História Fading Memories - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~ineedyoukook

Exibições 50
Palavras 1.636
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olar! ineedyoukook aqui~

Vamos tentar atualizar Fading Memories a cada quatro dias. Espero que possam continuar lendo!

Boa leitura <3

Capítulo 2 - Sorriso


Assim que o sinal tocou, Taehyung e eu nos dirigimos à sala enquanto conversávamos.

— O que vai fazer com o dinheiro? — Tae perguntou eufórico.

— Comprar controles novos, jogos novos, reverter um pouco em moedas do jogo e guardar o resto em uma poupança. — Respondi, me animando um pouco enquanto pensava nos jogos que poderia comprar.

— Aaah, Jungkook, você é tão chato... por que não tenta se divertir? — Parou no meio do caminho e fiz o mesmo.

— Ué, mas eu me divirto com meus jogos! — Exclamei formando um bico. Eu sabia do que ele estava falando, mas sei lá, tinha preguiça de me socializar ou sair de casa.

— Sim, mas você só fica no computador o dia todo! E eu não estou querendo ser que nem aquelas mães que reclamam do filho ficar uma hora no computador, estou reclamando porque você, quase que literalmente, fica o dia todo mesmo! — Me repreendeu.

Taehyung às vezes parecia um irmão mais velho, eu até o considerava assim; o conhecia desde meus sete ou oito anos, na época ele tinha dez. Mas às vezes ele exagerava.                                           

— E qual o problema de eu ficar no computador? Não estou prejudicando ninguém! — Respondi.

— Ninguém além de si próprio, você quis dizer né. Você vive cansado por dormir pouco, vive cheio de olheiras, dor de cabeça, não se alimenta bem, suas notas estão ficando piores do que já são! — Gesticulava de forma afobada com as mãos.

— O que você espera que eu faça? Sou muito introvertido e tímido, você sabe. — Lembrei-o.

Taehyung olhou para os lados e pude ver seus olhos brilharem.

— Vamos, faz um esforço. — Antes que eu pudesse abrir a boca, Tae me virou e me empurrou em direção a alguém.

Quando percebi o que tinha acontecido, vi que eu apoiava por baixo mãos pequenas que estavam segurando livros. Levantei meu olhar e me deparei com os olhos do garoto de mais cedo.

— Uhm... Me desculpe, não vi por onde andava. — Dei uma desculpa qualquer, ficando vermelho de raiva e constrangimento. Maldito Taehyung!

— Não tem problema... — Escutei o garoto sussurrar quase que inaudível.

— Por que você fala assim? — Deixei a pergunta escapar.

— Desculpa. — Falou e abaixou a cabeça. Merda, ele se sentiu ofendido?  Eu realmente não sabia socializar.

— Não, espera! — Falei e olhei para os lados, nervoso com a situação. — Não foi isso que eu quis dizer, quer dizer, foi... Aish! — Suspirei e tentei me acalmar.

Olhei para o garoto e vi que ele me olhava com um sorriso simpático. Tão bonito...

Quando finalmente me acalmei e arrumei as palavras na minha cabeça, falei:

— O que eu quis dizer foi, por que você fala de maneira tão baixa? Sabe,  às vezes não dá para te escutar. — Tentei falar sem parecer rude.

— As pessoas dizem que minha voz é irritante. — Ele explicou dessa vez com a voz clara, mas hesitante.

A voz dele era um pouco aguda e calma, uma voz macia de se ouvir.

— Sua voz é linda. — Merda, deixei escapar! Eu ia tentar concertar, de maneira calma, o que tinha dito, mas quando vi o garoto ficar vermelho, imediatamente fiquei com vergonha também e virei o rosto. — Quer dizer... Sua voz não é irritante.

Olhei de lado para o garoto e o vi acenar com a cabeça de maneira nervosa.

— Ahm... — Vi que ele tentava encontrar palavras para falar algo. — Obrigado por mais cedo. Não pude agradecer apropriadamente.

Sorriu com os olhos de maneira sincera. Ele tinha um eyesmile lindo; tive uma sensação de deja vu por um momento, seu sorriso me lembrava algo. Senti até nostalgia da minha época de criança em Busan.

Só fui perceber que o encarava encantado há muito tempo quando não pude ver mais seu sorriso; no lugar dele havia se formado uma expressão de apreensão, e ele até mordia um dos lábios. Imaginei que fora porque eu fiquei sem respondê-lo, então cocei a garganta, tentando me recompor, e o respondi:

— Tudo bem, não foi nada, não precisa agradecer, qualquer um teria feito. — Me atrapalhei um pouco e quase misturei as palavras, mas elas saíram.

— É, mas foi você que foi lá. — A maneira com que ele disse aquilo fez parecer que eu era diferente das outras pessoas.

Ele sorriu de novo, parecendo verdadeiramente feliz. Acho que em outra ocasião seria até irritante ver alguém sorrir tanto, mas o sorriso dele me acalmava e me trazia uma alegria estranha.

— O que você acha de eu te pagar um sorvete depois da escola, como forma de agradecimento? — Propôs, e percebi que a pergunta saíra hesitante por seus lábios cheinhos.

Pensei em negar, porque eu provavelmente iria estragar tudo falando o que não devia, ou não conseguiria falar nada, derrubaria o sorvete nele de tanto nervosismo... Mil e uma possibilidades, tratando-se de um Jeon Jungkook tímido e introvertido. Sério, eu era um desastre. Já estava abrindo a boca para negar, mas olhei para o seu rosto e vi que ele que estava com uma expressão totalmente insegura.

— Tudo bem. — Acabei aceitando.

Assim que dei minha resposta, ele abriu um sorriso gigante. Ele ficara tão feliz assim por eu ter aceitado? Será que ele não tinha amigos, por isso ficou tão feliz em sair com alguém?

Aaah, o que eu estava pensando? Eu também não tinha amigos além de Taehyung, que estava mais para um irmão do que um amigo.

Fui tirado dos meus pensamentos depressivos sobre não ter amigos pelo sinal.

— Então... Eu tenho que ir para a sala. — Me falou e eu o encarei confuso.

Só fui perceber que ainda segurava suas mãos por baixo dos livros que ele carregava quando ele as mexeu. Soltei-o na hora, desviando o olhar totalmente envergonhado.

— Então, até mais tarde. — Curvei o tronco em despedida e saí de perto do garoto, andando (um pouco de pressa demais, devo confessar) em direção a minha sala. Assim que cheguei vi que ainda estava um pouco vazia, alguns alunos conversavam no fundo, e Taehyung parecia super realizado, acenando para mim.

— Como foi? — Perguntou quando sentei na carteira atrás dele. Seus olhos chegavam a brilhar.

— Como você acha? Passei vergonha, como sempre. — Contei e o vi murchar.

— Foi tão ruim assim? — Sua voz estava um pouco desapontada quando perguntou.

— Uhm... nem tanto. Ele me chamou para tomar sorvete como agradecimento por mais cedo. — Contei.

Taehyung arregalou os olhos.

— Wow, te jogo para fazer um amigo e você sai com um encontro marcado? Preciso começar a seguir meus próprios conselhos, sou muito bom nisso. — Começou a se vangloriar.

— Encontro? Tae, a gente só vai sair para tomar um sorvete, como... Como... Colegas de colégio? — Fiquei confuso, afinal o que eu era dele?

Taehyung nem pareceu me ouvir e continuou falando:

— Queria ter visto como foi que vocês acabaram num encontro. — Ele falava pensativo.

— Se você não tivesse corrido assim que me empurrou, teria visto. — Falei com uma falsa voz de indignação. — Aigoo... Passei tanta vergonha, nem sei se vou ter coragem de sair com ele assim que a aula acabar.

— Assim que a aula acabar? Jungkook, você falou para ele que não teremos as duas últimas aulas? — Ele parecia desesperado; eu era tão digno de pena para ele ficar assim?

Tudo bem que fazia, vamos ver, minha vida toda que eu não saía com alguém que não fosse o Tae, mas não era para tanto né?

Okay, talvez fosse.

Voltando-me para a pergunta dele, apenas neguei com a cabeça, eu tinha esquecido que não teríamos as últimas aulas.

— Aish, Jeon Jungkook, você não sabe fazer nada sozinho? — Me fez a pergunta retórica. — Pelo menos pegou o número dele?

Neguei, sentindo-me inútil e muito desligado.

— Você perguntou a nome dele?! — Neguei de novo. — JEON JUNGKOOK! SEU IDIOTA!

Antes que eu pudesse pedir para Taehyung abaixar voz, outra pessoa – que eu nem tinha visto entrar na sala – me interrompeu:

— Quer compartilhar com o resto da sala o porquê de estar xingando seu colega com um tom de voz tão alto, senhor Kim Taehyung? — Min Yoongi, nosso professor de física, perguntou.

Sim, Min Yoongi. O namorado de Hoseok, um aluno do nosso colégio e eterno amor não correspondido de Taehyung.

— Esse idiota, que provavelmente perdeu a chance de ter o primeiro encontro dele em dezessete anos! — Gritou de novo, apontando para mim, e eu quis enterrar minha cabeça com a vergonha que eu senti quando a sala toda começou a rir.

Puta que pariu, Taehyung!

— Detenção, hoje, na minha sala, assim que a aula acabar. — O professor falou calmamente.

— Ah, foda-se, eu já não gostava de você mesmo! — Gritou de novo, dessa vez com o professor.

— Detenção por uma semana então. Algo mais? — Falou, dessa vez com o maxilar quase trincando.

Taehyung ia abrir a boca para gritar algo de novo, mas eu o impedi, colocando minha mão em sua boca.

— Mil desculpas por ele ter atrapalhado a aula, professor. — Fiz uma meia reverência por estar sentado. O professor fechou os olhos, tentando se acalmar, virou-se e foi em direção à própria mesa.

— Silêncio, sala. A aula, finalmente, começará. — Falou para o resto de alunos que ainda cochichavam sobre a minha vida não-romântica.

— Você me paga, Taehyung. — Cochichei o mais baixo possível para só ele ouvir.

— Me desculpa, ok? Você sabe que eu não suporto esse otário. — Desculpou-se e eu não respondi nada, já sabia que eu não conseguiria ficar com raiva dele por muito tempo.

Também, nem valeria a pena, não é como se eu fosse perder minha reputação, já que eu sequer tinha uma.

Depois de todo aquele fuzuê, a aula seguiu normalmente, com Taehyung resmungando do professor, o professor falando grego e eu fingindo que era fluente em grego, já que física não entrava na minha cabeça de jeito nenhum.

Minha mente também não colaborava. Toda vez que eu tentava prestar atenção no que o professor falava, minha mente trazia o maldito sorriso daquele menino à tona.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Até o próximo cap~ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...