História Fallen Angel - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Namjin, Suga, Vhope
Exibições 99
Palavras 1.871
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aqui está o segundo capítulo, espero que estejam gostando da fic e me perdoem se tiver algum erro de português, boa leitura 💙💙💙

Capítulo 3 - Festa Mortal


Fanfic / Fanfiction Fallen Angel - Capítulo 3 - Festa Mortal

POV Taehyung.

Não recomendo você acordar com dois demônios "em cima" de você. Sério, não é bom.
Você deve estar pensando "como você pode confiar em dois demônios que acabou de conhecer?", pois é, não confio. Mas aquela voz doce e que traz segurança falou de novo, ela disse "vá com eles Taehyung, eles irão te ajudar". Sim, eu pirei, estou seguindo ordens de vozes na minha cabeça. Olha que legal!
- Vocês podiam ter me matado. -falei, só pra quebrar o silêncio. -Por que não fizeram isso?
Senti Yoongi tremendo em uma risada silenciosa.
- Por mim, você ja estaria morto. -Ele disse. -Sorte sua Namjoon estar junto. Você não teria sorte se fossem os outros da Colônia.
(Nota para o leitor : Colônia : como os demônios chamam o lugar de onde eles vinham, em outras palavras : Inferno).
Levantei minhas sobrancelhas para  Namjoon, como se perguntasse o por quê disso.
Ele ficou vermelho. Que fofo.
-Eu tenho meus motivos. - foi curto, Huum ele está escondendo algo.
- Você....- comecei mas ele me cortou.
-Sim, eu sou um Sacrifício, se é isso que você está pensando. Mas não desse jeito, exatamente.
Pude ver a troca de olhares dos dois. Droga, por que sempre tem alguém que faz isso?
Olhei atentamente para o cara que evitou a minha morte. Era alto, magro mas encorpado, com cabelos loiros acinzentados e lábios carnudos, os olhos escuros. Mas nao escuros como os de Yoongi, eram escuros como os meus. Antes que eu pudesse terminar meus pensamentos ele perguntou.
- E como você caiu?
Suspirei. Eu realmente não queria ter essa conversa, era uma coisa delicada, tipo quando você faz alguma coisa errada e tem que contar para seus pais. Mas acho que devia explicações. Não vou falar tudo, apenas meias verdades.
- eu também sou um Sacrifício. -Eles não precisavam saber mais que isso, por enquanto.
Senti a respiração de Yoongi vacilar um pouco. "RÁ, TE SURPREENDI", pensei. Antes que viessem as perguntas, eu me antecipei.
- E como vocês me acharam?
-Fora o estrondo que provavelmente deixou os cachorros cidade inteira com uma puta dor de ouvido? -Yoongi começou.
-Foi o fato de que uma coruja mandou a gente vir atras de você.- Namjoon terminou.
Parei de andar e olhei sério para ele. Mas depois de um tempo voltei a andar e comecei a rir. Ele só podia estar zoando com a minha cara.
- Então, vocês seguem ordem de animais?  - O que eu tava falando? Eu segui uma voz na minha cabeça.
- É sério, era uma coruja preta, e estava segurando isso. - Ele tirou de dentro da jaqueta uma pena longa como de um corvo, só que muito maior. Era uma pena minha.
Lembrei-me dos olhos redondos da ave que ameacei arrancar suas asas.
Eu não podia acreditar. Sério, o que mais pode acontecer hoje?
-Então, para onde vamos? - Namjoon perguntou.
-Acho que sei para onde precisamos ir. Mas primeiro ele precisa de roupas. - Yoongi falou mais a frente apontando para trás das costas, sem olhar para mim. -Nao seria educado chegar só de calças.
-Ei, o que você tem contra o meu look "mendigo do calor"? - Falei, mas ele tinha razão, eu estava literalmente só de calças.
-Vocês podem parar? Eu to ficando encabulado.
Mesmo não enxergando o rosto de Yoongi, pude ver que ele estava rindo.

•••

- Vocês só usam preto? - Perguntei olhando para a pilha de roupas que os dois haviam escolhido para mim.
Yoongi tinha me emprestado sua jaqueta para que eu pudesse esconder os cortes, que já estavam cicatrizando (o que queria dizer uma grande camada de "casquinha" e uma coceira de dar nos nervos), mas ainda estava sem camiseta e sem sapatos, com a calça toda rasgada. Eu realmente parecia um mendigo.
- Não. -Yoongi disse. -Você prefere um azul céu?
Ah, deboche. Que adorável.
- Fico com o preto. -falei.
Estávamos em um brechó de esquina, uma lojinha que tentou ter a decoração no estilo vintage mas acho que exagerou de mais. Haviam sofás de aparência velha, mesinhas de canto com vasos de flores de plástico, os manequins estavam gastos e as roupas com o cheiro de "guardadas a muito tempo", mas era o que tinha.
- Onde é o banheiro? - Perguntei para a nossa vendedora, uma garota baixinha de rosto redondo e cabelos vermelhos. Estreitei os olhos para o seu crachá - Kay.
- N-nos f-fundos. -ela gaguejou.
-Obrigado, Docinho. - Falei só para deixa-la sem graça. Seu rosto ficou tão vermelho quanto os cabelos. Isso fez Yoongi rir.
Fui para trás no pequeno banheiro, e comecei a limpar meus ferimentos e as partes do meu corpo que estavam mais sujas. Ok, aparentavel. Me vesti ali mesmo. Cuecas, que Kay quase teve um infarto só para ir procurar quando Yoongi pediu, meias, camiseta preta, jeans escuros, uma jaqueta preta desbotada e coturnos marrons bem escuros.
Olhei para o meu reflexo no espelho. O que foi que aconteceu? Em um momento eu estava sendo adorado por Deus, havia pensado que finalmente podia estar me encaixando, alguém estava gostando de mim. E no momento seguinte, jogado na Terra e precisando de ajuda de demônios para sobreviver. Pelo menos eu tinha eles, aparentemente Deus estava do meu lado, mas por quanto tempo?
Saí do banheiro. Me despedi de Kay com um sorriso e fui me encontrar com os meninos que me esperavam do lado de fora.
-Voce me deve dinheiro agora. Fora a sua vida e tal. - Falou Yoongi.
-Põe na conta. - Falei.
-Que conta exatamente?
-Aquela que não vou pagar. - Terminei rindo. -E agora, vamos aonde?
Namjoon jogou no chão o cigarro recém acesso que pendia em seus lábios.
- Suga disse que devemos ir para a direita e procurar um letreiro de neon bem grande escrito "Bad Vibes".
-Ela gosta de chamar a atenção. -Yoongi disse.
-Ela Quem exatamente? - perguntei levantando uma sobrancelha.
- Cassie. - Claro, muito explicativo.

•••

POV Namjoon.

Eu realmente não queria falar sobre isso, o passado como ja diz o nome passou, não importa mais.
E graças a Deus ele também não estava muito a fim de falar. (Deus? Sim, eu ainda era fiel a ele. Mesmo depois de tudo).
Estava bem na cara que Taehyung era um Sacrifício. O bem e o mal.
Um anjo não provocaria uma mortal so por diversão. Mas eu também sou um Sacrifício, nos somos mais parecidos do que qualquer pessoa poderia imaginar.
Depois que saímos do brechó seguimos pela rua escura que em alguns pontos tinha a sombra de um adolescente fumando ou alguma prostituta esperando o serviço.O som de televisões nos apartamentos dos arredores e de gatos de ruas eram os únicos que acompanhavam nossos passos.
Cassie era uma garota difícil, não, Cassie era um demônio difícil. Impossível de controlar, muito instável, e principalmente cruel mas faria tudo por dinheiro e uma boa farra. Não sei o que Yoongi poderia querer com ela.
-Olhem! - Taehyung apontou para um letreiro de neon que mesmo longe dava para ver que estava escrito "BAD VIBES".
-Vamos lá, não aceite nada de ninguém e não se separe da gente. -Yoongi falou sério para Taehyung.
Atravessamos a rua e seguimos em direção ao brilho ofuscante, dentro do estabelecimento tocava musica eletrônica em bom som, luzes coloridas e varetinhas de neon ocupavam cada centímetro, estava cheio de fumaça que eu sentia que não era de cigarro e muito menos de máquinas.
-Essas pessoas estão começando a me assustar. -Disse Taehyung com sarcasmo.
-Não te culpo.
-Eu estava sendo sarcástico.
-Aé? -Perguntei. -Eu não.
Por trás de todas roupas justas de lantejoulas, cabelos coloridos e maquiagem que brilha no escuro, haviam demônios sedentos por sangue. Se você reparasse bem poderia ver alguns olhos pretos ou alguns chifres pontiagudos.
Adentramos cada vez mais naquela multidão de roupas bregas, sufocando pela fumaça.
Não foi difícil de achar Cassie, ela estava deslumbrante enquanto deslizava entre as pessoas com seu vestido vermelho "tomara-que-caia", seus saltos agulhas que poderiam matar um vampiro e cabelos escuros esvoaçantes. Mas o que mais me chamou a atenção foi um garoto na qual ela carregava como se fosse um cachorrinho, sério, ele estava em um tipo de coleira prateada de cristais e roupas de cetim como um pijama, só que dourado, que contrastava bem com o seu cabelo rosa.
- La esta ela.- Yoongi falou sorrindo. -vamos atacar. CASSIE!
Ela se virou num giro gracioso e sorriu com lábios vermelhos, pude ver a ponta de caninos pontiagudos e brilhantes.
-SUGA! RAP MONSTER! Quanto tempo docinhos. -Ela falou se aproximando enquanto dava um puxão na coleira para o menino atrás dela andar junto. - E esse aqui? Eu nao conheço você, conheço?
-Esse aqui é Taehyung, nosso novo amigo. -falei
Vi os olhos de Cassie brilharem e o sorriso dela aumentar.
-Tae! Posso te chamar assim? Venha cá me cumprimentar direito.
Eu já sabia o que ia acontecer, eu podia ter impedido, mas seria engraçado ver a reação dele, então concordei com a cabeça como um sinal de encorajamento. Ele andou timidamente em direção dela que o agarrou pelo colarinho e deu um beijo. Taehyung literalmente pulou para trás e a afastou.
Como eu disse, foi engraçado. Mas parei de rir quando vi a expressão de pânico do menino. Eu tinha a sensação de que ele não sabia o que estava acontecendo aqui.
-Ok Cassie, pare, você está deixando o garoto nervoso -Yoongi riu. -precisamos da sua ajuda.
Aquele menino tinha alguma coisa que me prendia.
- E o que eu, uma simples moça, poderia dar a três homens incríveis?
Alguma coisa fora do comum, até mesmo para mim.
-Taehyung não pode entrar no inferno, e nós podemos deixa-lo na Terra, então precisamos de uma de suas pedras. Sabe, para podermos voltar para casa.
- Ah, precisam de mais uma das minhas pedras? -Ela fez biquinho. -Sabe que eu nunca negaria nada a você, Suga. Você sempre foi meu melhor amigo. Mas sinto que nisso não posso ajudar.
- O quê? - até aquele momento eu estava apenas prestando atenção no bonito garoto de pijama dourado (bom titulo para um livro. Não? ok).- Mas nós precisamos mesmo dela, vamos lá Cassie, ajude-nos. Vamos te pagar.
-Sabe, eu tenho ouvido que esse seu amiguinho tem dado problemas para algumas pessoas. -Ela falou apontando para Taehyung. -E estão me oferecendo um bom prêmio pela pele dele. Mais do que qualquer um de vocês pode pagar.
Ela estava se aproximando, a batida de seus saltos no chão eram mais fortes que a música. Começamos a recuar e ela a se transformar, os chifres cresceram e os olhos ficaram totalmente brancos.
- Cassie, você não pode fazer isso, eu sou seu amigo. - Yoongi falou com os olhos arregalados.
Olhei para o menino novamente, ele parecia mais agitado do que antes. Então nossos olhares se encontraram e eu pude ver que realmente tinha alguma coisa errada. Seus lábios começaram a se mover, ele estava repetindo uma única palavra, sem som: "FUJAM" .E como se Cassie precisasse dar uma frase de efeito a essa cena, ela disse:
-Desculpem docinhos. Mas sabem como é... Nunca confiem em um demônio.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...