História Fake - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sensational Feeling 9 (SF9)
Visualizações 27
Palavras 932
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Escolar, Luta, Mistério, Suspense, Violência
Avisos: Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não esqueçam de comentar o que estão achando de cada capítulo, e de fazer suas apostas com opiniões de quem acham que seja o assassino e porque pensam isso. A cada capitulo, ficara mais claro quem é esse ser anonimo.

Boa leitura!

Capítulo 3 - Capítulo 3


Estava cada dia mais tenso o clima entre os garotos. Não confiavam mais um no outro, tudo e todos eram suspeitos. Não se podia dizer que a amizade entre eles estava acabando, era só que não tinha como ficarem próximos sem saber o verdadeiro culpado das ameaças. 

Era uma segunda-feira, exatamente a 1 mês do falecimento de Zuho, quando os alunos começaram a receber mensagens anônimas também. Em muitas diziam coisas horríveis sobre os meninos, fazendo transparecer que eles organizaram matar o amigo e tinham motivos para isso. Os boatos tiveram repercussão até mesmo fora da faculdade, fazendo com que a polícia se envolvesse. 

O assassino estava realmente querendo se safar e encobrir suas atrocidades. O que foi muito esperto da parte dele, pois caso consiga matar algum dos outros meninos, a culpa vai cair totalmente sobre eles, pois todos estão de olho neles. Não é qualquer um que seria capaz de pensar nisso, só uma pessoa muito esperta....

Por conta de tudo isso, eles estavam quase sendo expulsos da faculdade. Algo deveria ser feito, mas o que? Não tinham nenhuma prova ou pista. 

Youngbin começou a mandar mensagens no grupo, já que não conversavam pessoalmente. 

YB: Ficarmos afastados só vai piorar as coisas 

RW: Para de ser pacífico assim, você sabe que todos somos suspeitos até que o culpado realmente seja descoberto

JY: Concordo 

YB: Mesmo com tantos anos de amizade, vocês desconfiam um do outro? 

CN: Você só vê o lado bom das pessoas, Youngbin. Isso é preocupante, será que é tão difícil enxergar a nossa verdade realidade agora? 

YB: Eu sei que somos suspeitos, mas não precisamos nos afastar assim, drasticamente. Eu vejo o perigo que estamos correndo e entendo o desespero de vocês, mas não é se afastando que as coisas vão se resolver. 

HW: Seu discurso de paz e amor sempre me dá sono 

DW: Gente, eu concordo com ele! Somos amigos acima de tudo. 

TY: Amigos não matam amigos 

DW: Mas não está confirmado que o assassino é um de nós 

TY: Mas também não está descartada a possibilidade de ser um de nós 

Depois da última mensagem de Taeyang, ninguém disse mais nada. Todos estavam mal em estarem afastados.

 

A policia continuava na cola deles. Eram sempre muito rigorosos. No mesmo dia em que eles trocaram mensagens no grupo, foram chamados para depor na delegacia. E foi nesse momento que muito deles deixaram a amizade de lado e só pensaram neles mesmos, por mais que tivessem se arrependido por dizerem tais coisas (pois boa parte era mentira).

A mesma pergunta foi feita todos: “Você desconfia de alguém?”

O primeiro a tentar livrar sua pele foi Jaeyoon.

“O Hwiyoung e o Zuho viviam brigando, mas até hoje não sabemos o porquê já que ambos não comentavam sobre. De todos, ele pareceu ser o menos abalado com a morte de nosso amigo.”

 

Taeyang também não se importou muito aumentar a historia e acrescentar algumas mentiras.

“Youngbin sempre foi que o que fazia todos se reconciliar depois de uma briga. Isso sempre me irritou, e creio que os outros garotos se incomodavam com isso. Depois da morte de Zuho, ele ficou mais irritante ainda, sempre tentando nos unir, às vezes parecia que estava nervoso e com medo de algo. Talvez de ser descoberto...”

 

Mas de todos, Inseong o que mais acrescentou coisas onde não devia.

“Eu particularmente desconfio de todos ali, eles são falsos uns com os outros na boa parte das vezes. Sempre fomos muito próximos, ajudando e apoiando, vivemos muitos momentos felizes ao lado de cada um... Já que vocês querem alguém especifico, então chuto que seja o Dawon. Ele nunca fez nada suspeito, longe disso. Só que ele é alegre demais, digamos assim. Ninguém nesse mundo é feliz desse jeito, parece que ele esconde algo atrás dessa personalidade.”

***

5 meses se passaram, nada de ameaças, nada de mortes. Foi um alívio para todos, mas não por muito tempo. 

Assim que as provas finais terminaram, Rowoon foi o primeiro a viajar, ele nunca perdia tempo e seria ótimo para descansar um pouco a mente de tanto estresse e preocupação. 

Ele estava já arrumando as malas, quando recebeu mensagens. Não teve nenhuma reação, deveria ser algum dos meninos tentando puxar assunto como sempre, mas paralisou quando viu que era o tão misterioso número desconhecido. Deixou o celular cair e demorou alguns segundos para ter coragem em pegar ele do chão e ler o que havia recebido. 

“Por incrível que parece, você sempre foge das minhas armadilhas. Qual o seu problema?” 

“Mas irei resolver isso. Venho aqui dizer que quero que você simplesmente se mate. Não me importa como, só quero que faça isso hoje” 

“Não tente me passar pra trás, porque qualquer deslize eu mato algum dos seus amigos. Ao contrário de você, eles estão totalmente veneráveis” 

“Não ouse espalhar isso, faça tudo sem chamar atenção. Estou de olho em você” 

Rowoon estava pálido por estar tão assustado. Parecia até que o assassino estava ali na frente dele.

Ele não queria tirar sua própria vida, mas se não fizesse isso, quem iria se machucar era seus amigos. O mesmo sabendo que aquilo era só mais uma ameaça, que ele se matando ou não, o assassino mataria todos, resolveu acreditar no que lhe restava de esperança e fez o que havia sido mandado para talvez salvar a vida de todos os outros. 

Ele foi até o banheiro, procurou alguns remédios que sabia a catástrofe que aconteceria se tomasse todos, e antes de ingerir mandou uma última mensagem para os garotos: 

RW: Me desculpem, e obrigado por tudo. 

 


Notas Finais


Twitter: @ImagineSf9


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...