História Faces - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, V
Tags Assassino, Busancity, Darknessbc, Jikook, Jikookoctoberproject, Jimin, Jungkook
Visualizações 46
Palavras 3.409
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Luta, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi Gente! Voltei de novo trazendo mais uma História pra o Challenge: Doçuras ou travessuras. Dessa vez com Travessuras, pois foi um ótimo gatilho para que eu tirasse uma ideia do papel e trouxesse para cá.
Bom, espero que gostem!
Ai, eu nunca escrevi algo do tipo!

Capítulo 1 - Pego Em Mentiras


;Jeongguk

Eu matei todos os seus amigos, não é mesmo? E eu me mataria também.

Pois bem, aqueles que você chamava de “Amigos” eram seus próprios assassinos. Bom, pelo menos seriam. Não que eu soubesse todo o tempo, é claro que não. Minha missão era apenas me infiltrar e matar seis garotos: Kim Seokjin, Min Yoongi, Kim Namjoon, Jung Hoseok, Kim Taehyung e... Park Jimin.

Eu não sabia que, no final, todos éramos vilões e você o garoto perdido e ingênuo. O garoto que eu precisava proteger.

E claro que, no começo, eu deveria matá-lo. Poderia simplesmente invadir sua casa e assassiná-lo, mas eu tive que me aproximar. Você... Instigava-me. Queria me tornar parte daquele laço, conhecê-lo melhor e depois, bom, ver seu sangue escorrer por minhas mãos. Deve ser tão belo quanto sua aparência.

Eu, Jeon Jungkook, era só mais um entre aqueles cinco assassinos. Todos com o mesmo objetivo. Todos cheios de malícia para si. Sim, eles tinham desejos carnais por ti. Eu também. Diziam que, enquanto viam sua dor, iriam pecar toda a sua pele imaculada. Terrível, não acha?

Primeiro eu tinha que matá-los, depois eles queriam um acordo e no fim... Tornaram-se meus inimigos novamente. E, enquanto matava um por um, você se apoiava em mim, em desespero, chorando pela morte de seus queridos e únicos amigos, mal sabendo que a causa de tudo isso, de suas lágrimas, era quem estava ao seu lado.

Seu porto seguro. Irônico, não?

Diga-me, Jiminnie... Quanto tempo eles ficaram com você?

Depois que você viu que todos seguiam uma sequência, e cada vez chegava mais perto de ti, faltou você enlouquecer. Novamente, você, nos meus braços, amedrontado.

“Irei protegê-lo, Jiminnie.” Se lembra dessas palavras? “Mesmo que custe minha vida”

Talvez você não tenha ouvido essa parte final, pois adormeceu e eu apenas sussurrei. E eu cumpri minha promessa, sim? Bem na sua frente. Eu disse que iria protegê-lo, mas não disse que isso se aplicaria a mim.

[ X ]

—Jimin!

O grito ecoara atrás da porta, esta que fora aberta em um impacto forte do chute certeiro que o pé dera. Os cabelos morenos balançaram levemente enquanto o garoto de rosto inocente apontava a arma carregada em direção ao seu alvo. Seus olhos eram a mira, afiados, encarando a cabeça desprotegida.

—Afaste-se dele... —Sussurrou, franzindo de leve o cenho ao ouvir a risada debochada.

—Olha só... —Riu mais um pouco, afastando-se do garoto jogado no chão, este que estava totalmente amedrontado com tudo aquilo, assustando-se ainda mais ao ver mais de seus amigos segurar um revolver. —O assassino mais perigoso resolveu amar...

—A-Assassino...? —Os olhos aterrorizados se arregalaram ainda mais, enquanto o loiro dava pequenos passos para trás.

Suas vestes estavam imundas, seu corpo banhado em sangue, seus cabelos, antes sedosos, estavam totalmente desgrenhados. E aquele sorriso... Havia se apagado.

—Kim Taehyung... —Rosnou, ouvindo o som do destravar do gatilho — Considere-se morto.

O dito-cujo sorriu mais um pouco, rodando o corpo como se não se importasse com a ameaça. Parou repentinamente, encarando um ponto qualquer antes de vira a cabeça e levantar o olhar de um tom desafiador em direção ao moreno.

—Isso se você conseguir me matar — Sorriu quando vira o cenho franzir e o maxilar trincar.

—Desgraçado.

O barulho alto de tiro ecoou por todo o quarto, onde Jimin não hesitou em se encolher e virar na direção oposta. Fechou os olhos com força, temeroso com a ideia de ver o que havia acontecido.

Mas era obvio. Não tinha como alguém desviar de um tiro de arma de fogo.

Pois essa confirmação fora totalmente descartada quando a risada sobressaiu logo após, debochada, enquanto Taehyung levantava-se do chão sujo. Suspirou, revelando seus olhos além da franja, deslizando a língua sobre o canto dos lábios.

—Acho que você errou — Debochou — Acha mesmo que eu serei igual aos donos do sangue em suas mãos e corpo? 

Jungkook grunhiu sem perder a compostura, tentando desviar seu olhar para o loiro amedrontado, mas seria arriscado demais, mesmo que por milésimos de segundos, não poderia se descuidar quando se tratava do Kim. Não que outros seriam insignificantes, mas aquele ser podia ser insano, tanto quanto si mesmo.

—Morra logo de uma vez! —Rosnou, novamente engatilhando a pistola, sem pensar muito ao atirar novamente e ver o garoto desviar com uma facilidade imensa.

Arregalou os olhos enquanto deva curtos passos para trás, retirando uma faca ao mesmo tempo em que a lamina da mesma chocava contra a adaga de Taehyung. Os olhares se encontraram faiscantes, centímetros a menos, separando-se rapidamente com um impulso quando notara a perna alheia levantar-se com o objetivo de acertar a barriga.

Jungkook se protegera com os braços cruzados em frente ao rosto, ofegante, enquanto o outro do outro lado da sala se encontrava do mesmo modo, mas este possuía uma áurea abominável, tudo aquilo que tivera que conter enquanto tentava enganar o Park, fingindo ser o amigo engraçado e patético.

Agora ele estava livre, e aquilo era muito bom.

—Tsc... — Taehyung praguejou — Tanto tempo perdido para nada. —Resmungou, posicionando-se. —Bando de imprestáveis — Suspirou lembrando-se dos outros assassinos.

O Jeon prestava atenção nos mínimos movimentos, atento a qualquer ameaça que fosse, seguindo o olhar do outro, para onde mirasse. Viu como um sorriso macabro tomava conta daquela boca assim que mirara no chão, até Jungkook se dar conta de que havia largado sua arma com a investida do outro.

Arfou arregalando os olhos, correndo quando vira o outro investir sobre o objeto com o objetivo de tomá-lo para si. Novamente as laminas se chocaram ferozes, causando um som característico. Mantendo pressão, o moreno surpreendera ao atacar o com outra lamina afiada a lateral do rosto alheio, este que teve que se afastar rapidamente quando sentira o corte em sua bochecha.

—Merda! — Jungkook praguejara quando vira que as balas haviam acabado.

Sem muitas alternativas o Jeon disparara em direção ao Kim, lançando uma das facas, esta que fora desviada sem muito esforço enquanto o outro girava o corpo com a perna direta levanta, tendo o impacto amortecido pelos braços fortes do moreno, este que não esperava o golpe que viria logo a seguir quando Taehyung pegara impulso no local, girara e acertara em cheio seu rosto com a panturrilha.

Cambaleou meio desnorteado, seus sentindo bagunçados em resultado do impacto forte.

—Jungkook! — Jimin gritou desesperado, mas sua voz era apenas um chiado no momento — Cuidado!

O garoto virara bem na hora que uma lâmina chiara bem perto do seu ouvido, relando, quase acertando em cheio sua cabeça.

—Droga... —Sussurrou balançando a cabeça para os lados.

—O que foi Jeon? —Taehyung debochou — O chute foi forte demais para você? Onde está o grande assassino que todos diziam ser?

Tentou dar-lhe um soco, mas este fora desviado bem a tempo pelo braço. Revidou novamente, mas Jungkook dera um passo para trás, se esquivando, agachando bem na hora que a faca passara por cima de sua cabeça, aproveitando a posição para que se apoiasse no chão e desse um chute certeiro na boca do estomago do Kim. O acastanhado perdera o fôlego, tossindo, dando passos recuos para trás enquanto tentava aliviar a dor no local com um braço.

—Estou bem aqui — Jeongguk finalmente respondera, sorrindo.

Taehyung o encarou com escárnio, limitando-se a fechar um dos olhos quando sentira uma pontada de dor se alastrar no abdômen, acompanhando os passos apressados que o Jeon dava em sua direção, segurando bem a tempo quando a perna fora lançada em direção ao seu rosto. O moreno grunhiu quando a mesma fora puxada com força.

Caiu com um impacto forte em suas costas, gemendo de dor antes que se apressasse em segurar a mão que adornava a adaga afiada, a ponta rente aos seus olhos enquanto o acastanhado subia em cima de si, ficando de joelhos, forçando a própria mão em direção ao rosto alheio, querendo perfurá-lo sem dó.

—Por que reluta tanto?! — Rosnou, desviando rapidamente o olhar quando sentira a perna mexer-se abaixo de si, fazendo-o se desequilibrar. E, com a guarda baixa, recebeu um belo de um soco em sua bochecha esquerda.

Arregalou os olhos, tendo o corpo pressionado para trás, seus braços sendo levantados com a força bruta que a mão alheia fazia. O maxilar trincava enquanto o cenho se franzia com tamanha a força, ambos praticamente se matando apenas com o olhar. Então viu como um sorrisinho surgia nos lábios finos e rosados do moreno, maroto, tentando atender o porquê daquilo até receber uma bela joelhada em seu pênis. Urrou, afastando-se rapidamente, caindo no chão após segurar o local de forma tensa, ficando encolhido em uma posição fetal.

—Filho da puta!  —Berrou, fuzilando-o, amaldiçoando aquele sorrisinho debochado.

—Sou mesmo— Respondeu, sorrindo largo quando desferira um chute direto no corpo caído, este que se encolhia a cada impacto.

Insano, isso definia como a expressão estava ao maltratar aquele corpo caído no chão e ouvir o som que se propagava a cada contato da pele contra seu sapato. Estava pronto, quase delirando, quando sentira a vontade de acertar de vez aquela cabeça e talvez quebrar alguns ossos do pescoço.

Será que o Kim morreria de imediato? Ou prolongaria sua diversão?

O olhar tornou-se sombrio e o sorriso, que antes continha uma fofa aparência que lembrava coelhos, agora abria-se em um tenebroso, e os dentinhos não pareciam fazer diferença, nem deixava menos macabro.

Fez quentão de calcular o ângulo perfeito, vem onde queria que a ponta de seu sapato machucasse.

Que tal... Logo na garganta?

Sorriu afastando o pé para que este voltasse com toda intensidade e excitação que percorria as veias do moreno. Mas, para a sua decepção, o Kim parecia bem atento, resultando em um segurar da palma no local, impedindo que fosse acertado. Praguejou, tentando largar a mão do seu sapato, vendo como o outro estava imóvel, mas ainda sim firme com a pegada.

—Des... Desgraçado.

Taehyung proferiu antes de puxar a perna para si, fazendo Jungkook se desequilibrar para frente e tropeçar em seu corpo, caindo com um belo impacto na cabeça. Grunhiu, abandonando suas forças e entreabrindo os lábios, como se tivesse perdido a consciência. O acastanhado levantou rapidamente com alguns pulinhos, ainda segurando sua barriga com o braço.

Seu corpo doía como se estivesse no inferno.

Respirou fundo, observando o garoto caído no chão. —Tsc! — Preferiu desgostoso, não acreditando que o mais novo havia perdido por causa de um simples bater da cabeça.

Andou a passos lentos em direção a sua adaga, tomando novamente a posse o objeto para si. Avaliou a lâmina, calmo, até que o olhar desviara para seu alvo: Um loiro encolhido no canto da sala, amedrontado, olhando assustado para o Jeon caído um pouco a sua frente, olhar esse que desviara para o assassino vidrado em si. Sentiu a respiração acelerar, falho, surtando ao ver aquele garoto aproximar-se de si de modo ameaçador, brincando entre seus dedos com o objeto afiado.

—J-Jungkook... — Proferiu mudo, pois entre os dois, o Park preferia ter o moreno como aliado. Engoliu em seco, quase fundindo com a parede.

—Ah... —Preferiu como um suspiro, parando rente a Jimin, agachando para que alcançasse o mesmo. Observou um pouco a expressão, deleitoso com o medo emanado e explícito, deslizando o polegar sobre o a lâmina antes de apontá-la para o rosto machucado — Temos assuntos a resolver, não é, Chim? —Sorriu meio psicótico, pressionando a ponta do local contra a bochecha farta.

—Alvo... —Sussurrou, afundando o local na pele — Eliminar.

—T-Tae... —Sussurrou fechando os olhos, suplicante. —Por favor, Nã-

Não pode terminar de suplicar quando repentinamente o pulso que mantinha a adaga ser agarrado com força e virado contra o próprio dono. Os olhos se arregalaram surpresos por não esperar tal golpe, rosnando quando se dera conta de quem era culpado: Jeongguk.

—Seu merda! — Xingou sentindo a ardência em sua pele, mais especificamente um corte que começava na bochecha e seguia até o cantinho do olho, quase cortando o local.

Enfurecido, não pensou duas vezes antes de deferir uma cotovelada no moreno, este que cambaleou para trás de modo mínimo, mas logo segurando as mãos alheias novamente, naquela briga um tentava empurrar o outro.

—Você não será aquele que irá matá-lo! —Jungkook rosnou, esbanjando fogo e dominância no olhar.

—O assassino se apaixonou mesmo! — Riu desgostoso, cínico — Pena que sua paixão irá durar pouco, pois irei matá-lo na sua frente e você não poderá fazer nada porque vai morrer lentamente também — Lambeu os lábios — Não será um belo final?

Depois de tais palavras, o Jeon reagira ao se separar rapidamente, girar o corpo e acertar com o calcanhar de forma inacreditável o rosto alheio, este que reagira ao impacto virando violentamente, sagrando quando a boca fora machucada.

—Pobre sonhador — Riu com escárnio, provocando ainda mais quando depositara as mãos dentro dos bolsos da calça.

Ambos estavam acabados, com roxos por todo o corpo, cabelos bagunçados, sangue em suas vestes e cortes em sua pele. Jimin não podia acreditar que dois dos seus melhores amigos estavam brigando para decidir que iria matá-lo, bom, pelo menos Taehyung deixava claro que iria cumprir sua missão.

Jungkook apenas observava o outro recompor-se do chute, movimentando a mandíbula dolorida e ensanguentada. O olhar, que antes mirava o chão, caiu sobre o causador daquela dor, famintos, prontos para ver aquele filho da puta sangrar até rojar e alagar aquela merda de chão.

—Você vai pagar por isso — Ameaçou dificultoso, vendo o moreno sorrir ladino e então chamá-lo com os dedos, como se fosse um cachorrinho.

Rosnou, pouco se fodendo para a tranquilidade que emanava no outro, aparentemente suspeita, mas não se importando com isso. Os braços se chocaram violentamente, corpo a corpo, protegendo os rostos da ambos enquanto tentavam de algum sucesso naquela briga.

O Jeon sorria, protegendo-se apenas com uma mão, aumentando o ódio absurdo que o Kim Taehyung sentia, este que berrou antes de tentar um soco e só por isso ter seu pulso segurado enquanto a cabeça desviava. Arfou arregalando os olhos quando seu corpo fora manipulado a virar contra o outro, batendo suas costas em seu peito.

Antes mesmo que pudesse sair daquele enlace, entreabriu os lábios quando sentira ser acertado bem na barriga por algo afiado e totalmente doloroso, retirando seu ar em segundos.

—Que tal morrer como seu pai, hm? —Jungkook sussurrou rente ao ouvido, gargalhando — Do mesmo jeito que você matou ele.

Os olhos se arregalaram antes que a cabeça fosse abaixando lentamente, olhando o local acertado. Tremeu quando notara ser uma garrafa de vidro quebrada, tendo suas pontas e cacos enfiados em sua pele, perfurando seu corpo, deixando que o sangue escorresse com abundancia e manchasse sua camisa. Mesmo um tanto abalado, não deixou de tentar uma ultima vez, este que fizera com um virar brusco do corpo, fincando uma pequena lâmina no pescoço alheio, fazendo-o gemer de dor.

Cambaleou assim que fora solto rapidamente do abraço, andando lentamente para frente, os olhos sem rumo, sem destino, apenas movimentando-se até que suas pernas perdessem as forças e este desabasse de bruços no chão, afundando ainda mais aquela meia garrafa de vidro em si. Soluçou, vomitando um tanto considerável de sangue, vendo sua visão escurecer.

—A ultima carta... —Sussurrou, sentindo seus olhos lacrimejarem e lágrimas desceram por ali antes que estes perdessem o brilho, perdessem a vida.

Jungkook pouco se importou com o mais novo cadáver naquele quarto, apenas focando em retirar seja lá o que fosse que havia sido acertado por Taehyung. Grunhiu quando começara a retirar lentamente e dolorosamente aquilo da veia de seu pescoço, notando parecer uma fina, mas extensa, agulha. Analisou aquilo, tentando entender o porquê de tentar algo tão inútil consigo.

Talvez orgulho? Antes de morrer?

Não sabia, apenas lançou aquele objeto inofensivo para o ar, se perdendo naquele chão escuro. Foi ai que finalmente mirara, depois de tanto tempo, o loiro imóvel apoiado na parede, este que ficara tenso quando notou ser observado.

Só havia os dois agora, e mais ninguém... Bom, vivo pelo menos não.

—Jimin... — Deu alguns passos.

—NÃO... NÃO SE APROXIME! — Gritou até o limite dos seus pulmões, fazendo com que o Jeon parasse abruptamente, um pouco surpreso.

—Calma Jiminnie, eu... —Parou, franzindo o cenho ao ver uma luz se acender na mão do outro— O que é...?

Central da polícia, qual é a emergência?

Um silêncio se instalou no local, onde o moreno encarava estático o celular nas mãos do outro. Alternou o olhar, incrédulo e nervoso.

—Você ligou para a polícia?! — Berrou, o que fez o loiro se encolher e desesperar-se quando ouvira os passos pesados do outro aproximar-se de si.

Estava pronto para gritar por socorro, mesmo que não adiantasse, mas não pode fazer tal coisa quando ouvira o outro gemer alto e então estancar em seu lugar. Observou, notando o moreno segurar com força a lateral do próprio pescoço, fechando os olhos de pura agonia.

Caiu de joelhos, esmurrando o chão a cada berrar que saia de sua boca, suplicante, sentindo sua pele queimar no local. Retirou lentamente a mão dali, vendo o sangue manchando os seus dedos. Os olho se arregalaram, levando a palma novamente a pele, ficando confuso ao sentir sua veias sobressaltarem e pulsarem de modo extremo. O pescoço estava ficando roxo com um tom avermelhado, revelando as veias e artérias, proliferando e tomando conta de toda a pele. Arfou sem forças, vendo o sangue que saia dali pingar em gosta no chão por consequencia da grande quantidade que escapava e escorria por sua pele.

— O que diabos...? — Sussurrou, tentando entender o que estava acontecendo. Olhou para os lados, desnorteado, até lembrar-se da maldita agulha e de Taehyung. —Merda! — Gritou — Aquele... Caralho!... E-Era... Veneno.

As palavras iam sumindo lentamente de sua boca agora um tanto ressecada. A garganta doía, e ele sentia uma grande necessidade de beber água ou qualquer líquido. Balançou lentamente para os lados até que finalmente caísse de lado e ali ficasse, sem forças, encarando um local qualquer até mirar em Jimin.

Trincou o maxilar, movendo-se lentamente para que ficasse de barriga para cima. Então, as mãos desceram para o corpo, tentando achar a arma que havia guardado. Praguejou quando abrira o compartimento e ali realmente não houvesse nenhuma munição. Olhou para os lados, atento, procurando algumas balas perdidas. Assim que achara, deslizou até ela, puxando com o pé e por fim alcançando. Mesmo sabendo que não teria tanto afeito quando uma nova, carregou a arma de fogo com rapidez, pois não tinha tempo a perder.

Então, do nada, o rosto virara em direção ao loiro, este que estremeceu. Sorriu doce, como sempre fazia para Jimin aos longos dos dias, antes que a mão se direcionasse lentamente em direção ao corpo, apontando e mirando, tendo o Park como seu alvo, este que arregalou os olhos antes de tentar se mover rapidamente, querendo fugir, correr para algum lugar seguro, se ainda houvesse um, mas fracassando miseravelmente quando sentira a dor latejante em suas pernas. Culpa do Kim após tê-lo torturado e, para evitar esse tipo de coisa, deixado-o sem andar assim que fizera cortes profundos, sangrentos quando banhavam a calça, começando nos tornozelos onde seguia um extenso corte lateral por toda as panturrilhas, profundo, e terminava nas costas dos joelhos.

Gemeu arrastado, fechando os olhos fortemente, segurando os locais com força, lacrimejando de pura dor.

—Não, Não... Por favor, não — Chorou baixinho, apoiando na parede enquanto seu rosto se tornava o completo desespero.

Jungkook sorriu respirando com lentidão, notando seus olhos embaçarem e a visão duplicar. Suspirou, sentindo seu coração bater fraco e a mão que segurava a arma fraquejar. Então, com suas ultimas forças, apertou o gatilho e lançou a bala.

Os braços caíram ao lado do corpo e a cabeça ficara imóvel, em pânico, até que tombasse para baixo e tivesse sendo banhada pelo sangue em sua testa. A respiração fora cessando, enquanto Jimin proferia baixo, sem forças:

—Eu te odeio.

O Jeon sorriu, sufocando, psicótico, enquanto contemplava seu amado morto por suas próprias mãos. Sim, teria que acabar assim, pois ninguém mais tinha o direito de tocá-lo, ninguém mais tinha o direito de amá-lo... De matá-lo.

Agora ambos se encontrariam na passagem, pois o moreno sabia que não iriam para o mesmo lugar se realmente existisse céu e inferno.

—Seu sangue é realmente lindo, Jiminnie.

Sorriu mais uma vez, convulsionando levemente, soltando um som sufocado enquanto seu coração dava os últimos batucares.

“Vejo vocês no inferno, desgraçados”

 

 

Alguém na linha?... Aqui é a central da polícia... Mandem uma base para o local apontado.


Notas Finais


Então foi isso! Espero que tenham gostado e curtido essa ação! shsaushausah lembrando que nunca fiz algo do tipo, então estou bem inseguro em relação a isso!

Obrigada por lerem até aqui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...