História Falling In Love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias UNIQ
Personagens Cho Seung Yeon
Tags Brasil, Choseungyeon, Coreiadosul, Luizinho, Luizy, Luizy_unisy, Romance, Seungyeon, Uniq
Exibições 32
Palavras 1.553
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Tudo se fez novo


Fanfic / Fanfiction Falling In Love - Capítulo 1 - Tudo se fez novo

Olá, meu nome é ____ , tenho ____ anos, cabelos ____ e olhos ____. Minha vontade sempre foi sair pra fora do país pra fazer intercâmbio desde criança para deixar meu inglês fluente, como não tive oportunidade me virei sozinha estudando pela Internet, vendo séries, filmes e jornais em inglês. No meu último período de sistemas de informações da faculdade recebi uma proposta de emprego na empresa Samsung em Seul, Coréia; fui chamada porque me destaquei no inglês, eles estavam mesmo precisando de profissionais que eram fluentes em inglês para auxiliarem de tradução nas reuniões com empresários de outros países. Logicamente eu aceitei a vaga já que não tinha nada em vista no Brasil, e além do mais seria uma nova experiência, uma nova vida e uma nova oportunidade de conhecer um dos países que sempre tive desejo de conhecer.

 

××× 8 MESES DEPOIS ×××

 

   Essa é a minha terceira semana na Coréia, e vou ser sincera, o meu trabalho é puxado. Tenho que participar de todas as reuniões na empresa porque minha função era de estar presente em todas as reuniões para ajudar na tradução e no andamento da empresa; as vezes passo mais de 24 horas dentro da empresa, cochilo por lá e como qualquer fast food que vier pela frente mesmo.

“Não vejo a hora de sair daqui, porque afinal, hoje é sábado. Preciso de descanso.... Ainda bem que o meu expediente acaba daqui a 3 minutos!”, pensei.

 

 ××× HORÁRIO DO EXPEDIENTE BATEU ××××

 

   Na verdade por ser sábado estava super afim de sair pra alguma balada ou algo do tipo, mas ainda não fiz muitos amigos por aqui pelo fato do trabalho tomar mais de 70% do meu tempo. As únicas pessoas com quem tenho contato aqui são os da empresa, que por sinal me acolheram bem e são bem gentis.

Depois de 2 horas enfim chego em casa, tomo aquela ducha tão almejada mas ainda faltava alguma coisa: a barriga cheia. Sim, minha barriga estava roncando de fome! Minha última refeição foi o almoço... Então peguei alguns panfletos de restaurantes, mas como ainda não entendia nem o básico do coreano não consegui traduzir bem o que dizia. Lembrei que do outro lado da rua abriu aquela cafeteria que todos estavam comentando, então decidi ir lá fazer uma refeição.

Por estar muito frio, optei por uma calça jeans clara, blusa de frio branca, um sobretudo preto, botas marrons e um gorro cinza. Aquela cafeteria tinha inaugurado recentemente, mas por incrível que pareça não tinha ninguém lá naquela noite. "Deve ser por causa do frio" pensei 
Por ainda não saber falar e nem ler coreano, nem perdi tempo tentando ler o cardápio e fui direto ao balcão de pedidos no intuito de pedir um chá e sanduíche quente, mas pra minha insatisfação e frustação a atendente não entendeu uma palavra se quer do que eu disse em inglês. Já estava prestes a sair da cafeteria e dormir de barriga vazia, mas de repente um homem de cabelos pretos, pele levemente pálida, com um terno caramelo e uma blusa de gola alta azul e calça social preta encostou a mão no meu ombro (e que mão macia e quente) e me perguntou: "você está precisando de ajuda? Percebi que você só sabe o inglês, posso pedir algo pra você se quiser" 

   Sua voz era doce como um algodão doce, seu rosto angelical, resplandecente com uma mistura de mistério, devo admitir que nunca tinha visto alguém bonito como tal! Fiquei em choque me perguntando de onde tinha surgido aquele ser. Um anjo caído? Talvez! 

Ele então voltou a falar comigo: “"você entendeu o que eu disse moça?" E até que enfim consegui voltar pra terra, corei porque deixei bem nítido que estava o admirando e lógico, ele percebeu. Balancei a cabeça com consentimento de que poderia pedir algo pra mim, então ele se voltou ao balcão e fez o pedido. 
Ainda estava perplexa e envergonhada por estar perto de alguém tão perfeito, mesmo com frio comecei a suar, estava parada que nem um robô e ele mais uma vez se virou pra mim "está tudo bem com você? Vamos nos sentar" só o segui até o cantinho da mesa da cafeteria que era perto da vidraça que dava pra rua. Para quebrar aquele ar de estranheza que deixei, decidi começar a falar.

(S/N): Obrigada, se não fosse por sua ajuda teria ido dormir com fome hoje...
Ele abriu um sorriso tão satisfatório que seus olhos fizeram eye smile, aquele homem não podia ser real, era total fruto da minha imaginação, será que era o delírio do trabalho já fazendo efeito em mim?
E ele disse "por nada , aliás, meu nome é Seungyoun"

  Eu achava tudo nele perfeito, até quando ele disse o seu nome, achei que era o nome mais lindo que já tinha escutado, não conseguia sair daquele planeta e voltar pra terra por nada, estava enfeitiçada por Seungyoun, o efeito da magia foi instantâneo em mim. 
Seungyoun: "e qual o seu nome? Você não me disse ainda" falou ele sorrindo delicadamente. 
Só conseguia voltar para o planeta Terra quando ele dizia algo direcionado diretamente a mim , estava totalmente viajando...
S/N: "Me desculpe, meu nome é ____ , prazer Seungyoun!"
Seungyoun: "o prazer é todo meu ____! Percebi que você não era daqui assim que olhei nos seus olhos (quer dizer que não era puxado como dos orientais), decidi te ajudar porque sei como é estar num país e não ser fluente naquela língua" 
S/N: "sim, sou brasileira e só sei inglês, o coreano ainda estou aprendendo, vim aqui a trabalho e não tem nem 1 mês ainda que cheguei então tá meio complicado pra mim"
Quando ele ia falar algo, nossos pedidos chegaram: um chá e um sanduíche quente pra mim e um café pra ele.

 

××× TERMINAMOS DE COMER ×××
 

Já estava super tarde, passando das 23h, sendo que teria que levantar no outro dia às 5h para ir trabalhar (sim, eu também trabalhava aos domingos).
S/N: " Seungyoun preciso ir, já está tarde pra mim"
Não queria me distanciar daquele anjo mas as condições não me permitiam ficar perto dele o resto da noite. Ele insistiu em pagar a minha conta, disse que era de coração, fiquei muito envergonhada mas de tanta insistência, cedi. 
Seungyoun : "Eu te levo em casa ____ , já está tarde pra uma moça andar sozinha pela rua"

Nunca desejei morar tão longe quanto desejei naquele momento em que Seungyoun disse que me levaria pra casa, mas infelizmente morava do outro lado da rua, era alguns passos e já chegar dentro de casa...
S/N: "Eu moro do outro lado da rua, não vai precisar ser incomodado mas do que já foi hoje a noite por mim" dei um sorriso envergonhado pra ele
Achei que era ali mesmo que me despediria da coisa mais perfeita e angelical que já vi em toda minha vida, afinal, é como dizem né, tudo o que é bom dura pouco. 
Seungyoun: "então atravesso com você e te deixo na porta, homens precisam ser cavalheiros!"
Me senti quente por dentro quando ele disse isso, minha vontade era de beijar aquele "estranho" ali mesmo,  e ele não tirava do rosto aquele sorriso com eye smile, estava me destruindo toda por dentro de pouco a pouco.

Atravessamos a rua até a porta do meu apartamento, onde se fez um silêncio constrangedor de segundos que pareciam mais horas, não queria me despedir dele apesar de nem conhece-lo direito, ele tinha um grande efeito sobre mim que não sabia explicar o porque e como daquilo. Estava com as mãos dentro do sobretudo e com a cabeça baixa por vergonha esperando que ele falasse algo, mas não aconteceu, então decidi tomar a iniciativa dolorosa de me despedir dele pra nunca mais vê-lo enquanto observava ele passar a mão nos cabelos na tentativa de ajeitar por causa dos fios bagunçados pelo forte vento.
S/N: "Então, acho que tchau..." Sorri pra ele tímida
Seungyoun: "Se você quiser podemos trocar de número porque posso te ajudar em que precisar, podemos tomar café aqui amanhã de novo, não é incômodo, quero ser prestativo a você, está precisando de ajuda até se adaptar"
Fiquei me perguntando como alguém poderia ser tão atencioso com alguém que mal conheceu... A tendência era rejeitar já que tinha medo de estranhos querendo ajudar do nada, mas Seungyoun tinha aquele efeito sobre mim então a resposta foi sim. Ele estava sério, aquele sorriso com eye smile tinha sumido, só não entendia o porque...
Dei o meu número a ele e ele o dele pra mim, marcamos o café às 5:30 (cedo eu sei) porque era 2 horas de viagem até a empresa que eu trabalhava então teria que estar no metro às 6h.
Seungyoun sorriu pra mim e agradeceu a companhia;
S/N: "Eu é que agradeço pela ajuda e pela companhia também!"
O sorriso voltou juntamente do eye smile quando eu disse aquilo, ele parecia satisfeito com meu agradecimento. Não acreditava que o veria no outro dia de novo, aquele anjo delicado, misterioso e perfeito. O meu corpo ardia por dentro de querer ficar perto dele, acho que agora entendo o que muitos diziam sempre comigo sobre o amor à primeira vista, porque acho que era isso que aconteceu quando vi Seungyoun.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...