História Falling Fast - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Joshua Kimmich, Manuel Neuer, Toni Kroos
Personagens Toni Kroos
Tags Toni Kroos
Exibições 39
Palavras 1.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vocês estão vendo o jogo do bayern?? Não consigo confiar no Ulreich.
Boa leitura 💙

Capítulo 5 - Novas amizades


Fanfic / Fanfiction Falling Fast - Capítulo 5 - Novas amizades

 • Toni Kroos

 

Beijar a Natasha me fez sentir um pouco de culpa. Jessy estava em casa grávida, ela confia em mim e eu estou aqui beijando outra. Mas eu não conseguia resistir aquele beijo. Eu deveria contar para Nah sobre minha esposa, mas fiquei com medo de perdê-la. Ela tem um beijo tão envolvente, que quando eu me dei conta eu já estava em cima dela quase arrancando suas roupas.

- Me desculpa, acabei me empolgando - sorri sem graça e voltei a me sentar.

- Tá tudo bem! Se eu não quisesse, eu teria parado - sorriu.

Depois que ela falou isso, minha vontade era continuar com aquilo, mesmo estando na areia da praia. Mas apenas lhe dei mais um beijo.

- Como tá o Leon? Você falou com ele hoje? - ela perguntou.

- Falei com ele ontem à noite pelo facetime. Ele está ótimo, está crescendo tão rápido. Estou morrendo de saudades do meu pequeno, já faz mais de um mês que não o vejo.

- Imagino que deva ser bem difícil para vocês.

- É mesmo!

- Toni, sem querer ser chata, mas onde está a mãe do Leon? Você nunca me falou dela. Com quem ele fica na Alemanha?

Puta que pariu! Por que ela teve essa ideia estúpida de me perguntar sobre a mãe do Leon? Isso só pode ser um teste para me fazer sentir culpado por estar mentindo para a Jessy e para a Natasha. Fiquei um tempo pensando, mas eu não sabia o que responder.

- O Leon fica com os avós dele. E sobre a mãe dele, podemos não falar sobre esse assunto agora?

- Você sabe que pode confiar em mim, não sabe? - confirmei com a cabeça - Se algum dia você se sentir bem para falar sobre ela, eu estarei aqui - me deu um selinho.

Natasha estava sendo tão compreensiva comigo, enquanto eu estava mentindo sobre ser casado e amar minha esposa. Pelo menos eu acho que amo. Estou meio confuso, porque eu sempre amei a Jessy, mas desde que conheci a Nah, meus pensamentos sempre estão nela e quando nos vemos sinto borboletas no meu estômago. Nos conhecemos a dois dias, mas já me sinto tão confortável perto dela. Talvez eu esteja confundindo as coisas. Talvez eu ache que estou me apaixonando, porque ela salvou minha vida. 

- No que você tanto pensa? - Nah perguntou me tirando dos meus pensamentos - Se é sobre o que eu falei, me desculpa, não era minha intenção te deixar triste.

- Relaxa! Só estou um pouco cansado. - ela assentiu e voltou seu olhar para o mar - Nah, você tem um coração muito bom, você podia ter me deixado morrer aquele dia, eu sou o "inimigo". Por que você me ajudou?

- Quando eu me formei em medicina, eu fiz um juramento, que é salvar vidas, não importa se é amigo ou inimigo, isso é o que eu amo fazer - ela sorriu e eu automaticamente fiz o mesmo.

- Você é incrível!

Observei o sol, que estava começando a sumir no horizonte. A noite estava prestes a chegar. Puxei a Natasha para mais perto e começamos a assistir juntos ao por do sol. Olhei para ela e vi que a mesma tinha um sorriso nos lábios. Sorri também ao ver a cena e puxei ela para um beijo.

- O que a gente tá fazendo, alemão?

- Apenas curta o momento.

Desci os beijos para o pescoço dela e acabei deixando um chupão no local. Preferi parar por ali mesmo, porque meu amigo lá de baixo logo começaria a dar sinal de vida e não podíamos transar na areia da praia sem nenhum tipo de proteção.

- Toni, está ficando tarde. Eu preciso ir! - começou a se levantar e se ajeitar.

- Okay! - me levantei - Amanhã podemos nos encontrar aqui no mesmo horário? 

- Claro. Até amanhã, então.

Ela veio me dar um beijo na bochecha, mas eu virei meu rosto e dei um selinho nela.

- Boa noite! - falei sorrindo.

- Dobryy Vecher! - ela falou. Eu não fazia ideia do que aquilo significava, mas provavelmente era "boa noite".

Aos poucos fui vendo Natasha ficar mais longe do meu campo de visão. Voltei para meu abrigo rapidamente e me joguei na minha cama suspirando, estou me sentindo um adolescente. Eu estava pegando no sono quando senti alguém me cutucar. Cocei meus olhos e vi que era o Kimmich.

- O que você quer, Kimmy?

- Vim te chamar para jantar.

- Okay, obrigado!

Me levantei e fui para o refeitório. Me sentei junto com o Joshua e Manu, que estava em silêncio.

- Toni, onde você estava hoje à tarde? - Manuel perguntou.

- Sai para fazer uma caminhada.

- Entendi.

Começamos a comer e eu viajei nos meus pensamentos. Tudo o que vinha na minha cabeça era a imagem da Natasha me ajudando na praia. Fui despertado dos meus pensamentos quando três mulheres se aproximaram da mesa que eu estava com Manu e Joshua.

- Será que nós podemos sentar com vocês? - uma loira com um jaleco branco perguntou.

- Claro! - Manu respondeu.

As garotas começaram a conversar com eles e eu continuei calado, apenas com meus pensamentos. Até que uma moça de cabelos castanhos bem compridos me chamou.

- Você tá bem? - ela me perguntou e todos da mesa voltaram o olhar para nós.

- Estou sim, só estou pensativo - involuntariamente sorri de canto.

- Deixa eu adivinhar, o soldado está apaixonado! - essa moça era vidente, não é possível.

- Ele é casado - Kimmy falou.

- Então você deve amar muito sua esposa.

- Sim... - concordei e olhei para baixo.

- Espera, tem outra mulher no seu caminho? - a moça perguntou e todos aguardavam minha resposta curiosos.

- Você por acaso é vidente ou algo do tipo? 

- Infelizmente não sou vidente, mas sou psicóloga e se você quiser compartilhar seus pensamentos com alguém, é só você me procurar na ala médica - isso era tudo que eu precisava agora.

- Eu adoraria ter uma consulta - respondi.

- Ótimo! Meu nome é Ana, pode me procurar amanhã depois do café.

- Obrigado!

Começamos a conversar sobre assuntos aleatórios. Até que ficou apenas eu e Ana na mesa.

- Acho que não posso voltar para o meu quarto agora - falei quando vi que o Manuel estava saindo do refeitório com uma amiga da Ana.

- Também acho, a Heide estava de olho no seu amigo já faz tempo. E a Anelise estava de olho em você, mas quando você falou que era casado, ela já desistiu de tentar te pegar.

- Que bom!

- Se você quiser dormir essa noite, você pode pegar um colchonete e colocar no meu quarto, mas você vai ter que aguentar as fofocas femininas, porque a Heide está com o seu amigo, mas a Anelise continua lá.

- Okay, obrigado!

Fomos até um local que ficavam várias coisas e peguei um colchonete. Levei até o quarto das mulheres e arrumei no chão. Anelise estava sentada na cama junto com Ana enquanto as duas comentavam sobre alguns soldados que elas acham bonito.

- Toni, você não quer contar para gente sobre a mulher que está fazendo seu coração bater mais rápido? - Anelise perguntou e Ana concordou.

- Eu conto se vocês me prometeram que isso não vai sair daqui, nem mesmo meus amigos podem saber quem é essa garota.

- Nós prometemos - falaram juntas.

Me sentei na cama junto com elas, para que eu pudesse falar mais baixo e ninguém que passasse do lado de fora escutasse.

- Há dois dias atrás, eu estava caminhando pela praia e acabei cortando meu pé, fiquei sentado na areia da praia e provavelmente eu iria morrer ali. Mas... Uma médica russa apareceu, no começo ela ficou com medo de mim, mas depois me ajudou e me levou para o abrigo russo - as duas me olhavam surpresa.

- Você passou uma noite no abrigo russo? Você perdeu a noção do perigo? - Ana me repreendeu.

- Era isso ou eu morria. Enfim, deixa eu continuar. Acabamos nos beijando e combinamos de nos encontrar no outro dia, no caso hoje. Passei a noite inteira de ontem pensando nela e hoje mais cedo quando nos encontramos meu coração disparou. O problema é que eu sou casado, tenho um filho e minha esposa tá grávida, e a Natasha é russa.

- Essa Natasha deve ser um anjo, porque eu sou médica e se encontrasse um russo ferido, eu sairia correndo - Anelise falou.

- Toni, você precisa pensar bastante sobre isso, porque pode ser que você só esteja atraído pela Natasha, porque ela te salvou, mas se você perceber que não é nada disso e você realmente está gostando dela, fale sobre sua esposa. E a sua esposa também merece saber sobre isso.

- Vou pensar. Obrigado, Ana!


Notas Finais


Desculpa a demora, gente, mas fim de ano é foda.
Ontem fez um ano que eu vi o Götze, bateu uma saudades 💔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...