História Fade - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Hoseok, Jhope, Jikook, Jimin, Jiminnie, Jin, Menção Sugamon, Menção Yoonseok, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Suga, Taehyung, Vkook, Yoongi, Yoonmin
Exibições 391
Palavras 2.986
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Estava em depressão porque a minha fanfic favorita não atualizava
Já tava em desespero
Deu até uma felicidade de terminar esse capitulo rere

ANYWAY
OBRIGADO PELOS 160 FAVORITOS
OBRIGADO PELAS 4.000 EXIBIÇÕES

Boa leitura!
Até as notas finais~

Capítulo 18 - Rain


Yoongi parecia tonto, ele já era branco, mas parecia estar mais. A pressão dele baixou? Parecia que os olhos dele não iam para uma direção certa. Ele me disse estar com falta de ar e não conseguindo enxergar bem, o shopping estava abafado, mesmo com os ares-condicionados em volta, já que estava tudo bem movimentado hoje. 

 

Ele reclamava sobre ver alguma coisa na frente, inclusive passava a mão no vento para ver se aquilo saia da sua visão. 

 

Enquanto ele estava parado ali eu mexia no bolso atrás de algumas moedas para pagar as passagens dos dois...felizmente, no carro da Yujin no porta luvas tinha alguns trocadinhos que peguei, isso não é roubar! Depois eu devolvo pra ela...se ela notar que desapareceu, né. 

 

Enquanto Yoongi parecia se recuperar, eu me sentei no banco ao lado dele, pensando sobre o que acabei de fazer...quando olhei para Jungkook consegui ver a decepção nos olhos deles, isso me dói muito, sério...

 

Esperei tanto por isso, para eu simplesmente abandonar? 

 

 

Quando eu decido ser um adulto, tudo acontece, mas tudo acontece errado, tudo da errado em tudo que o tempo e o espaço permite. Hoje aconteceu tanta coisa, Yoongi teve um surto, Jungkook me beijou...quem sabe o que pode acontecer mais tarde? Não quero que mais nada dê errado.

 

 

Yoongi estava distante, de novo. Me pergunto o que passa nessa cabeça, problemas? Talvez, ou apenas estava distraído. Mas pode ser como ele havia dito, estava passando mal.

 

O céu já estava escuro, haviam poucas estrelas por conta da iluminação de Seoul que era grandiosa, em poucos lugares você consegue ver as estrelas aqui...as vezes só se destacam as mais brilhantes.

 

Em Busan eu costumava sair de noite e correr a praia mais próxima para poder ver as estrelas, eram os poucos lugares em que você podia ter essa deslumbrante visão, e em todos do mundo conseguia ver duas belezas: As estrelas e o mar agindo juntamente. Ambas pareciam trocar seu brilho, as vezes me questionava se o mar era a galáxia por refletir tão bem as estrelas e alguns planetas como Vênus que gostavam de exibir seu brilho.

 

Sei que durante o dia as estrelas são ofuscadas pela estrela sol, que é considerada a mais importante...mas, eu trocaria toda a iluminação do mundo para poder ver céus com pequenos pontinhos de diferentes cores, já que as estrelas não são apenas brancas, mas existem tonalidades de azul ao amarelo.

 

 

— Jimin...— Yoongi me retirou dos meus pensamentos profundos com um murmúrio, baixo, realmente baixo, mas foi o suficiente para eu ouvir. — Estou melhor, vamos logo antes que a clínica feche. — Um ar tão frio. Yoongi se levantou e pegou minha mão para a acompanha-lo, nossas mãos não estavam bem encaixadas, tentei arruma-las, mas ele as afrouxou. 

 

 

De repente senti que o ar ficou mais denso e frio. Sabe como se o tempo percebesse algo e gostaria de entrar para a encenação? Exatamente o que está fazendo agora.

 

 

Havia um ponto em uma das saídas depois do estacionamento, estava com um ônibus acabando de parar. Desta vez Yoongi que estava na frente se pôs a correr soltando minha mão, fiquei sem entender e fui no mesmo passo que ele.

 

Atravessou a rua sem nem sequer olhar para os lados, só passou correndo, um carro que estava vindo buzinava, então Yoongi acelerou o passo para que nada mais trágico acontecesse. Passou por de frente do ônibus e ele já estava fechando as portas, se não fosse por Yoongi bater na porta ele teria partido. Ainda estava do outro lado da rua esperando que os carros passassem, estavam demorando, então apenas arrisquei passar correndo, gritei para que o motorista da janela me ouvisse.

 

Atravessei, felizmente nenhum carro me acertou, o motorista pareceu ouvir e me esperou. Entrei e meus olhos procuravam apenas por Yoongi, por quê diabos ele fez isso?

 

Paguei a passagem dos dois, avisei que estava com o cara que havia acabado de entrar, me devolveu de troco o equivalente a uma passagem...Yoongi pagou a passagem dele? Ele me disse que não havia trocados para pagar. Passei a catraca e Yoongi estava no penúltimo banco, na janela. O ônibus surpreendentemente não estava tão lotado quanto eu esperei.

 

Sentei-me ao lado dele, me ignorou totalmente.

 

 

— Yoongi-Hyung...? — O chamei, ele olhava a paisagem lá fora, mesmo o ônibus tendo acabado de partir. Me ignorou novamente. Eu gostaria de ser ele para saber em que pensamentos ele se engaja tão fácil.  — Yoongie? — O cutuquei o braço, mas não pareceu o chamar atenção. Realmente, só está faltando chamar e oppa e fazer uma voz chata de aegyo. — Oppa~ — Fiz o que tinha dito, e eu mesmo estou me achando irritante. Fiz como aquelas garotas em doramas, tombam a cabeça para o lado e encostam no ombro do "Oppa".

 

 

Uma risada anasalada foi possível se ver de Yoongi, ele se segurou nas soltou um sorriso gengival por fim, mas ainda sim não olhava para mim.

 

 

— Irritante...— Uma única palavra que me fez gargalhar quase alto, abafei com a mão para que ninguém visse minha risada quase escandalosa.

 

 

— Também não gosto de Aegyo. — Retruquei após consegui recuperar o ar das risadas. Não gosto de Aegyos pelo simples fato de serem irritantes, principalmente as vozes forçadas...Santos casais que aguentam isso, parabéns.

 

.

— Nem eu. As caretas que dizem ser expressões fofas ainda é aceitável...mas as vozes...— Seguinte Tae eu tenho Aegyo natural, meu eyesmile na realidade é natural, já fui elogiado tanto por isso...mas eu não gosto! Felizmente Yoongi também não, porque olha...

 

 

— Ok, já que me deu atenção, me responde, por que você saiu correndo? — Levantei um pouco a cabeça e fui direto, enrolar as vezes é difícil. Ver o futuro ele não pode né, até foi legal ele ter parado o ônibus, mas ele poderia ter sido atropelado também. Acho que ele perdeu a noção.

 

 

— E você, porque deixou o menino lá? — Rebateu Yoongi e suspirou decepcionado. Era claro como a água que estava se referindo a Jungkook,até ele acha que eu errei? Mesmo dando atenção para ele? — Jimin já andei por aqui, posso eu  mesmo pegar um ônibus e ir para casa, não se preocupe tanto comigo. 

 

 

— Aquela clínica é o que você chama de casa? — Sério, o lugar pode até ser bom, mas casa é um lugar que você se sente confortável, não é o que Yoongi parece mostrar sobre lá. O quarto é tão vazio, se ele gostasse de lá certeza que ele tinha decorado ou algo assim, ainda mais que...bom, depois daquele surto, demonstra totalmente algo oposto. 

 

 

— É a melhor coisa que eu arranjei para ficar. — Desta vez Yoongi tinha tirado sua atenção da janela e virado sua face para mim com uma expressão desanimada, ainda estava encostado no seu ombro então ele teve que baixar um pouco a cabeça.

 

 

— A quanto tempo você está lá?  E a sua família? — Ele falou que era um lugar que 'ficava', demonstra ser temporariamente, então...a família dele vai busca-lo? É interessante, como alguém deixaria o filho em um lugar assim?

 

— Três anos...mas já saí do tratamento, só me fornecem moradia. — Não tentou fazer com que nossos olhos se encontrassem, ele olhou timidamente para frente e abaixou a cabeça. — Sobre a minha família... não gosto de comentar sobre eles.

 

 

— Eles te abandonaram? — Levantei a cabeça do ombro de Yoongi e o dei espaço. Mostrou como se realmente não quisesse tocar no assunto, o que a família fez de tão terrível? Talvez fez ele mesmo se afogar nas drogas...ou como Jin tinha dito, ele se afogou nas apostas de cassino.

 

 

— Eu abandonei eles, Jimin.

---//---

De fato, eu abandonei minha família...aposta-los significa isso, certo? Qualquer pessoa que sabe o básico dos Direitos humanos, sabe que eu fui mais do que politicamente incorreto...

 

Talvez eu mesmo tenha terminado com a família Min antes disso.

 

Constantemente estávamos brigando, sabe lá quantas vezes já bati no meu irmão até ele precisar ir para o Hospital...Ele achava que por eu querer ser rapper era louco, um drogado e que nada disso me daria um futuro para orgulhar minha esposa (Coisa que eu não tinha e não tenho interesse até hoje.) Quando me admiti gay...ah, esse dia foi lindo. Meus pais me xingando até meus ouvidos explodirem, meu irmão esperando a hora certa para me bater e...o underground após isso se distanciando de mim, minha gravadora simplesmente acabou contrato comigo, mesmo eu dizendo que já estava com a mixtape pronta!

 

Esse preconceito de merda.

 

Me afundei tanto nas apostas, que sentia que já estava ultrapassando o núcleo da terra de tanto vício. Num momento de ódio e desespero por dinheiro, para poder ter uma vida só sua...como eu havia dito, você aposta até mesmo sua família. 

 

Sou um mal agradecido? É claro...

 

Do pior tipo de raça que possa existir. 

 

Quem sabe mais o que eu possa ter feito? Dormido com alguns sócios para poder entrar gratuitamente nos cassinos mesmo sendo menor, ter roubado um ou dois para ter dinheiro para apostar... não tenho mais certeza se já matei alguém, se matei estava sem minha sanidade...

 

É uma pergunta que me faço todo dia, em meio de tantas coisas erradas, eu já matei alguém? Já me mandaram matar para pagar uma aposta grande que nessa vida nem que eu ganhasse na loteria conseguiria pagar...

 

Me lembro da forma mais clara possível, de repente dias depois apareci no Cassino e simplesmente aqueles infelizes disseram que havia pagado a aposta...como? Espero que não tenha sido da forma que espero.

 

Mas da mesma forma, tenho muito a pagar.

 

Prefiro pensar que eles apenas ignoraram isso, e foi uma forma de eu fugir. 

 

Seoul foi o melhor lugar que eu pensei, minha salvação, talvez... só talvez.

 

— Como assim? — A voz de Jimin saía travada, surpreso...é também estaria surpreso sobre isso, um filho que se chama a filho não abandona seus semelhantes.

 

— Não faça perguntas idiotas. — O relembrei, não é uma pergunta idiota, mas sim uma desculpa sobre não querer falar sobre...e muito menos explicar isso para ele.

 

Quem sabe onde estaria hoje se houvesse comprado o número primeiro? Minha família iria me reconhecer, estava numa boa vida...e não um pedaço de merda como sou atualmente, que se arrepende de seus atos sempre que pode.


 

Não conto nada disso para ninguém, fica apenas no meu pequeno universo, onde as coisas tentam se montar para tudo melhorar...e se eu contasse é provável que me mandem para um hospício ou até mesmo direto para a prisão.

 

As vezes penso em continuar sabe? Mas, sinceramente, nem que eu quisesse construir uma nova vida conseguiria.

 

Sinto que posso morrer a qualquer momento, que espero alguém terminar isso por mim, sou covarde até mesmo para isso.

 

 

— Ok...— Jimin voltou seu olhar para a frente. Estava pensativo, era percebível pelo "Hum" nada discreto que ele soltava. — Sobre Jungkook...me sinto mal por simplesmente deixa-lo lá. — Me sinto mal também, mas agora mais por ter estragado um momento como esse na vida dele. — Hyung, se você ver, a coisa que eu mais tenho facilidade é magoar as pessoas e ser um babaca... — Somos um pouco semelhantes nisso. Ele tenta ajudar uma pessoa, mas por outro lado está magoando múltiplas pessoas.

 

 

— Você não é tão ruim quanto se define. Tem um pingo de bondade em você. — Jimin tem uma escuridão em volta, mas no meio é uma luz incrível. É como se fosse uma camada de poeira em cima de um móvel, basta passar um pano para limpa-la. Acho que ninguém é alguém tão ruim quanto dizem...acho que com esses estereótipos eles acreditam e seguem esse caminho. 

 

 

 — É o que me dizem...mas, as vezes eu discordo. — Acho que ele só sente essa culpa toda por beber e estar em recuperação em algumas matérias...isso é o básico, a sociedade excede um limite para as 'aventuras' dos jovem. É normal achar nessa fase que tudo o que você faz é o maior problema do mundo...se ele estivesse na minha pele iria entender o que são problemas de verdade.



 — Você é adorável Jimin, não cobre tanto de si mesmo, certo?


---//---


Yoongi é alguém adorável, não vou me cansar de dizer isso. 

 

Acredito que se eu tivesse dito isso para outra pessoa iriam me responder o de sempre, "É...esta certo, você é ruim", acho que essa á uma das primeiras respostas positivas que recebo sobre minha babaquice. Estou me sentindo pelo menos um pouco melhor.

 

O passado do Yoongi pelo que Jin me contou foi mediamente pior que o meu, ele não é confiante, e muito menos demonstra querer algo com a vida, mas...ele é uma boa pessoa que esta tentando uma chance ainda.



Seguimos o caminho conversando, era tão engraçado ouvir Yoongi falar, tanto pro trocar em algumas palavras o R pelo L, quanto os acentos que ele levava nas vogais. 


 

Foram no máximo 30 minutos, na parada da clínica o ônibus já estava bem cheio, já que era horário em que os trabalhadores retornam para casa, mas ainda havia alguns só retornariam as 23 da noite ou até mesmo de madrugada. Não sou um trabalhador, mas bem provável de eu retornar nesse horário. Uma chuva lá fora já tinha começado, o que era preocupante, teria que colocar  Yoongi o mais rápido possível para dentro da clínica para que nem ele e eu sem molhassem.

 

Tivemos que nos apertar por meio das pessoas para que pudéssemos sair, eramos os únicos a descer no ponto, Yoongi estava...animado? Por algum motivo ele estava com um sorriso gengival bem aberto, não pude evitar um sorriso  também. 

 

Ao descer, notamos que as luzes da frente estavam desligadas e...o portão fechado. 
 

Yoongi achou que estava encostado e tentou puxar as barras para fora, mas sem resultados, tentamos ir no portão pequeno para força-lo e tentar subi-lo...mas da mesma forma não deu resultado.
 

A parte de cima era muito colada ao portão, não dava para passar, e além do mais não sabemos se a porta da frente estava aberta para que Yoongi pudesse entrar.


 

— O que vamos fazer? — Falou Yoongi ofegante, ainda tentava forçar as grades e puxa-las para dentro. — Hoseok! — Gritou tentando chamar atenção, se ele estivesse lá dentro.

 

Fiquei pensativo sobre isso, me pergunto como vamos entrar... Yoongi não pode ficar na rua, está tarde além disso.


 

— A rua de trás, vamos. — Tomei o caminho na frente para correr, era o único caminho óbvio que eu conseguia pensar, e também por conta da chuva acho que era o mais rápido também. Pelo que me passa, Yoongi não sabe ainda que fui aquela hora da noite aqui na clínica, felizmente, imagino se realmente ele houvesse me encontrado. 

 

A chuva já estava grossa, já estavamos com os cabelos e as roupas encharcados, então aumentávamos a velocidade para contornar ao redor de fora da clínica.  


 

A rua de trás da clínica estava silenciosa por conta da chuva, dava para ver que anteriormente algumas crianças brincavam na rua, tinham alguns brinquedos bem coloridos no final  da rua que já estavam completamente encharcados.

 


 

Pedi uma ajuda para Yoongi, sabia que ele ia acabar se machucando caso fosse os dois juntos, então decidi ir primeiro. Ele fez uma concha com a mão e apoiou por cima do joelho, ficou quase como um banco, foi o suficiente para me dar impulso para subir. Me segurei um pouco num ferro que havia para poder pegar estabilidade para poder descer sem me machucar, após desci. Cai num pedaço de grama com algumas pedras que haviam do outro lado, mas não me machuquei, felizmente.


 

Me levantei e fui correndo para a porta, a forcei a abri, tentei até mesmo arromba-la, mas...estava fechada. 
 

Ouvia os passos de Yoongi tentando subir, provavelmente ele se machucaria e iria perder viagem. 


 

— Yoongi-hyung, ta fechado! — Gritei e já fui próximo ao muro tentando escala-lo por meio de alguns ferros de falha de construção, consegui chegar ao outro lado 'em segurança' machuquei um pouco minha mão, o muro estava bem maltratado pela parte de dentro, aqueles ferros não ajudavam muito. O problema no momento é: O que fazer com Yoongi? 


 

Será que o professor Jin deixaria ele passar a noite na casa dele? Eles são amigos, acho que ele ajudaria...mas sinto que vou ganhar um desconto grande na nota.

 

Peguei o celular e abri a pasta de contatos, cliquei no do professor Jin e Yoongi pareceu fazer um "Hum?" 

 

— O que está fazendo? — Perguntou Yoongi tentando olhar por cima do celular.

 

 

— Vou ligar para o professor Jin, você não pode passar a noite fora. — Já iria clicar no botão "Chamada", mas Yoongi repentinamente segurou meus pulsos os erguendo para cima, fazendo o celular cair.
 

 

— Por favor! Não liga pra ele! — O tom de desespero na voz de Yoongi era claro, chegou a me assustar, saiu quase como um grito o pedido dele. — Eu posso passar a noite na rua, não vai ser a primeira vez, mas....por favor, não liga para o Jin. — Pareceu se acalmar e soltou de vagar os meus pulsos. Realmente, eu me assustei, não pensei que essa seria essa a reação dele. 


 

— Não posso deixar você ao relento, ainda mais que parece que vai ser frio essa noite. — Me abaixei para pegar meu celular que ficou com algumas gotas de chuva na tela.

 

— E qual o seu plano? — Indagou Yoongi, abanando as mãos para si tentando tomar um pouco de ar.


 

— Pode passar a noite no meu apartamento, não vou ficar por lá hoje, pelo menos para dormir ele serve. — Se Taehyung não estiver puto comigo, é simplesmente ele passar a noite lá e de manhã eu aparecer para leva-lo para a clínica...não é uma má ideia. 
 

A chuva parecia engrossar cada vez mais, sem falar do vento que a acompanhava. Yoongi retirou o casaco que estava e nos aproximou colocando por cima das nossas cabeças, para que pudesse amenizar ao menos um pouco o impacto que a chuva causaria mais tarde...de uma gripe pode se tornar um simples resfriado.  Parecia que havia aceitado a minha ideia. 




 


Notas Finais


Gente, ter afta é muito ruim

Só eu que as vezes falo Africa? q

Eu demorei pra escrever porque...eu normalmente de dia tenho que comer para escrever, e estou com uma afta bem perto dos lábios, dificulta comer e as ideias fluirem

MAS VEIO UM CAPÍTULO MEDIAMENTE GRANDE AGORA

FIQUEM FELIZES

Eu sei que posso escrever mais do que isso, mas prefiro dar capítulos pequenos do que deixar vocês aguardando por muito tempo.

Outra, estou com a mão arranhada
PORQUE MEU CACHORRO NÃO GOSTA DE KPOP
não me achem louca
mas eu tentei mostrar blood sweat & tears pro meu dog e ele empurrou minha mão pra parede que tava bem mal construida...resultou na minha mãozinha machucada

helpi mi

E bom, eu preciso revisar os outros capítulos, mas não vou fazer isso agora.
Vou tentar fazer isso quando eu tiver um capitulo pronto, ai vou poder deixar tudo bonitinho
eu ach

E SIM, EU PENSEI MUITO E VOU PUBLICAR O LIVRO QUANDO TERMINAR A FANFIC

o q ta muito longe de acabar

ou seja
talvez daqui uns anos
q

e sim eu tenho uma mania muito grande de falar "Eu"

Até o próximo capítulo ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...