História Éxtasis - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, Karim Benzema, Marcelo Vieira, Mesut Özil, Sergio Ramos
Personagens Karim Benzema, Mesut Özil
Visualizações 90
Palavras 1.408
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura meus bebês!!!!!

Capítulo 4 - Capítulo quatro


Fanfic / Fanfiction Éxtasis - Capítulo 4 - Capítulo quatro

 

“Quando você é criança, cai, rala o joelho e chora como se fosse a pior dor do mundo. Depois você cresce, então vem a vida e te obriga a aprender que ralar o joelho não dói nada, e que os machucados que mais doem, ficam no coração.”

 

— A culpa é mesmo das estrelas?

 

Karim Benzema

O vi chegar e se juntar ao Ramos, e eu só conseguia pensar na cena da Catherine desmaiada em meus braços por causa dele. Minha cabeça pensou tanto nisso que meu treino foi uma merda. Pensar que nós já fomos muito amigos. É de doer o coração.

- Olha só quem voltou – Sergio berrou e quando olhamos era o Mesut, ao lado do Florentino, eu não sei se conseguiria ter o mesmo sangue frio do Florentino.

Mesut Ozil, realmente voltou, e ele com certeza vai voltar pra vida da Catherine, e coisa boa não vai sair dali.

- Só controla essa sua cara de bunda, Benz – ouvi Cristiano falar do meu lado e bufei – Também não fico feliz com isso, mas não podemos misturar o profissional com o pessoal.

- Eu não consigo. Não depois de tudo o que ele fez pra ela.

Zidane nos liberou e eu preferi nem o cumprimentar, já havia feito mais do que aguentava ontem a noite.

Tomei meu banho, me vesti e fiquei sentado mexendo no celular, entrei no Instagram e a Catherine tinha postado uma foto, em Sevilla. O que ela estava fazendo lá?

@catherineperez: Talvez alguns males vem para o bem....

- Karim? – olhei para a porta e preferia não ter olhado – Olha, eu sei que você não quer nem olhar na minha cara pelo o que eu fiz com a Catherine. Mas eu sinto falta da nossa amizade, sinto falta do trio. – revirei os olhos, uma mania que eu estou pegando com a Cath – Eu sei que ela ficou mal, eu também fiquei, pra caralho, mas acredita em mim, era o melhor pra ela.

- Não, você não sabe como ela ficou, Mesut. – fechei os olhos tentando afastar as lembranças daquela época. – Você não sabe um terço da história. Tudo bem, você voltou pro clube, mas não tente voltar pra vida dela. Ela já sofreu tudo o que tinha que sofrer. Não merece mais.

- Eu só queria me desculpar, eu não saí daqui com o psicológico muito bom, eu também fiquei arrasado, Karim. Não pense que foi apenas ela quem sofreu.

Apenas o encarei, peguei minha mochila e saí do vestiário, esbarrei com os outros pelos corredores, mas não dei atenção. Eu só queria chegar em casa, deitar na minha cama e ficar com a minha filha. Esquecer que esse dia de hoje existiu.

Entrei no carro e meu telefone tocou, era a Catherine. Meu coração rapidamente acalmou. Essa menina é com certeza o meu ponto de paz.

- Benze?

- Oi meu anjo.

- Como que foi hoje?

- Não é uma coisa que podemos falar por celular – suspirei e a ouvi respirar fundo – Você está em Sevilha?

- Já estou voltando, vim por causa de uma reunião da empresa.

- Quer dormir lá em casa hoje? Noite do pijama com a Melia. Já que amanhã eu tenho que ir pra concentração.

- Tudo bem, te vejo mais tarde então. Beijos, te amo.

- Te amo.

Encerrei a ligação e fiquei pensando no que o Mesut havia falado, eu realmente nunca parei pra pensar em como ele deve ter ficado, porque era bem nítido o quanto ele gostava/amava ela. Mas meu coração não queria aceitar isso.

- Papai – ouvi aquela voz que eu tanto amava – Por que você veio me buscar agora? – peguei sua mochila que era de alguma princesa que eu fazia a mínima ideia de qual era. Até porque quem havia comprado tinha sido a Cath.

- Porque eu queria passar mais tempo com a minha princesa – ela sorriu e passou os braços pelo meu pescoço.

Fomos até em casa cantando músicas desses filmes de princesa, e eu sabia que a única coisa que iria me distrair de hoje seria a minha filha.

Catherine Perez

A catedral de Sevilha era a coisa mais linda, cada vez que eu vinha eu achava mais linda ainda. Meu coração ficava em paz só em pisar nesse lugar, e querendo ou não, minhas preces eram ouvidas, e nesse momento, eu só queria paz e um pouco de paciência para poder lidar com as coisas da minha vida.

Voltei pra Madrid eram mais ou menos 16hrs00min, cheguei em Madrid por volta das 18hrs30min, fui direto para casa do Karim, já havia avisado ao meu pai que não passaria a noite em casa e que era para ele não se preocupar com isso.

- Cath – Gressy abriu a porta pra mim e eu sorri.

- Meu amor – o abracei – Vim passar a noite aqui como nos velhos tempos.

- Será que o Karim comprou sorvete?

- Comprei Gressy – ouvi a voz do meu francês favorito – Entra, vida.

Entrei e assim que pisei na sala senti algo abraçar minhas pernas, sorri e abaixei para pegar minha princesa no colo. Enchi sua bochecha de beijos enquanto ela soltava uma gargalhada gostosa. E não pude evitar meu sorriso.

- Vejamos se não é a princesa mais linda de todo mundo? – disse e ela sorriu. Crianças e suas doçuras.

- Karim? – ouvi uma voz surgir da escada e um corpo feminino aparecer.

Cora Gauthier estava vestindo uma das milhares camisas do Karim, inclusive, uma camisa que eu havia dado de presente de aniversário.

Olhei para o Karim e ele foi até a francesa, olhei para o Gressy que apenas pegou a Melia e foi até a sala de jogos, eu me dirigi ao quintal e sentei em uma das espreguiçadeiras que tinha em frente a piscina. Respirei fundo e tentei organizar meus pensamentos

- Eu não sabia que ela iria vir, te juro.

- Ela ta usando uma blusa sua e passeando pela casa, você tem uma filha aqui dentro, Karim – disse ríspida sem o olhar. Ouvi seu suspiro e senti sua mão se aproximar do meu ombro, eu apenas repeli seu toque – Você sabe bem como a sua filha fica quando essa mulher aparece. – levantei e olhei para o meu melhor amigo – E você sabe como o seu emocional também fica.

 - Eu não sou mais apaixonado por ela, ok? – soltei uma risada e ajeitei meu casaco.

- Eu vou levar o Gressy e a Melia para dormirem no meu apartamento, enquanto você aproveita a noite – antes que eu pudesse dar o primeiro passo, sua mão envolveu meu pulso e eu parei para o encarar – O que foi?

- Desculpa ta? Eu não...

- Você sabia, e sabe. Você conhece melhor do que ninguém a Cora.

Mesut Ozil

Estar de volta a Madri, estar de volta ao Real Madrid, me trazia uma sensação parecida com a paz que há tempos eu tento encontrar, para estabelecer essa paz, eu só precisaria resolver coisas que eu deixei pendente há uns anos.

Catherine Perez é uma dessas coisas. Na verdade, ela é principal razão por eu ter voltado para o Real. Meu coração sempre a pertenceu, por mais que nesses oito anos longes eu tivesse beijado outras bocas, ou então, me deitei com outros corpos.

Catherine sempre vai ser a dona do meu coração.

- Stalkeando a garota de novo? – Nese perguntou ao ver meu celular aberto na foto que a Cath tinha postado hoje no instagram.

@catherineperez: Talvez alguns males vem para o bem....

- Eu acho que não vale a pena se aproximar da Cath – Mutlu se manifestou e todos olhamos para ele.

- Por que não, filho? – minha mãe perguntou e eu fiquei olhando para o meu irmão esperando a resposta – Você viu como seu irmão ficou depois que teve que largar a Cath.

- Eu entendo que o Mesut sofreu, mas ele tinha a opção de abrir o jogo com a Cath, ainda mais que o relacionamento deles foi construído a base dessa confiança que ele tanto dizia que tinha – Mutlu estava certo, eu sempre falava que o meu relacionamento com a Cath tinha uma confiança que não se encontrava em nenhum outro relacionamento – Ela sofreu, e ainda está tentando juntar todos os cacos espalhados. – ouvi seu suspiro – Se for voltar pra vida dela...

- Eu não vou sair, você pode ter certeza – o interrompi e vi um pequeno sorriso em seus lábios. – Eu vou lutar por ela. 

 


Notas Finais


opaaaaaaaaaaa
ei nenes, queria agradecer pelos favoritos, comentários e tals, desculpa estar demorando a postar, mas meu notebook ta um lixo, e a escola está tomando mt do meu tempo, mas, espero que tenham gostado do capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...