História False Incest - Diabolik Lovers - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz"
Tags Ação, Comedia, Diabolik Lovers, Drama, Hentai, Revelaçoes, Romance, Sadomasoquismo, Sexo, Suspense, Violencia
Visualizações 95
Palavras 2.266
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Konbawa, minna-san! m(._.)m

E-Eto... Gomenasai... A Momoko-chan ficou sem postar esses dias (há oito dias) porque eu estava em semana de provas. Terminou hoje! Iniciou-se dia 14 e terminou hoje, dia 18. G-Gomen... Eu precisava mesmo estudar! Prioridades! ^^ Não que escrever não seja... Mas é meu futuro! Hahahaha!

Maaaaaaaaas! Deixando as provas de lado... MEU DEEEEEEEEEEUS! VOCÊS NÃO SABEM O TANTO DE NOVIDADES QUE LHES AGUARDA! XD MUAHAHAHAHA! NÃO DAREI SPOILERS! (@[email protected])

É... Você vai ter que explicar, onee-chan. *Maya (irmã do kokoro) diz*

É... Foi mal. '-'

Bom! A verdade é que a fanfic terá personagens novos! Não darei nomes, porque será spoiler! Bom... Terá lobos! Lutas, sangues etc! E... Duas personagens lobas e uma bruxa fofa pra dedéu terão situações amorosas e complicadas! A Ayu, nosso amorzin, também se ferrará muito ainda! XD

- Já não basta os vampiros, onee-chan? -.-' *Maya diz novamente*

- É maninha, porém! Na vida a gente nasce, cresce, se fode e morre. '-'

Então, minna-san, a história ficará mais legal e terá muita ação! Haverão outros personagens, contudo, apenas estes serão mostrados! Só por ora! Enfim, espero que gostem do cap! Estará em pretérito perfeito porque eu fiz em tempo psicológico (flashback) e não o cronológico. Espero que gostem! ʚ♡⃛ɞ(ू•ᴗ•ू❁)

Good reading! 💛

(Obs: Haverá um momento em que vocês irão desejar ser a personagem... Ou a língua dela. É um pouco nojinho! XD Mas é bom! Haverá maratona de caps esta noite! Se preparem! XD)

🎉🎉🎉🎉✨✨✨✨🎆🎆🎆🎆🎇🎇🎇🎇 THANS FOR THE 115 FAVORITES! 🎇🎇🎇🎇🎆🎆🎆🎆✨✨✨✨🎉🎉🎉🎉

- Momoko.

Capítulo 31 - O Reencontro


Fanfic / Fanfiction False Incest - Diabolik Lovers - Capítulo 31 - O Reencontro

O Reencontro

 

Todos estavam comemorando a festa de 18Y de Ayu, muitos felizes! Os convidados dançavam loucamente na pista. Eu, que não tinha nada pra fazer, fiquei observando as “pessoas” dançarem. Aquelas cinturas, aqueles cabelos... Aqueles rebolados... Eram meninas, quero dizer, eram pessoas muito bonitas!

Bebia minha vodka sozinho, largado no sofá, sentado relaxadamente. Não me importava com as pessoas ao meu redor! Como disse Hijime ao chegarmos no chalé: “sintam-se em casa”! Eu não poderia desobedecê-lo! E de repente, enquanto bebia sentindo-me em casa, me deparei com uma garota familiar! Era alta, não estava com maiôs cavados assim como o das coelhas! Estava basicamente de lingerie cinta liga e um top que destacava bem seus seios, porém, usava uma tiara com orelhas negras de coelho. Observei-a dos pés a cabeça – pois meu olhar estava fixo em sua silhueta – e, ao encontrar seus olhos, tomei um susto! Olhos cinzentos, cabelo negro brilhante, batom rosa em seus lábios de boneca... Era Mya, o demônio que entrou na minha vida há um passado distante.

- Mya? – Perguntei desorientado devido ao efeito do álcool.

Mya era humana até converter-se à loba, em um clã chamado Clã Dominante. Sim... Dominante, pois dominaram muitas áreas de florestas! Mya havia passado cessenta e um dias na mansão, porém, fugiu para converter-se à nova vida. O clã que ela participa caça demônios e vampiros. Sim, temos uma grande rivalidade!

- Ayato-kun! – Disse em um tom doce, exibindo seu sorriso delicado. Ah... Carinha de santinha... Não vale nada! – Bom te ver!

- Uau! Satanás está mesmo pregando peças! – Ri irônico. – Por que diabos Deus permitiu que eu te encontrasse novamente?

- Ayato-kun, você está louco e bêbado! – Riu. – Estava com saudades!

- Juuura? – Dei risada. – Eu não!

Mya respirou fundo, subindo em meu colo. Seus olhos passaram a brilhar mais, ela já estava me enfeitiçando... Não via as pessoas, muito menos ouvia a música! Estava em um total escuro com ela.

- É assim que se reencontra velhos amigos? Nos relacionamos por um bom tempo, lembra? Em poucas semanas eu já estava a te enlouquecer! – Riu, passando a mão em meu rosto.

- Pare de me enfeitiçar, Mya. – Disse indignado.

- Quer saber como vim até aqui? – Sorriu. – Eu te conto! Bom, como estava conversando muito com Ayslla, aquela fofa, e sua amiga Alice, as duas me entregaram convites para minha irmazinha Amy, minha prima Ari e eu. Sabia que você estaria aqui e por isso, somente isso, aceitei.

- Uau... Você é louca. – Ri.

- Bastante louca! Louca por você, seus olhos, seu corpo... – Respondeu, beijando meu pescoço.

- Mya, Mya... – Afastei-a de mim. – Você não sabe o que está fazendo! Por acaso quer me matar?

- Te matar? Amore, eu não te odeio tanto assim! Meu Clã nem sabe que estou aqui! Sabe, eu ando perto de você há um bom tempinho... – Ela riu. – Sabe a Haru Shirayuki?

- O que tem ela? – Arregalei os olhos.

- Sou eu! – Ela sorriu. – Eu sempre coloco lentes lilases e coloco uma peruca azul com fios rosados! A Haru sou eu!

- Estava me stalkeando? – Segurei fortemente os ombros da garota.

- Isso dói, Ayato... – Mya murmurou, diminuí a pressão em seus ombros. – Não estava te stalkeando, apenas o otõ-san que não queria que eu saísse da Ryoutei! Mas, como vocês iriam me procurar, mudei toda minha aparência e blá blá blá! É legal te ver jogando basquete! Você é bem habilidoso com as mãos!

- Não fode... – Resmunguei.

- Stalker, louca... Qual será o outro apelido que dará a mim? – Sorriu sapeca, dando pulinhos em mim em um certo local.

- Doente! – Bradei. – Vamos, tire-me desta escuridão!

- Sim, senhor! – Respondeu irônica.

Tudo voltou ao normal, graças a Deus! A casa ainda estava cheia, não ficamos tanto tempo desconectados do mundo quanto pensei!

- O Ayato-kun se relacionou? – Sorriu.

- Não é de seu interesse. – Resmunguei.

- Hmmmm! Já que não é de minha conta, irei chutar! O Ayato-kun não se relacionou com mais nenhuma garota porque ficou traumatizado com a Mya-chan aqui! Nenhuma outra garota ocuparia meu espaço, faria você me esquecer! Te seduzi, você se entregou completamente... Ainda consegui hipnotizar seus irmãos! Ayato-kun, você sente minha falta, né? Eu sei, dá pra sentir. – Perguntou com um sorriso na cara, segurando minha nuca.

- Você é uma puta idiota, Mya. – Olhei feio pra ela.

- Eu sei. – Sussurrou, aproximando-se de meus lábios.

Resistir aos seus charmes sempre foi difícil. Mya sabia, realmente, como me enlouquecer. Seu beijo permanecia o mesmo, porém, despertava-me sensações novas. Segurei sua cintura com uma das mãos e com a outra sua nuca, puxando Mya para perto de mim ainda mais. Depois de um tempo, a morena passou a espalhar beijos pelo meu pescoço e leves chupões.

- Mya... – Afastei-a de mim. – Chega, não?

- Por ora, encerrarei. – Sorriu, saindo de meu colo. – Eu passarei um bom tempo com você! Nem acreditarás!

Dito isso, a mesma sumiu. Nem acreditaria? Do que ela estava falando? Ignorei, um tanto intrigado, e continuei tomando minha vodka, que descia quente. O aumento da minha temperatura foi, principalmente, em razão da garota. Porém, quis acreditar que era febre.

- Só deve ser febre! – Ri.

 

 

 

Uma hora se passou, as músicas já estavam mais agitadas e os convidados já pareciam loucos! Continuei sentado no sofá feito tolo e, num movimento comum, olhei para trás e vi Mya dançando na pista com outras garotas, totalmente solta! Sua cintura parecia um chiclete! Ao notar que a observava, continuou dançando, contudo, mais provocante. Já sentia um latejar entre minhas pernas. Maldita... Me obrigaria, indiretamente,  a fazer aquilo.

Levantei do sofá, indo até a mesa com bebidas e pegando uma garrafa de vodka que nem fora aberta, passando pela pista de dança, recebendo esfregadas de braços, seios e bundas das garotas que dançavam ali. Subi até meu quarto, batendo a porta e me jogando na cama, sentado. Abri a garrafa e nem me dei ao luxo de pôr o líquido no copo vazio em minhas mãos. Com raiva, arremessei o copo contra a porta e ele deixou de ser um copo normal para se tornar estilhaços de vidro! Bebi o líquido ardente diretamente da boca da garrafa, afogando minha raiva.

- Mya, sua desgraçada! Isso tudo é por sua culpa! – Bradei.

Comecei a rir, bizarro e louco! Levantei da cama, indo até o rádio e colocando numa estação de jazz, saxofones são ótima escolha! Voltei para a cama e bebi mais da bebida, observando minha ereção pela calça. Maldita... Maldita Mya!

(Veio dos infernos para me atormentar!)

Respirei fundo, dando mais um gole na vodka e colocando-a de pé no chão. Puxei o zíper da minha calça para baixo, descendo-a um pouco e observando a cueca cinza. Porra... Eu faria mesmo aquilo? Sim, eu faria. Retirei a calça e a cueca, meu membro saltou na mesma hora! Argh! Já estava sendo insuportável!

- Ayato? – Ouvi uma delicada voz vinda da porta.

Tomei um susto ao olhar para o local e ver Mya. Ela riu ao me ver.

- Que surpresa... Ver você saciando seus desejos é um pouco raro! – Riu, se aproximando da cama, ficando frente à frente a mim e minha ereção. – Me diga... Fui eu que causei isso? Se me disser, posso te aliviar!

Respirei fundo para não puxar Mya e fazer algo errado. Ela já estava me estressando muito! Até demais! Quando me senti melhor para responder, respondi:

- Sim, Mya. Foi você a causadora disso! – Olhei para meu membro, em seguida para Mya.

Ela sorriu, se ajoelhando e segurando-me firme, senti fisgar.

- Eu realmente sinto muito! – Riu, começando a mover a mão pra cima e pra baixo. – Eu te farei sentir-se melhor, não se preocupe!

Mya... Mya era mesmo uma safada! Sua mão movia-se lentamente, parecia querer me torturar, me ver pedir para que ela fizesse algo a mais! Apertei meus lábios, sentindo a pressão piorar ainda mais. Nunca tinha ficado tão desesperado... Era diferente demais! Mya me olhava com seus olhos cinzentos totalmente claros, formavam um “eyesmille” filho da mãe! Seu sorriso... Seu sorriso era delicado, porém, perverso.

- Nunca imaginei que faria isso com você... – Comentou, acariciando minha glande já umedecida. – Estou muito feliz de te ver assim! Hahaha!

- Você é cruel... – Sussurrei.

- Eu? Cruel? Ayato-kun, você e seus irmãos sacrificam garotinhas inocentes, pedaços de carne tão pobrezinhos e eu sou cruel? – Perguntou fazendo uma carinha triste. – Ei... Você quer que eu pare? Já que sou tão cruel, sinto que devo cessar. Responda: quer que eu cesse ou prossiga?

Engoli em seco.

- Você pode continuar bebendo sua vodka... Tentando livrar-se de sua ereção... – Ela deu risada, dando um gole na vodka e acabando com o que restava, jogou a vodka de baixo da cama. – Olha, você está bem estressadinho! Destruiu o pobrezinho do copo... Se tentar se aliviar, acabará se matando! Recomendo que eu continue!

(Merda...)

- Continue. – Falei.

- Palavras mágicas? – Sorriu.

- Por favor. – Pedi.

- Ótimo! Seu longo tempo de aprendizado na Ryoutei, bem como sua educação de ótima qualidade em casa estão ressurgindo e surtindo efeito! – Ela sorriu.

Mya continuou movimentando a mão para cima e para baixo, contudo, em um dos momentos, passou a língua e sua saliva quente por minha glande. Apertei os olhos, sentindo todo meu membro encaixar-se na boca e garganta de Mya. Meu Deus... Ela ultrapassou os limites que imaginei que ela ainda tinha! Ia para frente e para trás, lentamente e rapidamente em algumas vezes. Eu já sentia-me melhor, menos tenso! E quando pensava que ela prosseguiria na velocidade boa – a rápida – a morena diminuía e ficava lenta. Impaciente, segurei sua cabeça e coordenei os movimentos, Mya arregalou os olhos, estava sendo violento demais. Cheguei ao meu limite, pressionando a cabeça de Mya em mim, acabando por gozar em sua boca. Ela se afastou, tussindo enquanto sêmen escorria pelo seu pescoço.

- Ayato, você ficou louco!? – Bradou.

- Você disse que iria me aliviar! – Ri, puxando-a para meu colo. – Se veio até aqui, terá que prosseguir.

Seus olhos me encaravam com medo, porém, seu sorriso sacana disfarçou. Convencida, Mya respondeu:

- Ok! Eu continuo, sem problemas! – Deu de ombros.

Retirou o restante de minhas vestimentas, jogando tudo em um canto junto aos meus sapatos. Mya retirou as próprias “roupas”, jogando-as no mesmo canto do quarto. Ela era ainda mais bonita despida! Seios saudáveis, bem empinados, de mamilos rosadinhos. Sua cintura parecia ainda mais fina e destacada! Glúteos grandes, sem nenhuma marquinha! Coxas grandes, que dava vontade de marcar com minhas mãos. O corpo de Mya era maravilhoso... E eu o teria durante toda a noite. Me perguntava se ela ainda era virgem...

- Pare de me olhar assim, está pior do que quando te hipnotizei! – Riu, me empurrando na cama, me deixando deitado.

- Está me dominando, é? – Ri.

- Sim! Como um bom menino, você ficará apenas quieto até eu permitir que você seja o dominante da coisa toda! Por enquanto, relaxe. – Ela sorriu.

Sobre mim, Mya apoiou-se nas mãos que estavam sobre meu peito, sentando lentamente em meu membro, emitindo um gritinho enquanto apertava os olhos. Foi aí que senti algo escorrer e descobri que Mya ainda era virgem. Sorri malicioso e Mya me olhou com raiva, dando um tapa em meu rosto enquanto começava a quicar sobre mim.

Ela era adorável! Hahaha!

- Você é ainda mais interessante! – Disse aos gemidos.

- B-Baka! Pare de sorrir! – Respondeu indignada, me dando outro tapa. – Tsc... Maldita hora que entrei aqui!

Subia e descia rapidamente, dando altos gemidos enquanto pedia por mais. Mya já estava consumida pelo suor, assim como eu. O som de nossas partes se chocando era ainda mais erótico que o som de nossos gemidos dados pelas nossas falhas vozes. Ela falha... Eu rouco. Quando fui segurar a cintura da morena, ela gritou, mandando eu não tocá-la. Após um tempo, dominando-me, Mya chegou ao seu orgasmo, pelo que pensei, seu primeiro orgasmo. Desabou em meu colo.

- Mya? – Toquei em seu rosto, ela arfava.

- Prossiga... – Ordenou, sorrindo.

No que aquele ódio todo havia se transformado? Mya tornou minha vida um inferno, porém, naquele momento eu não desejava matá-la, aniquilá-la, destruí-la... Nada disso. Apenas sorri, deitando-a e me encaixando entre suas pernas, segurando-as e penetrando-a mais uma vez. O segundo gemido de Mya fora ainda melhor que o primeiro! Seu interior era apertado, mas, era ótimo! Suas paredes se comprimiam, me apertando, contudo, não desisti e me movi, acabando por ser um pouco violento e provocando altos gritos dolorosos de Mya. A cama batia na parede, esperava que ninguém fosse tirar satisfação. Com volúpia, beijei Mya, tendo a passagem de minha língua permitida completamente para o interior de sua boca! Com uma das mãos, segurava seu joelho e com a outra, apalpava-lhe. A morena apertava os olhos. Nos entreolhávamos, totalmente entregues. Senti algo me vir de repente e tive meu segundo orgasmo naquela noite, gritando junto com Mya.

 

 

 

No final da noite, totalmente exaustos, ficamos deitados na cama. Eu nem imaginava que havia me deitado com o Ayato-kun! Eu realmente sentia falta dele, até era uma saudade doentia! Ele acariciava meu rosto lentamente enquanto eu pegava no sono. Jamais, nunca pensei que um dia me deitaria com ele, muito menos que minha primeira vez fosse ser com ele! Eu passaria um bom tempo perto dele já que Ayu e eu fizemos amizade, ela até sabia minha verdadeira identidade, porém, não sabia o real motivo de eu tê-la. Seria interessante... Eu conseguiria recuperar o tempo perdido?

Eu odiava e amava aquela peste ruiva... Era fato! É fato!

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...