História Fãfic inspetor da escola - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colégio, Drama, Gay, Homossexual, Inspetor, Sexo
Visualizações 4
Palavras 682
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Assédio ou apenas amor?

Capítulo 2 - Arquivo (1).docx


Fanfic / Fanfiction Fãfic inspetor da escola - Capítulo 2 - Arquivo (1).docx

Prosseguindo a minha triste vida de uma semana em casa, começei a ver o que podia fazer. Começei a stalkear as pessoas que podiam ter alguma ligação com esse suposto inspetor, acabei descobrindo várias merdas sobre alguns professores que nem sabia da existencia. Ah, e porfavor, não começe a apontar dedos me chamando de stalker ou algo assim, isso era algo inrresistivel. Espera, espera, achou que eu tinha me esquecido sobre o que aconteceu comigo no dia que fui suspenso? Haha, não, não me esqueci, mas o melhor da situação foi não ter que lidar com meu pai, isso seria algo terrível de se fazer.

Sobre isso, meio que incluiu uma confessão para minha mãe e meu irmão que discutia a minha sexualidade, opção sexual, orientação tanto faz, no momento nem pensei direito em como medir minhas palavras e amenizar a situação, acredito que poderia ser algo bem mais suave e delicada. Mas no final resultou em uma longa coletanea de aúdio que possuí 17 minutos, um dia eu penso em compartilhar esse arquivo do mesmo jeitinho que fiz com a imagem do corrimão. É, eu sei, cada arquivo que esse texto disponibiliza faz com que cada parte dessa história se torne mais legitima e real. Enfim, me assumi para eles pra que entendessem o contexto da história, mas só minha mãe sabia do motivo real disso. Meu ato foi basicamente um assédio a pessoa, mas ela não julgou assim, minhã mãe acabou não falando nada, parecia que eu era um lixo perante a situação, como se ter um filho gay fosse pior das coisas possiveis, gente, ele tem cancêr, que coisa ruim não é mesmo? Gente tenho um filho gay ele vai morrer no inferno que pecado do caralho. Meu irmão começou a me tratar como o viadão, não acreditando no que disse.

Eu fico feliz por ter uma família brasileira e não ter que lidar com problemas tipo, 1 mês de castigo, vai fazer trabalho voluntário pra suprir isso. Quando aquela semana passou eu fiquei feliz, e ao mesmo tempo triste, não sabia como lidar com tudo aquilo, a tensão aumentou em saber que seria julgado por todos na sala, até que quando cheguei na escola começaram a me nomear por safado, até gritaram várias vezes no intervalo esse nome. Essa pressão e vergonha são tão fortes de maneiras inimagináveis, meus amigos me afastaram da roda só por causa disso, parecia um e espantalho em uma creche. Queria não estar naquela situação desagradável, até que vi umas meninas rindo da minha cara e começei a rir junto, foi bem engraçado. Então lembrei de quando sofria bullying na 5° serie e várias entrevistas falavam que zombar do problema era uma solução agradavel, foi o que fiz. Agora em diante toda zombação que fizessem comigo seria motivo de risada, como se eles fossem os palhaços invez de mim, que pena pra eles.

Pensando no inspetor? É, eu não esqueci dele, na verdade não consegui parar de remoer aquela visão que tinha, pesadelo dos bons, né? Pois é, nem eu ouvi histórias sobre o pesadelo, passar na sala dos professores e perguntar seria muito inconveniente? Era semana de páscoa, quem seria meu coelhinho? Meu Deus, nosso Deus, por que diabos você está aqui? Quão ruim é sua vida?

Prosseguindo, parei com a ideia maluca de ver tal pessoa, e esperei o acaso me contar a história. Ou seja, nós teremos que esperar mais um pouco para saber, até lá espero que a curiosidade não nos mate, ou pior, se torne nosso medo. Mas derrepente, a ideia de um amigo veio a tona, imprimir essa graciosa história e simplesmente "dropar" na mesa do tal inspetor? Sim, seria uma má ideia, mas ela não veio de mim, a ponto que me lembro que não sou o único com o arquivo! Pois é, você não achou que eu estava escrevendo para o além ou pra ocupar 14 kbites do meu celular? Achou?

Sim, a decisão do que fazer com aqueles pedaços de pepeis era sua, você soube usar com cuidado essa escolha? Descobrirá no proximo arquivo... 


Notas Finais


É sua escolha no final das contas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...