História Falls - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Edson, Original
Exibições 2
Palavras 1.721
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Magia, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


gente, me perdoa pela demora. estou na correria e minha falta de criatividade ta alta mas prometo ser mais frequente.

Capítulo 7 - Hoje você e a lua choram.


 Luana e Laura caminhavam pela rua com sacolas nos antebraços, eram os vestidos e sapatos em caixas, as duas estavam com duas sacolas. Luana olhava a celular apreensiva como se estivesse esperando algo, Laura via o nervosismo da amiga, ela franze o cenho e entre abre os lábios para questionar a mesma, mas ela já se entrega.

- ela não responde, Laura será que estou sendo muito chata? Ai meu deus, oque eu faço? Ela demora um século para responder.

Laura da uma risada que, no entanto a amiga conhece fazendo uma cara de tacho, era aquela risada maligna de quando a Laura achava graça em uma coisa que não era para rir.

- Ótima amiga em!

- se tá gostando dela. - Laura diz convicta e da um riso rápido. - na verdade desde que ela entrou na sala quinta, você ficou bem vidrada.

- Han? Oi? – Luana da uma de desentendida, mas a mesma sabe que Laura era igual Ed sabia quando ela entendia, mas queria fugir do assunto. – tá, isso é mentira.

- É? Como pegou o número dela? Pediu para alguém? Por que você não tem coragem. Me diz, foi algum garoto que você pediu para pegar?

- AI MEU DEUS! – Luana da um susto olhando o celular e Laura da um pulo logo parando, a amiga olha séria para morena. –ela vai ao baile, é que tipo eu fiquei conversando com ela desde sexta, tá desde ontem, mas mesmo assim. Ela morava em outro país com os pais, acho que era Califórnia, ela tem 17 anos como nós, e não queria ir ao baile, mas eu de um jeito suportavelmente fofo só que não insisti e ela decidiu ir, oque eu faço?! Tá parei de surtar.

- Tá eu tenho medo de você em apenas dois dias você sabe muito de uma pessoa, e depois quer vim dizer que não está vidrada nela? – a amiga olhou com uma sobrancelha levantada e logo começa andar avistando uma sorveteria. – estava pensando... Que tal a gente tomar sorvete para dispensar um pouco isso?

- Hmmm... Tá!

-x-

Ed olhava seu braço analisando as marcas que tomavam uma tonalidade azul bem claro, Trevor dirigia oque Ed ficou pensando, oque as meninas iriam pensar de ele ter passado a tarde toda com o menino que o feriu profundamente? Ele não queria pensar naquilo. Ignorou esse fato de que elas iriam ficar muito irritadas e encosto as costas no banco. Trevor o olhar de relance com um jeito curioso, ele exatamente olhou para os pulsos do garoto, não havia entendido oque realmente havia acontecido, Ed havia se mantido em silencio desde a saída da loja oque ativou a curiosidade do garoto de olhos claros.

- Espero que quando eu envelhecer tenha a força que nem essa velha. – disse num tom debochado, porém querendo puxar assunto. – isso está doendo? Quer que eu te leve para hospital para eles verem?

- Não. Me leve até minha casa e pode ir embora. – falou de modo ríspido e defensivo ainda analisando a marcas nos pulsos e negou a cabeça continuando. – não dói. Desde quando se importa com alguém além de você mesmo? – ele olhou para o garoto que estava dirigindo com os olhos estreitos.

- Desde quando eu estou envolvido. Não estou a fim de ter que depor caso você morra por isso. Sem problemas entende? – Trevor falou com um sorriso no rosto demonstrando que não se importava.

Ed deu de ombros não se importando notando que já estavam na frente da casa dele, olhou Trevor e depois as janelas para certificar que elas estavam fechadas ou não tinha nenhuma das amigas notando sua chegada com o garoto da escola. Trevor notou que aquela era sua deixa, abriu o carro em silencio sem ao menos se despedir do garoto. Ed notou estava só no carro, apenas abraçou suas pernas que logo subiu apoiando na ponta do banco e colocou a cabeça entre as pernas respirando fundo, dirigindo tudo que ocorreu nesse dia.

Ed saiu do carro depois de alguns minutos só e caminhou em direção à porta, respirou fundo e sorriu abrindo a porta e adentrando o local. De primeiro ele havia pensado que estava vazio, mas Laura desce as escadas com uma roupa fitness e passa pelo Ed logo ficando fora de casa e olhando ele com um sorriso.

- Vou caminhar ok? Avisa a Luana que daqui meia hora estou aqui.

- Hmm... Okay vai ser aqui por perto né?

- sim, qualquer coisa... Só me ligar.

Ed olhou a mesma com um sorriso amistoso pensando em como contaria para ela oque havia acontecido, ela parecia estar animada, Laura nunca foi de caminhar, mas quem era ele para julgar? Quando estava magoado ou pensativo demais ele iria para sua arvore depois de uma caminhada. Laura sai dando as costas e Ed faz o mesmo fechando a porta, caminhou rapidamente para seu quarto no primeiro andar e chegou ao espelho olhando o reflexo notando que sua pele estava mais alva, ele tirou a roupa indo em direção ao banheiro do quarto entrando embaixo do chuveiro depois de fechar o Box. Começou a repassar o momento em que a senhora falava aquelas palavras de modo convicto, mas por que choraria? Talvez fosse algum enigma, aquela rua mesmo que gostasse era bizarra com pessoa que tinha sentindo da vida com olhar distintos.

Havia passado dez minutos no banho tentando relaxar e parar de sentir sua pele fria como a noite nas florestas de Buttle, ele desceu as escadas depois de se vestir com uma camisa de mangas longas tampando as marcas em que a velha havia feito com uma calça moletom, notou Luana sentada no sofá e se aproximou sentando ao seu lado, ela assistia uma reprise de Bates Motel em que ela perdeu por que cochilou. Ela me olhou rapidamente e depois focou a serie no final do episodio, ela me olhou novamente dando um sorriso.

- Vai me contar aonde foi? – ela abaixou um pouco o volume da TV e se virou olhado para mim com certa curiosidade.

- Claro, mas quando a Laura chegar pediu oque hoje?

Todos os sábados pediam algo de restaurantes da cidade, eles gostavam de pedir pizza pelo fato de um entregador ser uma “delicia” como a pizza que o mesmo carregava. Ed não iria contar tudo realmente agora, não queria ficar repetindo então esperaria a Laura para isso.

- pizza, pode mandar mensagem para Laura? Faltam 5 minutos que eu liguei para o cara da pizzaria Verance e no máximo quinze minutos ele aparece aqui.

-x-

Laura trotava pela calçada ao lado do barranco da floresta ouvindo som de Bruno Mars, não havia um real motivo para que ela estivesse caminhando, motivo no caso de garotos ou sentimentos, mas sim ela. Estava querendo manter o corpo em forma e se dependesse de Ed e Luana ela estaria obesa, Ed não engorda tão facilmente como sua pré-adolescência por causa da natação que regula sua queima de gordura e Luana... Bem não engorda por ruindade. Ela quis estender um pouco a caminhada pelo fato de chegar zerar o passo (nome do app), ao faltar um passo, ela estava tão entredita com a tela para que zerasse que não notou a pedra no caminho a fazendo tropeçar caindo no chão com seus joelhos esfolados e o celular caindo barranco a baixo. Seu desespero e impulso a fez levantar e observar aonde o objeto eletrônico caiu, ele havia caído perto de um monte de terra fácil de acesso, não estava tão longe da calçada, mas também não estava tão perto.

Ela não pensou muito e ignorando o ralado em seus joelhos e as palmas das mãos, ela tentou descer tendo um bom sucesso nessa escalada, mas oque ela não havia pensado em que o solo que ela estava iria a aguentar, com isso quando seu peso estava completo no monte de terra ele desmorona a derrubando junto com o objeto que conseguiu pegar, a morena rola barranco abaixo não conseguindo ver nada apenas sentindo o seu corpo parar de barriga para baixo, ela abriu os olhos começando a chorar baixo de dor e olhou para cima, ali estava escuro oque apenas iluminava era o luar. Ela tentou se levantar, mas parece que ela havia quebrado o tornozelo. Ela se sentou pegando o celular observando os riscos na tela e resmungou algo baixo, ao notar que Ed estava a ligando ela ouve um uivo próximo aonde ela havia parado fazendo seu coração parar de medo, se fosse lobos ela iria ser morta ali mesmo estava no território deles. Com uma pressa ela tenta desligar o celular para que não atraísse a ela, mas ela acaba derrubando ele, ao procurar o mesmo, pois ele caiu com a tela para baixo não sinalizando nenhum tipo de luz para facilitar ela demora até encontrar um pouco longe onde estava sentada. Ao pegar soltando um suspiro aliviado virando o mesmo ela vê além sente algo a observando a morena olha para frente com um receio, ela fechou os olhos com as lagrimas rolando sobre suas bochechas e quando abre vê a imagem de um lobo de olhos vermelhos pronto para atacar. Tudo que ela consegue fazer era ir para trás, fazendo isso o lobo avançou deixando apenas um grito.

Ed notou que a amiga não atendeu o deixando mais preocupado, Luana estava sentada ainda aflita e esperançosa para que a amiga retornasse e dava quaisquer desculpas, afinal só queria ouvir que ela estaria bem. Ed se apoiou no pilar olhando a tela do celular e nada, ele olhou para o lado soltando um suspiro e seus olhos focam a luz que entrava na janela, a luz azulada, ele imediatamente correu até a pia segurando na borda sentindo o grito que tentava segurar com as lagrimas já brotando no canto de seus olhos, porém a dor foi maior deixando um grito estridente escapar se sentando no chão.

- minha culpa... Minha culpa... – Sussurrou febril olhando seus pulsos.

- Ed?! Oque?! Que foi?! Como assim sua culpa? Ed olha para mim! – Luana chegou à cozinha se agachando levantando seu rosto para que a focasse. – Me diz.

- Hoje eu e a Lua choramos. – ele falou olhando para ela com os olhos já vermelho e observa Luana franzir o cenho perplexo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...