História Fallen Angel - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~biggestrust

Postado
Categorias Barbara Palvin, Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Barbara Palvin, Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Barbara Palvin, Chaz Somers, Christian Beadles, Drama, Justin Bieber, Romance, Ryan Butler, Suspense
Exibições 23
Palavras 1.483
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


VOLTEI PORRA

OI GALERA, TUDO BEM? COMIGO TAMBÉM, OBRIGADO POR PERGUNTAR

O CAP SAIU UM POUCO (MUITO NA VERDADE) ATRASADO PORQUE QUE FIQUEI SEMANAS SEM INTERNET, VOLTOU SÓ AGORA, MAS ENFIM, BOA LEITURA E NOS VEMOS NAS NOTAS FINAIS QUE É PRA LER VIU, BJINHO!

Capítulo 3 - The beginning


Fanfic / Fanfiction Fallen Angel - Capítulo 3 - The beginning

 Leslie Johnson 



 Eu estava caminhando por uma rua escura e deserta, apenas com o som de meus sapatos no chão, a neblina a minha frente dificultava a minha vista ao horizonte, a lua brilhava no céu, observando toda a cidade, passei a andar mais rápido pelas ruas até que um som estrondoso parecido com um grito ecoou por meus ouvidos, parei imediatamente a minha caminhada percebendo que o grito vinha do meu lado, virei a minha cabeça lentamente com os olhos já lacrimejando, tinha um homem, ele estava estocando em uma mulher, que estava gritando por ajuda com suas calças abaixadas e a cara introduzida na parede, não consegui segurar algumas lagrimas de pavor que escorinham por meu rosto, meus músculos estavam praticamente congelados olhando aquela cena traumatizadora, eu só queria sair dali correndo e esquecer o que eu estou vendo nesse exato momento, mas eu não conseguia mexer nada, era como se meu corpo não obedecesse meus comandos. Olhei para a garota que começou a gritar mais quando seus olhos se levaram a mim, me pedindo ajuda, o homem que até então ainda estava dentro dela pegou algo em seu bolso e subiu as costas da mulher com o mesmo, foi aí que percebi ser uma faca, soltei um grito de apavoramente quando a mulher caiu no chão tocindo um pouco de sangue. Eu só queria sair dali, mas quando vi a mulher jogada ao chão com o corpo ensanguentado, aí que meu corpo empacou de vez, o homem tirou um revolver e atirou duas vezes no corpo ao chão: Na cabeça e em sua parte intima, tudo muito rápido, eu sai do meu transe quando o homem olhou diretamente aos meus olhos, agora já conseguindo raciocinar, dei alguns passos a frente começando a correr desesperada, olhava para trás de cinco em cinco segundos, e o homem ainda corria atrás de mim, meus saltos estavam dificultando a minha correria fazendo me tropeçar nos próprios pés, soltei um gemido alto de dor por conta do meu tornozelo quebrado, e comecei a gritar mais ainda quando o homem de capuz que estava parado a minha frente, tirou uma faca do bolso se aproximando de mim pronto para enfiar a mesma em meu coração. 

- Você não podia ter feito isso Leslie, eu preciso da sua ajuda.



 Abri meus olhos assustada por conta do pesadelo que tive a segundos atrás, tentei me lavantar já sentindo fraqueza em meus ossos, acabei soltando um grito alto de dor quando cai novamente no chão me machucando mais ainda, lágrimas de desespero e dor já faziam parte dos meus olhos, por conta de uma dor infernal na cabeça e por todo meu corpo, virei meu pescoço rapidamente observando tudo em minha volta, estava um quarto todo preto e muito escuro, tinha uma janelinha ali que iluminava pouco do quarto por conta da luz da lua. Eu morri? Eu só posso ter morrido e estar no inferno. Passei a olhar para meu corpo, mesmo escuro dava para ver que estava nua, cheia de hematomas e cortes. Flashes dos últimos acontecidos passaram correndo pela minha mente, a boate, o garoto, a escuridão... Justin Bieber havia me sequestrado! 

Me arrastei um pouco até a porta e levei minha mão para a maçaneta tentando abrir a porta, comecei a bater desesperadamente por ajuda enquando as lágrimas desciam pela extenção de meu rosto, me apoiei na parede geleda olhando todo o quarto, agora sim que a minha vida acabou, primeiro meus pais, agora isso, por que isso tem que acontecer comigo? Por que tudo tem que acontecer comigo? Justo comigo? 

Olhei para o quarto e vi em cima de uma prateleira uma toalha, não muito nova mais a peguei para cobrir meu corpo. Voltei a bater na porta pedindo por ajuda ainda mais desesperada, eu não sabia onde eu estava, era apenas um quarto pequeno e escuro com uma janelinha de grades, parecia mais uma prisão ou um quarto reservado no inferno, a segunda opção é mais provável. Dei alguns passos fracos para trás quando percebi a maçaneta girar. Não sei porquê, mas algo em mim ascendeu, como uma chama de esperança, mas nem tudo é assim tão facil. Alguém abriu a porta e pela escuridão só percebi na silhueta de um homem. Mas antes de eu falar algo ou pedir ajuda ele se pronunciou.  

- Hora, hora, hora - ele soltou um risinho - parece que a ratinha imunda acordou - ele riu seco, sem rumor e sem graça. Eu reconhecia essa voz rouca, e esse sorrisinho irônico nos lábios, era ele, o garoto da grade, Justin Bieber! o dono do Club! O que me apagou, e me trouxe para cá, tudo que ascendeu dentro de mim se apagou novamente, a escuridão tomava conta do lugar. Dei passos para trás quando percebi que era o mesmo, isso não podia estar acontecendo. 

- O-que v-você quer de m-mim? -gaguejei um pouco por conta do medo e desespero que tomava conta de mim - 

- O que eu quero de você? - Ele riu alto e deu alguns passos longos até mim, me prensando contra a parede, seu corpo estava precionado ao meu fazendo meu corpo doer mais ainda por conta dos infinitos machucados - Eu não quero nada de você, vadiazinha! Por que eu iria querer algo de uma imunda como você a não ser seu medo e desespero? - ele me encarrou por um tempo esperando uma resposta no meio do silêncio - ME RESPONDE QUANDO EU FALAR COM VOCÊ! - senti apenas meu rosto arder devia ao um tapa e meu corpo ser levado ao chão - Você não vale nada garota, se liga! 

- O QUE VOCÊ QUER DE MIM!? - perguntei novamente juntando todas as minhas forças para gritar, mesmo assim saindo um grito rouco devido as lágrimas e soluços -

- Escuta aqui mini vadia Johnson - Justin se abaixou a minha altura segurando fixamente meu maxilar fazendo aquela parte doer muito, enquanto seus olhos castanhos-mel me encararam friamente - Você sabe quem sou eu? Aposto que não, por se soubesse não estaria gritando comigo, eu sou o dono dessa porra toda aqui, e para de ser mal agradecida por eu ainda não ter te matado! você é apenas mais uma vadizinha de merda aqui, e você não tem direito nem um sobre mim, então da proxima vez que gritar comigo, eu juro que acabo com você! - Ele falou soltando meu maxilar forte fazendo com que eu bata a cabeça na parede que eu estava encostada, ele se levantou e me puxou pelo braço me forçando a levantar, saiu dali me puxando escada a cima pelo braço, que já estava com uma mancha vermelha de tanto que ele apertava, abriu uma porta de um quarto e me empurrou ali pra dentro com força quase me fazendo cair - 

- Então vai ser assim? Eu vou ser sua prisioneira aqui? - Perguntei olhando ele de relance, não queria olhar em seus olhos, não queria que ele me visse chorando, mais uma vez, eu não queria ser fraca, e não iria ser. 

- Não te interessa, você vai ser o que eu quiser que você seja, e é melhor calar a porra da sua boca se não eu coloco outra coisa pra calar, nem ouse berrar, ou tentar fugir - ele apontou pras as enormes janelas - agora você é minha e tem trocentos seguranças la fora só esperando você tentar algo, agora fique bem quietinha anjinho, e quando voltar, penso se faço ou não nada com você! - Ele falou dando uma leve piscada para mim e saiu tirando a chave da porta e trancando a mesma, joguei um travesseiro contra a porta logo depois que ele saiu me joelhando no chão começando a chorar. 

Minha vida estava acabada, eu perdi meus sonhos, meus amigos, minhas esperanças e ainda por cima, perdi meus pais, e dizem que a pior dor do mundo é perder os pais, mas não, a pior dor do mundo é você não ter seguindo em frente, uma coisa que seus pais gostariam que você fissese, mas agora, seguir em frente? Como seguir em frente se você esta três passos longe da ponta de um penhasco, como seguir em frente se a unica coisa que te cerca é a morte? Eu me arrependo de não ter seguido, me arrependo de não der continuado a minha vida, se eu pudesse eu nunca teria ido para aquele Club, nunca teria mentido para minha tia, nunca teria saido de perto da Brooke, porque agora é tarde demais para sequer querer arrumar o passado, e você percebesse isso quando a vida te da um empurrãozinho. 

Agora

Dois passos longe da beira do penhasco.

Seria a morte? 

Isso é apenas um inferno temporario, Deus tem um lugar para mim quardado na melhor parte do céu, a menos que eu seja, bem vinda no inferno.


Notas Finais


Oiiii genteeeee, desculpa mesmo pelo cap pequeno, mas eu estava sem internet e estava tão anciosa para postar pra vcs que postei esse mesmo, no próximo cap eu PROMETO que vai ser bem maior, ok? No próximo capítulo Justin vai contar uma coisinha que não sei se vocês já esperam, mas será bem surpresa para alguns.

O próximo cap sai em breve se minha internet colaborar!

Até mais!!! Bjinhoos.

Twitter: 👉 @FuckBisboring


PS: DESCULPE MESMO SE TIVER ERROS, AMO VOCÊS!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...