História Fairy Tail Nova geração! - Capítulo 48


Escrita por: ~ e ~BlueLittleStar

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Charlie, Erza Scarlet, Gray Fullbuster, Happy, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Lucy Heartfilia, Mirajane Strauss, Nashi Dragneel, Natsu Dragneel, Romeo Conbolt, Wendy Marvell
Tags Fairy Tail, Gale, Gruvia, Jerza, Miraxus, Nalu, Nashi Dragneel, Nova Dreyar, Romendy, Storm Fullbuster
Exibições 65
Palavras 2.366
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Festa, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


YOO HONEYS DLÇS!
Tudo ̶g̶o̶s̶t̶o̶s̶o̶ bom? :v

Demorei?
Sei não, mas eu to ficando inspirada para escrever (E obrigada pela ajuda no cap Star \o/) :3
~E OS LEITORES DIZEM: AMÉM DEUS 1!1!!!!!!!!!!1111!!!~

O motivo de eu não postar ontem?
NAS NOTAS FINAIS!

Aproveitem o capítulo \o
Desculpem os erros ortográficos e...
TCHAU HONEYS \O/

Capítulo 48 - Saudades...


[Dois dias para os Grandes Jogos Mágicos]

[Floresta onde o grupo 3 está treinando] 

- Hajime! - A pequena azulada dizia ao lado do pequeno loiro estelar. 
Os cristais começaram a voar em direção a morena. Estava com seu martelo de diamante, começou a rebater os cristais como se os mesmos fossem bolas de baseboll. 

A rosada mais nova possuía um top preto e um short da mesma cor. Estava descalça e em seus cabelos um pompom estava prendendo seu cabelo em um rabo de cavalo. 

Masumy estava com o mesmo top preto, porém com um short jeans da mesma cor. Estava calçando um converse high vermelho e seus cabelos era presos em um coque um tanto quanto bem feito. 

- Agarimasu! Kurisutaru no ken! - A rosada desviou dos seus próprios cristais que foram fincados em um tronco de árvore. Colocou a mão no chão terrestre. Cristais lá do subterrâneo subiram e se formaram em uma espada que aparentava ser extremamente forte. 

Em passos rápidos, a mesma ia até a irmã com a espada enquanto a outra segurava seu martelo. O som estridente dos mesmos minérios se roçando em forma violenta ecoava na floresta. Emiko poderia ter cortado a coxa de Masumy se a mesma não tivesse desviado, pulando em um canto afastado da mais nova. 

- Kurisutara no... Hoko! - Sem esperar algum sinal da mais velha, a rosada soltou seu rugido com o vento azulado de cristal. 

- Vento rápido que corta os céus... VERNIER! - O circulo avermelhado abaixo de Masumy e a deixou com uma áurea da mesma cor. Desviou do vento de minérios azulados como uma flecha. 

- Aish... Se é assim que quer jogar... Vento rápido que corta os céus... VERNIER! - O mesmo circulo só que da cor azulada apareceu abaixo de Emiko, dando a mesma áurea de Masumy. 

Entre ataques e desvios. Emiko finalmente conseguiu pegar a irmã de surpresa. Foi por trás da morena quando a mesma estava despercebida. Cortaria um pouco da sua irmã com sua espada cristalina. 

- Vai Emiko-chan! - A voz do loirinho gritava animadamente. 

Uma voz familiar. A voz que sempre estava ao seu lado, sempre lhe acompanhou. A voz do albino que lhe encantava mais que tudo, que lhe dava forças. Como não lembrar daquele albino? Os sorrisos, os olhos avermelhados? O seu amor de toda a eternidade. Seus olhos ficaram opacos e seu coração antes preenchido pela coragem e confiança foram preenchidos pela completa saudade do seu albino. 

Foi desconectada do seu amado quando recebeu um chute na lateral da cintura da irmã. O impacto foi forte e a rosa bateu as costas no mesmo tronco de árvore em que os cristais estavam ficando. A sorte é que os cristais apenas contornavam a sua cara e não entravam nela. 

- Imoto? - A morena respondia preocupada com a irmã mais nova. - Daijobu? 

- E-Estou bem. - A rosada respondeu se apoiando em um cristal e levantando, enquanto esfregava a lateral de sua cintura que logo logo estaria normal de novo. - Vamos continuar... 

A mais velha, percebendo os olhos opacos repletos de tristeza. Franziu o cenho. 

- Não Emiko... Descanse... 

{...} 

- Ed-san, posso lhe perguntar uma coisa? - A morena disse enquanto lia um livro procurando sobre algo de Acnologia. 

- A vontade... 

- Você não deveria estar treinando pros jogos mágicos já que é da Fairy Tail, e ela vai participar? - Ao finalmente tirar os olhos do livro, pousou-os no albino. 

- Sim mas... Eu vim estudar sobre o Acnologia. 

- E quem estava no seu time? Eu sei de todos os membros que estão atualmente na Fairy Tail, pode contar que eu saberei de todos - A mesma deu um sorriso diga-se fofo. 

- Bom... A filha de Juvia-san e Gray, Jullie... O primo de Romeo, Shion... O filho de Natsu e Lucy-san, Ryuu... A filha de Wendy-san e Romeo-san, Arim, minha cunhada Masumy e a... - Por um momento parou de falar. Ficou travado. Só assim percebeu que apenas falando o nome dela já sentiria saudades. 

- Emiko-san?... Tudo bem, não fale o nome dela. Porque veio estudar o Acnologia e procurar algo sobre ele? 

- Entraram os gêmeos Andrew & Henry Dark. E estou desconfiando dos mesmos por ter a magia do... Apocalipse... 

- Filhos de Acnologia? Eu pensava que ele destruía todos os humanos e Dragons Slayers. 

- E destruía. Mas, ninguém sabe porque eles foram treinados ou sei lá. 

De repente, um silêncio pairou sobre os dois. Um silêncio constrangedor e ao mesmo tempo por pura concentração. Até Yuna quebrar o mesmo. 

- Por que se preocupa tanto com eles? 

- Vai que eles... - Olhou para a morena que também o fitava - Matem ou machuquem alguém da guilda, ou até mesmo da cidade...

- Eu queria te falar uma coisa desde que soube seu relacionamento com, Emiko-san. Sabe que ela provavelmente está preocupada né? 

- N-Não sabia... 

- Aish, Por que vocês homens são todos iguais! - A pequena gritou, recebendo "Shh" de todos ali presente. - Você não percebe? Tenho guardado isso aqui sempre, mas agora irei falar auto e claro Ed-san. Percebe que sua rosada se preocupa com você! Podia muito bem falar a verdade que ela se preocuparia menos e você tiraria um peso das costas. 

- E-Eu só estou protegendo-a! - Mesmo o albino sendo um mago santo, estava falando com a princesa de Fiore. A futura rainha, Yuna E. Fiore. A pequena mesmo sendo apenas uma criança tinha o total direito de mandar em si. 

- Pode muito bem protegê-la, apenas ficando ao lado dela. - Semicerrou os olhos - Não entende, eu percebo seus olhares tristes e a caixinha que guarda no bolso. A caixinha de noivado que havia me falado. Ed-san, faça-me o favor! Estou lhe dando total liberdade para visitar a sua amada e pelo menos se explicar pra ela. - A garota furiosa, sua furia chegava a ser fofa por ser apenas uma criança, pegou a sacola cheia de livros e apontou o dedo para o albino chegando bem perto do mesmo. - Tem poder o suficiente apenas para protegê-la do mal que pode acontecer. Quando aparecer, só fale um piu quando pelo menos esteja falando com ela ou tenha dado um aviso, entendeu? - Ainda com os olhos semicerrados de raiva, foi até o caixa pagar os livros. 

O de olhos vermelho sangue estava estático, paralisado, a medusa havia lhe transformado em pedra quem passasse por ali sem souber oque havia acontecido. A menina era totalmente autoritária. Nunca a viu desse jeito mesmo que a conhecesse por alguns dias. Engoliu em seco, percebendo que a mesma já estava andando até o castelo que era perto dessa biblioteca. Por mas que tenha oque reclamar com a mesma. 
Ela tinha total razão. 

{...} 

- Uaah... - A albina de olhos azuis brilhantes dizia com algumas sacolas de supermercado e compras de roupas enquanto olhava para um vestido em uma vitrine. - Que lindo... 

- Mira... Vamos logo... - O loiro puxou a esposa que não tirava os olhos do vestido, mas quando foi arrastada pelo marido olhou para o mesmo. 

- Ele era muito bonito Laxus... - A mesma dizia com um bico adorável nos lábios enquanto entrelaçava as mãos nas do marido. 

- Depois compramos outro ok? 

- Ok - Um sorriso brilhante retornou nos lábios da albina. Mirajane e Laxus começaram a andar em direção a guilda, com um silêncio gostoso e apenas ouvindo barulhos de festança. Até a albina quebrar o silêncio - Como sera que Nova está indo? 

- Provavelmente bem. Essa garota vai nos deixar orgulhosos como sempre deixou... - Laxus deu um sorriso de canto 

- Esses dias antes d'ela ir, eu ouvi ela sussurrar enquanto dormia um nome desconhecido. 

- Qual? - O loiro respondeu com interesse na voz. 

- Klaus. Já ouvimos isso antes quando ela era menor. Eu sempre achava que era um amigo imaginário dela sabe? 

- Verdade. Eu nunca soube direito quem era esse garoto ou oque ele era. Oque mais ela disse sobre ele? 
- Disse que até se parecia comigo. - A mesma deu uma risadinha - Acredita? Parece que o amigo imaginário dela foi inspirado na mamãe. 

- Mas é um menino. Então ele também foi inspirado em mim - Deu um sorriso vitorioso. 

- Chato. - A albina inflou as bochechas e seu bico adorável retornou enquanto seu marido dava risada da infantilidade da esposa.

{...} 

- Esse é o seu quarto, moleque. E fique longe de minha Yunnie! - A idosa jogou a chave para o albino que pegou um pouco desajeitado. A mesma foi embora, mas com um sinal de "Estou de olho em você" descendo as escadas. 

O albino inflou as bochechas confuso. Que velha mas chata, oque é que ela acha que ele iria fazer com sua neta? Sequestra-lá? Capturar a morena? Estupr... 

Parou de pensar pois havia ficado corado com seu último pensamento. Balançou a cabeça e colocou a chave na fechadura, girando a mesma e abrindo a porta. 

Ao abrir, viu um quarto pequeno porém adequado. Tinha uma pequena sala e uma cozinha atrás separado por um balcão. O banheiro foi aberto e aceso pelo albino, estava impecável. O quarto deveria ser em frente a sala. 

Seu quarto era normal. Uma cama de solteiro arrumada com um lençol branco e uma almofada azul escuro como travesseiro. O chão era de madeira polida. Tinha um armário não muito grande e um espelho ao lado. Uma gaveta estava ao lado da cama e outra um pouco longa do lado oposto. 

Estava satisfeito com o seu novo lar. Decidiu arrumar suas roupas um pouco mas tarde, por enquanto descansaria. Jogou-se na cama macia como lã sem bagunçar muito o lençol. Fechou os olhos, será que estava no paraíso? Poxa, suas costas estão agradecendo até de joelhos. 

- Oi... - Ao ouvir uma voz feminina e familiar, abriu e arregalou os olhos. Rapidamente sentou-se no colchão e observou novamente a dona da doce voz. A morena do cheiro de baunilha. - Qual é seu nome? - Andou até a cama do mesmo e sentou-se no espaço dado pelo albino. Sua franja ainda cobria seus olhos e a garota ainda falava num fio de voz. 

- K-Klaus D-Dreyar... - Oh droga, por que nessa bendita hora tinha que gaguejar? 

- Yunnie Hoshi... - Tombou a cabeça. - Qual a cor dos seus olhos? 

- Ahn? - O albino parou de corar - Não está vendo a cor deles?... 

- Não... Eu, não posso vê-los... - Negou com a cabeça. 

- Oh.. é... cega... - Assentiu com a cabeça - Por isso sua vó não me deixa chegar perto de você? 

- Ninguém além dela chega perto de mim. Você é a primeira pessoa com quem eu converso, e abro a porta... Estou curiosa sobre você...

- Respondendo sua pergunta... São azuis... E os seus? 

- Eu não sei... Poderia vê-los por mim? Eu nem lembro mas... - A menina colocou as mãos nas coxas onde uma parte o vestido não cobria. Estava apertando as mãos, talvez por curiosidade. 

- E-Eu? - O albino corou e quase caiu da cama. Mas voltou a ficar ajoelhado na frente da garota. A morena assentiu com a cabeça. - O-Ok... 

Com as mãos suadas e frias, e com toda a certeza trêmulas, foi até a franja da garota que cobria os olhos. Estava se aproximando da garota do cheiro de baunilha que lhe encantará. Em um delicado toque levantou os fios de cabelo. Os olhos dela haviam sido mostrados. 

Seus olhos eram extremamente lindos. Mas oque mas surpreendeu, foram AS cores. Seu olho esquerdo era o azul mas lindo que já havia visto, o azul do céu caso comparar. E o outro era verde, verde como todas as gramas vivas do mundo todo. 

Queria beijar a garota no mesmo instante, até se esquecerá de lhe dar a resposta sobre seus olhos quando ouviu uma voz. 

- SEU MOLEQUE ATREVIDO FILHO DA-- - A idosa mal terminou pois o albino havia caído da cama de susto. 

{...} 

Com uma laranja pega, tratou de comer a mesma rapidamente. Ao terminar de comer e chupar a mesma, jogou a casca ao lado da árvore onde a mesma foi derivada. A casca estava começando a apodrecer como sempre acontecia. 

O moreno continuou a andar, deixando o seu famoso rastro de podridão atrás. Céus como parecia um daqueles emo's estando sempre tristes. Mas não era emo, apenas solitário e...

Amaldiçoado.

Quando percebeu que havia chegado em seu ponto de destino, jogou-se sobre a grama, na qual já estava ficando podre, e olhou para as árvores acima de si que protegiam o mesmo do sol. Colocou seu chapéu em sua barriga, vendo que o mesmo ainda segurava um papel.

O papel era de uma criança pálida de cabelos morenos e olhos castanhos. Estava sorrindo enquanto seus braços passavam pelos pescoços de mais dois meninos. Um de cabelos negros e outro de cabelos azulados. O moreno dava um pequeno sorriso enquanto o azulado dava um muito, muito maior. Seus melhores amigos de infância... Ah, a infância.

Como gostaria de voltar naqueles tempos, em que o perigo não lhes atingia e que eram despreocupados. Quando corriam do pessoal de sua vila pois sempre faziam besteiras. E a mãe dos gêmeos, que doce mulher. Sempre estava dando bolinhos e biscoitos para eles que voltavam cansados de brincar e correr tanto. Henry e Andrew Dark eram incríveis amigos.

Até tudo acabar. Até seus melhores amigos desaparecerem, sumirem. A mulher havia morrido na frente do moreno. Junto a vila toda. Havia matado todos, uma parte de si dava risadas dos corpos falecidos e encharcados do líquido vermelho. O moreninho havia matado todos com suas próprias mãos. O sangue escorria nas mãos do moreno e agora no peito do mesmo. Sua respiração estava ofegante, olhos opacos. Um grito segurado.

Mas enfim soltado. Sentimentos misturados, agonia; ódio; dor.

Ao se lembrar disso, guardou a foto no chapéu novamente, era a segunda vez que lembrava disto...
Queria esquecer de tudo e recomeçar a sua "vida" se é que possa chama-lá disso.
 

~Continua~


Notas Finais


E AI? Gostaram? Amaram? Odiaram? Qrem me fzr por coreanos mais doq sofro? ¬¬ ~Não tem como fzr isso e não ser trouxa ;-;~

O motivo de não postar ontem:

Simplesmente pq teve um churrasco na minha casa e eu vivo no sofá com o notebook a frente sendo meu refúgio :v
E como eu posso dizer, o meu pc, ele é frágil e frankstein. ~É... cheio de fitas para não cair e quebrar e... AI KALSETE ESSA COISA CAIU AGORA!~
E tmb ele desliga e qndo tira da tomada :c

E O MEU CACHORRO
Q ANTES EU TAVA COM DÓ PQ, NÃO SEI SE SABEM, MAS EU CAI EM CIMA DELE E ERA PRA ELE TA HOSPITALIZADO PORQ O TAMANHO DA MINHA BUNDA, VEY, NÃO É NORMAL! ~Mas sabemos cuidar de cachorro e... ta tudo bein :v~
Ele, desastrado, passo aqle rabo ventilador e acabo passando no fio da tomada do pc.

EU NÃO TINHA SALVADO O CAPÍTULO
E O MEU PC TINHA REINICIADO, TMB NÃO SALVEI NADA

O CAPÍTULO TAVA LÁ
BONITINHO
PRONTO PRA SE POSTADO
QNDO AQLE SATANSOO EM FORMA DE CACHORRO VEM E DESLIGA TUDO
Escrevi hj de manhã contendo a raiva, mas o pc desligou do nada
SEM SALVAR

~Acho q vou cair em cima do meu cão de novo
Mais forte. E ele vai pro hospital. Ah se vai.~

Manti a calma e escrevi td denovo
sóq eu salvava a cada 5 minutos :v

E esse foi o motivo :v

Espero q tnham gostado \o
Até o próximo cap
TCHAU HONEYS!!! \^^/ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...