História Fallen Angel - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Namjin, Suga, Vhope
Exibições 84
Palavras 1.726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo para vocês, espero que gostem, me desculpem se tiver algum erro de português, boa leitura 💙💙💙 e me desculpem por postar tão tarde.

Capítulo 4 - Verdades do destino


Fanfic / Fanfiction Fallen Angel - Capítulo 4 - Verdades do destino

POV. Yoongi.

Já superei. Desde o primeiro momento eu quis matar Taehyung, vê-lo afundar seria divertido, mas Namjoon me impediu. Ok, tudo bem. o cara é legal, como disse, superei o fato de querer mata-lo. MAS DEPOIS DO QUE EU OUVI HOJE, AH CARA, tem como essa noite ficar mais estranha?

•••

A boate está como sempre, estranha. Cassie também. Desde quando anunciamos quem era Taehyung ela ficou com um ar mortal. Eu não entendi o porquê, o que um cara tipo ele poderia oferecer a Cassie?
Traidora, pensei que fosse minha amiga, realmente não posso confiar em ninguém.
-Eu sei que não se pode confiar em um demônio, Cassie. -Falei assustado. Não me julguem, ela causa esse tipo de efeito nas pessoas - mas pensei que pudesse confiar em você.
-Se está tentando fazer eu ficar com pena, pare. -Ela disse com um sorriso doce, o que não coincidia com seus pensamentos assassinos.- Quem tem pena são anjos, e você sabe que eu odeio anjos.
Ela estava se aproximando. Olhei para Namjoon e Taehyung, que recuavam. Comecei a recuar também.
Olhei novamente para Namjoon, que não olhava de volta. Qual era o problema dele? Ele estava com o olhar fixo atrás de Cassie. Que droga.
Mas Taehyung não, ele estava agitado, olhava para todos os lados, provavelmente procurando uma rota de fuga (ou talvez só espantando moscas, acredite, essa boate tem muitas. Nem queira saber porquê). Comecei a fazer o mesmo, duto de ar, não, muito complicado. Porta dos fundos, muito óbvio. O jeito seria correr, cada um por si.
Esses pensamentos ocorreram em menos de um minuto. Olhei para Taehyung e movimentei os lábios o meu plano, se é que pode ser chamado assim. "Corra no dois. Me encontre lá fora", por favor entenda, fiz uma prece para qualquer coisa que pudesse me ouvir. Você deve estar pensando, "que exagero", mas você não conhece Cassie tão bem quanto eu, e quando ela está para matar, ate o próprio Diabo parece um cachorro de madame (ok. agora exagerei).
-Desculpe docinho -ela disse olhando para mim- talvez eu seja gentil e deixe você ser o meu cachorrinho.
Finalizou dando um puxão a coleira do menino atrás dela, pude ver os punhos de Namjoon se fecharem. (???)
-Desculpe você, "docinho" - coloquei todo sarcasmo e nojo que podia nessa pequena palavra. -Mas esse cachorrinho ja tem dono.
Taehyung estava olhando para mim, ansioso. Ascenti. "É agora", pensei.
- Um - sorri e ascenei enquanto me preparava para gritar - DOIS.
UOU! Isso que eu tenho que dizer sobre Taehyung, ele correu para o lado oposto do demônio, pulou sobre o barman e subiu na pequena janela dos fundos em um pulo. Caramba, isso foi bom.
Já Namjoon, cara, ele é retardado? Ele literalmente foi pra cima de Cassie, jogando todo o peso em cima dela.
- VÁ!!! - Foi a única coisa que disse. Então fiz a coisa mais óbvia.
Corri.
-VOCÊ SABE QUE NAO PODE FUGIR DE MIM, MIN YOONGI. -Ouvi Cassie gritar atrás de mim.
Gritei de volta a primeira coisa que me veio na cabeça:
-CALA A BOCA!

•••

POV Namjoon

Ta, eu não prestei atenção na maior parte das coisas que esse demônio falou. Tudo estava girando e aquele garoto ainda me parecia curioso. Então deixei para Suga e seus comentários sarcásticos resolvessem isso. Eu sabia qual era o plano de qualquer jeito, o de sempre, o que eu não ia seguir.
Me joguei em cima da Cassie no dois, e no segundo depois já estava flexionando a coleira do garoto para solta-lo.
-O que está fazendo? -ele disse, a voz dele era doce e salgada ao mesmo tempo. Me aproximei mais para "obter mais força" e pude sentir o cheiro dele: chá, loção masculina e fumaça aromática. Era bom.
-To soltando você.
-Eu mandei você fugir.
-Eu não vou sem você.
Mesmo com todas as luzes coloridas pude ver duas machas no rosto dele.
-Ah, que bonitinho, os pombinhos precisam de privacidade? - Cassie falou se levantando, ela estava diferente e não só descabelada, mas estava realmente se transformando: as unhas dos pés e das mãos cresceram e os dentes começaram a parecer lâminas, só que o mais estranho nisso tudo não foi, bem, tudo. O estranho era que mesmo com todo esse alvoroço as pessoas ao redor continuavam dançando.
-Eu preciso que você cale a boca, Cassandra. -pude ver o corpo dela enrijecer. O passado dói, principalmente para as pessoas que acabaram indo para o mal.
-Ta passando muito tempo com Yoongi- ela riu, um riso amargo.
Coloquei o menino atrás de mim. Ela percebeu.
- Ah, que fofo. Seria uma pena se você estivesse fazendo papel de trouxa.
Pisquei confuso. Por que papel de trouxa?
- Esse menino que você está dando a vida para proteger, não passa de um ventríloquo. -Ela sorriu. - Acho que você nunca conheceu um certo? Você faz o que ele quer que você faça. Não é muito útil em lutas e eles cansam com muita facilidade, mas pode fazer otários ficarem para tentar salva-los. É tipo um charme que ele joga em você. Papel de trouxa. - ela disse essas últimas palavras como se estivesse falando com o presidente.
Senti a mão do garoto agarrar o meu braço, seus dedos longos envoltos no meu pulso. Eu não me sentia controlado, mas como poderia saber?
-Então por que ele não controla você? - perguntei.
-Digamos que nós temos um trato.
- Nos podemos ter um também. Nos saímos e você TRATA de parar de ser uma vadia. - Desculpem. Yoongi é melhor com respostas.
Ela estreitou seus olhos brancos e senti meu corpo gelar. Ah é, esqueci de contar. Cassie é uma demônio de fumaça.
- Está sentindo frio? - Ela sorriu enquanto pulava em cima de mim. Um par de peitos quase à mostra vindo em minha direção.
Empurrei o garoto para o lado antes de ela me atingir, e literalmente começamos a rolar pelo chão, eu tentava loucamente evitar de deixar seus lábios encostarem a minha carne. Demônios de fumaça são tipo vampiros, só que em vez de beberem sangue, eles sugam sua alma (e às vezes o sangue, depende muito).
Podia sentir as unhas pintadas de rosa penetrarem a minha pele, e a dor era de me fazer gritar muitos palavrões.
- Olhe a boca, docinho. Sua mãe não ensinou a ter boa educação. - olha o passado aí de novo - ah sim, você não sabe quem ela é.
- Cassandra, pare! -ouvi uma voz firme dizer. - Saia de cima dele, AGORA! - era a mesma voz, doce e salgada.
Levantei meus olhos e vi o garoto de pé com os punhos cerrados. Senti Cassie se afastar.
- Agora você vai pegar essa coleira, irá prender em si mesma e em um lugar no meio dessa boate, e vai ficar girando. Até cansar, e quando cansar vai continuar girando. - seus olhos encontraram os meus, e devo ter feito uma cara de tipo "que que cê tá fazendo?" porque ele deu de ombros, encabulado. - Sua cadela.
Foi a última coisa que disse, antes de desmaiar. Me levantei, peguei-o no colo e fui me encontrar com os garotos.
Aparentemente, temos mais um viajante conosco.

•••

POV Taehyung

Quais eram meu pensamentos enquanto esperava minha morte? Eram basicamente: SOCORRO, SOCORRO, SOCORRO. Muito másculo, não?
Eu estava tentando procurar uma fuga, quando Yoongi mandou eu fugir, bem, eu consegui, pulei em sacos de lixo atrás da boate e rolei até o chão. Me levantei e comecei a andar para procurar os outros. Quando senti dois pares de mãos no meu colarinho me pressionando contra a parede.
Aparentemente eu não precisava procurar por Yoongi. Ele ja tinha me achado. 
-Fala. Agora. -Caramba, ele é forte.
- Falar? O quê? - me fiz de idiota.
Ele percebeu, nunca fui bom em mentir.
-Vou esclarecer as coisas pra você, Tombado. Meu melhor amigo ficou lá dentro com um demônio sedento por sangue, que era minha amiga e se virou contra nós, tudo isso por sua culpa. - Nossa, acabei de fugir de um demônio que queria me matar, para encontrar outro que também quer me matar. - Eu não estou com muita paciência. ENTÃO ME RESPONDE. O QUE VOCÊ FEZ?
Suspirei.
-Olha cara, eu entendo o que tudo isso é culpa minha. Vamos procurar o Namjoon e aí eu explico tudo, ok?
Eu não sabia se teria estômago (ou chance) pra explicar tudo duas vezes.
- Ok. - ele relaxou. -Mas não pense que eu esqueci.
Ele se virou e foi para a frente da boate. Quando cheguei lá, ele estava realmente irritado, andava de um lado para outro é resmungava sobre como eu era um babaca. Aquele Suga controlado que eu conheci no começo da noite aparentemente tinha ido dormir.
- Cara! Namjoon é forte. Mais forte que qualquer um de nós, ele vai sair dessa. - Falei, em parte porque era verdade, mas principalmente porque  essa andança dele estavam me irritando.
Aparentemente eu o irritei ainda mais.
- Você - ele apontou um dedo para mim. - não sabe de nada sobre ele, nada sobre nós
"Claro que eu não sabia. Acabei de conhecer", pensei, mas resolvi não falar nada. Minha morte já estava certa, não precisava de mais um motivo.
Graças à alguma coisa, Namjoon saiu daquela boate. Com... um corpo semiconsciente??
-Mas o que...? - comecei.
Namjoon chegou próximo à nós, e colocou o garoto, que reconheci ser o da coleira, com cuidado nos nossos pés.
Yoongi olhou sério para ele.
-O que é isso?- ele perguntou.
-Um humano.
- E o que você pretende fazer com ele?
Namjoon pensou um pouco antes de dizer.
-Não sei, talvez vende-lo no mercado negro.
-Você não está pensando em ficar com Ele. Está? Quantas vezes eu vou ter que dizer? VOCÊ. NÃO. PODE. SALVAR. TODO. MUNDO.
-"Ele" não é um cachorro pra gente ficar com ele...
-Ele tava de coleira. -Falei, péssimo erro.
Namjoon olhou para mim de um jeito assassino.
-E você? Nos deve algumas explicações.
-Ah é verdade. Comece a falar. - Yoongi disse. Ele tinha esquecido. Minha chances de sobrevivência foram de zero para menos dez.
Droga! Suspirei e comecei a soltar tudo de uma vez:
- Resumidamente: eu fui treinado para matar demônios. Eu fui treinado para matar vocês.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...