História Fairy - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Carla (Charle), Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Happy, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Wendy Marvell
Tags Fairy Tail, Romance
Visualizações 253
Palavras 1.489
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu não devia ter sumido. Mas a única forma de pedir desculpas é postando, então espero que gostem do capítulo!! ;*

Capítulo 14 - Presente e futuro


Fanfic / Fanfiction Fairy - Capítulo 14 - Presente e futuro

- Ela ta acordando! – Senti mãos pequenas chacoalhando meu braço.

- Não faça isso Nash, a Lucy está doente, você tem que deixar ela descansar. – Essa é a voz da Erza?

- Mas a Mama tá dormindo a muito tempo já. Ela tem que acordar logo pra ficar comigo. – É o meu Nash, ele está bem?! Eu tenho que acordar, mas porque meu corpo está tão pesado?

- Vamos passear, depois voltamos para ficar perto da sua mãe.

- Não vou! Eu não saio de perto da minha Mama. – Tornou a apertar meu braço esquerdo, é tão bom ter ele por perto.

- Vamos Nash, já foi difícil me livrar do seu pai. – Sinto ele se afastar de mim e num ultimo esforço fecho minha mão em torno da dele.

- Ela acordou!

- Eu te entendo, mas sua mãe não... Lucy! – Agora eu posso ver parcialmente onde estou, a claridade me incomoda bastante e minha cabeça está confusa e cheia de coisas que eu não me lembro, mas são como lembranças, como se eu tivesse vivido tudo aquilo. Tento focar no agora, vejo uma cabeleira ruiva e outra loira e logo e pequenino está sobre mim.

 - Mama, que bom que acordou! – Me abraçando e imediatamente retribuo o abraço.

- Você não pode subir nela Nash, a Luce ainda está em recuperação. – Mesmo brigando com meu pequeno, vejo o sorriso em Erza e sei que ela está feliz com a cena. Como que ouvindo sobre a recuperação, meu corpo todo reclama de dor e tendo ignorar já que agora minha preocupação é com o Nash.

- Você...está machucado? – Minha boca parece estar cheia de algodão e quando finalmente consigo falar minha voz sai rouca e estranha, como se não a usasse há muito tempo.

- Como assim? – Erza pergunta antes que eu tenha minha resposta.

- O Luke...conseguiu, te...levar em segurança? – Falo ainda com dificuldade.

- Levar? – Foi a vez do Nash perguntar e como se só agora meu corpo começasse a reagir lágrimas inundam meus olhos.

- Tô tão aliviada. – Sorriu e automaticamente levo minha mão direita para a barriga, encontrando no lugar do habitual volume uma barriga lisa e seca. – Luna?! Onde está a minha Luna?

- Lucy... Acho melhor chamar a Polyushka-san. – Vejo Erza se afastar da cama e fico mais desesperada, minha cabeça está confusa e não sei o que o olhar dela pode significar.

- Tia Erza, a Mama não está louca, ela só tá lembrando da minha irmã. – De alguma forma o que o Nash disse faz com que a Erza pare com a mão na maçaneta antes de se voltar pálida para onde eu estou.

- Lucy, você lembra do que te aconteceu? Porque você está nesse hospital? – A pergunta e o rosto sério dela só me deixam mais confusa, várias coisas passam na minha cabeça e de alguma forma não é como se todos esses pensamentos fossem meus. Fixo meu olhar na minha amiga ruiva e como um lapso de memória algo me prende ao comprimento do cabelo dela, lembro de um garotinho ruivo com uma tatuagem abaixo do olho esquerdo, bem parecida com a do pai, lembro da Erza grávida do segundo filho e ela estava com o corte Chanel no cabelo.

- Por Mavis, fiquei tanto tempo inconsciente que a Rosemary já nasceu?! Imagino que o Gerard esteja cuidando dela e do Reiki. - De alguma forma, algo que eu disse fez com que ela ficasse muito vermelha.

- Algo aqui está muito errado. – Disse quando finalmente o rosto voltou a cor normal.

- Não tia Erza, a Mama está bem. – Sorriu olhando pra mim. – Qual o nome do filho da tia Levy? – Estranhei a pergunta, mas logo veio na minha mente a imagem do pequeno mal humorado que vive lendo ou procurando briga, o garotinho de cabelos em tom de azul esverdeado e olhos vermelhos.

- Gale Redfox! Ele é seu amigo filho, andam sempre você, ele, o Reiki, a filha da Mira e o filho mais velho da Juvia. Esqueceu?

- Melhor eu ir logo chamar algum médico. Eu não tenho filhos Lucy, nem a Levy, a Mira ou a Juvia.

- Como?! – Foi minha vez de perguntar.

- A Mama está com as memórias do futuro.

- Eu tô o que? – A porta se abre e por ela entram a Polyushka-san, o Natsu e a Wendy. Espera, a Wendy está pequena e o cabelo do Natsu curto!

- Luce! – O Natsu sorri e se aproxima de mim, é tão bom ter ele por perto, ainda mais no meio dessa confusão toda.

- Amor, o que tá acontecendo? – Pergunto tocando seu rosto assim que ele para ao meu lado. Ele faz uma cara de confuso assim como todos na sala, alguém pode me explicar isso tudo? A única pessoa confusa aqui sou eu!

- Luce? Por que você me chamou de amor?

- Como assim por que? Nós somos casados ou por acaso se esqueceu senhor Dragneel?!

- Se afastem, vou examinar ela. – A Polyushka-san empurrou quem estava perto da cama e começou a me examinar.

- Estou com sede. – Logo me entregaram um copo de água que aliviou a minha garganta, devolvi o como para a Wendy e agradeci, enquanto isso a Polyushka ainda me examinava. – Onde está a nossa filha Natsu?

- Como?!  - Antes que eu repetisse a pergunta a Polyushka parou o exame e me encarou por um longo tempo.

- Qual a sua ultima lembrança? – Tentei forçar a minha mente, mas cenas de um colar se misturavam a varias outras e minha cabeça doía cada vez mais.

- Lembro de estar em casa, de sermos atacados... o Nash foi levado pelo Loke, tem um colar e cenas picadas que se misturam, nelas eu estou no meu antigo apartamento com o Nash e o Natsu, o que não faz sentido já que não moro nele desde o casamento. Tem também pessoas caídas no chão, mas eu não consigo saber o que são todas essas imagens, minhas memórias parecem não me pertencer.

- E não pertencem! – A maga médica disse como se isso explicasse tudo.

- Como?

- De alguma forma sua memória presente está desorganizada e sua memória do futuro tomou o lugar. O que não faz sentido, uma vez que seu eu atual não viveu nada disso.

- Minha cabeça está doendo muito.

- É melhor você descansar, quando acordar conversaremos sobre seu quadro.

Depois que todos saem, fico um tempo observando o quarto em que estou, as palavras da Polyushka-san e todas essas imagem que não param de vir à minha cabeça, não me deixam em paz e causam ainda mais exaustão. Sei que tem algo errado em tudo isso, só não sei o que, de alguma forma sinto que o mago que me atacou tem tudo haver com esses acontecimentos, mas eu não me lembro mais de quem era ele.

Antes que eu perceba, o cansaço me vence e tenho um sono de sonhos agitados, onde pessoas mortas me cercam e eu luto contra o mesmo mago que atacou a mim e ao meu filho, navalhas de ar feitas de magia negra me atacam e eu sei que já lutei com esse mago a muitos anos antes. Em algum momento eu vejo o rosto dele refletido na foice que ele carrega e então tenho certeza de quem ele é, com o sono turbulento e a descoberta que tive com ele, desperto assustada e sinto a roupa colada ao corpo por causa do suor. É quanto a luz da lua que entra por entre as cortinas da janela, refletem o mesmo brilho maligno que vi em meus sonhos, no outro lado do quarto parcialmente escondido na escuridão surgi ele.

- Erigor... –Minha voz sai como um sussurro ainda que não esconda minha ira.

- Foi difícil te trazer para esse tempo Lucy! Espero que tenha gostado da viagem. – Sorri perverso caminhando para a claridade.

- Eu não vou te deixar escapar dessa.

- Ótimo! Eu já estava entediado com tudo por aqui. Com sua chegada minha vingança finalmente terá o sabor que eu queria.

- Eu não sei como você fez isso, mas agora está claro que viajamos no tempo. Fique sabendo que a Fairy Tail, não deixa assuntos inacabados.

- Tá bem... já entendi. – Balança a mão em sinal de desprezo. – Você sabe meu objetivo. Agora me traga diversão! – Antes que eu pudesse responder, ele desapareceu talvez da mesma forma que surgiu, o quarto voltou a ser silencioso e calafrios me lembravam quem esteve ali. Embora meu corpo pedisse por descanso, minha mente já deixava claro que eu assistiria o alvorecer e junto com todas as memórias que teimavam buscar sua ordem, eu comecei a maquinar como lutaríamos contra aquele louco.  Minha única certeza era que ele encontrou algo que o tornou muito mais forte e isso me trazia um medo contra o qual eu lutava uma batalha perdida.


Notas Finais


Como é do conhecimento de vocês eu não reviso, então peço que me perdoem os erros ortográficos.
Desculpa mesmo pelo meu desaparecimento, como já disse antes, não vou abandonar a história. Só peço que tenham compaixão de mim e não me odeiem por desaparecer vez ou outra,rs.
Obrigada por lerem minha fic e duas vezes obrigada aos que favoritaram!! Vocês são lindoos demais!!

Bjs de Luz!! ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...