História Fallen Angel - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Anjos, Drama, Fantasia, Ficção, Romance, Sobrenatural, Violencia, Yuri
Visualizações 18
Palavras 3.075
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Capitulo 6


encontrando Robin na loja de roupas a trabalhar Querubim estava desolado.sentimento esse antes nunca vivido e que precisava compartilhar.

Sua dor pelo desencontro ainda o perturbava ainda mais tendo em mente que Ariel poderia se encontrar em qualquer lugar daquela cidade.

 

--ela não estava lá Robin!o homem que atendera a porta me falou sobre uma faculdade??!o que ser isto??ela esta com problemas??!--desesperado Querubim perguntou não permitindo Robin ultrapassá-lo com sua montanha de roupas em mãos.

 

--faculdade??quantos anos tem a sua garota Querubim??(rs) não se preocupe no final da tarde ela deve estar por ai.agora me deixe trabalhar.--falou Robin.aos olhos de Querubim ela parecia irritada.não entendia porque.

 

--o que te fiz??—perguntou ele.

 

--nada Querubim.nada!—disse ela tentando desviar dele porem uma dança se iniciou.

 

--é logico que há algo!

 

--é que as vezes eu só uma burra.abriguei um homem do qual não sei de nada e agora tenho que ajudá-lo a resolver suas questões amorosas!(rs)—irônica ela falou,depositando as roupas em um balcão.

 

--eu já disse.te ajudo no que precisar e pelo visto precisa descansar.

 

--como??ainda tenho que pagar minhas contas sabia!--terminando de falar,Robin notou seu sorriso antes de se dirigir ao gerente da loja.

 

Eles conversaram por simples segundos e Querubim parecia contar uma boa historia a ele pois de imediato ele acenou com a cabeça aceitando o que falara,um susto para Robin.

Voltou ansioso e com um sorriso alegre no rosto.retirou as roupas que Robin segurava e a puxou para um passeio.

 

--Querubim??o que esta fazendo??—preocupada Robin perguntou.Querubim a puxava para fora da loja e isto a confundiu.

 

--tudo bem.(rs) você se preocupa demais.falei com o seu superior sobre seu..stress. uma pessoa importante como você ficasse doente prejudicaria a loja por dias.ele então me deu permissão de acompanha-la em um passeio.

 

--(rs) nem ferrando que conseguiu isto??(rs) é...surpreendente!o modo como consegue convencer as pessoas..

 

--aonde quer ir??

 

--bem..isto é Nova York!!eu já fui em todos os lugares possíveis daqui porem o meu preferido é o central Park.

 

--esta falando daquela pequena floresta no meio da cidade??

 

--(rs) é um parque muito bonito.gosto de refletir minhas burradas as vezes por lá.

 

--por que você escolhe um lugar que te traz paz e felicidade consigo mesma para pensar nos erros de sua vida??vocês misturam dor e serenidade??

 

--como assim vocês??vai me dizer que nunca errou??

 

--não...nunca.

 

--mentira!(rs) com o que trabalha??

 

--eu?ah eu protejo as grandes muralhas do Paraiso. Nunca em toda minha existência deixei um caído ou ceifador sequer tocar em nossos muros.—disse Querubim orgulhoso porem havia deixado Robin deveras confusa.

 

–....então você trabalha no ramo de segurança ou coisa do tipo??—perguntou ela.

 

--guerreiro para ser mais exato.

 

--bombeiro??...ah policial?!

 

--(rs) sou..guerreiro.

 

Adentrando ao parque Robin reparou num sol bem quente e bem diferente dos dias frios que a cidade andava tendo.

Era um sinal que seu passeio não seria em vão.

Não demorou muito para ela perceber mais gente que assim como ela estavam surpresos pelo tempo que mudara e largavam seus roupões de frio para uma bela caminhada.

 

--o tempo ultimamente tem estado bem louco...

 

--talvez seja apenas o bom deus alegre.(rs) me preocupei tanto com Ariel em sua vinda ate este lugar que...me esqueci de que não estamos sozinhos mesmo que todos pensem que desertamos.

 

--ela..é muito importante para você não é?dá pra ver no seu rosto quando fala dela.(rs) dá ate para descobrir se esta pensando nela ou não por ele..não se preocupe com o que os outros vão pensar de vocês agora.preocupe-se com o seu coração.se ele continua batendo forte por ela é porque vale a pena.

 

--ela é a única pessoa que me entende por completo e eu não quero falhar com ela.nem sei como ela irá reagir se souber que estou aqui.e se ela me odiar?!se ficar zangada!?

 

--hey (RS) ela não vai!se um cara vinhesse atrás de mim do jeito que você fez,só com a cara e a coragem eu ficaria lisonjeada.imagine como ela deve estar se sentindo em uma cidade onde conhece apenas uma pessoa.ela vai ficar feliz em lhe ver.

 

--engraçado..eu nunca fui tão inseguro como agora e quando estou com você..

 

--quando esta comigo..

 

Querubim não entendia o que sentia..Robin  o compreendia e apesar de suas tristezas era ela quem lhe fortalecia em suas recaídas.não havia temores de sua parte ao lado dela sem contar que era inquietante o fato da bela mulher ter tanta paciência com ele.agora entendia a admiração de Ariel pelos humanos.eram verdadeiramente extraordinários.com ela não sentia-se desamparado mas pronto como no paraiso.

 

de repente Robin teve a bolsa roubada por um homem encapuzado e diferente do semblante calmo de Querubim ela estava enlouquecida de raiva e correu para pegar o tal ladrão.

Porem Querubim não entendera muito bem o que ela pretendia com aquilo já que sua velocidade nem se comparava com a do homem.

 

Ao mover seu olhar para Querubim,Robin surpreendeu-se por não vê-lo mais em suas costas a correr e sim com uma súbita ventania ultrapassá-la alcançar o ladrão.

O homem sentira alguém se aproximar então virou-se pronto para socá-lo no rosto.

Querubim porem não deixaria se pegar tão fácil desviou do soco com uma cambalhota e com um agarrão no tornozelo do homem ele assim que erguera seu corpo fez o mesmo a suspender o ladrão apenas com uma das mãos.

 

Robin paralisou seus passos perplexa. O ladrão remexia-se de cabeça pra baixo enquanto que Querubim exibia seu belo sorriso sem se preocupar com o peso que segurava.

 

--como você..—bobamente Robin encarou aquela visão pálida e imóvel.

 

--(rs) não devia??—retrucou Querubim preocupado.

 

recuperando sua bolsa Robin fez Querubim soltar o ladrão e o levou para o mais isolado lugar do parque que havia encontrado.

 

--o que você é exatamente??!ergueu um cara com apenas uma das mãos!!

 

--eu já disse.sou um anjo!

 

--anjo??

 

--ah agora me lembrei.vocês humanos são descrentes de palavras.melhor eu lhe mostrar.--disse Querubim retirando seu casaco e blusa.

 

Aquele físico malhado a sua frente deixou Robin sem fala e ate receosa do que ele faria, se estava se despindo tão sem pudor e despreocupado por fazer aquilo no parque o que faria com ela?o nervosismo tomou de conta dela.

 

Assim que sua camisa foi retirada por completo um par de asas saltaram de suas costas.

Não se comparavam aos dos pássaros que já vira na terra,essas tinham uma beleza única. Esbranquiçadas em um tom de gesso Robin conseguia ver em meio as penas que constituíam as asas de Querubim uma cor dourada desenhada perfeitamente em letras das quais nunca vira ou entendia porem ainda era magnifico.

Os olhos de Querubim brilhavam assim como os dela fascinados pelo momento.o brilho do sol ao tocar o corpo daquele homem enaltecia-o e era possível ver ate uma áurea sobre ele,algo tão magico e intenso que Robin não podia negar.

 

--esquisito.--disse ela apenas para surpresa de Querubim que muito esperava outras palavras.

 

--sério mesmo?--desapontado ele perguntou pensando no que poderia surpreender Robin se nem o que amostrara a ela surtira efeito mas Robin estava mais do que impressionada apenas nervosa demais para admitir.

 

Querubim era um anjo dos mais lindos e se apaixonar por um anjo não era algo de sua lista.

Enquanto ele se vestia Robin encheu-se de curiosidade sobre aquela criatura a sua frente.

O rodeou inúmeras vezes o examinando ate que focou sua atenção as costas de Querubim.

Não havia marcas, nem cortes, nada que pudesse provar que dali acabaram de sair um par de asas e aquilo muito a intrigou.

 

--tirou sua camisa por que sabia que rasgariam suas roupas?—perguntou ela mas de fato já sabia a resposta.

 

--é..elas são bem fortes e eu não queria estragar as roupas que você escolhera para mim.—dissera ele a sorrir e ela corou.

 

--pode me contar como fez isto??

 

--claro.

 

--gosta de chocolate quente??

 

–...o que ser chocolate quente??

 

durante todo o resto da tarde Querubim e Robin permaneceram em uma pequena lanchonete próxima do parque.sobre suas mesas um copo de chocolate quente para cada e muito papo para tratar.

Robin tinha uma curiosidade inacabável sobre o paraíso, o céu e o descanso eterno. todos tinham nomes diferentes mas representavam a mesma coisa.

Era a primeira vez que Querubim sentia-se tranquilo ao conversar sobre algo que sabia bem e agora deixava as surpresas e semblante pasmo para Robin que lhe escutava atentamente a cada pergunta respondida.

 

--wow..isso é um belo boom na sociedade atual.só falta me dizer que demônios também existem.(rs)--falou ela a brincar porem no rosto de Querubim uma seriedade a assustou.

--não pode tá falando sério.—dissera ela fechando seu sorriso.

 

--(rs)...não é algo que deva se preocupar.não os vi por aqui.

 

--agora você está me assustando mesmo.então quer dizer que você é um anjo protetor das muralhas do paraíso, combatente de demônios e que veio atrás de sua amada Ariel que também é um anjo porem um anjo da guarda.(rs) se eu não tivesse visto suas asas diria que isso é uma grande loucura!

 

--(rs) eu nunca mostraria minhas asas a alguém se não confiasse nessa pessoa.por isso peço segredo do que viu.

 

--tudo bem.isso não vai ser problema.agora me responda uma coisa..sua amiga Ariel por que ela escolheu descer a terra?

 

--Ariel é um caso serio para mim.soube que houve um acidente no prédio de sua amiga.com certeza ela não perdera tempo assistindo Júlia se machucar ou morrer.

 

--entendo.corajosa ela.

 

--sim.todos os humanos ganham um companheiro para toda vida.os anjos da guarda são muito ligados aos seus protegidos e tem a obrigação de acompanhá-los ate a fase adulta. Porém Ariel e Júlia é um dos poucos casos que ainda restam.muitos anjos da guarda já não acham necessário proteger os humanos na fase adulta e se fazem é pela mesma paixão que Ariel cultiva por Júlia.

 

--não acha que isto será um problema?

 

--do que esta falando?

 

--se Ariel gosta tanto assim de Júlia..não acha que ela voltaria..voltaria??

 

descendo os degraus da faculdade Júlia como sempre teve os livros derrubados por Nicole embora isso estragasse seu humor tivera uma grande surpresa ao encontrar-se com Ariel a sua espera.

 

--pensei que tivesse ido embora...

 

--eu não poderia.--falou Ariel abaixando-se e recolhendo os livros para Júlia.

 

Júlia achou um gesto encantador contudo os olhares de Nicole e suas MMs a julgar Ariel pelo que fazia a convenceram do contrario.

 

--você não devia fazer isso Ariel.

 

--porque não?(rs) me sinto ótima a ajudando.

 

--Nicole...

 

--sua amiga??

 

--ela..não é minha amiga.--irritada Júlia retrucou tentando tomar os livros das mãos de Ariel mas não conseguira.a força dela era maior que a sua e nem Ariel se esforçava para competir com Júlia de quem era mais forte.

 

--então não se importe com o que ela pensa.--falou Ariel tão calma que parecia que sua intriga com Nicole não valia as noites que perdera o sono e ela tinha razão.a deixou levar seus livros e mesmo sob o olhar de Nicole e seu grupinho Júlia a esquecera em sua ida de volta pra casa.

 

--ficou todo esse tempo me esperando??

 

--não foi um problema.adorei te ver entretida em sua aula.

 

--o que?mas como?!

 

--eu subi em uma arvore.

 

--(rs) é muito trabalho apenas para me ver.

 

--nada é tão trabalhoso para lhe ver...--Ariel falou e como sempre estava encantada pela beleza de Júlia.

 

A noite caíra rápido e com o longo caminho ainda pela frente Júlia entretia bem Ariel com historias sobre o mundo onde tudo era novo demais para ela porem ao caminharem próximos aos becos escuros que a cada esquina deparavam-se com o vazio e a escuridão Ariel sentiu todo seu corpo gelar e um sentimento deprimente corroía seu coração.

 

Não muito longe dali Querubim sentia o mesmo.já haviam saído da lanchonete quando ao dobrar a esquina ele e Robin perceberam um silencio incomum.

Apenas o som ensurdecedor do silencio inquietava seus ouvidos a profundidade tenebrosa da loucura.

Já Robin não entendia como uma rua movimentada como de Nova York pararia assim de uma hora para outra.

Não demorou para descobrirem um estranho motivo.

Havia transito mas congelado assim como as pessoas dentro de seus carros, haviam pedestres porem duros feitos manequins nas calçadas.poderia ser uma pegadinha aos olhos de Robin mas ao tocar em uma mulher inevitavelmente seu toque a desequilibrou e como uma boneca caiu ao chão dura.

 

--(rs) Querubim...o que é isso?--perguntou Robin voltando seus passos ao anjo que atento a cada detalhe daquela cena macabra apenas a acolheu em seus braços.

 

Ele sentia o que viria no mesmo momento que olhara para o relógio de Robin em seu pulso.seu ponteiro estava travado assim como o tempo naquela rua.

 

Ariel por outro lado se via curiosa com o chamado e sussurro a ecoar daquele beco e toda sua escuridão.algo permanecia encolhido no canto deste e sua sombra era mais densa que o escuro a sua volta.

Nada que assustasse Ariel pois o escuro não temia mas Júlia ao contrario dela via todo o cenário morto a sua volta e era angustiante ser a segunda coisa viva naquele lugar.tudo havia paralisado. Estático e silencioso.

 

--Ariel..tem alguma coisa errada..--disse Júlia nervosa porem Ariel sentia a necessidade de saber o que era aquilo.não era humano então o que seria??

 

***

 

--temos que sair daqui.o mais rápido possível!--disse Querubim sem perder tempo e nervoso puxando Robin pela mão seguindo pela rua ao invés da calçada.ela não entendia seu medo mas pelo jeito que ele desviava dos carros a olhar para trás a incentivara a andar o mais rápido que podia.

 

--Querubim,do que estamos fugindo?!!--com a pergunta de Robin ele surgiu a frente deles estremecendo o chão.

 

Fora impossível não parar diante do manto negro daquela criatura e de suas asas negras com as poucas penas restantes a cair entre os ossos expostos.

Era um ceifador,Querubim conhecia bem sua laia e não entendia como poderia ter um logo ali.

Seus pés descalços e de pele azulada davam seus primeiros passos em direção a eles enquanto Querubim escondia Robin em suas costas a recuar.

Pelo que conhecia sobre ceifadores sua visão era parcialmente cega e pelo jeito que ele farejava sobre suas cabeças Querubim via que era apenas uma questão de tempo dele lhe identificar como anjo mas enfim estava decidido que iria proteger Robin custe o que custar.

 

--fique longe dela criatura maligna!!--gritou Querubim e com um rosnar de puro ódio do ceifador o anjo recebera um forte golpe que o levou a chocar-se com um dos carros estacionados ao lado da calçada lhe tirando do caminho ate Robin.

Por sorte o carro estava vazio pois o impacto de Querubim fora esmagador para o carro.

 

--corre Robin!!--com uma voz puxada causada pela dor que sentia Querubim gritou a Robin para se afastar dali e ela mesmo contra seu pedido o fez,correu entre os carros sendo seguida pelo destruidor ceifador.

 

Querubim tentou erguer-se porem suas costelas machucadas quase arrancavam as lagrimas que nunca derramou para tal feito.

 

****

 

Júlia não esperou por mais, avançou alguns passos ate Ariel quando em sua impaciência viu o enorme vulto atacar sua protetora puxando-a para a escuridão do beco antes que pudesse segura-la.

nada pode fazer além recuar e cair sentada ao chão.

Ariel soltara suas asas e pela pouca luz daquele beco Júlia via o confronto pelas sombras refletidas na parede ao fundo.

Pareciam dois cachorros de rua a brigar.entre gemidos de dor de Ariel e gemidos inquietantes de tremendo horror Julia assistiu a tremer.

Ariel segurava firme os pulsos daquela criatura montada sobre ela como também fixava seus olhos no vazio escuro dentro daquele capuz.

Não via absolutamente nada mas com aquelas unhas sujas tentando alcançar seu rosto Ariel o jogou sobre algumas latas de lixo e tinha força para isto só não via motivos para brigar.

Aquela criatura parecia tão obcecada por ela que resolvera apenas fugir levando consigo Júlia em seus braços para um voo.

Assim que saíram daquela rua sentiram a diferença de tempo voltar e com isto a rispidez de Júlia ao querer descer daquele passeio pela cidade.

 

--me desce.—disse ela inquieta nos braços de Ariel.

 

--não..já estamos chegando.--nervosa Ariel falou.não conseguia voar sem tirar os olhos de sua retaguarda verificando se estava sendo seguida por aquela coisa.

 

--me desce Ariel!!--persistente Júlia falou raivosa e Ariel descera sobre o topo de um prédio qualquer pelo caminho.

Estavam sós embora Ariel e Júlia movessem seus olhares pelo horizonte em busca da tenebrosa criatura sem vê-la.

 

--o que era aquilo??

 

--eu não sei.

 

--como assim não sabe?!o que era aquilo Ariel!??—insistiu Julia nervosa por uma resposta.

 

--eu não sei,juro!

 

--uma coisa como aquela não pertence a este mundo Ariel!

 

--nem ao meu..

 

Escondida detrás de um dos carros Robin observava aquela criatura, temendo que esta a avistasse enquanto voltava ate Querubim para ajudar-lo.algo que ele reprovava absolutamente.

 

--o que esta fazendo?saia agora desta rua!—pediu ele em sua dor.

 

--não sem você.--puxando Querubim Robin o ergueu e apoiou seu braço sobre seu ombro.ele era pesado e seus passos diminuíram o ritmo de sua pressa.

--vamos lá.estamos quase fora do quarteirão!

 

--eu nunca senti uma dor dessas..

 

--(rs) você não esta mais no céu querido.

 

--mas preciso lutar.--disse ele com vigor ate sentir a pontada de dor em sua costela.

 

A criatura não demorou para ouvi-lo queixar-se e segui-los não foi uma tarefa difícil.

Abrindo caminho pela pista,o ceifador empurrava os carros como se fossem de brinquedo na sua frente para desespero de Robin e Querubim.

 

--espere.--disse o anjo soltando-se da moça.

 

O ceifador em seu desesperador ataque correu e com aquela terrível visão Robin fechara seus olhos.

Porem Querubim abrira suas asas e em sua espera as preparou para o combate.

Com o monstro apenas alguns metros dele já erguendo sua mão para pegar-lo,o anjo movera sua asa e o acertou com um potente corte em seu pescoço de suas afiadas penas que o fizera virar pó.

Ao redor ninguém entendia o que acontecera e nem porque a bagunça no trecho daquela rua.

 

O barulho logo voltara, transito, vozes, tudo parecia normal aos ouvidos de Robin e ao abrir seus olhos ela encontrou Querubim a observando.

 

--o que esta fazendo??—perguntou ele curioso a ajudando se levantar.

 

--o que fez com aquela coisa?—perguntou  ela verificando tudo a sua volta com seu olhar arregalado.

 

--ele se foi..não se preocupe.

 

--eu fiquei com tanto medo.—disse ela abraçando-o,uma atitude estranha para Querubim porem envolveu seus braços ao redor da moça e a acalmou tendo em mente apenas uma pergunta..o que uma coisa daquelas fazia ali?


Notas Finais


cadê minha galera dos comentários??quem gostou já sabe ein kkk bjs e ate a próxima.~~~<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...