História Fallen Angel - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Anjos, Drama, Fantasia, Ficção, Romance, Sobrenatural, Violencia, Yuri
Visualizações 21
Palavras 2.306
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Capitulo 5


Júlia estava completamente constrangida.iria mesmo tomar banho com outra garota??ou melhor dizendo uma anjo??

 

Ariel por outro lado observava cada movimento seu com a incerteza do que fariam estampada em seu rosto.

Júlia nem sabia como começar só sabia que tinha tempo suficiente para aprender.

 

Ao ligar o chuveiro Júlia respirou fundo para o que ia fazer e levando suas mãos as roupas que vestia ela as retirou uma por uma,cuidadosa do que estava revelando aos olhos de Ariel.

Pele macia, lábios doces e rosados uma verdadeira princesa, com sua feição sempre pensativa e distante do presente momento mas que não a fazia parecer uma sonhadora mas sim uma jovem com os pés bem presos ao chão.

Ariel vendo cada peça de roupa de Júlia cair pode reconhecer um pouco de vergonha em seu olhar.

Curvas perfeitas e proporções certas era o que tinha mas sempre se achava muito sem sal e que algo faltava-lhe já quando olhava para Ariel via a garota perfeita.logicamente não entendia o porque mas sentia algo mudar em seu coração.

O quão forte ele batia em sua presença, o quão gélida e molhadas suas mãos ficavam ao conversar com ela e o quão nervosa estava ao puxá-la para dentro deste banheiro agora que estava despida.

Júlia deixou de lado esses pensamentos que tanto gastavam seu tempo e amarrou seu cabelo em um coque feito as pressas e antes que pudesse pensar em Ariel novamente ela já estava nua ao seu lado.

 

Era impossível as duas não se examinarem,um impulso da qual nenhuma delas resistira porem Júlia foi a primeira a se desfazer do transe que entraram com a beleza uma da outra e adentrou com um passo a banheira a sua frente.

 

--vem mas com cuidado.--estendendo sua mão a Ariel Júlia a trouxera para dentro da banheira e as duas de pé naquele minúsculo lugar era algo que as forçava ficarem próximas de frente uma a outra.

 

--é pequeno.—dissera Ariel.

 

--eu sei mas não posso me atrasar.

 

Com a agua a correr dentro da banheira a porcelana da banheira ficava mais lisa e Ariel não pode deixar de se segurar nas mãos de Júlia.

 

--espera um minuto, você não precisa lavar suas asas precisa??--perguntou Júlia e Ariel respondeu dando os ombros porem essa incerteza passou ao ver Ariel abrir seu sorriso e Júlia já previa o que iria acontecer.

 

Abrindo suas asas Ariel quase quebrara o banheiro inteiro derrubando tudo que poderia derrubar e como um passarinho em um chafariz expelia a agua do chuveiro que derramava para todos os lados com suas penas fazendo Júlia sem escolhas proteger-se próximo ao corpo de Ariel e claro não pode deixar de rir de sua brincadeira.

Era um movimento arriscado e Ariel sentira isto.vendo-a tão próximo do seu corpo ela recuou e escorregando levou Júlia a cair sobre ela.

 

Sentir o corpo nu de Ariel embaixo do seu fizera Júlia perder a fala.já não via as grandiosas asas de sua protetora mas sim o seu rosto corado e com aquela expressão paralisada acreditava que Ariel estava sentindo algo por causa da queda.

 

Com certeza era amor,Ariel não via outra opção.nunca imaginara como seria morrer e seu coração quase parou com aquela queda.

 

--te machuquei??--perguntou Júlia preocupada enquanto desfazia daquela posição a se sentar.

 

--machucou.

 

--onde??me diz??—preocupada Julia moveu seu olhar a braços e pernas de Ariel.

 

--aqui.--disse Ariel puxando a mão de Júlia ao seu peito do qual pulsava vigoroso com as batidas de seu coração assustado surpreendendo sua protegida.

 

--(rs) só você mesmo.—retrucou Júlia aliviada já procurando a tampa da banheira e a colocando de imediato controlou a agua que caia na banheira ate a medida que queria.

 

A agua lhe batia um pouco acima dos seios e com a espuma do sabão ajudando a cobri-los ela pode interagir sem nenhuma vergonha evidente com Ariel.

 

Banhar uma garota era bem diferente de dar banho em um garotinho de cinco anos.

Ariel fazia o máximo para ficar quietinha enquanto seus cabelos eram massageados por Júlia com um produto que mexeu com curiosidade como tudo naquela casa mexia.

 

--shampoo?...tem gosto de que??--perguntou ela examinando o frasco sem entender uma palavra.

 

--não é pra tomar nem comer.--retrucou Júlia tomando das mãos de Ariel o frasco antes que sua curiosidade acabasse a levando a testar por si só.

--ok.mergulha.--disse ela dando espaço na banheira para Ariel deitar-se de costas e afundar,retirando todo shampoo de seu cabelo mas ao fazer isso vira a demora de seu retorno.

--Ariel??

 

emergindo de frente a ela Ariel deparou-se com aqueles olhos que tanto fissurava com gosto.

Não compreendia que sentimento era aquele que agora reinava em seu corpo mas queria sentir mais.

Queria unir sua boca a dela assim como vira inúmeros humanos do alto fazer em um gesto apaixonado que sempre a emocionou.era tudo que queria...

 

assim que moveu seu rosto Júlia recuou levando suas mãos a segurar Ariel no lugar.

 

--não Ariel..eu vou me atrasar.--erguendo-se da banheira Júlia falou.

 

Ariel não sabia como definir aquele não recebido.seu sorriso havia se fechado pela primeira vez e de costas a enrolar-se em sua toalha Júlia não vira isto.agradeceu aos céus só assim não transmitiria sua tristeza a ela.

 

Vendo as horas,Julia surtara.

não imaginou que as horas se passariam tão depressa enquanto vestia Ariel como sua boneca.

E o engraçado era que nunca foi muito de brincar com bonecas mas aquela anjinho a sua frente a divertia como nunca antes.

Não era nada extravagante.era algo bem simples, um blusão de frio, uma calça jeans e um par de botas e ao espelho Ariel estava fascinada com o seu eu humano.

 

--eu vou me atrasar!!--desesperada Júlia enfiava seus cadernos dentro da mochila e sentindo a falta de alguns lembrou que havia deixado dentro do elevador.

--eu tô ferrada sabia!meus livros ficaram no elevador e agora não poderei estudar para os testes!

 

--tudo bem.eu posso te levar voando e depois encontrar seus livros.

 

--não.me escuta Ariel,não quero ver você voando pela cidade.vai atrair muita atenção e logo todos estarão falando da anjinho de Nova York e eu não quero isto.

 

--tudo bem.posso ser invisível quando quero.

 

--pelo menos o tempo estranhamente não esta frio como ontem..é como se sua vinda...tivesse afetado o clima deste lugar.

 

–???

 

Saindo de casa Júlia reparou em Ariel a segui-la mas nada falou e ate chegar as escadas estava decidida ir sozinha para a faculdade porem todos aqueles degraus a fizeram repensar.

 

--pode me ajudar a descer mais rápido??--perguntou Júlia temerosa pelo que Ariel iria fazer em seguida já que seu sorriso sempre queria dizer algo.

 

Voltando ao seu quarto, Júlia abriu a janela e pela primeira vez agradeceu por ele ser ligado as escadas de emergência do prédio.

Ultrapassando a janela junto a Ariel Júlia foi pega de surpresa pela sua protegida que com um agarrão a ergueu nos braços e pulou sem pensar.

 

O grito agudo de Júlia fora o motivo de Querubim acordar.

Estava tão cansado mas assim que lembrou de Ariel despertou com um pulo de sua cama.

Arrumou-se o mais rápido que podia e ao sair de seu quarto encontrou Robin tomando seu desjejum.

 

--bom dia.—dissera ela.

 

--ah..bom dia.

 

--servido??

 

--não eu preciso encontrar Ariel.--falou Querubim já a caminho da porta porem seu estomago reclamou de sua atitude.fora um barulho alto que arrancou uma riso de Robin.

 

--se eu fosse você eu escutava seu estomago.--disse ela convidativa ao retorno de Querubim a mesa e foi isto que ele fez.

 

****

 

Ofegante nos braços de Ariel Júlia descia seus pés de volta ao piso.aquela sensação de adrenalina ainda corria pelo seu corpo tremulo e era muito bom, nem ao menos conseguia disfarçar seu sorriso e aquilo para Ariel era a melhor recompensa que poderia ganhar naquele dia.

 

--sabe que terei que ir com você não é??—disse Ariel acompanhando sua caminhada.

 

--não posso levar você para a faculdade Ariel.

 

--sou seu anjo da guarda é meu dever te proteger!não há um dia sequer que eu não tenha ficado longe de ti e nem sei o que aconteceria caso isso acontecesse!!

 

–ok!...acho que não terá problema se você for mas nada de mostrar as asas!

 

Saindo do beco onde pousaram Ariel e Júlia partiram juntas e mesmo que Querubim apressasse seus passos ate o prédio mal sabia ele do desencontro.

 

--procuro por uma pessoa.ela é minha amiga e veio visitar alguém chamada...Julia! Uma moradora deste lugar.--ansioso pelo encontro com Ariel Querubim ofegava no balcão da portaria ao terminar de falar,deixando o jovem magricela porteiro pensativo ao que iria dizer.

 

–...ela mora sim e acho que ainda esta em casa já que não passou por aqui. Décimo terceiro andar.use as escadas.--disse o porteiro abaixando seu olhar para pegar sua caneca cheia de café e no outro instante ao retornar seus olhos ao saguão reparou estar sozinho novamente.

 

--deus o livre.—dissera ele assustado a procurar pelo rapaz.

 

De treze lances de escadas Querubim chegou ao andar de Júlia em segundos e nem ao menos estava cansado.era um anjo rápido em batalha e não seria aquele prédio que o faria suar.

Ajeitou sua blusa, o cabelo, ate respirar fundo para bater na porta do apartamento.

Seu sorriso quase fechara ao não ver que era Ariel atender-lhe a porta.era um homem com cara de sono ainda.

 

--pois não??—dissera Cesar a bocejar.

 

--procuro por..

 

--Julia??

 

--ela saiu agorinha com uma amiga ate a faculdade.--disse Cesar mas somente Querubim sentia o peso daquelas palavras.

Novamente estava distante de sua amada.

 

****

 

Ariel nunca vira nada parecido como a cidade de Nova York.havia movimento constante não importava para que lado olhasse.tanta gente diferente, tanta vida.ate perdia o rumo ao lado de Júlia tendo a garota tê-la que arrastá-la para o caminho certo.

Como recompensa Júlia contou tudo sobre Nova York a ela e Ariel a ouvia e prestava tanta atenção que perderam a noção do tempo e do deslumbre que tinha daquele pedaço do mundo.  Júlia lhe contava tantas historias entusiasmada que para Ariel era impossível não assisti-la em silencio, algo que tirou Julia completamente do papel de guia turística de sua anjo da guarda.

 

--o que foi??estou sendo chata ou (rs) falando demais??

 

--...não.gosto de te ver assim.

 

Julia enrubesceu e calou-se diante disto.Ariel estava mesmo apaixonada por ela???sua timidez a pegou de surpresa e ate chegarem na faculdade elas apenas caminharam e desfrutaram da companhia uma da outra.

 

O lugar impressionou Ariel.o grande prédio era rodeado de um belo verde, com suas arvores fortes e bem cuidadas. Uma tranquilidade e um lugar perfeito para por a mente em pratica.

Muitos grupos de jovens da mesma idade de Júlia já entravam no local ansiosos pelas aulas do dia e Júlia era uma delas contudo..

 

--você consegue voltar sozinha pra casa??--perguntou Júlia notando o sorriso de Ariel se fechar.

 

--sei mas não posso deixá-la sozinha!

 

--eu sei você é minha...--sem terminar sua frase Júlia reparou nas pestes e patricinhas que se acercavam.

eram sempre as mesmas a lhe incomodar.por não falar com ninguém??por não ter amigos??por não esta na moda assim como elas??todos os dias os mais diversos argumentos estas soltavam e sempre voltava pra casa completamente acabada com tantas criticas. Dava graças a deus por seu curso ser bem diferente do de moda da qual frequentavam mas era inevitável certos encontros na aula de publicidade.Nicole era seu verdadeiro problema as outras duas Mika e Melanie eram só bonequinhas de seu grande teatro.as MMs como se denominavam.

 

--apenas volte Ariel.por favor.--falou Júlia forçando a anjinho andar e seguir caminho de volta para casa mas Ariel não queria estar longe dela e muito menos faria isto.

 

--Julia sabe que não posso ficar longe de você!eu tenho que estar ao seu lado sempre.

 

--não aqui Ariel!!--falou Júlia começando a se irritar mantendo seus olhos fixos ao trio que caminhava diretamente a elas.

 

--o que serei se não atender o que meu coração anseia fazer Júlia?!é meu dever e devo respeitá-lo sendo sua..--antes de terminar o seu angustiado pedido Ariel teve sua boca selada pelas mãos geladas de Júlia mas era tarde demais.Nicole havia chegado no momento certo que a pegara tampando a boca de Ariel enquanto esta ainda murmurava palavras que não compreendia.

 

--(rs) vejam só...Julia tem uma namorada.--disse Nicole a fitá-la fundo em seus olhos criticando com um único olhar toda sua existência.

 

--ela não é minha namorada.--retrucou Júlia a Nicole e seu desinteresse para qualquer coisa que dissesse.

 

--é claro que é.esta negando a ela um beijo em publico!--disse Mika arrancando um sorriso de Nicole.

 

--essas enrustidas!a cada dia que passa me surpreendo mais com a capacidade delas.--falou Melanie continuando de onde Mika havia parado.talvez um jeito de agradar a sua diva Nicole.

 

--(rs) fique tranquila Júlia não estamos mas na inquisição.—disse Nicole dirigindo seus passos ao enorme prédio levando consigo suas ´´amiguinhas``.

 

Retirando suas mãos gélidas que agora estavam quentes como em uma tarde de verão sobre a boca de Ariel,Júlia deparou-se com o olhar confuso de sua protetora.

 

--o que ser namorada??e por que não sou a tua??—perguntou ela inquieta e o semblante confuso.

 

--porque é minha amiga e anjo da guarda.uma amante não é algo que quero agora.

 

--posso ser a sua quando desejar??!

 

--(rs) eu preciso ir Ariel.—falou Júlia a se despedir, e que triste despedida fizestes.Ariel não podia simplesmente partir e em um dos degraus sentou na frente da faculdade.esperaria por ela pela eternidade se fosse preciso mas para sua sorte o anseio de ver seu amor era mais intenso.

Circulando o campus a encontrou facilmente, pois em sua sala ela sentara próximo a uma grande janela e de sobre uma arvore Ariel a vigiava.

 

Queria apenas um pingo daquela atenção, daquele sorriso, daquele carinho que pela manha ganhara dela.

Seu coração se alimentava de sua alegria e seu corpo estava enfermo de desejo.como curar o incurável??


Notas Finais


para quem curtiu não se esquece de comentar pessoal.^^
bjs e ate a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...