História Faded - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Alluka Zoldyck, Gon Freecss, Illumi Zoldyck, Kalluto Zoldyck, Killua Zoldyck, Kurapika, Leorio Paradinight, Maha Zoldyck, Personagens Originais
Tags Hunter X Hunter, Romance, Terror, Violencia
Visualizações 33
Palavras 2.606
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Tears


Fanfic / Fanfiction Faded - Capítulo 3 - Tears

 

Caminhamos lentamente em direção deles enquanto caminhávamos Natsumi acabou tentando parecer uma "dama" e começou a andar "graciosamente" enquanto segurava o ponta do seu vestido, mas por conta disso a mesma quase caiu de cara no chão pois havia tropeçado em si mesma, acabei tentando segurar uma risada quando isso aconteceu mas acabou sendo em vão pois sem perceber mesmo perceber acabei soltando uma risada bem baixinho mais o suficiente para a mesma se virar em minha direção com seu rosto vermelho de raiva. Ignorei seu olhar sobre mim e continuei caminhando mas sem tirar um sorriso brincalhão do meu rosto...essa coisa de ser "dama de companhia" até poderá valer a pena se eu ver a mesma caindo ou pagando algum tipo de pico...coisa que não é difícil da acontecer.

Parei meus pensamentos assim que encarei as pessoas na minha frente. Um homem alto e extremamente musculoso, com seus longos cabelos loiro que chegava até a sua cintura, tinha um olhar serio mas carregava um sorriso sem mostrar os dentes em seu rosto, ele aparentava ter no mínimo quarenta anos, acho que pela cara ele deve ser o "pai". Ao seu lado havia uma mulher que usava um vestido bufande e chique com um ar mais antigo parecia ser do seculo passado...ou melhor era do seculo passado, sua saia era rodada cheias de babados. Podemos dizer que a mesma parecia um enorme bolo de aniversario, eu poderia soltar uma risada em outras circunstância mas seria uma grande falta de educação nesse momento, fiquei encarando seu rosto que era coberto por um óculo estranho.

Ela parecia um ciclope, tirei essa conclusão quando vi um ponto vermelho que saia da lente do óculos, me pergunto o porque dela usar aquilo, será que aconteceu alguma coisa com a visão dela que a fez precisar usar isso ?. Fiquei encarando seu enorme sorriso congelado em seus lábios pintando de um vermelho sangue, só de olhar para ela acabei sentindo um pequeno desconforto pois a mesma me faz lembrar da minha tia, na verdade acho que ela era completamente dramática e sem noção. Tenho certeza que foi por culpa dela que ajudou arranjar esse casamento e tirou minha "liberdade" me fazendo virar "babá".

Por um momento acabei me sentindo irritada, por um momento queria juntar a cabeça de minha tia e dassa mulher e socar uma na outra até uma das cabeças abrirem, ouvir seus gritos de desesperos, seria uma bela musica faze-las chorarem e implorarem para continuarem vivas. Não iria precisar de nenhuma armas além das minhas mão, estava começando a ficar com sede de sangue por culpa desse maldito casamento acabei perdendo minha liberdade por tempo indeterminado, acabei sentindo um pequena lambida sobre minha mão e acabei olhando para baixo, Cheshire tinha lambido minha mão e com isso acabei saindo do meu transe e voltando para a realidade. Acabei abrindo um pequeno sorriso mas o mesmo acabou sumindo assim que fitei o dono de olhos pretos e opacos.

Era um homem que eu diria ter mais ou menos vinte e poucos anos, ele me olhava diretamente nos olhos, ele usava uma roupa verde que deixava seus os seus músculos do braço a mostra, possuía cabelos negros que ia até a altura da sua cintura, poderia dizer que havia um abdômen bem malhado por baixo daquela camiseta. Ele era estranho, seus olhos me causava um certo desconforto, ele de longe era o que menos me passava algum tipo de segura...se é possível existir ali alguém que realmente possa passar algum tipo de confiança, acho se precisar de algum tipo de aliado é preciso ser alguém que conheça essa casa como a palma de sua mão. 

Por um único momento acabei tendo a ideia de fugir daqui, mas esse pensamento acabou sendo esquecido no mesmo momento, pois tenho certeza de que uma pessoa dessa não vai existir e se eu pensasse em pedir ajuda para algum do mordomo tenho certeza que o mesmo tentariam me matar pois até aonde eu percebi eles eram muitos leias ao seus mestres...pena que eu não sou a mesma coisa, mas essa ideia de fugir acabou me atentando mas do que iria imaginar. Logo do lado do homem de cabelos negros havia um garoto que eu realmente não sabia o certo a sua idade, era era completamente sem educação e gordo, pelo que eu reparei o mesmo comia que nem um leitão, ele segurava em uma das mãos um saco de batata frita que eu poderia dizer que era umas das minhas favoritas...realmente aquela era uma boa escolha...ele usava uma camiseta rosa que me lembrava um filhotinho de porco, em nenhum momento eles olhou para nos apenas comia suas batatas que parecia não ter fim.

Ao seu lado bem escondida havia uma garota ao seu lado, poderia dizer que a mesma havia treze anos, ela segurava um leque na frente do seu rosto, parecia ser uma menina calma e educada, bem diferente do seu irmão que comia do seu lado, acabei olhando de relance para Natsumi que encarava o garoto com um olhar de nojo mesmo que a mesma tentasse esconder aquela expressão de nojo era muito evidente, acabei segurando novamente uma risada e abri um pequeno sorriso de lado me divertindo com as caretas que a mesma fazia. Mas o mesmo nem ligava sua atenção estava direcionada no seu saco de batata.

Acabei levando meu olhar para um pessoa que parecia ser o membro mais velho da família e se não duvidar o mais forte também, ele tinha cara de ter sessenta e poucos anos, poderia chutar que era uns sessenta e sete. Também percebi que de cabelos loiros e platinados era ele e o musculoso, acho que eram pai e filho por conta da semelhança que era gigante.

A mulher ciclope via em nossa direção junto com o homem musculoso que deveria ser seu marido, eles caminhavam com graça e elegância e com um ar igualzinho da Natsumi de superioridade...aquilo me irritava muito.

-Querida você deve ser a Natsumi não é ? -a mulher segurou as minhas mão seu tom de voz era completamente falso, acabei reparando que a Natsumi me encarava irritada o me deu uma vontade gigante de dar risada.

-Sinto muito em avisar -acabei soltando minha mão e abrindo um sorriso meio forçado- Eu sou a "dama de companhia" a Natsumi está do meu lado -meu tom havia saindo divertido.

-Hum sinto muito em confundi-las -caminhou em direção da Natsumi que acabou abrindo um sorriso cínico- É um prazer em conhece-la Natsumi -a mulher abriu um sorriso falso enquanto encarava Natsumi.

-Sim é realmente um prazer em conhece-la Kikyo-sama...estou realmente encantada -percebi que a mesma acabou forçando o "sama".

-Ahh Natsumi eu estava morrendo de saudade -pera elas se conheciam ? Então porque ela me confundiu com a Natsumi ?.

-Eu também estava com saudade, faz quanto tempo ? Dois anos ? -falou falsamente enquanto colocava seu sorriso cínico no rosto.

-Acho que é isso mesmo -se afastou- Este é Silva meu querido marido, acho que vocês não se conhecem não é ? -falou novamente com sua fina e irritante...está começando a me dar dor de cabeça.

-Ah não, eu realmente não conhecia, é um prazer conhece-lo sr. Silva -se curvou e logo levantou seu olhar para o mesmo sorrindo..ela estava com um sorriso malicioso ? olhei um pouco espantada pois poderia dizer que a mesma estava tentando "seduzir" seu próprio sogro com um sorriso, acabei percebendo que isso acabou acordando algum tipo de ódio da senhora Kikyo pois acabei vendo seus lábios se contorcerem e  acabou segurando firmemente seu vestido.

-Mas e você quem é ? -ela virou seu rosto em minha direção de uma maneira brusca...deve ter machucado.

-Me chamo Amy -me curvei de um maneira delicada para não machucar o Cheshire- É um prazer conhece-los -abri uns dos meus melhores sorrisos na tentativa de tirar o clima tenso.

-Hmm...É um prazer conhece-la -falou de uma maneira falsa mais logo virou seu olhar para Cheshire- Isso é um gato ? -percebi um certo desgosto em sua voz, o que me deixou irritada.

-Ele não é um gato -falei rudemente- Cheshire é um membro da minha família...então por favor não o chame de "gato" pois o mesmo tem nome -virei meu rosto e senti uma aveia saltar na minha cabeça.

-Ohh desculpe-me pela minha grosseria  hahaha -riu falsamente.

-Amy é um prazer conhece-la -desse vez foi quem se pronunciou foi o homem-  Sou Silva -estendeu sua mão grande em minha direção, caramba aquela mão é maior que a minha cabeça, ignorei esse pensamento e com uma mão livre apertei a sua mão cumprimentando de volta...e parece que eu não foi a unica pois Cheshire acabou soltando um miado cumprimentando-o também.

-O prazer é meu senhor -abri um sorriso meigo mesmo estando irritada.

-Bem agora quero que vocês conhecem o resto da família -falou abrindo um sorriso.

Acabamos andando calmante até as pessoas que restavam e mais uma vez acabei reparando no rosto de cada um, tentando gravar o rosto de cada um.

-Esse é Zeno -apontou para o senhor.

-É um prazer conhece-las -falou com um sorriso de quem sabe tudo sobre o mundo....e eu não duvido nada.

-Olá Zeno-san -abri um sorriso enquanto me curvava e Natsumi fez a mesma coisa mesmo que contra-gosto.

-Esse é meu filho Kalluto -apontou para "a" menina que usava quimono, acho que naquele momento meu queixo acabou caindo...eu jurava que ele era uma menina ! Eu achava ele fofo antes agora eu quero guardar ele em um potinho.

-É um prazer conhece-las -falou se curvando levemente.

-O prazer é todo meu -acabei me curvando delicadamente enquanto dava um sorriso doce.

-É um prazer -disse Natsumi seca.

-Esse é meu amada filho Milluki-kun -dessa vez foi a senhora Kikyo que acabou falando tomando as rédeias da situação, tirei meus olhos de Kalluto e encarei o garoto que comia batata frita.

-É um prazer em conhece-las -falou completamente com falta de interesse e com a boca cheia de comida.

-O prazer é meu -acabei dizendo simples.

-Prazer... -Natsumi acabou tentando dar um passo para trás enquanto fazia cara de nojo.

Quando ela iria falar alguma coisa o homem de cabelos negros saiu do seu lugar e caminhou em direção da Natsumi, naquele momento acabei reparando na cara de nojo e desgosto que a mesma carregava...será que ela não gosta dele ? Não isso é impossível pois sempre peguei a Natsumi falando com a tia como ele era incrível e tenho certeza que falava dele pois ela sempre colocava o sobrenome deles no meio da conversa e além do mais minha tia não admitia que ela falasse sobre outros homens ou pelo menos de homens de "classe baixa".Ele se aproximou lentamente da mesma enquanto segurava umas das mãos dela, o rosto de desgosto que a mesma fez quando ele se abaixou e beijou sua mão, foi completamente engraçada.

-Sou Illume, seu noivo, é um prazer em conhece-la -ele falava com a maior calma do mundo, em um momento minha boca acabou abrindo em um pequeno "o" não conseguia acreditar que ele falava aquilo como se não fosse nada...mas se bem que logo depois daquela minha pequena surpresa eu acabei colocando uma das minhas mãos sobre minha boca tentando segurar uma risada...motivo ? nem mesmo eu sei.

-Natsumi, o prazer é todo meu -falou secamente enquanto olhava para todos os lados parecendo que procurava alguém, mas além disso dava pra sentir um pouco de medo da mesma como se ela quisesse que ele saísse de perto da mesma, posso até concordar nessa parte com ela pois achei a presença dele um pouco desagradável.

(...)

Depois de sermos apresentando corretamente à eles, um mordomo acabou levando a minha mala e de Natsumi para os quartos que iriamos ficar, Natsumi acabou ficando em um quarto do meu lado, mesmo que por contra-gosto ela acabou aceitando. Não troquei nenhuma palavra com o noivo de Natsumi e agradeço por isso, nesse momento estou no quarto que estou hospedada brincando com Cheshire sobre a cama, fiquei brincando com o mesmo até ele pegar no sono e porque Natsumi acabou me chamando para o jantar meio que contra-gosto.

O jantar foi como eu pensei que seria...chata...sem vida....e chato, aquilo me deixava meio que desconfortável pois normalmente eu conversava com Hanako, mesmo que fosse pouco aquilo me distraia quando comíamos, era um silencio total, claro que nem tão total assim pois dava para ouvir sons de talheres batendo freneticamente contra o prato de Milluki, eu acabei tentando ignorar de toda maneira possível, eu não havia comido quase nada, apenas fiquei encarando meu prato de uma maneira desconfortável, mas logo acabou chegando a sobremesa e eu acabei me animada um pouco quanto encarei a torta de fruta, senti que meus olhos acabaram brilhando um pouco e isso é incomum. Sempre amei muitos doces e esses é umas das coisas que me anima quando eu estou para baixo.

(...)

Estava na minha nova a cama, eu ficava encarando o teto enquanto sentia um peso sobre minha barriga, fiquei pensando até que novamente aquele pensamento de fugir veio a minha mente, tenho certeza se eu fugisse finalmente iria conseguir liberdade...a verdadeira liberdade....comecei a passar a mão sobre a cabeça de Cheshire enquanto ouvia o mesmo ronronar. Fiquei assim até que me sentei na cama de uma maneira delicada para não machucar o mesmo, fui em direção do guarda-roupa e abri o mesmo pegando a camiseta social que eu uso para dormir, eu estava tão cansada que por mim nem tiraria o vestido para dormir mas depois isso me daria ótimas dores na costas por conta que esse vestido aperta um pouco minha costa e os machucados não estão ajudando muito.

Tirei o vestido e coloquei minha camiseta enquanto pegava o vestido e colocava em um cesto que havia ali, após colocar a camiseta acabei fazendo um coque mal feito no meu cabelo enquanto caminhava em direção de uma porta que dava para uma varanda que tinha no meu quarto novo. Abri a porta do mesmo e nesse momento acabei sentindo o vento frio da noite batendo sobre meu rosto e pernas, me aproximei do parapeito e debrucei no mesmo enquanto respirava fundo o ar da noite e ouvia as cigarras cantado. Por um momento acabei ficando meio preocupada por estar usando apenas uma camiseta longa, mas acabei me lembrando que pelo horário não deveria ter ninguém acordado.

Não sei quantos tempos passou mas tenho certeza que fiquei horas naquele posição ouvindo as cigarras, de repente acabei sentindo lagrimas descendo sobre meu rosto, afundei minha cabeça sobre meus braços e deixei as lagrimas rolarem sobre meu rosto, nunca deixarei ninguém me ver chorar....nunca deixarei alguém pensar que eu sou franca. Acabei enxugando as lagrimas que caiam, eu não sabia o motivo por estar chorando, mas acabei me sentindo mais leve quando soltei aquelas poucas lagrimas, mas acabei me sentindo ainda melhor, abri meus olhos encarando as copas das arvoras, por conta das noite elas pareciam sombrias mas não deixava de ser bonito. 

Acabei saindo da varanda e voltando rapidamente para dentro do meu quarto, por um momento eu acabei me sentindo sendo observada mas seria impossível pois não tinha ninguém ali, acabei fechando a porta da varada e indo em direção da minha cama, me deitei na mesma e me cobri com suas cobertas completamente confortáveis, fechei meus olhos aprofundando minha cabeça no travesseiro, senti um peso sobre a minha barriga e tinha certeza que era Cheshire se arrumando para dormir, em poucos tempo senti minhas pálpebras ficarem pesadas e eu acabei me  entregando ao um sono profundo.


Notas Finais


Bye bey ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...