História Fadados - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~_Corashawn

Postado
Categorias Magcon
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Jack and Jack, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Nash Grier, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Aaron Carpenter, Astrid S, Cameron Dallas, Jack And Jack, Magcon, Nash Grier, Shawn Mendes
Exibições 15
Palavras 1.019
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Como estão, pessoal? Esperamos que bem! Desculpem-nos a demora pelo capítulo, mas bateu um bloqueio de criatividade básico.

Sabemos que é chato pedir, mas por favor, comentem o que estão achando. Não é legal se empenhar e não receber nenhum comentário. A opinião de vocês é muito importante. Nem que seja um "Continua", adoramos isso!

Esperamos que gostem. Lembrando que é só o começo da história e essa narra um cotidiano, mas daqui a pouco vai agitar, prometemos!

CAPÍTULO DEDICADO À:
@GratidaoLerigou

Capítulo 3 - Capítulo Três


Após chegar no colégio, cumprimentar Alice e os meninos, Maia senta-se em um banco no pátio e põe os fones de ouvido no máximo, se desligando de tudo à sua volta. 

Depois do que parecem horas, alguém cutuca o ombro de Maia nada delicadamente. 

"Ô, garota!", uma voz feminina a chama grosseiramente. Se virando, dá de cara com uma morena de olhos castanhos a encarando. 

"Posso ajudar?", se surpreende Maia com a expressão da menina à sua frente. 

"Ah, claro que pode! Me respondendo o que estava pensando ao ir embora com meu namorado.", alfineta a morena. Maia lembra-se do dia anterior e estranha. 

"Cameron? Ele é seu namorado?" 

"Sim! Quem você pensa que é para mal chegar e já dar em cima dele?", pergunta estirando o dedo para Maia. 

"E quem você pensa que é para me julgar, sem ao menos me conhecer?", retruca Maia. Se era grosseria que morena queria, era grosseria que ela teria. Fura-olho é a última coisa que a loira já imaginou que seria chamada. 

"Fique sabendo, que foi o próprio Cameron que quis me acompanhar! Mas não para qualquer propósito além de ter companhia. Você conhece tão bem seu namorado que deveria saber que ele pega aquele caminho diariamente.", Maia falava sem parar. Simplesmente a primeira coisa que vinha a cabeça, mesmo sabendo que poderia se arrepender. "Não acha que se ele quisesse outro tipo de coisa ele tentaria em um lugar que não fosse público?", a morena estava se preparando para responder mas nem teve tempo. 

"Com licença, tenho coisas melhores para fazer.", Maia se levanta e resolve ir já para a sala de aula, irritada, deixando para trás uma garota bufando. 


*** 


"Por que está tão irritada?" 


Um bilhete chega em forma de bolinha de papel na mesa de Maia. Ela olha disfarçadamente para trás e pede para Shawn esperar pois o professor estava olhando. A garota vira o papel e manda a resposta: 


"A tal da namorada do Cameron fez questão de deixar meu dia UMA MARAVILHA..." 


Segundos depois o bilhete volta escrito na parte restante do papel: 


"Não liga pra Rebecca. Ela geralmente é legal, só não ficar enciumada que tudo fica certo." 


Maia assente com a cabeça e coloca o papel dentro do estojo, voltando à prestar atenção na aula. Já tinha perdido boa parte da matéria e não a ajudava o fato de ter Déficit de Atenção. 


*** 


Saindo do vestiário feminino, Maia encara um sol de rachar. Todos estão uniformizados para a Educação Física, menos ela. Não tendo habilidades na matéria, resolve ficar na arquibancada, sozinha, enquanto os outros alunos se organizam para jogar vôlei. 

Seus pensamentos voam longe e Maia só se dá conta disso quando ouve alguém chamando por ela: 

"Liz, quer se juntar ao nosso time?", Shawn pergunta, apreensivo por chamá-la pelo apelido. 

"Não quero, Shawn.", recusa ela e confessa em voz baixa e sorrindo. "Não sou boa em vôlei..." 

"Não importa, você aprende.", ele sorri compreensível e estende a mão para a loira, encarando os hipnotizantes olhos da garota. 

Ela é tão linda e nem se dá conta disso, pensa ele. E percebendo que a encarava, quebra o silêncio constrangedor que se formava por isso. Maia cora com o feito de Shawn e o último sorri ao olhá-la. 

"Por favor. Ninguém irá te zoar, eu prometo.", aproxima mais a mão estendida para Maia e essa, após um longo suspiro, a aceita. Shawn dá um sorriso vitorioso e Maia se derrete por dentro com esse. A garota se posiciona em frente à rede e se inclina levemente, olhando para uma garota que está indo para o saque. 

"Ah, é brincadeira isso!", diz indignada para Shawn e para Johnson, que se encontram próximo a ela. "Olha o tamanho dessa garota!" 

Os dois riem da cara assustada da loira e só dizem para que ela preste atenção, já que a bola estava de saída. 

Essa atravessa o lado adversário e chega alta para as mãos de uma ruiva baixa, mas que consegue pegar antes que atingisse o chão e levantou. Shawn levanta novamente e entrega à Maia, que consegue jogar para o outro campo, por um triz não marcando um ponto. Isso a faz comemorar de um jeito bobo e arrancando risadas. 

Distraída, Maia só percebe que a bola estava em seu campo quando essa acerta seu nariz a fazendo dar um gritinho e apalpar esse, que doía. Mesmo assim, a loira entra em uma crise de risos. 

"Você está bem?", Jack Johnson tentava segurar o riso e a careta que ele fazia enquanto isso só fazia Maia ficar com falta de ar e com a barriga doendo.

"Estou.", respira fundo e se abana com as mãos. "Vamos continuar.", pediu. Até que não era tão chato quanto parecia. 

Após muitos pontos, os times estavam empatados. Era a vez de Maia sacar. Todos a olhavam e ela poderia decidir o jogo. Fosse para que o time em que estava ganhasse ou não. 

Puxa o ar, joga a bola para cima e atira. Solta o ar e abre os olhos - sendo que nem se lembrava de os ter fechado - e vê a bola fazendo seu trajeto em direção ao lado adversário. No momento em que essa atinge o chão todos comemoram. 

Sabe a reação de uma criança no Natal quando recebe o presente que passou o ano pedindo e esperando? Quando ainda acredita em Papai Noel e fica pulando feliz? 

Então, visualize essa cena mas no lugar da criança, imagine Maia e dobre a felicidade. 

Você não chegou nem perto. 

A loira gritava em seu lugar: 

"Eu consegui! Eu consegui!", ela se vira para os garotos que vêm em sua direção e fazem gestos de high-five. "Vocês viram, meninos? Eu consegui!" 

Os garotos sorriem com Maia. Mesmo sendo um gesto infantil, a loira ficava bonitinha agindo como se tivesse ganhado na loteria. 

Iam conversando pelo caminho, até se separarem e irem cada um para seu vestiário e Maia sente um tímido cutucão:

"Jogou bem.", Rebecca dá um leve sorriso e se dirige à sala para sua próxima aula, Biologia, enquanto Maia se dirige para aula de Química.



Notas Finais


♥♥COMENTEM♥♥

Ah, o que acharam da nova capa?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...