História Face The Walking Dead - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Tags Drama, Mistério, The Walking Dead, Tragedia
Visualizações 7
Palavras 720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Lembrando que essa história surgiu do nada enquanto eu assistia TWD, se ver uma semelhante eu denuncio imediatamente, copia não comédia.

Capítulo 1 - O pior dia do resto da minha vida


Fanfic / Fanfiction Face The Walking Dead - Capítulo 1 - O pior dia do resto da minha vida

Olá, meu nome é Jade, tenho 14 anos e nasci nos Estados Unidos e minha mãe era brasileira, mas quando meus pais se separaram,(quando eu tinha 6 anos), ela ficou com minha guarda e voltou para o Brasil para cuidar da minha avó que estava morrendo. Há 3 anos minha mãe também morreu, e eu regressei a morar com meu pai,tinha uma madrasta muito legal, até me deixava chama-la de mãe, eu adorava eles, mas nossa felicidade durou pouco. 
Eu não fui para a escola pois estava nevando,nem para minha aula de karatê, e nem meu irmão (ele tem 6 anos) e eu acordei bem tarde e fui jogar videogame com ele. Meus pais estavam trabalhando quando ouvimos tiros. Muitos tiros, e muitas pessoas gritando, ficamos sem reação até ouvirmos alguém tentando abrir a porta, tentando arrombar mesmo. Eu e meu irmãos corremos para o porão, mas na corrida peguei meu celular e tentei ligar para o meu pai. Estava sem sinal, claro, essas merdas sempre estavam... Até que a "pessoa" que estava tentando abrir a porta conseguiu, mas estávamos no porão, e enquanto procurava por nós, fazia um barulho bizarro e parecia se rastejar. 
Eu tapei a boca do meu irmão, e de repente, ouvi um tiro e alguém me chamando:


-Jade, onde está você? Jason? Por favor respondam, eu não posso ter perdido vocês!

-Quem é?!


Sim, eu estava tão tensa que não percebi que era a voz do meu pai, então ele ouviu minha voz e correu até o porão e nos achou, como eu não havia  percebido que era ele, me assustei, mas depois o reconheci e nunca estive mais aliviada. 
Subimos para a casa e quem estava tentando abrir a porta estava no chão, morto com um tiro na cabeça.

-Que porra foi essa pai?

-Essas pessoas estão comendo gente lá fora.E essas pessoas comidas depois de morrerem, voltam e comem mais gente. A gente precisa sair daqui urgente, sua mãe está lá fora. 

-Pra onde vamos? - Perguntou meu irmão, com lágrimas nos olhos

-Eu não sei, mas arranjaremos um lugar, eu prometo que farei de tudo.

-Eu: Como iremos se está nevando, não poderemos ir de carro. Não poderemos correr. Algum plano?

-Teremos dificuldades para ir, mas os mortos-vivos mais ainda. em menos de 1 hora essa casa estará infestada de zumbis. Peguem 3 peças de roupa cada um de vocês, vou pegar a minha mala e encher de comida, Jade, depois de pegar suas roupas, vá ao sótão e pegue todas as armas que ouverem no cofre, a combinação é 3124, e Jason pegue a peixeira que está em cima da pia, é a arma que mais usaremos pois se isso não acabar, ficaremos sem munição e a faca vai ser essencial para matar os errantes;


Fizemos tudo o que ele pediu em 5 minutos, e eu nem sabia que meu pai tinha uma espécie de arsenal, mas ele e minha madrasta eram policiais, pensem numa dupla foda.


-Eu: Pronto, e agora, como sairemos daqui?


Madrasta entrou e disse:
-Pelo que percebi, eles nos identificam pelo cheiro, mal conseguem enxergar. Teremos que dar um jeito para termos cheiros de mortos, igual a eles.

-Que merda é essa Cassy? Eu não quero sair por aí fedendo a porra de um cadáver. - Disse meu pai, abismado - E nem sabemos se irá funcionar.

-Faz o que eu digo ou não terá só o cheiro de um cadáver. Acho que teremos de nos cobrir das entranhas desse bicho aí. Larga de ser viado John, e corta a barriga dele no meio.


Meu pai fez isso enquando eu e meu irmão olhávamos com cara de nojo.
Sem nos perguntar, Cassy cobria nossas roupas do sangue do cadáver e apoiou as tripas dele em nossos pescoços, depois fez nela, e depois meu pai fez. Estávamos prontos, e eu não sabia como agir, nunca vi um morto-vivo agindo. Cassy deu uma aula de 30 segundos para aprendermos como agiam, e fomos para a rua tentando andar o mais rápido possível, aquela merda tinha dado certo, os mortos-vivos nos encaravam mas continuavam caminhando sem rumo, enquanto alguns comiam pessoas, eu queria fechar os olhos, mas sabia que tinha de ser forte pois vinha muito mais disso. Ah, eu disse que eles caminhavam sem rumo? Bom, a gente também...


Notas Finais


Posso continuar ou eu paro e mato eles mesmo na minha imaginação?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...