História Falling In Love - Capítulo 10


Escrita por: ~ e ~Juba_Dark

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Ash, Beemo "BMO", Cake, Finn, Fionna, Jake, Marceline, Marshall Lee, Mordomo Menta, O Lich, Princesa Jujuba, Principe Chiclete, Príncipe de Fogo, Rainha Gelada, Rei Gelado
Tags Bubbline, Gumlee
Exibições 94
Palavras 3.314
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hooooooy
Sorry a demora master e.e
Queria agradecer a todos vocês que favoritaram essa fic, isso me motiva a escrever.
Esse cap é meio comprido pra compensar a demora...
Bom, falei que nesse cap iriam ser as memorias de bubbline a serem escritas, mas vou falar um pouco das memorias de Gumball tbm u.u
Enfim, boa leitura! <3

Capítulo 10 - 10 - Lembranças - parte II


      Enquanto isso na caverna

                 (P.O.V Gumball) 

Acordei sentindo meu corpo pesar, minhas mãos e pernas doiam muito. Suspirei e abri os olhos devagar, sentindo um pequeno feixe de luz incomodar meus olhos. Após abrir os olhos por completo me lembrei da noite anterior, lembrei de Jake me raptando, Marshall e Flame se batendo e depois tudo ficou escuro. Me mexi um pouco e vi cabelos rosados abaixo de meus pés. Bonnie. Me rastejei até ela e tentei sacudi-lá com meus ombros amarrados.

- B-Bonnie... Bonnie acorda! - Falei baixo sentindo meus olhos marejados 

- M-marcy... - Ela disse manhosa mas logo se desesperando

- G-gumball! 

- Ahh! Graças a Deus estamos bem! - Nos abraçamos de maneira desajeitada e nos desamarramos 

- Como viemos parar aqui? - Ela perguntou confusa enquanto prendia seus longos cabelos rosados em um coque gigante 

- Jake me trouxe, então Finn e Fiona a trouxeram - Disse de forma tediosa 

- Sabia que algo de ruim iria acontecer com a chegada daqueles dois! 

- Bom, temos que sair logo daqui!

Tentei me levantar mas logo cai um pouco zonzo. Bonnie me segurou e gritou algo como "Por quê fez isso com ele?" e logo adormeci. Meu corpo parecia duro como pedra, minha cabeça doía muito. Só senti um pouco de alivio quando as mãos quentes de Bonnie afagaram meus cabelos. Relaxei e deixei-me ser guiado para o mundo dos sonhos. Na verdade, mundo das lembranças. Só conseguia pensar em Marshall, em como ele provavelmente estaria fulo da vida por terem me levado. Meu corpo foi ficando cada vez mais leve como se meu corpo estivesse boiando no oceano.

 

Flashback/Sonho On:

Eu estava no meio da floresta todo confuso e cheio de medo, tinha ido longe de mais do castelo. Comecei a chorar desesperadamente com medo de algum animal me devorar ou alguém malvado me machucar. Senti algo pousar em meus joelhos e de alguma forma, me senti seguro. Olhei o pequeno morcego de olhinhos vermelhos e funguei. A presença daquele ser era tão familiar, como se desde que eu vim ao mundo, ele estava comigo (Autora: se bem que foi o que aconteceu e.e). Sorri minimamente, mas tornei a chorar quando vi raposas se aproximarem. Agarrei o pequeno ser o esmagando em um abraço, tentando me livrar do medo de morrer. E aquele medo se foi quando o pequeno morcego ficou do tamanho de uma casa espantando as raposas. 

Após aquele dia, incontáveis vezes fui para a floresta afim de encontrar o "Menino Morcego" . Eu dizia que ele era meu "Anjo da guarda" mesmo ele dizendo que era meu "Demonio da guarda". Os meses foram passando e eu entendi melhor o que era aquele menino. Após os anos se passarem, comecei a olhá-lo com outros olhos. Me apaixonei pelo meu "Demonio da guarda". Marshall sempre ia no meu quarto no castelo tocar uma de suas musicas em seu "Baixo-machado" me fazendo relaxar. Um certo dia, no auge de meus 14-15 anos, roubei um beijo de meu demonio amado. Fiquei com medo de sua reação e me afastei pedindo desculpas de mil maneiras, mas ele ignorou todas essas e reiniciou um beijo. Um cheio de amor e desejo. Marshall se confessou da maneira mais fofa, sua confissão me deixou atônito, mas depois me apaixonei ainda mais depois de ouvi-la

- Bubbs, você não sabe quanto tempo esperei por isso! Desde seu nascimento eu cuidei de você, ti protegi das pessoas más, dos animais perigosos e até de seu pai quando ele tentou abusar de você. Sou seu demonio do guarda, sou seu melhor amigo e me atrevo até a dizer que sou seu amor. Então, Bubbs... - Ele tirou seu colar do pescoço e colocou no meu- Te peço que me deixe continuar a seu lado, te protegendo de tudo e de todos, e me deixar ser seu verdadeiro amor... por mais demoniaco que eu seja! - Ele sorriu fraco

- Eu te amo, Marshall Lee! - Deixei minha lagrimas escorrerem livremente e ele as secou, me beijando suavemente 

- Eu tambem te amo muito, Gumball!

Flashback/Sonho Off 

 

Acordei sendo sacudido pela Bonnie e me levantei com um ar choroso. Bonnie percebeu o motivo de minha aflição e me abraçou. Com certeza ela não estava diferente de mim, ela e Marcy tinha uma relação mais forte que a minha e de Marshall. Retribui o abraço e ouvimos alguém entrar na caverna dando gargalhadas roucas e maléficas. Jake. Me afastei minimamente de Bonnie e ela suspirou entendiada.

- Own, não, por favor, continuem com o showzinho de irmãos abandonados e aflitos HAHAHA 

- Vá embora, Jake! - Bonnie disse nervosa

- Ahh poxa... só por quê eu vim dar uma dica de como sair dessa caverna? 

- C-como? - Eu disse um tanto curioso e esperançoso 

- Bom, é muito simples! Deixe os irmãos vampiros para os irmãos loiros e vocês podem voltar ao seu reino! 

Jake disse rindo logo em seguida. Bonnie e eu nos entreolhamos palidos, não podíamos acreditar em tal oferta. Tramaram tudo aquilo só para que os gemeos loiros ficassem com os gemeos vampiros. Meu sangue ferveu só de imaginar Finn tentando algo com Marshall, ou Fiona tentando algo com Marceline. Bonnie estava prestes a gritar de novo, mas me mantive calmo e disse firmemente.

- Não iremos fazer isso, e mesmo se fizéssemos, os vampiros iriam continuar a nos amar e vice&versa. Então, querido Jake, sugiro que pare de tentar separar o que está unido desde o meu nascimento! 

Jake arregalou os olhos levemente pela minha ousadia e me deu um soco na bochecha esquerda que atingiu levemente meu labio inferior. Como ja estava sentado, apenas deitei pelo impacto do golpe. Jake estava vermelho de raiva. Bonnie me ajudou a sentar e limpou o sangue que estava escorrendo da minha boca.

- Não diga que não tentei ajudar, rosinha!

Ele olhou para Bonnie e sorriu maliciosamente. Segurei firme em seus braços e o encarei como se dissesse "não se atreva a encostar nela". Mas isso não intimidou Jake, só o atiçou ainda mais. Havia esquecido que ele era um cachorro magico (por mais que andasse em forma de homem de uns 30 anos), e esticou seus braços fazendo um tipo de corda e amarrou Bonnie tirando -a de perto de mim. 

- Larga ela, Jake! 

- Foi mal, não vai dar - Sorriu cinico e saiu da caverna. Senti um liquido em minhas pernas e só então percebi que ali havia uma silhueta feminina ali, ela sempre esteve ali. A sombra sorriu de forma maligna mostrando seus dentes pontiagudos e eu adormeci novamente.

 

(P.O.V Bonnie/Jujuba)

Estava com os nervos a flor da pela. É certo afirmar que estou com muito medo, mas precisava encorajar Gumball. Não entendia o porquê dessa insistencia toda pra ter os irmãos vampiros. Jake havia me tirado de perto do Gumball e me levou pra um tipo de casa abandonada me jogando num quarto imundo. Ele riu e saiu de lá trancando portas e janelas.

- Droga.... 

Não me contive e me desatei a chorar. Odiava ficar sozinha, odiava ficar sem Marceline. A morena sempre dormia comigo ou simplesmente passava pela minha janela pra ver se estava tudo bem. Adorava seu jeito atencioso de ser, eu a adorava. Me encolhi no chão abraçando meus joelhos, senti meus longos fios rosados se desfazer do coque e cair pelos meus ombros e parte de minha bochecha. Sem perceber, adormeci. E enquanto soluçava minha mente foi se transformando num crivo onde minhas lembranças de quando era pequena vinham a tona. E no meio dessas lembranças, uma em especial me chamou a atenção: Quando conheci a rainha vampira. 

Flashback/Sonho On

Era uma noite um tanto tempestuosa. Minha mãe, a rainha, estava dando a luz ao meu irmãozinho Gumball. Varios medicos vieram para acompanhar e auxiliar no nascimento do pequeno principe. Me tiraram do quarto pois minha mãe estava gritando desesperadamente com dor e acharam que isso poderia me causar algum transtorno futuramente, então me tiraram do quarto. No final do corredor havia uma janela imensa (quase como uma sacada), fiquei lá observando as gotas cairem de maneira bruta no solo, os raios e trovões (autora: entendedores entenderão) despencando do céu causando um barulho estrondoso era de certa forma relaxante. Me ajoelhei ali e observei tal cena. Fazia algumas orações pedindo que minha mãe ficasse bem e que meu irmãozinho nascesse saudavel. 

Fui tirada de meus pensamentos quando ouvi diversos gritos que diziam "A rainha não pode ter morrido!" Senti meu coração falhar uma batida e me desatei a chorar. Fiquei daquele jeito por poucos minutos, até que senti algo pousar em meu ombro. Olhei um tanto desanimada com os olhos inchados de tanto chorar para meu ombro e vi um pequeno morcego me olhando de forma curiosa. Acariciei sua cabeça um tanto receosa e disse gaguejando por conta dos soluços.

- A-a-a r-rainha m-m-morreu, a-amiguinho... 

O pequeno ser saiu de meu ombro e começou a voar envolta de mim e me levantei observando seus movimentos. O morcego voou para o andar de cima e eu o segui. Sem perceber, já estava em meu quarto e vi o morcego pousar em minha cama. O olhei confusa e de maneira sobrenatural, o morcego se transformou numa linda moça de cabelos longos que iam até o chão e tão negros como a noite. Arregalei os olhos espantada e com medo, estava prestes a sair do quarto quando senti a mesma segurar meus pequenos bracinhos frageis. Tornei a chorar e tentei soltar meu braço, mas era impossivel.

- P-por favor, n-não me m-machuque! - Implorei 

- Shhii... Eu não vou ti machucar. Vou ti proteger! 

- C-como? - A olhei confusa limpando meus olhos e ela soltou meu braço, só então percebi que a mesma flutuava.

- Isso mesmo que você ouviu - Ela disse um tanto rude, o que me fez franzir o cenho- Bom, lamento pela morte da rainha. Tambem sou uma rainha, e como voc~e ainda é uma princesa, vou ti proteger!

- Você é uma rainha? - Meus olhos brilharam e um sorriso gigante se formou em meus labios, mas logo se desfez ao lembrar da morte da rainha de Ooo.

- Sou a rainha dos vampiros!  

- VAMPIROS? - Gritei e ela tampou meus labios rindo baixinho, uma risada que magicamente me acalmou.

- Sou. Vou cuidar de você, estar ao seu lado até eu cansar. Coisa que talvez não aconteça... Hoje a noite foi tensa, não acha melhor dormir? 

Sua pergunta soou de forma doce e gentil, seus labios finos um tanto escuro, sua pele palida e gélida, suas presas que não se continham nos labios fechados, e aqueles magnificos par de olhos vermelhos que me faziam perder a noção do espaço tempo, eram de certa forma encantador. Ela era a rainha dos vampiros, mas parecia uma deusa. Corei levemente ainda com os olhos marejados e pedi receosa.

- V-v-você.... d-dorme c-c-c-comigo? - Desviei o olhar pro chão sentindo suas mãos em meus cabelos um tanto longos. 

- Claro, Jujuba!

- Meu nome é Bonniebel! - Disse fazendo um biquinho involuntário enquanto cruzava os braços.

- Jujuba vai ser seu apelido, combina com você! Não gostou...? - Ela disse um tanto tristonha e eu corei mais um pouco

- N-n-não... Gostei de jujuba - Sorri sincera e ela me pegou em seus braços, me levando para a cama flutuando. - É tão legal voar! - Disse empolgada e ela sorriu

- Então vamos voar!

 Ela disse enquanto me girava flutuando pelo quarto e eu ria abobada pela sensação de leveza. Enquanto ela girava seus cabelos negros formaram um tipo de muro negro ao nosso redor e eu corei fazendo um perfeito 'o' com os labios. Comecei a acariciar seus cabelos me senti cansada, então me abaixei colocando meu rosto em seu pescoço e meus braços envolta do mesmo enquanto ela segurava minha pernas pequenas. Fiquei ali me embriagando com seu cheiro doce até que adormeci e nos deitamos na cama. Ela ficou mexendo em meus cabelos enquanto cantava uma musica, uma musica tão perfeita que não queria dormir só para poder ouvir mais daquela voz. A morena pareceu ler meus pesamentos, pois beijou o alto da minha cabeça e disse suavemente.

- Ainda estarei aqui quando acordar, jujuba! 

Assenti e me encolhi em seus braços frios e aconchegantes. Meu nariz ficou no pescoço da morena e minhas pequenas pernas abaixo de seu busto. Assim adormeci, envolta nos braços da rainha vampira. Marceline cumpriu sua promessa de me proteger e estar ao meu lado quando eu precisasse. Diversas vezes a vampira entrava no reino em forma de morcego pra ficar comigo, me dar banho e até me educar. Ela se tornou minha mãe, rainha e o amor da minha vida. Por volta dos meus 13 anos, percebi o quanto estava perdidamente apaixonada pela rainha vampira. Essa que sempre me cumprimentava com um pequeno selar nos labios e me abraçava com amor, sempre perguntava como foi meu dia na escola, se eu precisava de ajuda nas lições de casa e coisas assim. 

Quando eu completei 15 anos de idade, sai com meu irmão mais novo Gumball pra brincar no parquinho que havia no palacio, como era de dia, Marceline não podia vir, mas tinha certeza que a mesma estava observando cada passo que eu dava. Gumball e eu nos divertimos bastante, brincavamos de diversos jogos e brincadeiras aleatorias. Depois de poucos minutos outros principes e princesas apareceram para brincar também. Foi a melhor tarde que tive naquele reino. Mesmo ja sendo adolescente, adorava brincar naquele parquinho. 

A noite ja caía e os principes e princesas se despediram dos anfitriões pois tinha que se arrumar para a festa de logo menos. Empolgada, eu saia saltitando para voltar para dentro do palacio, até que Gumball me chama de forma receosa e eu o olhei confusa. Antes de ir até ele, olhei para uma arvore e vi Marceline em uma arvore ali perto, então sorri e acenei, logo depois percebi que tinha um morcego em seu ombro, a olhei confusa e fui falar com Gumball.

- O que foi, Gummy?

- É... queria te falar uma coisa... - Ele disse um tanto corado e isso foi o suficiente pra eu pensar mil coisas- Eu... meio... que...

- Fala logo, Gummy! - Disse um tanto impaciente

- Eu... tenho um anjo da guarda! Bom, um demonio da guarda... - Ele disparou e eu fiquei tipo " @_@ "

 - C-como? 

- Queria te apresentar... - Ele estendeu a mão e o morcego que estava no ombro de Marceline pousou na mãos de Gumball.- Esse é Marshall Lee, o rei dos vampiros! 

Então o morcego se transformou num lindo rapaz de cabelos negros como a noite, olhos vermelhos como sangue, pele palida como papel. Se ele é o rei dos vampiros, e a Marceline era a rainha, e a semelhança tremenda entre os dois era clara, só podiam ser irmãos. Meus olhos brilharam e eu sorri de forma meiga esticando uma das mãos. 

- É um prazer conhecê-lo, Marshall Lee! 

- Me chame só de Marshall, ou Marsh, como preferir! -Ele disse sorrindo pegando em minha mão e logo a soltou flutuando envolta de mim.- Como você mudou Jujubinha! 

- Vocês ja se conhecem? - Gumball perguntou incredulo e um tanto enciumado 

- Não, Gummy. É a primeira vez que nos vemos, mas com certeza Marcy falou de mim, não é, Marsh? - O olhei e rimos cumplices

- Sim, jujubinha! - Rimos alto e Gumball ficou confuso.

- Ahh... falando nela, desce ai, Marcy

 Marshall disse e logo a morena apareceu me abraçando por trás beijando o alto da minha cabeça e eu sorri. Logo depois das apresentações, Marshall fez a mesma coisa com Gumball e nós quatro sorrimos. Nos arrumamos e fomos para a festa que seria para comemorar meus 15 anos. Como quis fazer uma festa enorme para chamar tanto as demais realezas, como os pebleus, fiz a festa na praça central do reino doce. Lá estava cheio de pessoas brincando, comendo, bebendo, se beijando e dançando como se não houvesse amanhã. Me divertir bastante. Horas depois de muita farra e bagunça, a festa chegou ao fim. Não me aguentava em pé, então Marceline me levou no colo até o quarto (o que ja tinha virado costume) e me sentou na cama.

- Se divertiu, Bonnie? - Ela perguntou enquanto tirava meus sapatos e os arrumava no closet 

- Muito, Marcy! - Disse sonolenta.

- Eu tenho um presente pra ti dar! - Ela disse simples enquanto voltava a se ajoelhar na minha frente. 

- Não precisa, Marcy... de verdade - Disse me despertando e corando um pouco

- É algo simples, espero que goste!

 Ela me entregou uma caixa de tamanho médio. Abri a caixa com um sorriso largo nos labios e retirei da caixa uma camisa de uma banda que Marceline havia me lavado no chão, eu disse que havia gostado muito e pelo visto ela quis me presentear. A abracei pelo pescoço de forma desajeitada e logo me afastei abraçando a camisa.

- Eu adorei, Marcy! 

- Tem mais uma coisa na caixa... 

Ela disse sem graça e eu sorri confusa. Olhei na caixa e havia uma pequena caixa avermelhada, senti minhas bochechas queimarem um pouco e abri a caixa um tanto receosa. Abri a caixa e lá havia um colar com um pingente em formato de coração, mas la só havia uma metade. Peguei o colar com cuidado e o ergui olhando seus detalhes. Marcy me ajudou a colocar o colar em meus pescoço, o que foi meio dificil pela quantidade de cabelo que insistia em cair no meu pescoço, impedindo que o colar fosse fechado. Mas logo depois de muito esforço e risada, ela conseguiu fechar o meu colar e logo retirou o que havia em seu pescoço, unindo-os, fazendo com que o coração ficasse completo.

- M-marcy....

- Eu te amo, Bonnibel! - Ela disse simples e sorriu acariciando minha bochecha, e logo senti meus olhos marejados

- Eu também Te amo muito, Marceline! 

Ela sorriu e se aproximou receosa. Ela ainda estava ajoelhada, então foi se aproximando aos poucos. Senti meu coração falhar uma batida, e sem perceber, tomei seus labios em um beijo calmo, que logo foi correspondido. O beijo era calmo, simples, suave. Porém, cheio de paixão, desejo, e amor. A lingua de Marceline explorava minha boca de forma gentil. Suas mãos foram para minha cintura me jogando para trás, fazendo com que eu deitasse fazendo-a ficar encima de mim. Suas mãos me tocavam de forma suave e curiosa, o que me fez arrepiar por completo. Em momento algum separavamos o beijo, e mesmo se o fizesse, tornavamos a nos beijar. 

Flashback/Sonho Off

Acordei num sobressalto por ouvir barulhos de algo sendo quebrado de forma bruta. Ouvi passos pesados e me levantei rapidamente, quase escorreguei em meus cabelos, por serem longos e sedosos . Peguei uma espada enferrujada que havia ali e fiquei posição de ataque. É certo que estava com medo, mas eu tinha que me manter firme. A porta se abriu de supetão, e então minhas lagrimas saíram de forma descontrolada.

- M-Marcy... 

Ela veio até mim me abraçando de forma sufocante, mas aconchegante. Nos abraçamos de forma desajeitada, nos beijamos de forma desesperada. Acabamos por escorregar em nossos proprios cabelos mas não ligamos pra dor de pisar neles, estavamos juntas novamente. 

- Meu amor... - Ela disse chorando demasiadamente

- Shii.... eu to bem...

Nos abraçamos novamente e eu sorri como uma criança. Dei graças ao céus por estar com ela novamente, Se ela me encontrou, provavelmente, provavelmente, Marshall encontrou Gumball. Por hora, não quero saber como conseguiram, só quero continuar a aproveitar a presença daquela que sempre esteve comigo, e que sempre estará. Marceline Abadeer, a rainha vampira, e a dona do meu coração!

 

 

 


Notas Finais


AAWWNNNSSS QUE LIEEENDOOO <3
Proximo cap vou falar como os irmãos vampiro acharam os irmãos chicletes
Até mais <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...