História Eyes on fire - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Hinata Hyuuga, Ichigo Kurosaki, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno
Tags Kakasaku
Exibições 67
Palavras 3.187
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa Leitura.

Capítulo 29 - Kakashi, você foi um covarde!


O vento soprava aquele cabelo rosa, soprava o vestido negro e levava as lágrimas dela para bem longe.

    Sakura estava na frente de um pequeno túmulo, sem nome. Com apenas algumas palavras escritas: Um anjo que um dia foi fruto de um grande amor."

    Havia flores, velas e muitas palavras de conforto escrita em pequenos papéis. Os súditos do reino prestavam consolo naquele pequeno túmulo. Todos estavam Com pena dos pais e do bebê, que não tinha culpa de nada e foi o que mais sofreu na guerra

   Passou-se uma semana depois que ela descobriu que seu filho estava morto. E nesses dias Kakashi não apareceu e nem mandou cartas e nem respondeu as cartas de Dam e Tsunade. 

   Nada doía mais que a perca de um filho, um filho que ela tanto desejava. Nada doía mais, nem a dor do abandono.

   Sakura se sentiu abandonada por Kakashi, ela se sentiu largada e traída na hora que ela mais preciso.

   Ela passou esses dias trancada no quarto, chorou pelas lembranças do estrupo, do abandono e entrou aos gritos ao perceber que não sentia mais aquele pequeno na barriga.

   Foi pior quando a noite caía e nada de Kakashi, nem Rin e nem Obito.

   Sakura já não sentia mais nada, nem dor, nem tristeza e nem amor. As lembranças da guerra rasgaram seu peito e dilacerou o seu coração. Um vazio estava dentro de sí, a fazendo esquecer tudo. Até mesmo o amor dela por Kakashi.

    Naruto vinha até ela preocupado, a rosada não falava nada, apenas encarava as coisas e dava de ombro. - Sakura? - Ela olha o loiro que trazia um casaco negro que ia até os pés. - Está muito frio aqui fora, e está anoitecendo. Vista isso. - Ele ajuda ela a vesti o casaco e logo ela crusa os braços. -  Você nem deveria está aqui, suas ferimentos ainda não cecatrizaram.  Vamos voltar, nossa mãe está fazendo aquele chocolate quente que tanto amamos. - Ela olha o loiro e sorri forçada.

   - Vamos! - Disse em um sussurro.

   O loiro tirou uma pequena flor do bolso e pós entre as várias que estava ali. Sakura deu uma última olhada no pequeno túmulo e saio andando, Naruto enlaça o ombro dela a esquentando.

   - E Kakashi? - Pergunta ela encarando a saída do cemitério.

   - Papai mandou outra carta a ele. - Naruto fica sério.

   - Quantas ele mandou nessa semana?

   - Nove ou dez.

   - Resposta?

   - Nenhuma teve resposta. - Diz ele. vendo ela suspira.

   

                  Em Uivantes fortuna.


    Uma grande muralha foi erguida nesses dias, as casas aos poucos vão sendo erguidas. E Kakashi ajudou a carregar Cada pedra da muralha e Cada telha dos telhados.

   Cada entrada que teve no reino foi fechada com as muralhas, restando apenas uma única saída e uma única entrada.

   Diferente de Sakura, Kakashi não perdeu tempo nesses quase oito dias com lamentos e lágrimas.

  Ele esqueceu a dor.
 
  Ele esqueceu a tristeza.

  Ele esqueceu as lágrimas.

  Ele esqueceu a guerra.

  Esqueceu a morte do filho e o amor de Sakura.

  Ele esqueceu tudo,

  Ele esqueceu até de Sakura.

  Criou uma grande camada de gelo sobre o seu peito e virou novamente aquele Kakashi do começo, frio, sem pena e um cafajeste.

   - O meu reino está voltando ao normal, só que mais seguro. - Dizia Kakashi do alto do seu castelo. - Cada metro de terra, está cercado com a muralha Hatake, não apenas ao redor do meu castelo, mais ao redor dos meus súdito e ao redor da minhas terras. - Estava com ele Sarutobi. - A cada dez metros de comprimento do muro, à uma vigília, e nessa vigília esta cerca de cinco soldados, e todos eles serão bem pagos. Serão dois esquadrão, um de dia e outro de noite. Minha muralha está maior  e com mais comprimento do que a muralha da China, ela não chega aos pés desta muralha. Acabei com quase toda a minha fortuna que estava guardada, só para eu não ver mais morte.

   - Foi um Ótimo investimento, seu reino é o mais seguro das redondezas. O reino Konoha ficou em segundo lugar já que só o castelo dele fica cercado por murros. - Ele vê Kakashi ficar sério.

   - Konoha! - Sussurra ele se virando. - Com todo respeito mestre Sarutobi, eu terei que ir, fique à vontade no castelo.

   Kakashi saio da torre do castelo e foi andando para a sala, no meio do caminho ele ouve um grito seguido por um choro de menino novo.

   Aquele choro fez o seu coração aperta, oque o fez para e o seu fôlego faltou.

   - É uma menina. - Ele ouve a voz de uma mulher. 

   - É uma menina Rin! - Ele houve a voz de Obito.

   - Como vamos chema-la? - Pergunta Rin

   - Akira. - Diz Obito.

   Kakashi se recompõe e continua seu caminho, ainda mais sentido.

   Ele segue o seu caminho até a biblioteca, lá ele encontra Minato e Kushina.

   - Sensei! Duquesa! - Ele se curva vendo eles se curvar.  - Oque os trouxeram aqui? - Ele vai até sua cadeira.

  - Não podemos mais visita-lo Kakashi-sam? - Pergunta Kushina sorridente.

  - C-claro que pode Kushina-Sama. Eu só não esperava. - Ele sorri sem jeito.

  - Hm. - Ela fica seria. - Eu vim até aqui para saber se você não vai busca mais sua esposa. - Ela vê ele ficar sério.

  - Kushina, vá com calma. - Pede Minato já sabendo como é sua esposa.

  - Sakura está mais segura-la, e eu ainda não estou pronto para ver seu rosto. - Kakashi encara a ruiva.

  - Sakura estará mais segura ao seu lado. - Kakashi se levanta.

  - Desculpe-me Kushina-Sama, mais sobre assuntos de minha mulher e eu, só cabe a nós dois. - Kakashi vai até a porta e a abre. - Sem querer desrespeitar vocês dois eu quero que mim deixem sozinho, eu tenho muitos papéis para assinar.

   Minato olha para Kushina e a mesma coloca sobre a mesa uma carta do reino Konoha.

    Os dois sai da sala sem dizer nada, Kakashi quando fecha a porta vai até a carta e enguanto ele ia para a cadeira ele vai abrindo a carta.

  

    "

      Oi Príncipe Kakashi, quem está escrevendo é o Rei Dam, eu sei que você ainda está no efeito da guerra e que talvez ainda não queira ver a minha filha. Mandei está carta e talvez não mandarei mais. Vim dizer a você que Sakura ja se recupera bem, finalmente saio da cama e os seus ferimentos já estão tratados. Infelizmente minha filha está muito traumatizada e com começo de depressão. Ela não é mais a mesma, nunca mais vi sair um sorriso sincero do seu rosto. Ela não pergunto mais sobre você, não para mim. E eu acho que ela está muito magoada por você não vir até ela e principal por não responder as cartas.
   Eu espero que você esteja bem, e que ponha a mão na consciência e pense que Sakura ainda é a sua esposa e que ela o ama muito.
 
            Anteciosamente Dam.
                                                             ."


    Kakashi deixou a carta sobre a mesa e foi para o seu quarto, no caminho ele passa no quarto de Obito com Rin.

    - Entra Kakashi. - Pedio Obito.

   - Vim parabéns vocês pela menina. - Disse ele indo até Rin que estava sentado com a menina nos braços.

   - Você ja ficou sabendo? - Pergunta ela sorrindo.

  - Sim. - Diz ele vendo a menina adormecida nos braços da mãe.

   Obito pega a menina nos braços. - Kakashi, segura ela.

   - N.. não. - Diz ele recundo para trás.

  - Kakashi, eu e Obito queremos que você e Sakura Sejam padrinhos dela. - Diz Rin.

  Obito coloca a menina nos braços de Kakashi. - Eu aceito, só não sei dizer se Sakura aceita. - Todos nota ele ficar triste.
   - Você ainda não foi até ela? - Pergunta Obito.

   - Não. - Ele devolve a menina. - Sakura estará melhor lá. - Ele vai até a porta. - Boa noite.

           No castelo de Konoha

  Sakura caminhava até a biblioteca, lá estava Dam, Naruto, Minato, Kushina e Tsunade.

  Ela abriu a porta e encara todos.

   Sakura se curva para todos que logo os mesmos se curva.

  - Papai, eu quero que o senhor pare de manda cartas para Kakashi. - Ela fica seria. - A partir de hoje está proibido qualquer um de vocês manda cartas falando sobre mim. Se for de negócios eu não mim importo, mais sobre mim não.

   - Filha, você está alterada. - Diz Tsunade indo até ela.

   - Não Mamãe, eu estou bem. Eu vou para o meus aposento. - Ela  fecha a porta deixando todos calados.

   - Assim será o desejo de Sakura. - Diz Dam. - Apartir de hoje às cartas que sera entregue ao príncipe Hatake serrá a respeito apenas de negócios.

   Dias se passaram, e Rin foi vizita Sakura com Obito.

   Quando a carruagem entrou pelos portos de Konoha, Sakura fica nervosa pensando se Kakashi poderia vir. 

   Ela olhava de umas das janelas, seu pai e sua mãe junto com Naruto foram de encontro com a carruagem.

   Sakura sorriu ao ver Rin, Obito e se surpreende ao ver ela sem sua barriga e uma pequena menina nos braços de Obito.

   Sakura logo corre até eles. - Rin! - Rin sorri ao ver ela é logo a abraça. - Nossa, você está linda.  - Diz ela.

   - Obrigada. - Rin puxa Obito. - Sakura essa é a Akira. - Sakura fica encarando a menina que parecia ter um mês.

   - Já se passou um mês?- Pergunta ela pegando a menina nos braços.

   - Quase. - Diz Obito.

   - Vamos entrar. - Pede Dam.

   Foram para uma sala que Tsunade gostava de tomar chá.  

   - Sentem e fiquem à vontade, eu vou ter que ir na vila - Diz Dam.

   - Eu vou manda trazerem um lanche para vocês. - Diz Tsunade logo saindo.

  Naruto fica com eles para fazer companhia a Obito.

   - E então oque trouxeram ate aqui? - Sakura segura a menina que estava acordada brincando com um brinquedo 

  - Além de virmos ver como você está, venhemos Pergunta se você aceita ser madrinha de nosso filha? - Pergunta Obito.

  - É claro que sim!. - Sakura por um momento se recorda de Kakashi e principalmente de seu bebê.

  Ela devolve a menina a Rin e suspira. - E quem vai ser o padrinho? - Pergunta Sakura.

  Uma empregada trás chá com biscoito para eles.

  - Todos nos sabemos que você e Kakashi não estão bem, mais, mesmo assim Obito e eu decidimos que vocês dois serão os padrinhos. - Diz Rin. - E eu e Obito torcemos para que tudo volte ao normal entre você e Kakashi.

  - Eu acho que eu e Kakashi não temos mais volta. - Sakura se serve. - E sobre eu ser Madrinha, eu aceito.

  - Sakura, não diga isso! Você e Kakashi se amão. - Diz Rin

  - Sabe Rin, não há um dia se quer que eu não mim condene pela morte do meu filho. - Sakura encara Naruto que ficou calado apenas encarando a irmã, Obito estava com a menina no colo - E Kakashi invés de está ao meu lado, ele foi o primeiro que mim abandonou.

   - Sakura, não é isso! - Diz Obito. - Kakashi está muito preocupado com o reino.

   - Não Obito, é isso sim. - Ela bebé um pouco de chá. - Se eu fosse ele também faria o mesmo, afinal, ele deve estar com nojo de mim e com raiva e talvez mim culpando por tudo oque aconteceu. E quado ele se der conta, já será tarde de mais.

   - Eu concordo com você Sakura! - Diz Rin. - Kakashi está obsecado em reconstruir o reino, e não em reconstruir o seu casamento. - Rin bebia o chá.  - Mais não se deixe abater, recontrua a sua vida, mesmo que esteja doendo muito. -

   Apareceu o senhor que conduzia a carruagem de Sakura.

   - Princesa, - Ele se curva para todos. - Já está na hora de ir. - Sakura da um suspiro.

   - Vocês se importaria em ir com migo a um lugar? - Pergunta Sakura se levanta.

   - Claro que não. - Diz Obito.

   - Você vem Naruto?

   - Claro, estarei com você Sempre.

   Sakura sorri e conduz todos até a carruagem. No caminho ela compra algumas flores e logo eles para na frente de um cemitério.

   - Esse cemitério é o da família real. - Diz Naruto. - Aqui está enterrado os antigos reia e rainhas, príncipes e princesas e alguns duques que faziam parte da família real, nossa linhagem de vários anos e de várias décadas está aqui.

   Eles andam até um túmulo pequeno debaixo de um pé de Sakura. Ele ficava em cima de um pequeno moro, e lá só ficava ele.

   - Esse é? - Pergunta Rin.

   - Sim, é o meu filho! - Sakura tira algumas pétalas de Sakura que estava sobre a lápide. - Meus pais fizeram este túmulo e colocaram o pequeno feto aí. - Sakura coloca as flores na frente da lápide.

   - Um anjo que um dia foi fruto de um grande amor." - Rin lê sentindo vontade de chorar.

   - Eu sempre dizia para os meus pais que se eu morresse antes deles, que por favor eles mim enterrasse aqui, debaixo desse pé se Sakura. então eles o colocaram aqui, e vai ser ao lado dele que vou ser enterrada.

    Depois de alguns minutos eles regressaram ao castelo, infelizmente Obito e Rin tiveram que ir.

   - E como está o reino? - Sakura levava os três até a carruagem.

   - Está muito seguro! - Diz Rin.

   - Como?

   - Kakashi colocou uma grande muralha ao redor de todo o reino. Ele acabou com quase toda a sua fortuna. A vila está quase pronta, e a vida dos aldeões estão voltando ao normal. - Diz Obito.

   - Que bom! - Sakura se despede de Obito e Rin e beija a menina.

  A viagem de Rin e Obito foi rápida, e na metade do caminho podia se ver a imensa muralha, ao chegar perto os guardas apontava suas armas até Obito se indentifica. Os portões de ferros faziam um grande barulho ao se abrir, oque ficaria na mente de todos.

   Eles passaram pela vila, e depois de alguns metros de estrada eles chegaram no castelo.

  E quando entraram naquele imenso castelo, viram aquele imenso silêncio, e alem dos móveis, Kakashi estava lanchando.

  - Boa tarde. - Disse Kakashi.
 
  - Boa Tarde. - Os dois responde.

  - Pedirei que tragam duas xícaras. - Diz ele.

  - Não Precisa tomamos um chá com - Rin se senta - Sakura.

   Ela vê que ele não se importa.

   - Hm... Visitaram ela? - Pergunta ele.

   - Sim!

   - E como ela está? - Pergunta ele mostrando interesse.

  - Como você! - Kakashi encara ela. - Ela está fingindo que está tudo bem. Ela está fingindo que te esqueceu, mais desabafou que esta magoada por você ter a abandonado na hora que ela mais preciso.

    - Rin! - Kakashi bate as mãos na mesa fazendo a mesa tremer.

   - E eu concordo com ela. Você acabou com o seu casamento no momento em que escolheu não ficar ao lado dela. - Rin estava irritada, Obito vendo a onde iria dar, ele pega a menina e sai dali, deixando a família Hatake se virar.

   - Chega Rin. - Ele se levanta.

   - Você esta tão obsecado em reconstruir o reino que culpa Sakura por tudo. Talvez ela tenha razão, você pode está com nojo dela por conta dos estrupos, mais quando a pessoa ama a outra, ela fica do lado dela em qualquer situação. O nisso você foi um covarde. Você é um covarde, correu para longe dela, você é um fraco. - Rin já gritava

   - Sakura foi o motivo da minha ruína. - Ele se levanta gritando. 

  - Kakashi? - Nicole aparece com Shikamaru.

   - Não diga isso. - Rin Grita. - Se meu tio  Sakumo estivesse vivo, ele teria nojo de você. Ele te jogaria nas masmorras, e se envergonharia por ter tido um filho como você. - Ela desabafa, jogou na cara dele oque foi obrigada a engolir.

   Kakashi ficou alterado e jogou as coisa que estavam sobre a mesa no chão, ele chutou uma cadeira e Gritou, fez isso para não voar no pescoço dela. Shikamaru tentou segura ele mais Kakashi o enpura encima de Nicole.

  - Talvez se ele não tivesse a colocado na minha vida, eu não teria nunca descobrido oque era o amor é nunca, nada disso teria acontecido. - Minato havia entrado na hora, e ouviu tudo e viu tudo e junto com ele estava Sarutobi.

  - Você culpa ela por tudo. Que merda de homem e você? - Ela Grita.

  - Se eu não tivesse a conhecido, Inoichi estaria vivo, Shukaku estaria vivo e o asuma estaria vivo. - Ele volta a chutar uma cadeira e vira a mesa.

  - E o seu filho? - Ele para e a encara. - E os momentos felizes que teve com ela? Você por acaso se lembra de todas as noites de amor? Do quadro que ela te deu com carinho?  E dela? Você lembra? - Rin começa a chorar.

  - Não a um dia se quer que eu não mim lembre dela! - Ele acompanhar rin nas lágrimas e se escora numa parede. - Não a uma noite se quer que eu não a desejo ao meu lado. E não a um dia que eu não sinta falta do seu sorriso. - Rin fica irritada.

  - Você sabe oque fazer. - Ela suspira. - Sakura tornava esse castelo mais feliz, mais bom de se mora. - Ela vai até ele. - Está vendo Shikamaru? - Ela aponta para ele que abraçava Nicole. - Ele sim é um homem de verdade. Ele aceitou Nicole mesmo sabendo de tudo oque ela foi obrigada a passar. Ele esteve ao lado dela, deu carinho, a amou e mostrou para ela que nem todos os homens são porcos nojentos. Ele mesmo sendo um menino, teve a consciência e ainda tem a consciência de um homem adulto. - Ela encara os dois. - Perdão por lembra vocês isso. - Ela suspira. - A família de sakura fez um túmulo para o filho de vocês.

  - Oque? - Kakashi fica surpreso.

  - Eu vi, fica no cemitério da família real, debaixo de um pé de Sakura. - Rin sai andando para o andar se cima.

   - Neensam? - Nicole vai até ele e o abraça. - Você esta bem? - Ela limpa seus olhos.

   - Estou! - Ele a abraça. - Não se preocupe.

   - Rin tem toda razão! - Uma voz soa na sala, eles encara a porta e vê Minato e Sarutobi. - Agora que reconstruiu o reino, reconstrua o seu casamento. - Diz Sarutobi.

  Kakashi saio correndo dali, ele estava cansado de tudo aquilo.


Notas Finais


Nossa autora, você é pior que fantasmas.
kkkkk
Desculpe a demora.
Então? Oque acharam?
Será que Rin está certa?
Bjs até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...