História Família Snape-Segunda temporada - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter, Saga Crepúsculo
Personagens Personagens Originais, Scorpius Malfoy, Severo Snape
Visualizações 93
Palavras 1.069
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Científica, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Capítulo 2.


Em meio a pensamentos tortos e visão embaraçada Nicolas bebia feito louco, era 4:00 da manhã quando sentiu seu braço ser puxado com força e de repente aparatar em frente a mansão Snape.

A única coisa que Nicolas ouviu foi uma voz abafada e grave dizer.

- Ponham ele na maca do meu laboratório! 

Anna que havia perdido o bebê mas já já estava com seu Piscicologico bem melhor e Klaus estava junto a ela, tinham o plano de ir beber uma Cerveja amanteigado para celebrar a compra da nova casa na rua da Fiação próxima a mansão Snape mas encontraram Nicolas chorando e bebendo, levaram juntos Nicolas até o laboratório de Severo como o mesmo havia ordenado.

Nicolas repetia apenas " Elas foram embora, elas foram embora..."

Severo vestiu as luvas cirúrgicas e tentou aplicar uma poção para extração de álcool diretamente na veia do braço, mas Nicolas se contorcia mas não de dor e sim por estar com muita raiva em seu subconsciente, Severo dizia com sua voz baixa e arrastada.

- Nicolas sussega!, Nicolas me dá esse braço aqui!...

E nada, Nicolas parecia não ouvir, Anna assistia a cena do irmão junto a Klaus assustada,ela nunca tinha visto o irmão que era tão sério e controlado daquela forma,     

 " Será que ele está ficando maluco?"

Pensava Anna enquanto segurava a mão do marido.

Severo tentava a todo custo parar o filho que agora além de se tremer e contorcer gritava e chorava.

Já perdendo a paciência deu um tapa na cara do filho,mas Nicolas que tinha a barba grande para quem tinha toque de raspar qualquer pelinho que aparecece na região  parecia não sentir dor nenhuma.

Severo perdeu a paciência e conjurou um isqueiro, pegou a ponta do dedo indicador da mão esquerda e fez a única coisa que machucaria um vampiro, queimou a ponta do dedo do filho, Nicolas parou de se debater na hora e começou a gemer por estar ardendo, Severo de surpresa aplicou a injeção na veia do menino.

Aos poucos Nicolas foi voltando a lucidez.

Piscou várias vezes e logo revelou a íris dos olhos com uma coloração avermelhada.

Nicolas com rapidez inumana parou ao lado de Klaus e o colocou contra a parede, uma brisa de ar bateu soprando o cheiro doce do sangue de Klaus para as narinas de Nicolas, o homem suspirou e soltou Klaus e disse.

- Desculpe Klaus, seu sangue é uma tentação para mim, desculpe pelas marcas da minha mão no seu pescoço!.

Klaus disse.

- Tudo bem, Anna já quase me matou semana passada por eu ter cortado meu dedo na faca enquanto cortava batatas na cozinha!.

Nicolas sorriu olhando para veia de sangue quente que pulsava para baixo e para cima e novamente a brisa bateu em sua direção.

- O cheiro do seu sangue é ótimo! 

Klaus assustado disse.

- Bem...um bom dia ai para os senhores Snape, mas eu vou indo antes que eu vire café da manhã!.

O homem desaparatou para casa sendo seguido por Anna

Severo olhou para Nicolas enquanto tirava as luvas cirúrgicas e jogava no lixo.

O homem disse apenas.

 - Tem sangue na geladeira, vamos!.

Os dois desceram feito vultos.

Depois de Nicolas ter tomado sangue acendeu um cigarro, Severo não se importou, afinal o menino não era mais responsabilidade dele.

Nicolas andava fumando muito desde o dia que Sophie tinha saído de casa, então o gosto amargo da fumaça do conteúdo não conseguia ser mais amargo do que a dor que ele sentia no peito.

Severo disse.

- Oque fizeram com você?, está mais magro, olheiras profundas, está fumando e bebendo feito louco...nem a barba você faz mais, aposto que não tomou banho hoje, ou ontem sei lá!.

Nicolas começou a chorar dizendo.

- Ela foi embora e agora quer arrancar minha filha de mim pai, se ela quer divórcio eu até aceito mas...tirar a minha filha de mim?, me proibir de ve-la?, nunca!.

- É complicado, mas você não pode perder a cabeça agora!.

- Pai, da última vez que Sophie levou a Rebeca para me ver lá em casa ela gritou na minha cara e na frente da minha filha que eu era um insensível que merecia queimar no inferno e que não merecia ser pai da Rebeca!, a minha filha ficou assustada pelas palavras duras dela, antes de ontem minha filha me ligou perguntando se era verdade que eu não me importava com ela!, daqui a pouco Sophie vai dizer a minha filha que eu não gosto dela!.

- Oque?, Sophie está saindo do controle, você pode ter os seus defeitos mas todos que te viam com minha neta sempre elogiaram a relação de vocês! 

- Oque me mata de ódio é saber que ela está usando a minha filha para me atingir, sabe que é meu ponto fraco,e o pior é que eu amo essa mulher pai, eu posso até ter rosto e corpo de adolescente de 17 anos para sempre mas minha mente é de um homem!.

- Pelo menos esse final de Semana a Rebeca vai ficar com você né?.

- Sim, apenas espero que Sophie não arranje desculpas como todos os finais de semana em que eu estava em Hogwarts e fiquei mofando na estação de Hogsmeade esperando minha filha e ela me manda uma coruja dizendo que Rebeca perdeu o horário porque dormiu demais e por isso não ia passar o final de Semana comigo!, isso é um abuso e não está no combinado que fizemos quando ela me abandonou!.

- Porque exatamente ela saiu de casa?.

- Eu realmente não sei pai, só sei que apesar deu eu amar muito a Sophie e a Rebeca, de Sophie quero distância e de Rebeca exijo meus direitos!.

- Está certo, vem vamos lá pra cima, o seu quarto ainda está o mesmo de antes!.

- Não, não posso pai, esqueceu?, hoje é sábado, daqui a pouco é o horário da Sophie trazer a Rebeca!.

- Está bem, quando a Rebeca chegar você pode vir almoçar com o seu velho pai que o senhor largou jogado às traças quando se casou?.

- Pai...que drama, eu te visito toda hora!.

- A é?, então me diga a última vez que me visitou?.

- Natal passado!.

- Viu!, Natal passado foi Dezembro e já estamos em Agosto caso não saiba oque é um calendário!.

- Ai pai, está bem,prometo que venho!.

- Está prometendo vir a um tempo e não vem, não quero que prometa, quero que venha!.

- Sim senhor!.

Severo deu um de seus raros sorrisos e abraçou o filho e logo em seguida deu um beijo na testa do homem que sempre seria seu menino.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...