervosamente. Alejandro,seu pai,tinha lhe mandado uma mensagem a poucos minutos atrás e mesmo sendo por texto,Camila podia apostar que o homem estava desesperado de preocupação. Camila respondeu a mensagem dizendo que estava na casa de uma das meninas e que estava tudo bem. Alejandro já andava com preocupações demais em mente e a latina não queria adicionar mais uma a sua lista ao dizer a verdade. E de qualquer jeito,ela ficaria bem,estavam com Chris e ele as levaria para casa dos Brooke. Fim da conversa.

 Normani,por outro lado,observava discretamente as expressões de Camila. De algum jeito,sentia que estava amolecendo aos poucos com a colega de banda. Normani tinha sim tomado a briga de Lauren,mas isso não quer dizer que ela não sentisse mais nenhum pingo de empatia por Camila. As duas costumavam ser bem próximas também. Não tanto quanto Normani era de Lauren e Camila era de Dinah,mas eram bastante amigas mesmo assim. Cada uma delas tinha um laço especial uma com a outra. Camila tinha uma ligação específica com Dinah e outra específica com Normani,que não deixava de ser tão intensa quanto. Era algo que só as cinco garotas entendiam e explicar para alguém de fora era complexo demais. Mas elas entendiam e era tudo o que bastava.

  – Ah não. Merda,isso não. - Chris murmurou para si mesmo,mas Lauren ouviu e antes que ela pudesse perguntar o problema,um tranco forte foi sentido do lado esquerdo do carro,onde Chris estava. O rapaz perdeu a direção por alguns segundos,o que causou um desvio do carro para a outra pista.

 – CHRIS! QUE PORRA É ESSA?? - ela gritou,as unhas quase rasgando o revestimento do banco do carro. A investida contra o carro foi dada mais uma vez,com mais força e Chris teve que firmar as mãos no volante,recuando um pouco o carro para fugir da camionete que o emparelhava.

– Não surta agora,Lauren,eu preciso tirar a gente dessa. - Chris respondeu entredentes,o olhar aflito para o carro a poucos centímentros na frente,que se preparava para mais um empurrão. Da janela do carona,surgiu metade do corpo de alguém e Camila piscou duas vezes,reconhecendo aquela máscara. Era a mesma que os garotos do conversível de mais cedo usavam. Uma máscara de coelho. 

 O garoto mascarado tinha um taco de softball nas mãos e o girava com habilidade,até segurá-lo de maneira firme e em posição de rebate. Chris suava frio quando o carro voltou a ficar no mesmo nível e o garoto com o taco usou de toda a sua força para acertar o retrovisor do carro com o taco,o arrancando,fazendo o equipamento sair voando pela estrada. Batendo com o taco mais uma vez,o mascarado quebrou a vidraça da janela do motorista,enquanto mais outro mascarado surgia da janela do banco de trás,com um revólver em mãos. Os gritos desesperados e assustados das garotas encheram o carro e Chris tentava a todo custo manter a concentração na estrada. 

 – O que está acontecendo,Chris??? - a voz trêmula de Ally surgiu do banco de trás,enquanto a garota tentava se proteger das tacadas que ainda não haviam parado. Quando o primeiro tiro acertou a lataria da porta de trás,Chris se desestabilizou pelo susto e perdeu a direção por alguns minutos,fazendo o carro derrapar pela pista. Lauren, em um reflexo rápido,se inclinou e colocou as duas mãos no volante,conseguindo estabilizar a direção,mesmo que estivesse nervosa pra caralho. Um segundo tiro atingiu a vidraça de trás dessa vez que apenas rachou,ricocheteando a bala para longe. Chris estava paralizado,os olhos esbugalhados e as mãos tremendo. 

 – Chris,passa para o banco do carona. - sua irmã disse,se contorcendo para poder sair do banco do carona. Christopher ainda não tinha dado sinal de reação. - CHRIS,AGORA! - o som de mais uma tacada o tirou do transe e Chris rapidamente saltou do banco do motorista,fazendo um contorcionismo até conseguir trocar de lugar com sua irmã. Com um ato de puro sangue frio,Lauren conseguiu empurrar de volta o carro adversário e pisar fundo no acelerador,os distanciando com agilidade da camionete.

Aos poucos,o veículo foi ficando para trás e Lauren continuou dirigindo em silêncio,até achar uma rua deserta e segura o bastante. Entrou com o carro em um beco silencioso e escuro,com a esperança de que ali tivessem pelo menos algum tempo para entenderem o que tinha acabado de acontecer. Quando o motor do carro foi desligado,Chris passou a mão pelos cabelos,ainda trêmulas e desviou rapidamente o olhar para o lado de fora. Lauren se virou para ele,sendo imitada pelas quatro garotas no banco de trás que esperavam explicações. Aqueles caras tinham agido como se Chris já fosse um alvo certo e marcado. 

– Você pode nos explicar agora que porra foi aquela?! - foi Dinah quem perguntou,ainda sentia seu coração bater furiosamente contra seu peito. Camila olhou para Ally com certa preocupação,já que os ataques foram em sua maioria no lado onde ela e Chris estavam. 

Christopher respirou fundo,buscando calma para lidar com aquilo. Se virou exclusivamente para a irmã,temendo pela reação dela. 

– Estamos esperando,Chris. - Lauren cruzou os braços.

–  Aquela é uma gangue. - ele disse por fim,depositando a mão direita na nuca,embrenhando seus dedos nos poucos fios ali. – Eu não sei ao certo quais são os rostos por trás das máscaras,mas acredito que tenha algo a ver com a minha universidade. Eu recebi uma carta no início dessa semana. Estava embaixo da mesa do lugar em que eu sempre me sento nas aulas. Eles me desafiaram a participar do expurgo esse ano. - explicou tudo devagar,desviando o olhar para o seu colo no meio da fala,por ver o rosto de sua irmã se contorcendo em uma expressão nada boa. Chris esperou pela explosão. E ela não demorou para chegar. 

– Como é????? Você está me dizendo que saiu para as ruas esse ano só para provar para a porra de uns merdinhas da universidade que você era macho o suficiente para isso??? Eu não estou acreditando nessa merda,Chris. Você pelo menos levou em conta a porra da sua família??

Chris deixou que Lauren falasse com a cabeça baixa,porque ela tinha todo o direito. Ele sabia que Ally,Camila,Normani e Dinah também o olhavam como se ele tivesse perdido a cabeça.

– Lauren. - ele voltou a falar,segurando as mãos da irmã que tinha começado a estapeá-lo nos ombros,uma forma de demonstrar toda sua irritação no momento. – Me escuta. Eu tive um bom motivo. Eu sou idiota sim,mas não a ponto de fazer isso sem um bom motivo.

– E que merda de motivo suicida seria esse??

– Tinha uma última linha na carta. - respondeu com calma,soltando as mãos da irmã para pegar algo dentro do bolso frontal da calça jeans. Era um pedaço de papel ofício meio amassado que foi colocado na palma das mãos de Lauren. – Leia você. 

Mesmo estando bastante puta com aquela estupidez,Lauren desamassou a carta como conseguiu,passando os olhos verdes pelas palavras escritas com uma caneta de tinta vermelha.

 

'' Caro Christopher Jauregui,

Estivemos observando você pelos corredores da universidade. Você parece ter bastante coragem não é? Sempre defendendo os fracos e oprimidos,a escória da nossa universidade. Mas será que você é tão corajoso assim nas ruas? Apareça no dia da purificação esse ano,gostaríamos de testar toda essa sua coragem.

Te esperamos no expurgo.

PS: Este não seria um ótimo dia para vingar o nome de seu pai? Talvez você encontre algumas informações sobre isso.''

 

 O corpo todo de Lauren ficou em estado de alerta mais uma vez. Vingar o nome de seu pai

– Isso é algum tipo de brincadeira,Christopher?

– Eles sabem alguma coisa sobre o nosso pai,Lauren. E devem saber algo sobre a irmã de Dinah também. Eu preciso ficar até o fim.

Lauren lançou um olhar para Dinah no banco de trás e soltou todo o ar do pulmão,afundando seu corpo no couro do banco do motorista. Aquela noite ficava cada vez pior.


Notas Finais


Eu não tenho capítulos prontos para essa fanfic,então quando eu acabo de postar um,eu já vou começar o outro,e pode ser que ás vezes eu trave. Mas vou tentar manter esse ritmo de postagem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...