História Falling Fast - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Toni Kroos
Personagens Toni Kroos
Tags Toni Kroos
Visualizações 86
Palavras 1.160
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Até agora não to acreditando no que aconteceu com a chape, ainda tá doendo muito e se preparem, porque no dia da tragédia eu estava muito mal e escrevi um capítulo extremamente bad para essa fic. Ainda falta alguns capítulos antes...

Capítulo 7 - Piquenique


Fanfic / Fanfiction Falling Fast - Capítulo 7 - Piquenique

• Toni Kroos  

 

Depois que enviei aquela mensagem, fui procurar a Ana. Cheguei em frente ao quarto dela e a vi saindo.

- Ana, olha isso - mostrei a tela do celular para ela.

- Você já falou sobre a sua esposa grávida?

- Não...

- Toni Kroos, você é um imbecil. Você tá fazendo essa mulher criar expectativas, ela está se apaixonando. Mulher apaixonada é uma tristeza, a gente deita na cama antes de dormir e fica horas criando uma vida perfeita na nossa cabeça.

- Eu falei que vou contar e vou contar, só não é o momento certo ainda - falei e ela me olhou com olhar de reprovação.

- Só espero que depois você não se arrependa - Ana falou e em seguida saiu andando.

Voltei para o meu quarto e fiquei pensando no que fazer. Decidi contar para Natasha hoje mesmo, algum momento eu teria que fazer isso, então decidi fazer já. Mandei uma mensagem para ela:

 

"Oi, Nah! Tudo bem? Precisamos conversar, podemos nos encontrar hoje na praia?"

 

Não demorou muito para que chegasse sua resposta:

 

"Oi, alemão! Eu to bem e você? Hoje não vou conseguir sair daqui, jaja vão chegar alguns soldados com ferimentos graves e vou ficar ocupada até tarde. É algo importante?"

"Também estou bem! Não é nada sério, podemos conversar outra hora. Boa sorte com seus pacientes. Beijos!! <3"

 

Depois que enviei essa mensagem, bloqueei meu celular e joguei em cima da cama. Eu tentei contar para ela, mas não deu e achei melhor assim, não é um bom momento para contar toda a verdade. Tenho medo que ela acabe com a nossa "relação", ela provavelmente não aceitaria ser minha amante.

Às vezes eu penso em me separar da Jessica, mas eu ainda a amo. Não parece, mas amo. Estou apaixonado por duas mulheres ao mesmo tempo, eu nem sabia que isso era possível, mas infelizmente é o que está acontecendo comigo, estou totalmente atônito.

Acho melhor eu ter certeza dos meus sentimentos antes de falar para a Jessica ou para a Natasha, porque posso acabar arrumando uma grande discussão atoa. Acho melhor eu falar para a Ana e para Anelise, que está tudo acabado entre nós, e manter esse segredo apenas para mim e Natasha.

 

• Natasha Sokolova

 

O tempo tava passando, Toni e eu não estávamos nos encontrando na praia com tanta frequência devido à correria, mas não parávamos de trocar mensagens. Acho que ainda é cedo, nos conhecemos a apenas um mês, mas já estou apaixonada por ele e isso é um problema, porque nunca teríamos um relacionamento normal. Se meu pai soubesse da existência do Toni, provavelmente ele estaria morto.

Hoje Toni e eu vamos nos encontrar na praia, ele disse que tem uma surpresa para mim e eu estou extremamente curiosa para saber o que é. Parece que o dia não passa nunca e justo hoje que eu gostaria de passar o dia inteiro cuidando de feridos, não tivemos nada para fazer.

 

Algumas horas depois, o tempo finalmente passou e eu já estava a caminho do local combinado. Sai do meu dormitório e já estava começando a escurecer, me certifiquei de que ninguém estava me vendo e fui para a praia. Andei bastante até avistar Toni.

Ele estava sentado na areia da praia com um pequeno lampião nas mãos. Quando ele me viu, veio correndo até mim e me deu um beijo.

- Boa noite, Nah!

- Boa noite, alemão!

- Vem, quero te mostrar uma coisa.

Toni pegou as minhas mãos e me guiou para uma parte mais afastada do mar, até chegarmos em uma área que tinha uma graminha baixa. Vi que no meio de algumas árvores tinha uma toalha de piquenique com algumas comidas, que eu não faço ideia do que sejam, e ao lado uma barraca pequena, apenas para dois.

- Bom, você já me apresentou a culinária russa e agora é a minha vez de te apresentar um pouco da culinária alemã - ele falou enquanto puxava minha mão para que eu sentasse.

- Okay!

- Primeiro, vamos começar pelo Käsespätzle. - ele pegou uma bolsa térmica e tirou um pote - Isso é macarrão com queijo e cebola assada.

Toni pegou um garfo e me deu um pouco.

- Isso é muito bom! - falei e peguei o garfo em suas mãos para dar uma garfada naquele prato maravilhoso - Tudo na Alemanha é perfeito? - falei e ele sorriu.

- Eu sou! - falou rindo e eu acabei rindo também.

- Não posso negar.

Continuamos comendo e agora era a vez da sobremesa, que é minha parte preferida, já que eu amo doces. Ele tirou de uma outra bolsa térmica um doce extremamente bonito, tão lindo que não dava nem vontade de comer para não estragar. Tinha morango, groselha e framboesa por cima.

- O que é isso? - perguntei.

- Isso é um doce bem popular na região que eu nasci, o nome é Grütze Rote e é basicamente um pudim de frutas vermelhas. E como você já me disse que ama morango, não podia ser outra sobremesa.

- Eu já disse que você é incrível? - falei e ele riu me entregando o doce.

Comi aquilo e é extremamente bom, eu comeria isso todos os dias da minha vida até minha morte. Depois que comemos, organizamos tudo e fomos para a cabana. Toni se deitou e me puxou para deitar em seu peito. Apoiei minha cabeça no local e comecei a fazer carinho e dar alguns arranhões fracos. Ficamos conversando por assuntos aleatórios durante bastante tempo e provavelmente já se passava das nove e meia da noite.

- Toni, nós vamos dormir aqui?

- Sim, a não ser que você não queira.

- É seguro? - perguntei.

- Acho que sim, estamos no meio do nada, cercados por árvores, ninguém vai nos encontrar aqui. E vou passar três dias na Alemanha essa semana, então acho melhor você ficar para compensarmos meus dias fora.

- Okay, me convenceu - falei e depositei um beijo em seu peito.

Depois disso ficamos nos encarando e um silêncio desagradável se instalou. Eu conseguia ouvir o barulho das ondas quebrando lá fora e a respiração pesada do Toni ao meu lado. O silêncio logo foi quebrado quando ele me puxou para cima de si e me beijou. Ele começou a deslizar uma de suas mão pela minha cintura até chegar na minha coxa, enquanto a outra estava segurando meu pescoço. Fui parando o beijo lentamente com alguns selinhos para evitar que aquilo ficasse mais sério.

- Toni, acho melhor pararmos por aqui, não temos preservativo e eu não tomo anticoncepcional desde que vim para cá.

- Na verdade, eu sempre ando preparado - ele falou enquanto tirava alguns pacotes de camisinha do bolso com um sorriso divertido no rosto.

- Onde você conseguiu isso?

- Na ala médica - ele terminou de falar e logo já começou a me beijar.

 


Notas Finais


Para o próximo capítulo, eu tenho um hot pronto, mas eu tenho um pouco de vergonha de postar, porque sou um desastre com hots. Mas, a escolha é de vocês, posto ou não?

Espero que estejam gostando da fic 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...